Clique aqui e faça sua inscrição para o Desafio. Clique aqui para mais informações sobre o pedal. Clique aqui para ver a lista de inscritos.
NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

Crankworx Rotorua Slopestyle 2017 é neste sabado a partir das 20:30 (Horario de Brasilia)

Ai galera para quem curte SLOOP STYLE, Crankworx Rotorua é o festival de abertura de quatro grandes eventos do Crankworx em 2017. O bikepark Skyline Rotorua Gravity Park recebe novamente diversas provas de downhill, enduro, entre outras modalidades ao longo de nove dias de celebração ao Mountain Bike. O grande evento do festival será o Crankworx Rotorua Slopestyle encerrando as festividades!

O Mesmo pode ser assistido no site da redbull.com ou no frame abaixo:


Conheça quem são as mulheres mais velozes em cima das bikes de montanha!

O mountain bike é um esporte que demanda muito do físico e da mente e não deixa espaço para pessoas de pouca fibra.
As mulheres que atualmente lideram esse esporte são muito velozes e destacam-se entre as melhores atletas do mundo.
Muitos dos ciclistas nem as conhecem, então selecionamos as ciclistas mais rápidas do mundo, para que vocês saibam quem elas são!

Rachel Atherton

Rachel Atherton conquista o prêmio Laureus 2016 © Red Bull Content Pool
Duas vezes vencedora do prêmio Laureu, considerado o "Oscar" dos esportistas, a Princesa do Downhil Rachel Atherton só podia estar no topo da nossa lista, especialmente após o seu ano de 2016 invicto que arrasou ao longo de toda temporada Copa do Mundo UCI MTB. Ela venceu e manteve também o título do Campeonato Mundial UCI, demonstrando que nunca desacelera!
Rachel Atherton é a fêmea alfa de corridas de downhill, sua capacidade de gerenciar sua velocidade é notável. Ela já é considerada uma das melhores atletas do downhill mundial de todos os tempos!

Catharine Pendrel

Pendrel terminou a prova em top 3 © Matthew DeLorme
Mas que bela temporada de 2016 para Catharine Pendrel. A canadense conseguiu lidar com o fervor de Annika Langvad no início da temporada da Copa do Mundo UCI MTB XCO para terminar muito forte o ano e reivindicar o seu terceiro título geral da competição.
Nas Olimpíadas do Rio ela caiu na primeira volta, mas ela mostrou muita garra para terminar em terceiro lugar!

Cecile Ravanel


Para muitas pessoas, Cecile Ravanel é naturalmente a sucessora do trono de Anne-Caroline Chausson no downhill francês e mundial. Ela é rápida, francesa e devastadoramente consistente.

Em 2016 ela conquistou o título do Enduro World Series, ganhando sete das oito rodadas ao longo do caminho. Sua base feita nas corridas de XCO e XCE lhe fornece aptidão ideal para aplicar a velocidade e habilidade quando for preciso.

Tahnée Seagrave


Tahnée Seagrave com o capacete novo © Dave Mackison

Apesar de ter apenas 22 anos de idade, Tahnée Seagrave - campeã mundial junior UCI em 2010 - é uma das mulheres mais jovens no top 10 do esporte, uma das estrelas mais brilhantes do DH mundial.

Ela foi uma das poucas mulheres a confrontar Atherton em 2016 e continua a ser uma das maiores desafiadoras nos próximos anos.

Seagrave é notàvelmente dotada de habilidade, quando a pista começa a piorar, sua técnica sobressai, já que vem desenvolvendo suas aptidões ao residir em Morzine, um dos melhores lugares do mundo para prática do mountain bike.

Rebecca Rusch



Rebecca Rusch: sorrindo nas adversidades © Pat R. Notaro III


Nascida em Porto Rico, Rebecca Rusch continua a ser uma das competidoras mais difíceis de ser comnbatida que o mountain bike profissional já produziu.

O que realmente a distingue de tantas outras lendas, no entanto, é sua habilidade de camaleão de adaptar-se aos desafios e múltiplas aventuras.

Criada em Chicago, ela fundamentou seu título de "Rainha da Dor" ao tomar o segundo lugar no Dirty Kanzo 200 de 2016 e vencer o Desafio Trans Andes de 2014, além dos inúmeros títulos mundial de 24 horas.
-
Fonte: http://www.redbull.com/br/pt/bike/stories/1331848463204/5-mulheres-mais-rapidas-no-mountain-bike-dia-da-mulher

Brasileiros em ação no Pan-Americano de MTB 2017

Os ciclistas brasileiros desafiam a altitude na 11ª edição do Campeonato Pan-Americano de mountain bike 2017 em Paipa - Boyacá, na Colômbia até o domingo (2 de abril).
A programação oficial começou com a prova de revezamento "Team Relay" (XCR), com a seleção brasileira terminando na sexta colocação. O Cross Country Eliminator (XCE) tem disputas nesta sexta-feira (31), seguida pelas provas de XCO das categorias máster e Juvenil. No sábado, acontecem as provas de XCO da categoria Junior e finais de todas as categorias do Downhill.
Na elite do XCO, os representantes brasileiros convocados pela CBC (Confederação Brasileira de Ciclismo) são Henrique Avancini e Raiza Goulão, que enceram a programação no domingo (2). Muitos outros ciclistas brasileiros marcam presença na competição de maneira avulsa.
Raiza disputa sua prova as 11h e Henrique busca o bicampeonato a partir das 17h15 (horário de Brasília). Em 2016 Henrique Avancini e Raiza Goulão conquistaram a medalha de prata. Os atuais campeões pan-americanos da categoria elite XCO são a mexicana Daniela Campuzano e o argentino Catriel Soto.
Pan MTB 2017: Raíza Goulão quer o título © Andalucia Bike Race

Formato da competição

"Serão quatro dias de competições em vários formatos; Sprint Eliminator (XCE), Cross Country Olímpico (XCO), Revezamento de Equipes (XCR) e Downhill” - conta o técnico Henrique Furtado.
"O XCO é, sem dúvida, a modalidade mais disputada e mais importante do MTB. Nessa modalidade os atletas irão competir em um circuito técnico de trilhas (single track), onde farão varias voltas. Já o XCE é uma prova no formato de prólogo, bem curta e definirá a quantidade de voltas e a posição de largado para o XCO. E o XCR é no formato revezamento onde um atleta por categoria de cada delegação nacional dará uma volta no circuito somando o total de 5 voltas" - complementa.
Specialized Racing BR: Bruna Elias © Specialized Racing BR

Desafio da altitude

Paipa é um município Colombiano situado no centro-oriente do país, na província de Tundamá do departamento de Boyacá. A pequena cidade fica encravada nas montanhas, oferecendo um grande desafio aos ciclistas, em virtude da altitude média 2.525 metros acima do nível do mar!
Os efeitos do ar rarefeito tornam-se grandes obstáculos no esporte, principalmente, para os competidores do cross country olímpico, em que o circuito será composto por 3,5 quilômetros por cada volta.
Specialized Racing BR no Pan MTB 2017 © Specialized Racing BR

Jovens talentos

Os atletas da equipe Specialized Racing BR destaca-se no Campeonato Pan-americano de Mountain Bike pela ótima infraestrutura. Em busca de experiência e melhorar os resultados do ano passado os ciclistas Erick Bruske, Lucas Sírio, Larissa Brasa e Bruna Elias contam com uma estrutura completa, com acompanhamento do educador técnico da equipe Henrique Furtado, suporte mecânico exclusivo para o time e nutrição de primeira oferecida pela Honey Stinger.
“Os atletas estão recebendo a estrutura e apoio que merecem diante de todo esforço e dedicação que tem entregado à equipe e a marca Specialized. Isso influencia positivamente na forma com que encaram as provas e batalhas diárias que enfrentam. A convocação da CBC e oportunidade de representar o Brasil numa prova tão importante como essa é uma vitória vibrada por todos.” - conta Lucas Marion, responsável por Sports Marketing da Specialized Brasil.
Uma das grandes promessas neste Campeonato Pan-americano de MTB 2017 é a gaúcha Bruna Elias, de 17 anos, que busca o título da América Latina na categoria junior feminino. Em 2016, a ciclista gaúcha terminou com a medalha de prata e com a vontade de subir no topo do pódio!
"A Bruna competiu em 2016 na Argentina, Catamarca na categoria juvenil. Foi a primeira prova internacional da Bruna que teve uma experiência incrível. Ela largou atrás completando a primeira volta na quinta colocação e por surpresa de todos teve um excelente desempenho na última volta, levando o vice campeonato pro Brasil. Esse é o primeiro ano da Bruna na categoria Junior e ela tem se mostrado em excelente forma, executando os treinos com perfeição. A atleta tem andando na frente e ganhando provas importantes como a primeira etapa da Copa Internacional de MTB e é uma forte candidata ao lugar mais alto do pódium no PAN 2017" - relata o técnico.
Larissa Brasa: "Ela compeitu o Pan no Brasil em 2014 no primeiro ano de Junior, mesmo sentindo a grande diferença da mudança de categoria andou firme chegando na oitava colocação. Esse ano é a primeira viagem/prova internacional da atleta e já na categoria sub-23 ela briga pra defender o Brasil entre as melhores do mundo" - afirma.
Lucas Sírio: "Nosso atleta da categoria Junior masculino competiu pela primeira vez no Pan-americano em 2014 que aconteceu em Barbacena (MG). Foi o primeiro ano do atleta na categoria juvenil, fez uma excelente prova chegando entre os 10 primeiros colocados. Em 2015, Lucas competiu em Cota, na Colômbia e mesmo com problemas técnicos, largando na ultima fila fez uma prova de recuperação chegando em 6º lugar. Em 2016, no seu primeiro ano de Junior no Pan-americano na Argentina, ele fez uma excelente prova largando bem atrás e chegando na oitava colocação. Para esse ano, Lucas está com mais experiência e melhor ritmo na categoria e vai brigar por uma medalha no pódio do Pan na Junior Masculino" - acrescenta.
Erick Bruske: "Ele é o talento do Brasil na sub-23 e vai competir pela terceira vez no pan. Em 2015, na Colômbia, Erick precisou abandonar a prova por problemas de saúde, depois de uma infecção intestinal. Em 2016 na Argentina, Erick fez uma boa prova, andando constante e terminando entre os Top 15, sendo o melhor brasileiro na categoria. Para esse ano Erick está mais preparado e experiente, visando defender um boa colocação entre os top 5 e sonha com uma possível medalha," conclui.

-
Fonte: http://www.redbull.com/br/pt/bike/stories/1331851978834/brasileiros-em-acao-no-pan-americano-de-mtb-2017

Panamericano de mountain bike downhill é novo desafio de Bernardo Cruz

O ciclista mineiro Bernardo Cruz, especilista em downhill, modalidade em que ele lidera o ranking brasileiro, parte para um dos desafios mais importantes da temporada. Entre esta quinta (29) e o próximo domingo (2), Bernardo estará em Paipa, na Colômbia para a disputa do XXI Panamericano de mountain bike downhill. A cidade, que colocará dificuldades no caminho dos participantes em virtude da altitude (2.577 metros), é conhecida pelas estâncias de águas termais.
Na disputa, Bernardo terá pela frente concorrentes de peso.
“É uma competição muito concorrida, com descidas extremas e muito rápidas e saltos gigantes. Além da pista difícil que exige muita técnica e perícia. Terei adversários complicados, com destaque para os atletas dos EUA, Canadá e Chile, que estão entre os melhores do mundo", destaca.
Depois de um terceiro lugar em 2015 e do quarto no ano seguinte, em 2017 ele pensa alto e foca na primeira posição. Os treinos na sua cidade natal (Ouro Preto) foram fundamentais no período de preparação.
"A expectativa para competição é grande. Ano passado fiquei em quarto lugar e este ano espero beliscar um lugar mais alto no pódio. Estou um pouco mais focado, treinando mais em trilhas, ao contrário de 2016, quando participei mais de downhill urbano. As trilhas das montanhas de Ouro Preto tornaram-se praticamente minha casa. É nelas que tenho treinado para aperfeiçoar minha técnica em pista de terra", declara.
“Espero conquistar o primeiro lugar na Colômbia. Este é o desafio que estou me impondo nesse momento. É um dos meus grandes desafios dessa temporada”, completa.
São esperadas mais de 30.000 pessoas para acompanhar de perto as disputas. Ao todo, pilotos de 15 países estarão presentes.
“Se depender de mim, tenho certeza de que o público não se decepcionará. Desde os treinos até a prova final, será um espetáculo de precisão e técnica, poeira e pedal", reforça.
-
Fonte: http://www.otempo.com.br/superfc/outros/panamericano-de-mountain-bike-downhill-%C3%A9-novo-desafio-de-bernardo-cruz-1.1453743

Três Dias de La Panne: Philippe Gilbert (Quick Step Floors) triunfa



O belga Philippe Gilbert (Quick Step Floors) garantiu esta quinta-feira o triunfo final nos Três Dias de La Panne, na Bélgica, bastando-lhe gerir a confortável vantagem num contrarrelógio marcado pelo facto do australiano Luke Durbridge (Orica-Scott) ter batido o francês Sylvain Chavanel (Direct Énergie) por apenas 77 centésimos de segundo. Num 'crono' com 14 km, Durbridge registou o melhor tempo, com 17.38,14 minutos, enquanto Chavanel fez 17.38,91.
Na geral, Philippe Gilbert - que foi apenas 7.º no contrarrelógio final - acabou por terminar com 38 segundos de vantagem sobre o austríaco Matthias Brändle (Trek–Segafredo), enquanto o norueguês Alexander Kristoff (Team Katusha–Alpecin) completou o pódio, a 43 segundos do vencedor. O veterano Chavanel, de 37 anos, acabou no 4.º posto, a 58 segundos.
O terceiro dia da prova foi dividido em duas partes: se durante a tarde se realizou o contrarrelógio final, de manhã disputou-se uma etapa em linha, com partida e chegada a La Panne (118,5 km), na qual o alemão Marcel Kittel (Quick Step Floors) bateu Alexander Kristoff (Katusha) ao sprint. A tirada ficou ainda marcada por uma queda a 15 km da chegada.
"Estou muito feliz porque a princípio esta corrida não estava no meu programa. Eu vim no entanto, e ganhei, não há melhor preparação para o Tour de Flandres, que começa domingo. Ganhar é sempre algo especial", disse Gilbert.
Classificação Geral Final 1. Philippe Gilbert (BEL/Quick-Step Floors) en 12h08:57
2. Matthias Brandle (AUT) a 38
3. Alexander Kristoff (NOR) a 43
4. Sylvain Chavanel (FRA) a 58
5. Pierre-Luc Perichon (FRA) a 1:39
6. Maxime Vantomme (BEL) a 1:50
7. Edward Theuns (BEL) a 1:54
8. Pim Ligthart (NED) a 2:10
9. Boy van Poppel (NED) a 2:24
10. Jasper De Buyst (BEL) a 2:46
-
Fonte: http://www.record.pt/modalidades/ciclismo/detalhe/tres-dias-de-la-panne-chavanel-perde-crono-por-077-segundos.html

Ciclo+Turismo: a parceria que dá certo

Promover o turismo na cidade e no Vale do Itajaí é um dos objetivos do 1º Desafio Blumenau de Mountain Bike
O ciclismo tem constituído cada vez mais um fator de promoção e desenvolvimento turístico, seja ele no formato de competições ou em termos recreativos.
Quando um evento da modalidade é promovido em uma cidade ocorre, no mínimo, dois fatores importantes: a vinda de turistas e o fortalecimento da economia, já que o ciclista acaba se hospedando e consumindo produtos locais. Além disso as competições também são um poderoso divulgador de regiões, principalmente devido à mídia.

A promoção do turismo é um dos objetivos do 1º Desafio Blumenau de Mountain Bike, que ocorre nos dias 27 e 28 de maio no Parque Vila Germânica.

Presidente do Sindicato Patronal de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Blumenau e Região, Emil Chartouni Neto diz que tanto a cidade quanto todo o Vale Europeu se destacam pela diversidade de atrações e roteiros para os turistas e moradores.
“As atividades relacionadas ao ciclismo e o cicloturismo são um grande exemplo. Começaram a crescer nos últimos anos e estão se consolidando como um importante atrativo aqui da região. Acredito que nossa cidade tem potencial para eventos nesse segmento, belos roteiros e, o mais importante, receptividade para conquistar visitantes de todos os cantos do país.”
Todos os trajetos do Desafio – Estreante (30Km), Sport (60Km), Pro (100Km) e Cicloturismo (10Km) – estão sendo planejados para que o participante tenha contato com as belas paisagens que Blumenau oferece. Os percursos ainda estão sendo mantidos em segredo, mas é possível adiantar que os cenário serão de tirar o fôlego!
Primeiro lote termina em poucos dias!
A contagem regressiva para encerrar o primeiro lote já começou! Para quem ainda quer aproveitar a inscrição no valor de R$ 130 por atleta é bom se apressar, pois este valor termina no dia 31 de março (HOJE).
Confirme sua participação no site www.riscozeroadventure.com.br.
É importante lembrar que o valor para o Cicloturismo é diferenciado: R$ 30 a inscrição por pessoa – crianças até 12 anos não pagam e de 13 a 17 anos pagam meia.

Acompanhe todas as atrações do evento na Fanpage: https://www.facebook.com/pg/desafioblumenaumountainbike
-
Fonte: http://jornaldiadia.com.br/2016/?p=268584

Atleta Jaguariaívense da Equipe Tartaruga's DH conquista pódio em São Roque-SP

Neste último final de semana a Equipe Tartaruga´s DH esteve na cidade de São Roque-SP participando da 2ª Etapa do Regional de MTB Downhill, sendo representado pelos atletas Anderson de Barros Soares (DECO), Gustavo Kossoski e Guilherme Moreira.

Percurso super técnico que colocou a prova a perícia dos atletas.
E o resultado foi muito show, pois com garra e a determinação o atleta Anderson de Barros Soares (DECO), conquistou a 3ª Colocação na categoria ELITE.
"Missão cumprida aqui em São Roque-SP galera, feliz demais com esse resultado, motiva e muito! 3º lugar na categoria Elite colado na mesma casa de tempo com o 2º colocado, muito satisfeito de conseguir andar junto com uns dos pilotos referência em nosso país. Foi muito top, valeeeu São Roque. Obrigado Família, Equipe e amigos." Palavras do "DECO" nas Redes Sociais.
A descida do deco durante os treinos, mostrando o quão técnica a pista era.


A equipe Tartaruga's DH agradeçe imensamente seus patrocinadores:
- Diamiro's Buffet
- Pizzaria Palhoça
- Foto & Arte
- Loja Leãozinho
- Tsg Serviços
- Braves Esportes & On the Line OTL

deco199
@decodh

Parabéns aos atletas da Equipes Tartaruga's DH pela excelente participação e ao atleta DECO pela conquista. Sucesso!

Ciclista Itarareense participa de Prova da CMMTB em Morretes-PR


No último domingo (26 de Março) o atleta Reinaldo Fortes participou da 3ª etapa do Campeonato Metropolitano de Mountain Bike na cidade de Morretes-PR.
A prova contou 2 percursos, de 28km e 45km, percurso totalmente técnico e dificil, e aconteceu entre as estradas rurais da região com muitas pedras soltas, travessia de rio, barro e serra e teve a presença de mais de 1000 atletas da região.
Mesmo com toda as dificuldades foi mais uma prova dura e rápida, sendo o calor o maior impecilio pois ajudou mais ainda no desgaste dos atletas.
 "Foi uma prova difícil devido as muitas pedras soltas e no meio uma serra de uns 5km, para a descer precisou de muita atenção devido as valas e pedras soltas, fiz um largada boa e consegui me manter na frente do 2º pelotão, mantendo um bom ritmo com muita força, sempre ganhando posições, mas briga foi até o últimos metros da chegada e concluí os 45km em 1h50m ficando em 7º na categoria Máster C, fiquei muito contente com o resultado pois correr no Paraná não é nada fácil devido ao auto nível de atletas profissionais..."  comenta Reinaldo Fortes.
Com isso mais uma vez nosso atleta esteve entre os melhores da região e agradece seus aos apoiadores Bazar Cristal, Miraluz, Auto Posto Estradão, Mendes Bike, Bicicletaria Toth, Oficina do Capacete.

Agradecimento: Bazar Cristal, Oficina do Capacete, Miraluz , Auto Posto Estradão, Jornal O Guarani e Jornal Ita News.

 “ Vencer é nunca desistir’’

Percurso da 2ª etapa do Circuito Pedal Sem Limites, com trechos planos e de terra batida, promete ser veloz

No próximo domingo (02/04), Bariri receberá a 2ª etapa do Circuito Pedal Sem Limites MTB 2017, com largada para a categoria Pro às 9h e, para a categoria Sport, às 9h20, dando sequência à temporada de competição de ciclismo em estradas de terra no Interior de São Paulo, totalizando quatro etapas até outubro de 2017. A previsão dos organizadores e de participação de 200 atletas.
O percurso da prova, que percorrerá estradas da área rural entre Bariri e Itaju, promete muita velocidade. Agnaldo Máximo, um dos organizadores da prova, detalha como serão os percursos.
"O trajeto Pro terá 53 quilômetros e o Sport, terá cerca de 28 quilômetros, com largada do Recanto Pantaneiro. No início, os ciclistas pedalarão em um pequeno trecho de 500m de asfalto e, ao chegar na terra, encontrarão uma pequena descida e logo em seguida, uma subida de cerca de 4 quilômetros, o que já imprime a primeira dificuldade em meio a um pouco de mata".
Máximo conta ainda que após este início, os bikers irão percorrer aproximadamente dez quilômetros entre os canaviais, cultura agrícola característica da região. "Após este trecho, os competidores passarão por localidades com chão batido e um pouco de cascalho, em meio a fazendas e riachos, mudando o cenário e deixando a prova mais bonita visualmente", conta.
Os competidores poderão em Bariri imprimir um ritmo mais intenso, porque de maneira geral, o circuito é mais plano e mais rápido, com menos subidas do que a etapa disputada em Bauru, com possibilidade dos atletas de ponta completarem os 53 quilômetros do percurso Pro em 1h40.
"Já o percurso Sport também será bem tranquilo. Somente próximo à chegada, tanto os ciclistas de elite quanto os iniciantes encontrarão uma subida mais acentuada de seis quilômetros, mas que logo será aliviada com uma reta bem longa e plana", explica Agnaldo.

CATEGORIAS

A 2º etapa do Circuito Pedal Sem Limites MTB 2017 será dividida em dez categorias no masculino, do juvenil ao veterano, em duas categorias no feminino, sub-35 e máster, além das categorias em dupla masculino, que são as categorias Pro e largam dez minutos antes. A categoria dupla mista largará pela Sport e haverá também as categorias no masculino e feminino até 40 anos e acima de 40 anos, voltadas aos atletas iniciantes.
"Os cinco melhores tempos na classificação geral, tanto no masculino quanto no feminino, formarão a categoria elite e receberão uma premiação em dinheiro que chegará ao total de R$ 2 mil", explica Máximo.
INSCRIÇÕES
O 2º lote de inscrições para a 2ª etapa Circuito Pedal Sem Limites, no valor de R$ 70,00 está aberto. Inscrições e informações: http://www.incentivoesporte.com.br/evento/circuito-pedal-sem-limites-de-mtb-2017--2-etapa-bariri.html; página do Pedal Sem Limites no Facebook (http://www.facebook.com/pedalsemlimitesbauru/)e na Loja Special Bikes, em Bauru. "É importante lembrar aos atletas para trazerem no dia da prova um litro de leite, que será doado às entidades assistenciais de Bariri", reitera Máximo.
-
Fonte: https://www.jcnet.com.br/Esportes/2017/03/percurso-da-2a-etapa-do-circuito-pedal-sem-limites-com-trechos-planos-e-de-terra-batida-promete-ser-veloz.html

Prova Ciclística 9 de Julho abre as inscrições

A tradicional Prova Ciclística Internacional 9 de Julho está com as inscrições abertas para a sua 71ª edição. Atletas aspirantes, federados e de elite, masculino e feminino, podem confirmar presença no site oficial www.gazetaesportiva.com/corrida9dejulho. O valor é R$ 195,00 e as inscrições deverão ser feitas até 12 de junho, ou quando o limite de 4 mil participantes for alcançado.
Assim como no ano passado, os participantes deverão obrigatoriamente comparecer à Fundação Cásper Líbero (Av. Paulista, 900) para o Congresso Técnico e a retirada dos kits nas datas e horários a serem divulgados pela organização.
Tradicionalmente realizada no dia 9 de Julho, neste ano, a Corrida será disputada no domingo pela manhã e percorrerá algumas das principais ruas e avenidas da capital paulista. A largada e a chegada acontecerão na Avenida Lineu de Paula Machado, em frente ao Jockey Club de São Paulo.
Os ciclistas passarão por alguns dos principais parques da cidade, como Ibirapuera, Povo e Villa Lobos, além das pontes Cidade Universitária e Cidade Jardim, e avenidas Juscelino Kubitschek, República do Líbano e Pedro Álvares Cabral, entre outras.
O pelotão de aspirantes vai abrir a disputa, com largada às 6h45 e um circuito de 28,3 km a ser concluído em até 1 hora. A elite masculina sairá às 8h e terá que completar o percurso de 96,4 km, sendo uma volta de 28,3 km e três voltas de 22,7 km de acordo com trajeto programado. Logo em seguida, às 8h02, os atletas federados irão percorrer os mesmos 96,4 km. O pelotão feminino terá a largada às 8h05 e percorrerá o trajeto de 73,7 km, com uma volta a menos do que o masculino.
A Prova Ciclística 9 de Julho é uma das principais atrações do calendário esportivo da cidade de São Paulo e a cada ano vem registrando novos feitos. O ano de 2015 marcou a volta da Prova às ruas de São Paulo. Em 2016, alcançou o número de 2.129 participantes e, com isso, passou a ser a prova ciclística com o maior número de participantes no Brasil.
Na edição passada, Joel Prado Júnior (Green Bike/Piracicaba ) garantiu o bicampeonato, enquanto, entre as mulheres, a paranaense Daniela Lionço (Funvic Soul Cycles/São José dos Campos), levou a melhor e conquistou o primeiro título na tradicional disputa. Joel cumpriu o percurso de 96,4 km com o tempo de 2h06min47seg, enquanto Daniela marcou 2h15min27seg para os 73,7 km.

Sobre a Prova

Instituída em 1932 pelo jornalista Cásper Líbero em homenagem à Revolução Constitucionalista e realizada pelo jornal A Gazeta Esportiva a partir de 1933, a Prova Ciclística 9 de Julho é um patrimônio do esporte brasileiro. O evento tornou-se um marco na modalidade, sendo objeto de desejo dos atletas e equipes. Ao longo dos anos, os principais nomes do país e destaques do exterior prestigiaram o evento, colocando-o em um lugar de destaque nos cenários nacional e internacional. Em 2016, a “9 de Julho” passou a ser a Prova Ciclística com o maior número de participantes no Brasil, com o total de 2.129 competidores.
-
Fonte: http://www.gazetaesportiva.com/ciclismo/prova-ciclistica-9-de-julho-abre-as-inscricoes/

Ciclista brasileiro recebe advertência e é suspenso temporariamente pela UCI

A UCI divulgou uma nota oficial (leia mais abaixo) infomando a punição para a equipe. Além disso, a mesma nota informa que Otavio Bulgarelli, outro ciclista nacional, teria sido notificado pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD). Foi a terceira advertência de ciclistas do time em um ano.
A UCI não revelou as substâncias nas quais os ciclistas brasileiros teriam sido pegos.
Alex é conhecido como "meio-quilo", já defendeu a seleção brasileira em diversas competições, e está com 31 anos. Em 2009, já havia sido suspendo por dois anos em função de ter sido pego no exame antidoping para a substância EPO. Já Bulgarelli, de 32 anos, foi bronze no pan-americano de 2006 e também defendeu a seleção nacional em diversos eventos.
Entidade que comanda o ciclismo mundial, a UCI (União Ciclística Internacional), divulgou nesta segunda-feira a suspensão da equipe de São José por conta de mais um caso de doping da equipe. Alex Correia Diniz apresentou um resultado adverso em seu passaporte biológico e está suspenso temporariamente.

Comunicado na íntegra

A União Ciclística Internacional (UCI) anuncia que foi notificada uma violação na regra do anti-doping decorrente de uma advertência com relação ao passaporte biológico do ciclista brasileiro Alex Correia Diniz.
De acordo com as leis anti-doping da UCI, o ciclista está provisoriamente suspenso até a decisão do caso.
A UCI foi informada que a Autoridade Brasileira de Controle de Doping declarou uma violação de outro ciclista, Otavio Bulgarelli.
Pelos efeitos do artigo 7.12 da lei Anti-Doping, isso faz com que os membros da equipe profissional UCI Continental Team Soul Brasil Pro Cycling está suspensos por 12 meses. Pelo artigo 7.12.3 da lei Anti Doping. será aplicada a pena de 15 dias a um ano.
A UCI vai remeter a decisão para a Comissão Disciplinar. Neste momento, a UCI não fará nenhum comentário sobre o assunto.
Em 19 de dezembro de 2016, a Continental Team Soul Brasil Pro Cycling foi suspensa por 55 dias pela Comissão Disciplinar da UCI por conta de três advertências de resultados adversos.
-
Fonte: http://globoesporte.globo.com/ciclismo/noticia/ciclista-brasileiro-recebe-advertencia-e-equipe-nacional-e-suspensa-por-doping.ghtml

Schurter e Stirnemann selam vitória na geral do CAPE EPIC 2017

Na sétima e última etapa do Cape Epic 2017, a dupla da SCOTT-SRAM MTB formada por Nino Schurter e Matthias Stirnemann selou com um desempenho dominante sua vitória na classificação geral do Cape Epic 2017. Afinal, ao longo de boa parte dos 85km da etapa, os suíços deixaram o pelotão dos favorito "na coleira curta", controlando de forma eficiente a vantagem de quase 7 minutos obtida contra Christoph Sauser e Jaroslav Kulhavy (Investec-Songo-Specialized).
A etapa foi vencida pela SCOTT-SRAM Young Guns de Michiel van der Heijden e Andri Frischknecht, a impressionante dupla de apoio dos vencedores da competição. Schurter venceu o Cape Epic depois de 4 participações na prova e, até então, seu melhor resultado foi um quarto lugar em 2017.
"O plano era vir aqui e vencer em 2018, mas aconteceu um ano antes. Isso é muito especial! Vencer os jogo olímpicos e depois vir para a África do Sul e vencer o Cape Epic nos pegou de surpresa. Pensei que ano que vem seria o ano. Estamos a frente do programado", disse.
"Tenhos que dizer que nosso time de apoio foi sensacional. Vir aqui no primeiro Cape Epic deles e ir tão bem foi incrível. São caras muitos especiais que fizeram um grande time. Não cometeram nenhum erro durante uma semana", completou. Vale lembrar que Matthias Stirnemann também estava fazendo sua estréia na ultramaratona.

Desempenho histórico de Avancini e Fumic

Vencedores do prólogo, da primeira etapa e líderes na geral nas quatro primeiras etapas deste Cape Epic, Manuel Fumic e Henrique Avancini podem ter até caído para quinto lugar na geral no fim da competição, mas o resultado da dupla é motivo de comemoração.

"Tivemos mais momentos bons do que ruins durante a semana. No geral foi uma boa semana para nós", disse Fumic. "Agora vamos tomar muito vinho e gim tônica", completou o alemão.
"Duas vitórias em etapas, 5 dias liderando a classificação geral. Top 5 na classificação final.
Obrigado Mani não só pelos dias que aceleramos, mas ainda mais, pela parceria nos momentos de dificuldade. Demais saber que consegui animar os brasileiros amantes da bike. É isso que me motiva a seguir em busca de chegar mais longe", declarou Avancini e sua página pessoal do Facebook.

Sauser vai aposentar...de novo

Christoph Sauser, que saiu da aposentadoria para tentar vencer o Cape Epic pela sexta vez, acredita que o alto desempenho dos especialistas em cross-country mudou o perfil da competição.
"Este ano nos mostrou que a dinâmica do Cape Epic mudou", disse. "Antes o começo era lento e nós aquecíamos durante a primeira hora, mas este ano foi velocidade máxima desde o início da etapa", explicou.
"Nós andamos realmente forte o tempo todo. Adiantando para o futuro, acredito que veremos largadas ainda mais rápidas e os atletas terão que modificar seu treino, focando mais em velocidade e reduzindo o volume de treino conforme a competição se aproxima", concluiu Sauser que afirmou não.
Vejam o compacto de todos os dias de prova. Simplesmente Show!

-
Fonte: https://www.pedal.com.br/cape-epic-2017-7-schurter-e-stirnemann-selam-vitoria-na-geral_texto11881.html

Brasil vai sediar a maior prova de ciclismo amador do mundo

A maior competição de ciclismo amador do mundo está chegando ao país e, por trás da empreitada, está a incansável Maria Luisa Jucá, que há dez anos promove as provas mais importantes do Brasil, como o Tour do Rio.
Jucá foi aos Estados Unidos convencer os donos da marca a trazer o Grand Fondo New York (GFNY) — prova realizada lá e em outras cidades de 14 países — a fazer sua estreia aqui. Negócio fechado: no Brasil, a competição vai acontecer em agosto, em Conservatória, no distrito de Valença. São esperados cerca de mil atletas pedalando por percursos de até 120 km.
 “Além disso, vamos ocupar a cidade por três dias com várias atrações ligadas ao ciclismo”, conta ela, que tem como parceiras no projeto Rita Almeida, Fernanda Venturini e Ana Paula Cavalcanti.
Jucá tem motivos para comemorar, mas sabe que, se na competição a vida do ciclista anda ótima, o mesmo não se pode dizer de quem usa a bicicleta como meio de transporte no Rio.
“A cidade ainda não é bike friendly, mas estamos lutando por mais espaço nas ruas”, afirma.
-
Fonte: http://blogs.oglobo.globo.com/gente-boa/post/brasil-vai-sediar-maior-prova-de-ciclismo-amador-do-mundo.html

Passeio ciclístico comemora o aniversário de Curitiba

Cerca de cinco mil ciclistas participaram neste domingo (26) do 22º Passeio Ciclístico de Curitiba, realizado pela Prefeitura em parceria com o Supermercado Condor, em comemoração ao aniversário de 324 anos da cidade. A largada aconteceu às 9h45, em frente ao Condor da Avenida Água Verde e reuniu famílias inteiras pedalando pelas ruas da cidade.
“O passeio ciclístico já é um evento tradicional nas comemorações do aniversário da cidade e estimula a prática de atividade física, o lazer e a diversão com a família”, disse o secretário municipal do Esporte, Lazer e Juventude (Smelj), Marcello Richa.
O percurso foi de aproximadamente seis quilômetros com a chegada aconteceu no Parque Barigui, que durante todo o domingo recebeu a grande festa de aniversário da cidade.
Roberto Garcia Longas foi ao passeio acompanhado do filho Igor, de 5 anos.
“A bicicleta é uma atividade de lazer para nossa família e gostamos de participar desse passeio porque é muito tranquilo e seguro, tanto que no ano passado vim com meu filho na carona e esse ano ele vai pedalar pela primeira vez. Depois vamos aproveitar as atividades no Barigui.”
“Faz dois anos que comecei a pedalar e minha vida, saúde e disposição melhoram bastante desde então. Vim com toda minha família e estamos nos divertindo muito”, disse Adilon Gregório, de 59 anos. “Não dá para perder esse passeio. Já participo do Pedala Curitiba Matriz sempre que possível e hoje estou com meus amigos do grupo de ciclismo para aproveitar o dia juntos”, afirmou Andrea Kinowski, de 30 anos.
Para garantir a segurança dos ciclistas, funcionários da Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude e guardas municipais fizeram a escolta durante todo o percurso. Ambulâncias do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), kombi de transporte, carro oficina para consertos rápidos de bicicletas e caminhão para levar bicicletas que estragassem também acompanharam o passeio.
-
Fonte: http://www.clickparana.com/noticia/2721/passeio-ciclistico-comemora-o-aniversario-de-curitiba.html

Volta à Catalunha: Alejandro Valverde repete triunfo de 2009

O ciclista espanhol Alejandro Valverde (Movistar) venceu neste domingo, pela segunda vez na sua carreira, a Volta à Catalunha, após superiorizar-se ao 'sprint' na sétima e última etapa. Valverde, que já tinha vencido a prova catalã em 2009, repetiu a proeza, confirmando o triunfo com a terceira vitória em etapas nesta edição.
Na última etapa, com partida e chegada em Barcelona, Alejandro Valverde completou os 132,7 quilômetros em 3h08m50s, o mesmo tempo dos outros dois ciclistas que completaram o pódio na etapa: o colombiano Jarlinson Pantano (Trek-Segafredo) e o francês Arthur Vichot (FDJ).
A equipe brasileira FUNVIC, por sinal, ficou com apenas um ciclista na disputa, o catalão Jordi Simon. Já a polonesa CCC Sprandi Polkowice perdeu cinco dos seus oito integrantes.
Jordi Simon completou a prova, neste domingo, a 5 minutos do vencedor, na 82ª colocação. Na classificação geral, foi o 39º, a 35min. No total, 107 completaram a prova, dos 248 que largaram.
Na geral, Valverde fechou com 1min03 de vantagem sobre Alberto Contador (Trek-Segafredo) e a 1min16s de seu colega de Movistar, Marc Soler, o terceiro colocado, em um pódio 100% espanhol.

TOP 10 DA ETAPA FINAL

1 Alejandro Valverde (Esp) Movistar Team 3:08:50
2 Jarlinson Pantano (Col) Trek-Segafredo m.t.
3 Arthur Vichot (Fra) FDJ m.t.
4 Rafal Majka (Pol) Bora-Hansgrohe m.t.
5 Daniel Martin (Irl) Quick-Step Floors m.t.
6 Aldemar Reyes (Col) Manzana Postobon m.t.
7 Romain Bardet (Fra) AG2R La Mondiale m.t.
8 Davide Formolo (Ita) Cannondale-Drapac m.t.
9 George Bennett (NZl) Team LottoNl-Jumbo m.t.
10 Steven Kruijswijk (Hol) Team LottoNl-Jumbo m.t.

TOP 10 DA CLASSIFICAÇÃO GERAL FINAL

1 Alejandro Valverde (Esp) Movistar Team 25:27:15
2 Alberto Contador (Esp) Trek-Segafredo 0:01:03
3 Marc Soler (Esp) Movistar Team 0:01:16
4 Adam Yates (GBr) Orica-Scott 0:01:31
5 Tejay Van Garderen (EUA) BMC Racing Team 0:01:34
6 Daniel Martin (Irl) Quick-Step Floors 0:02:29
7 Steven Kruijswijk (Hol) Team LottoNl-Jumbo 0:02:56
8 Carlos Verona (Esp) Orica-Scott 0:03:00
9 George Bennett (NZl) Team LottoNl-Jumbo 0:03:01
10 Romain Bardet (Fra) AG2R La Mondiale 0:03:05
-
Fonte: http://www.record.pt/modalidades/ciclismo/detalhe/volta-a-catalunha-alejandro-valverde-repete-triunfo-de-2009.html

Coroas assimétricas são mesmo eficientes?

Desde que duas bicicletas se alinharam pela primeira vez para uma corrida, todos buscam alternativas para tornar a sua mais eficiente que a do concorrente. Leveza, aerodinâmica, rigidez são alguns dos elementos buscados com a mistura de criatividade e ciência. Isso inclui o desenvolvimento de novos materiais e até itens inusitados, como as peças de máquina de lavar de Graeme Obree — escocês campeão de ciclismo e inventor, famoso por desenvolver bicicletas aerodinâmicas e novas formas de se posicionar sobre elas. É neste contexto de diferenciação e ganhos marginais que surgiram as coroas assimétricas, elípticas ou “quase retangulares”. Invenções dos mais diferentes princípios com o intuito de reinventar o sistema de tração da bicicleta, convencionalmente redondo.
O ponto de partida é o mesmo para todas. Se a coroa convencional é redonda, a pedalada não é. Fazemos mais força em determinados pontos (comparando com a imagem de um relógio de ponteiro, quando a pedivela está próxima da posição de 3h) e desperdiçamos energia em outros (na mesma analogia, nos pontos de 6h e 12h). A variação da velocidade instantânea entre os pontos de maior torque (3h e 9h) e os chamados pontos mortos (6h e 12) pode chegar a 22%. Resumindo, por mais redonda que seja a sua cadência atual, há sempre um potencial de melhoria a ser explorado, principalmente no período de recuperação do ciclo de pedalada, também chamado de pontos mortos (dead spots) — essa é a teoria.
As opções existentes no mercado começam a divergir quanto à forma de obter este equilíbrio na prática. Há quem acredite que a vantagem está em aumentar a tração nos pontos de maior alavanca. Alguns somam a esse raciocínio reduzir o diâmetro nos pontos de menos força, para um giro mais rápido pelos pontos mortos, concentrando o trabalho onde o esforço será recompensado. Há quem aposte no prolongamento do esforço nos pontos principais, com um aumento no momento de torque, tornando menos significante a passagem pelo ponto fraco.
A procura — e a curiosidade — por coroas assimétricas aumenta na mesma proporção em que os grandes nomes do esporte conquistam resultados relevantes pedalando com esse equipamento. Em 2008, o espanhol Carlos Sastre, um escalador nato, venceu o Tour de France com as coroas elípticas da Rotor, o modelo Q-Rings. Em 2012 e 2013, foram os britânicos da Sky, Bradley Wiggins e Chris Froome, que venceram a maior prova do ciclismo usando uma coroa Osymetric, tanto nas bikes de estrada quanto nas de contrarrelógio — semelhante à utilizada pelo belga Frederik Van Lierde no título do Mundial de Ironman em 2013. No mountain bike, o suíço Chris Sauser conquistou o título Mundial de Maratona 2013 com uma Rotor QX1. Entre as mulheres, Marianne Vos é o maior nome a optar por uma Q-Rings.
Os cartões de visita não poderiam ser melhores para as coroas assimétricas, ainda restritas a pequenos/médios fabricantes, com destaque para os já citados, Rotor e Osymetric, que produzem em acanhada escala — a Rotor na Espanha e a Osymetric na França, com autorização de reprodução também nos EUA, com o nome Osymetric USA. Isso significa, a grosso modo, que o uso de coroas assimétricas é opção do atleta e não uma imposição de patrocinadores. Apenas a Shimano, entre os grandes nomes do mercado, experimentou algo similar com o projeto Biopace, fabricado entre os anos de 1983 e 1993, mas o projeto foi encerrado sem muitas explicações.

Comprovação Científica

Para aumentar o fetiche em torno das coroas assimétricas, não há estudos convincentes de que algum modelo seja realmente melhor — nem pior — do que o sistema convencional. Um dos maiores especialistas em potência aplicada ao ciclismo, o norte-americano Hunter Allen espera que a chegada de novos medidores de potência ao mercado ajude a avaliar a real eficiência das coroas assimétricas, tornando possível medir apropriadamente o esforço nos dois pedais e também o registro em altas velocidades em todo o ciclo.
“Só assim será possível começar a dimensionar o quanto elas ajudam um ciclista”, diz Allen, que depois de dois anos usando o equipamento retomou o modelo tradicional: “Fiz algumas avaliações, não percebi nenhuma vantagem para mim”.
Hunter acredita que as coroas assimétricas ajudam ciclistas que pedalam mais travados, os smashers ou socadores.
“É muito difícil determinar quem terá vantagem com elas, mas geralmente é o praticante que possui uma pedalada pobre. Ciclistas ‘socadores’, com a pedalada mais travada e cadência menor, tendem a ser mais beneficiados. Na pedalada ideal, os melhores ciclistas não são os que fazem mais força no pedal, mas aqueles que levam o joelho em direção ao guidão e empurram os pedais nos pontos de maior tração (pedivela próxima da posição de 3h). As coroas assimétricas ajudam os ciclistas com a pedalada menos redonda a retornar mais rapidamente ao ponto de tração ou a fazer isso sem desperdiçar tanta energia”, conclui Allen.

No Brasil, Rodrigo Bini, doutor em ciências do esporte e do exercício pela Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, com foco em ciclismo e triathlon, publicou em coautoria com Frederico Dagnese um artigo reunindo uma extensa revisão literária sobre o tema na Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano e os resultados são inconclusivos:
“Os efeitos não claros nas variáveis biomecânicas e fisiológicas no uso da maioria dos sistemas de coroa não circulares disponíveis no mercado excluem sua efetividade para aumento de desempenho no ciclismo. Diferentes modelos de coroas não circulares limitam o uso racional desses sistemas, uma vez que o foco em otimizar diferentes variáveis não necessariamente leva a um aumento do desempenho no ciclismo”, aponta o artigo.
O empresário e ciclista Max Leisner utiliza o sistema Rotor Q-Rings há mais de cinco anos, mesmo tempo em que passou a comercializar o produto em sua loja, em Curitiba (PR). Satisfeito com os resultados e sem pretensão de voltar para o sistema convencional, ele explica que é preciso separar o efeito placebo do ganho real.
“Não espere um efeito mágico ou 3 km/h a mais no pedal, pois não é isso que esse sistema oferece. A Q-Rings não é interessante para todo mundo e muito menos atinge todos da mesma forma. É um quebra-cabeça em busca do melhor ponto de ação e a melhor forma de transpor a parte de recuperação da pedalada”, avalia.
Como principal virtude, ele aponta uma economia de energia refletida na diminuição dos batimentos cardíacos e da potência aplicada para uma mesma velocidade. Considerando a especificidade de cada atleta, o mérito indiscutível das coroas não circulares é aumentar o número de opções disponíveis no mercado para diferentes tipos de ciclistas. O debate sobre a eficácia delas sempre existiu e, aos poucos, a ciência começa a oferecer subterfúgios para derrubar alguns mitos, sugerir novas adaptações e a melhor forma de utilização para elas. As respostas, como sempre, continuam apoiadas na individualidade de cada um.

Por Leandro Bittar
-
Fonte: https://www.ativo.com/bike/papo-de-pedal/coroas-assimetricas-sao-mesmo-eficientes/

Volta a Catalunha - Murilo Affonso (FUNVIC) assume liderança de montanha e por pontos

A primeira etapa da Volta a Catalunha foi super disputada e os ciclistas brasileiros brilharam, com a presença de Magno Nazareth e Murilo Affonso (Funvic) na fuga do dia.
Ao final da etapa Murilo conseguiu pontos importantes nas metas de montanha e sprint e conseguiu o bom resultado de terminar a etapa com as duas camisas de líder.
Assim, a Funvic irá largar o crono por equipes amanhã sendo líder destas duas camisas, e Murilo será vigiado pelas outras equipes na primeira etapa de montanha, na quarta-feira.
A equipe levou as bikes de crono da Soul e utilizará os capacetes de seu novo patrocinador, a Catlike.
Amanhã teremos um contra relógio por equipes que será crucial para a briga pela classificação geral. As equipes BMC, Sky, Trek, QuickStep e Ag2r devem medir forças e tentar não perder muito tempo e assim não prejudicar a briga pelo título. Os grandes favoritos são os ciclistas da BMC que já venceram duas provas como essa e podem colocar Tejay van Garderen na liderança.
-
Fonte: http://www.digitalcycling.com.br/2017/03/20/volta-catalunya-murilo-affonso-assume-lideranca-de-montanha-e-por-pontos/

Davide Cimolai é o primeiro líder da Volta à Catalunha

O ciclista italiano Davide Cimolai (FDJ) impôs-se ao sprint na primeira etapa da Volta à Catalunha, vestindo a primeira camisa de líder da prova espanhola. Vencedor da penúltima etapa no ano passado, Cimolai repetiu o feito no final dos 178,9 quilômetros, com início e final em Calella, batendo num emocionante mano a mano' o francês Nacer Bouhanni (Cofidis), com o italiano Kristian Sbaragli (Dimension Data) a ser terceiro.
 O italiano foi o primeiro do pelotão, que, na sua totalidade, cumpriu a etapa com o tempo de 4h28m21s.
Graças às bonificações, Cimolai tem quatro segundos de vantagem na geral sobre Bouhanni, com Sbaragli a ocupar a terceira posição, a seis segundos.
Na terça-feira, a segunda etapa vai fazer as primeiras grandes diferenças na geral, uma vez que a Volta a Catalunha propõe um contrarrelógio por equipes "anormalmente longo", de 41,3 quilômetros, com início e final em Banyoles.
-

Milão-San Remo: vitória histórica para a Polônia

O ciclista polonês Michal Kwiatkowski (Sky) venceu ao sprint a 108.ª edição Milão-San Remo, impondo-se no último metro da clássica italiana ao eslovaco Peter Sagan, num 'sprint' restrito, que também envolveu o francês Julian Alaphilippe.
Kwiatkowski, de 26 anos, que se tornou o primeiro polaco a vencer a prova, cumpriu os 291 quilômetros em 7h08m39s, garantindo o triunfo nos últimos centímetros, tornando infrutífero o trabalho de Sagan, que provocou o corte decisivo no grupo principal a dois quilômetros do pico de Poggio, situado a seis quilômetros da linha de chegada.
O eslovaco da Bora-Hansgrohe, bicampeão do mundo, voltou a deixar escapar o triunfo no primeiro 'monumento' da temporada e contentou-se mais uma vez com o segundo lugar, repetindo a posição de 2013, enquanto Julian Alaphilippe (Quick Step Floors) completou o pódio.
"Estou muito contente, embora, na realidade, não esperasse vencer", afirmou o campeão do mundo de 2014, que deveria trabalhar para o colega Elia Viviani numa eventual chegada em pelotão compacto. "Venci a Strade Bianche recentemente. Agora vir ganhar 'La Primavera' é simplesmente incrível", acrescentou Kwiatkowski.
O polonês frustrou assim as expetativas de Sagan, cujo ataque no Poggio tinha afastado concorrentes como o norueguês Alexander Kristoff (Katusha-Alpecin), o alemão John Degenkolb (Trek-Segafredo) e o francês Arnaud Démare (FDJ), vencedores de 2014, 2015 e 2016, respetivamente.
Kristoff acabaria por cortar a linha de chegada em quarto, a cinco segundos do vencedor, imediatamente à frente do colombiano Fernando Gaviria (Quick Step Floors), de Démare e de Degenkolb.
-
Fonte: http://www.ojogo.pt/modalidades/ciclismo/noticias/interior/milao-san-remo-vitoria-historica-para-a-polonia-5733999.html

Federação Paranaense de Ciclismo elege nova diretoria

O empresário Eduardo Machado Pereira foi eleito presidente da Federação Paranaense de Ciclismo para o período de 2017 a 2020. A nova diretoria foi eleita no dia 18 de fevereiro com sete votos contra seis da chapa adversária.
“Queremos atrair os ciclistas e incentiva-los. Nossa primeira ação foi reduzir em 300% a taxa de filiação para os atletas, clubes, dirigentes e organizadores, além das taxas de alvará de eventos. Temos que incentivar e difundir o esporte e atividade do ciclismo no Paraná”, explica Eduardo, que tem vasta experiência no esporte, especialmente no comando da Força Livre, empresa que organiza o maior campeonato de arrancada da América Latina.

Eduardo aponta como destaque para sua gestão o projeto Ciclo Cidadão que será lançado em breve.

“O cidadão poderá registrar sua bicicleta e o proprietário ganhará um seguro de vida, além de vários benefícios com uma rede de lojas com descontos”, explica.
A Federação Paranaense de Ciclismo (FPC) é filiada à Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) e supervisiona, promove e propicia suporte e assistência técnica às provas oficiais e demais atividades ligadas ao universo da bicicleta.

Diretoria eleita

Presidente: Eduardo Machado Pereira presidente@fpc.esp.br
Vice –Presidente e Coordenador Sub Sede – Londrina: Sandro Marcelo da Rocha subsedelondrina@fpc.esp.br
Diretor Administrativo e Financeiro: Julio Cesar de Sisti admin@fpc.esp.br Diretoria Técnica:
Monica Endemann Braga diretoriatecnica@fpc.esp.br
Assessoria de Imprensa: Simone Bello imprensa@fpc.esp.br
Coordenação Jurídica: Dr. Robson Fari Nassin – OAB-PR 29.023 juridico@fpc.esp.br
Secretaria / Administrativa: Maria Eduarda contato@fpc.esp.b

Equipe Scott-SRAM apresenta as novas Spark e Contessa RC 900 World Cup

Nesta semana aconteceu o lançamento oficial da equipe Scott-SRAM de XCO, com Nino Schurter e Jenny Rissveds registrando seus comentários a poucos jornalistas da mídia especializada.
Tudo foi muito simples, os atletas foram apresentados e as novas bicicletas mostradas.
Abaixo, as máquinas que serão usadas pelos atletas da Scott-SRAM
SCOTT Spark RC 900 Worldcup

SCOTT Contessa Spark RC 900 Worldcup

SCOTT Scale RC 900 Worldcup

SCOTT Contessa Scale RC 900 Worldcup

Para saber mais: scott-sram.com

Reality Show // Escola Park Tool e Intac procuram mecânico de bicicletas

A Escola Park Tool e a Intac estão procurando um mecânico de bicicletas. O profissional irá trabalhar com as suspensões SR Suntour, os ciclocomputadores CatEye, além de outras marcas distribuídas pela empresa no Brasil. O objetivo é fazer um processo seletivo nunca visto antes no mercado bike. A seleção está prevista para começar no dia 20/3, na sede da Escola Park Tool em São Paulo-SP.
“Nós buscamos um profissional que seja ciclista, goste muito de mecânica, curioso e que tenha desejo de aprender e conhecer mais sobre produtos, tecnologias e o mercado de bicicleta. Proatividade, além do foco em soluções e não em problemas será um diferencial. Esse projeto tem tudo para dar certo tanto para nós, quanto para a escola e futuros parceiros. Estamos confiantes”, afirma Fernando Sandoval, responsável pelo marketing da Intac.

Como vai funcionar?

O Bike Especialista será realizado no estilo “O Aprendiz”, reality show exibido na TV Record em 2004 e 2009. Ao todo serão três provas em que seis participantes pré-selecionados pela Escola Park Tool e pela Intac irão participar. O primeiro desafio será teórico. O segundo técnico. Já o terceiro simulará uma situação que o candidato viverá no seu dia a dia de trabalho.
Quem determinará os resultados será uma banca julgadora formada pelos especialistas Henrique Zompero, fundador da primeira Escola Park Tool da América Latina, e Bruna Almeida, responsável pela coordenação do merchandising da Intac e posicionamento das marcas no mercado.
“Nós da Escola Park Tool temos uma boa parceria e sei que juntos encontraremos o melhor mecânico de bicicletas para atuar na função. É uma grande oportunidade para quem sonha em trabalhar no setor. O profissional que busca aprendizado, crescimento e evolução. Ele consegue combinar tudo isso com o conhecimento técnico pode ir longe no desafio”, analisa Zompero.

Transmissão AO VIVO

Quer acompanhar todos os detalhes do Bike Especialista? Fique de olho na transmissão ao vivo que será feita no Facebook da Escola Park Tool em parceria com a própria Intac e Revista Ride Bike.

Faça sua inscrição e participe

Ficou interessado? Então, acesse o site da Escola Park Tool e faça já sua inscrição no processo seletivo. Lembrando que ter concluído os módulos de suspensão da escola será um diferencial na disputa. Envie o seu currículo e boa sorte!
Quer saber mais sobre os cursos da Escola Park Tool? Entre no site www.escolaparktool.com.br ou veja no Facebook www.facebook.com/escolaparktool.

via Escola Park Tool

Posição na bike: centímetros que fazem diferença nos km

No ciclismo não existe aquela história de que 1 cm a mais ou a menos não faz diferença. Quando se pedala por longas horas e quilômetros, qualquer detalhe no ajuste da posição na bike pode ser determinante para o ciclista em termos de conforto, eficiência ou prevenção de lesões. Por isso, ao adquirir uma nova bicicleta ou apenas trocar algum componente ou acessório — sapatilhas, pedal, selim, pedivela, guidão etc. —, deve-se procurar um profissional de bike fit para o ajuste. A seguir, o fisioterapeuta e bike fitter Fernando Rianho lista três pontos que são fundamentais para a correta posição na bike.

SELIM

Se a altura do selim estiver baixa, as pernas do ciclista ficarão encurtadas e ele perderá eficiência no movimento, além de ter de empregar mais força, sobrecarregando os ligamentos, músculos, cartilagens e tendões. Dores no quadril, no joelho e na lombar são as mais comuns nessa situação. Caso esteja muito alto, a pedalada também perderá eficiência e poderão ocorrer as mesmas lesões por sobrecarga, além do excesso de compressão na região do períneo (parte do corpo que fica em contato com o selim), que pode causar dormência ou dores na área. O ajuste do selim é muito pessoal, mas o ângulo máximo na extensão do joelho deve estar entre 155° e 165° — a perna não pode estar totalmente esticada quando o pedal passar rente ao chão.

TACOS DA SAPATILHA

Um simples posicionamento errado dos tacos da sapatilha pode ocasionar dores no joelho, na panturrilha e uma sobrecarga desnecessária no tendão de Aquiles. Apesar de muito se falar numa fórmula geral para colocar o taco — em resumo, ele deve estar no centro da sapatilha, na mesma linha da “bola do pé”, localizada no metatarso ou base do dedão —, a angulação varia de acordo com a morfologia do pé. Portanto, é preciso que um profissional analise as características pessoais para um ajuste correto.

AVANÇO DE GUIDÃO

O avanço (ou mesa) é a peça que conecta o guidão ao quadro da bicicleta e seu tamanho interfere diretamente no conforto e desempenho durante a pedalada. A escolha do avanço ideal vai depender do tamanho do quadro da bicicleta e da flexibilidade do ciclista. Muitos preferem um avanço mais longo, com ângulo mais agressivo, que proporciona uma posição mais aerodinâmica. Se ele for longo demais, no entanto, pode causar dores na região da lombar e do trapézio. Outro problema relacionado ao mau ajuste do avanço é o formigamento nas mãos, na maioria das vezes causado pela pressão excessiva colocada no guidão. O ideal é optar por um mais curto, com ângulo mais conservador, para depois, aos poucos, ir adotando uma posição mais agressiva à medida que o core estiver mais forte.
Por Daniel Balsa
-
Fonte: https://www.ativo.com/bike/papo-de-pedal/posicao-na-bike-centimetros-diferenca-km/

Grandes nomes do MTB confirmam presença na Copa Desafio Rural de MTB 2017

A Copa Desafio Rural de MTB 2017 já tem suas datas definidas, e todas prometem ser grandes desafios na vida dos mountain bikers que irão participar! Agora que a prova incorporou um espírito mais competitivo em suas etapas, mas não deixando de lado o lazer e curtição!

As datas para as etapas durante o ano de 2017 ficaram assim:
  • 2 de abril em Guararema-SP
  • 4 de junho em Nazaré Paulista-SP
  • 26 de agosto – local a confirmar
  • 26 de novembro – local a confirmar
  • 9 e 10 de dezembro será uma ultramaratona com mais de 100 milhas (aprox. 160km)
Para a primeira etapa da Copa Desafio Rural de MTB 2017 em Guararema-SP, 2 de abril, o Desafio Rural vai ter Viviane Favery como convidada especial e madrinha da prova.
Além de Viviane, a atleta do mountain bike XCM Lais Saes também confirmou presença na elite feminina, e o veterano João Paulo Firmino da elite masculina também vai disputar o caneco!
A cidade escolhida para a primeira etapa não podia ser melhor, Guararema é uma cidade turística geograficamente situada entre o Alto Tietê e o Vale do Paraíba, tendo como um dos principais atrativos o Parque da Pedra Montada, confira informações aqui.
Pensando na comodidade dos atletas a equipe da Copa Desafio Rural de MTB 2017 preparou um diferencial para os pontos de apoio, onde terá uma tenda com hidratação e alimentação (doces, frutas e mix de castanha, isotônicos).

Para mais informações acesse:
Serviço:
  • 3 Categorias: PRO (57km), SPORT (45km) e LIGHT (25km)
  • Pódio até o 5º colocado; até o 3º recebe troféu; todos os FINISHERS, de todas as categorias, recebem medalha.
  • Local de retirada dos kits e concentração da largada na Estação Ferroviária de Guararema
  • O KIT do atleta tem uma camisa dry fit casual do Desafio Rural, brindes de apoiadores, placa da bike com chip de cronometragem e todos os ciclistas correm a prova devidamente segurados.
  • Valor da inscrição: Até 28/03: R$ 160,00 e inscrições no dia da prova o valor é de R$ 190,00

Semana da Bike 2017 – O maior encontro online e gratuito do mundo da bike

No mês de abril, do dia 03 ao dia 09, vai rolar várias palestras com experts do mundo do ciclismo, chamado de Congresso Semana da Bike. Serão 7 dias com diversas palestras e diversos assuntos em horários programados e tudo com transmissão via internet e gratuito!
A ideia do congresso é reunir alguns dos experts mundiais do mundo do ciclismo aos ciclistas comuns como nós! Promovendo assim o maior e mais acessível networking entre pessoas com gosto e cultura em comum de todos os tempos.
As palestras da Semana da Bike serão apresentadas por mais de 20 especialistas, formadores de opinião, atletas, técnicos, empreendedores, prestadores de serviços, youtubers e organizações sociais. Nelas o público poderá interagir ao vivo com a comunidade e com os experts. Com as informações apresentadas será possível avaliar o cenário, perspectivas, desafios e oportunidades para elevar o nível da bike como esporte, transporte, lazer e negócios.
Entre os palestrantes estão nada mais e nada menos que o campeão olímpico Nino Schurter falando sobre sua trajetória e desafios para se tornar um campeão.
A atleta olímpica Raiza Goulão, a atleta campeã do Brasil Ride 2015 Viviane Favery e muitas outras personalidades do ciclismo!
Os ciclistas poderão acompanhar gratuitamente os encontros através de dispositivos como smartphone, computador ou tablet, de qualquer lugar do mundo com acesso à internet. Basta se inscrever no site www.semanadabike.com.br ou nas redes sociais.

O evento está sendo organizado por um grupo de jovens empreendedores apaixonados por esporte, saúde e meio ambiente.

Confira a programação e garanta sua vaga em: www.semanadabike.com.br
facebook.com/semanadabike
• Instagram: @semanadabike

Shimano celebra 10 anos de seu escritório no Brasil


Shimano, líder mundial no mercado de componentes para a prática do ciclismo e da pesca, inicia nesta quarta-feira (15) sua celebração dos 10 anos de atuação direta da marca no Brasil e no continente, após o estabelecimento, em março de 2007, do escritório da Shimano Latin America, em São Paulo. As festividades da marca japonesa acontecem durante os próximos meses, tendo seu ponto máximo no Shimano Fest, maior festival da bicicleta na América Latina, marcado para 14 a 17 de setembro, no Jockey Club de São Paulo.
Há 10 anos, o paulistano criado no Japão, Fabio Takayanagi, recebeu da Shimano Japão a missão de abrir oficialmente o escritório da empresa na capital paulista e assumir o cargo de presidente da Shimano Latin America, passando a desenvolver atividades no país e América Latina. A decisão da abertura do QG da marca veio ratificar o forte potencial ciclístico da região. Desde então, a Shimano vem incentivando o mercado com treinamentos gratuitos voltados ao mecânico profissional, oferecendo apoio e patrocínio a atletas e eventos, e executando ações sociais e ambientais, além da inegável contribuição em inovação tecnológica com o lançamento dos câmbios eletrônicos Di2 para a prática do ciclismo de estrada, em 2009, e Mountain Bike em 2014. Mais recentemente, introduziu o grupo de componentes Metrea, especialmente pensado para ciclistas urbanos/esportivos e, em breve, lançará também no País, seu grupo de componentes para bicicletas elétricas assistidas – o ciclista tem que pedalar para ativar o motor elétrico de assistência – o STEPS (Shimano Total Electric Power System).
A subsidiária da maior marca de componentes de bike do mundo veio com missões definidas, dentre elas, trabalhar efetivamente a coordenação da distribuição e marketing de equipamentos e acessórios de Pesca, outro segmento onde a marca é uma das mais significativas no cenário mundial. Além é claro, de ampliar o branding e seu reconhecimento, por meio do desenvolvimento da cultura da bicicleta e outdoor na América Latina. O apoio a distribuidores, o Serviço de Suporte Neutro Técnico em eventos esportivos e os serviços de pós-venda, também compõem tarefas de suma importância nesse desafio diário da marca.
“A presença no país de uma das mais conceituadas marcas do ciclismo mundial, traz um significado maior. A responsabilidade de estar presente na região, fez com que a Shimano abraçasse outros desafios. O apoio irrestrito ao esporte patrocinando atletas, eventos e competições de ciclismo em quase todas as modalidades, virou regra. Nestes anos estivemos ao lado dos maiores eventos de mountain bike do País, seguindo o mesmo caminho no triatlo e no ciclismo de estrada. Acertamos o foco e demos total ênfase em oferecer aos atletas brasileiros e do continente, condições e estrutura para que se aperfeiçoassem rumo aos Jogos Olímpicos Rio 2016”, conta Fabio Takayanagi, presidente da Shimano Latin America e da Shimano American Corporation, divisão Componentes de Bicicleta, com sede na Califórnia.
Suporte Neutro, marca registrada da Shimano – A ação de Suporte Neutro Shimano, apoio técnico a todos os atletas inscritos em competições de ciclismo, independente da marca da bicicleta, componentes e patrocinadores, tornou-se uma marca registrada e diferencial da Shimano. O serviço que virtualmente ‘salva’ competidores com dificuldades mecânicas, os ajudando a colocar suas bicicletas em ordem nas competições, virou um case de sucesso, conquistou milhares de fãs para a Shimano e foi assediado por diversos eventos ciclísticos no País e América Latina.
No campo da ação social, a marca foi sempre participativa e criou iniciativas para colaborar com a causa da sustentabilidade e qualidade de vida. Uma ação criada pela Shimano foi o simpático Pedal das Capivaras: passeio ciclístico para chamar atenção para a despoluição do Rio Pinheiros, em São Paulo. O Curso de Mecânica Básica para jovens de comunidades carentes no Rio de Janeiro foi outra intervenção significativa da marca. Nele, foram atendidos jovens de áreas de risco como Morros do Macaco e Turano, no Rio de Janeiro. Os jovens tiveram a oportunidade de entrar em contato com o mundo do ciclismo, tecnologias, aprender sobre produtos e mercado, além de ter noções básicas da mecânica de bicicletas. O Pedala Zezinho foi outra ação social de bastante impacto, comandada pelas ONG’s Aro 60 e Casa do Zezinho, na Zona Sul de São Paulo, com parceria da Shimano. Os esforços sociais não pararam aí: a Shimano patrocinou e apoia o Orfanato Lar Nossa Senhora Aparecida, que coloca crianças e adolescentes no esporte – ciclismo.
Uma das ações mais comentadas e valorizadas pelo mercado de bicicletas, desenvolvida há oito anos pela marca no Brasil e na América Latina, é o treinamento técnico gratuito para mecânicos profissionais, que beneficiou até o momento, 9.200 profissionais. Nele, mecânicos e vendedores técnicos de lojas de bicicleta recebem treinamento prático e teórico com base nas tecnologias da marca. Os profissionais recebem atualização e tornam-se aptos a trabalharem com novas tecnologias da marca, além de receberem certificado de participação.
“Ao longo destes 10 anos, nosso escritório desempenha esse papel de impulsionar a cultura da bicicleta, seja pela sua atuação nos esportes do ciclismo, seja na contribuição junto ao profissional do mercado ou mesmo na sua participação em atividades sociais. Como efeito, diversas marcas, empresas e profissionais do setor de bicicletas seguiram o exemplo da Shimano, apostando no fomento ao esporte, mobilidade e educação técnica. Podemos dizer sem modéstia que a Shimano serviu de inspiração em seu mercado de atuação”, enaltece Takayanagi.
Shimano Fest, um marco no mercado da bike – Talvez uma das maiores contribuições da Shimano para esta nova cultura emergente da bicicleta seja o Shimano Fest, maior Festival da Bicicleta no continente. Lá acontecem diversas atividades além da exposição de produtos de bike e pesca, para alegria dos fãs da marca. Criado com o objetivo de levar a família e o público geral para dentro do universo da bike e atividades outdoor, o Shimano Fest vem solidificando-se como um dos eventos mais aguardados do ano em São Paulo. O Festival também é muito aguardado pelo mercado da bike, que agora conta com dois dias exclusivos para o segmento, e também por atletas, entusiastas da mobilidade e por um público cada vez mais diversificado.
Atrações como shows de Rock e Taiko (tambores japoneses), competições de alto nível de mountain bike e ciclismo de estrada, palestras, workshops, test-ride de bicicletas e muitas outras atividades, têm atraído cada vez mais pessoas ao Festival realizado no Jockey Club. Em sua sétima edição, ano passado, mais de 20.000 pessoas compareceram aos quatro dias de evento, que terá sua fórmula repetida neste ano: os dois primeiros dias para profissionais do setor, enquanto sábado e domingo o Shimano Fest é aberto gratuitamente ao público.
“Podemos dizer que o saldo desta primeira década da Shimano Latin America foi extremamente positivo no aspecto comercial e, pudemos ver também a cidade de São Paulo ganhar ciclovias, sendo a principal delas, a bela Ciclovia na Avenida símbolo da cidade, a Av. Paulista. Testemunhamos a popularização das bicicletas compartilhadas equipadas com nosso cubo de marchas, o Nexus e, uma onda de valorização da qualidade de vida, liberdade e sustentabilidade que varre toda a América Latina e que tem a bicicleta como seu maior ícone”, finaliza o presidente da marca na América Latina e América do Norte.
Sobre a Shimano – Empresa líder de mercado em componentes e acessórios para bicicleta e pesca, a Shimano foi criada em 1921 e possui sede em Sakai, no Japão. O escritório da Shimano Latin America foi fundado em 2007, em São Paulo.
A Shimano desenvolveu as exclusivas tecnologias STI (Shimano Total Integration – alavanca de marchas e freio integrados), SPD (Shimano Pedaling Dynamics – para sapatilhas e pedais) e SIS (Shimano IndexSystem), entre outras, reconhecidas e referência no mundo todo. Possui entre suas marcas nomes que são sinônimos de qualidade e performance no universo ciclístico: XTR, Dura Ace, Ultegra, DI2.
Mais informações:
site: bike.shimano.com.br
Twitter:@shimanobrasil
Fanpage no Facebook: www.facebook.com/shimanobrasil
Gustavo Coelho / Doro Jr. – Mtb 13209
E-mail: gustavo@zdl.com.br
Tel: 11 32855911 / Vivo: 11 9.8457-9699
Site: www.zdl.com.br
Facebook: ZDL Comunicação
Twitter: twitter.com/ZDLcomunica