Banner do Campeonato Paranaense de DH 2019
NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

Nino e Lars levam na geral o CAPE EPIC 2019

O último estágio da Cape-Epic foi marcante para a dupla Henrique Avancini e Manuel Fumic. Depois de pedalarem o percurso de 70 km com 1800 metros de ascensão, a equipe Cannondale Factory Racing cruzou a linha de chegada em 12º lugar neste domingo (24). O resultado do último dia não alterou o vice-campeonato na classificação geral, já que o time do Brasileiro e do Alemão tinha uma boa vantagem em relação aos terceiros colocados. Com o resultado, Henrique Avancini e Manuel Fumic se consagraram vice-campeões da ultra maratona sul africana, Cape-Epic.
Quem subiu no lugar mais alto do pódio da classificação geral foi a equipe SCOTT-SRAM MTB-Racing. Nino Schurter e Lars Fosters chegaram atrás dos vice-campeões na última etapa, em 14º lugar. A dupla que ficou na terceira colocação geral, os italianos Damiano Ferraro e Samuele Porro da equipe Trek Selle San Marco, cruzaram a linha de chegada em 11º lugar.
Na classificação geral, a dupla vencedora, Nino Schurter e Lars Forster completou os sete estágios em 26:09.45. Em seguida, Cannondale Factory Racing, com Avancini e Fumic, fecharam a competição com um gap de 8 minutos em relação aos vencedores. Os terceiros colocados, Damiano e Samuele, tiveram 17 minutos em relação aos vice-campeões.
-
Fonte: https://www.pedal.com.br/cape-epic-2019-7-nino-e-lars-levam-na-geral-e-avancini-e-fumic-sao-vicecampeoes_texto13657.html

Henrique Avancini e Fumic consquistam a segunda colocação no CAPE EPIC 2019

Ao lado de Fumic, Avancini alcança resultado inédito para o Brasil na Cape Epic, a dupla da equipe Cannondale Factory Racing esteve entre os primeiros colocados durante toda a competição e terminou com o vice-campeonato.

A dupla formada pelo brasileiro Henrique Avancini e o alemão Manuel ficou com o inédito vice-campeonato da Cape Epic, principal prova de ultramaratona de mountain bike do mundo, que terminou neste domingo, na África do Sul. A vitória ficou com os suíços Nino Schurter e Lars Forster. O resultado mostra a evolução do brasileiro, que terminou a Cape Epic do ano passado em terceiro e foi quinto em 2017.

“Foi uma semana muito difícil, mas acho que fizemos uma competição muito boa. Já terminamos em quinto, quarto, terceiro e agora segundo. Falta apenas um degrau para chegarmos lá. No geral estou muito feliz. Acho que chegamos aqui muito preparados para esta edição e fizemos o que pudemos. Ficamos com a camiseta amarela por dois dias, tivemos alguns problemas, mas não tenho nada a reclamar, já que foi uma briga boa e uma boa semana de provas”, resumiu o piloto de Petrópolis (RJ).

Os cicilistas da equipe Cannondale Factory Racing foram protagonistas em grande parte dos 624km percorridos em uma semana. Sempre entre as primeiras colocadas, a dupla mostrou consistência e mostrou que está preparada para enfrentar os melhores do mundo em qualquer ocasião.

No prólogo de abertura da Cape Epic, disputado no domingo passado (17), Fumic e Avancini chegaram em segundo. Nas seis etapas seguintes, eles obtiveram uma vitória, dois segundos, um terceiro e dois quartos lugares, até a 12ª colocação deste domingo.

A classificação na África do Sul ratifica o ótimo início de temporada de Henrique Avancini, que tinha 100% de aproveitamento em 2019 até chegar na Cape Epic, com vitórias na Tankwa Trek e SA Cup, ambas disputadas também na África do Sul, além de ter vencido a Copa Internacional de Mountain Bike em Petrópolis (RJ).
-
Fonte: https://www.diariodepetropolis.com.br/integra/ao-lado-de-fumic-avancini-alcanca-resultado-inedito-para-o-brasil-na-cape-epic-163587

Passeio Ciclístico dos 326 anos de Curitiba bate recorde

Com recorde de público, o 8º Passeio Ciclístico Condor, que iniciou as comemorações dos 326 anos de Curitiba, contou com cerca de 5 mil ciclistas em um trajeto de 7 km, que partiu do Condor Água Verde e seguiu até o Parque Barigui, em frente ao Museu do Automóvel.
Segundo a diretora de marketing do Condor, Elaine Munhoz, este ano o evento superou todas as expectativas e se consagrou como o maior evento de ciclismo da cidade. “Foi uma grande festa, conseguimos superar as edições anteriores, vimos famílias reunidas com pessoas de todas as idades em busca de um domingo diferente, com saúde e diversão”.
Para o secretário de esporte, lazer e juventude, Emílio Trautwein, o passeio se tornou um marco para a cidade e uma referência “Este passeio é marcante para os praticantes de ciclismo e promove a união da família e a qualidade de vida na cidade”.
O aposentado Salvador Custódio, de 73 anos, veio para o passeio pelo segundo ano e incentivou os vizinhos e amigos a irem junto para se divertir ainda mais. “A gente se diverte muito, cuida da saúde e ainda aproveita para conversar e fazer novas amizades”.
Deli Cordeiro participou do Passeio Ciclístico com seus filhos, esposa e outros parentes, totalizando um grupo de oito pessoas. “O evento é muito importante para reunir os curitibanos e comemorar o aniversário da cidade, sem falar que nos divertimos muito e aproveitamos para fazer um programa em família”.
No final do percurso, foram sorteados diversos brindes, além de bicicletas. Para o ganhador de uma das bicicletas, Virgênio da Silva, terminar o percurso sendo um dos sorteados foi maravilhoso, principalmente porque ele participou do evento pelo 5º ano consecutivo.
O evento foi gratuito e aberto para pessoas de todas as idades. Na concentração, os primeiros 2.000 ciclistas foram presenteados com uma camiseta, uma sacochila e um squeeze alusivos ao passeio.
O passeio contou com o patrocínio da P&G (Downy Sports), BRF (Sadia), Unilever (Mãe Terra), Pepsico (Kero Coco), Femsa (Água de Coco Del Valle e Água Mineral Crystal), Bauducco, M Dias Branco (Isabela), Ecco Salva e da Cicles Langner.
-
Fonte:  https://www.bemparana.com.br/noticia/passeio-ciclistico-dos-326-anos-de-curitiba-bate-recorde

Julian Alaphilippe coloca monumento no palmarés ao vencer Milão-Sanremo

O francês Julian Alaphilippe venceu hoje a 110.ª edição da clássica Milão-Sanremo, o primeiro monumento da época e o primeiro do palmarés do ciclista da Deceuninck-Quick Step.

Alaphilippe, de 26 anos, dominou o pequeno grupo da frente na conclusão dos 291 quilómetros de corrida italiana, batendo homens teoricamente mais rápidos no sprint, como o espanhol Alejandro Valverde (Movistar), campeão do mundo, e o antecessor, Peter Sagan (BORA-hansgrohe). O eslovaco foi quarto, atrás do belga Oliver Naesen (AG2R La Mondiale) e do polaco Michal Kwiatkowski (Sky).
O homem mais vitorioso deste início da temporada 2019, alcançou o sétimo triunfo do ano, após triunfos na Strade Bianche no início de março e duas etapas na Tirreno-Adriático, e tornou-se o segundo francês a ganhar em Sanremo no século XXI, depois de Arnaud Démare ter vencido em 2016 aquele que forma o grupo dos cinco monumentos (corridas clássicas) com Volta à Flandres, Paris-Roubaix, Liège-Bastogne-Liège e Volta à Lombardia.
Em 2017, Alaphilippe já tinha disputado o triunfo, mas acabou atrás de Kwiatkowski e Sagan. No ano passado, não houve discussão, porque ninguém conseguiu responder ao ataque do italiano Vincenzo Nibali, que hoje terminou em oitavo, logo depois de Valverde, num grupo de 10 creditado com com o mesmo tempo do vencedor, 6h40m14s.
Agora, foi a vez de Alaphilippe escrever seu nome entre os vencedores da 'classicíssima', numa corrida bem controlada pela sua equipe.
"Estava protegido, a equipe tinha inteira confiança em mim. Endurecemos a corrida e no sprint pensei sobretudo em não cometer erros", afirmou o gaulês, que antes dos 200 metros finais, apanhou a roda do esloveno Matej Mohoric: "Quando vi partir Mohoric, disse a mim mesmo: 'é agora ou nunca'."
A prova foi em grande parte marcada por uma fuga de 10 corredores, de equipes menores convidadas pela organização, que se mantiveram na frente até à zona das pequenas elevações que pontuam a última hora de corrida. Um deles, Fausto Masnada, andou 260 quilômetros na frente, resistindo até à Cipressa, penúltimo obstáculo da prova.
No Poggio, a última subida, a equipa de Alaphilippe impôs o ritmo, e o francês desferiu um ataque que formou um grupo de excelência na frente, com Sagan, Valverde, Kwiatkowski, Naesen, Wout Van Aert e Matteo Trentin, mas na descida não houve entendimento e outros homens chegaram-se de novo à frente para a discussão final.
-
Fonte: https://www.record.pt/modalidades/ciclismo/detalhe/julian-alaphilippe-coloca-monumento-no-palmares-ao-vencer-milao-sanremo

Lixão dá lugar à maior pista de ciclismo BMX do Espírito Santo


A pista de ciclismo BMX, na Serra, era um lixão
A pouco mais de dois anos para os Jogos Olímpicos de Tóquio, os atletas capixabas têm muitos motivos para comemorar e sonhar alto. Afinal, o município da Serra acaba de ganhar uma nova pista de ciclismo BMX, a única no Espírito Santo com metragem oficial e pronta para receber grandes competições. Um incentivo a mais para quem já brilha pelo esporte e também para quem quer dar as primeiras pedaladas.
E quem vê o novo berço da modalidade nem imagina que ali era um lixão, de onde eram retirados até 400 toneladas de entulho por mês, o equivale a cerca de 13 carretas.
A inauguração acontece hoje, a partir das 9 horas, em Novo Porto Canoa. Com aproximadamente 370m de comprimento e quatro retas, será a primeira pista de ciclismo BMX no Estado com um sistema de largada padronizado pela União Ciclista Internacional (UCI). O sistema é de ar comprimido, que emitirá um sinal sonoro e um sinal visual, liberando os competidores.
“A valorização do esporte é um dos pilares da nossa administração. Esta pista foi idealizada junto aos atletas da modalidade e irá fomentar a prática deste esporte em nossa cidade” disse o prefeito da Serra, Audifax Barcelos.

Confira o antes e depois:

Como era antes...
Como Ficou...
A primeira reta terá mais de 8m, a segunda terá 7m, a terceira terá cerca de 5m e a chegada, aproximadamente, 4m. Uma das retas da pista tem obstáculos menores e é voltada para as crianças. O trajeto tem três curvas e uma delas, apelidada de tsunami, é destaque, com cerca de 60m. Ao todo, serão mais de 10 sequências de obstáculos em uma pista totalmente asfaltada.
“Além dessa pista da Serra, temos uma em Vitória, outra em Cachoeiro de Itapemirim, que não têm medidas oficiais, uma pequena a nível municipal em Rio Novo do Sul e uma não concluída em Presidente Kennedy. Então é muito importante termos essa pista nova, com metragem oficial”, afirmou Carlos Eduardo de Lima, que é diretor da modalidade BMX da Federação Espírito-santense de Ciclismo (Fesc).

Estadual e Copa Brasil à vista


A pista de ciclismo BMX, na Serra, vai fomentar a prática da modalidade no Espírito Santo
Mesmo sendo uma modalidade olímpica desde 2008, não existe sequer um campeonato estadual de ciclismo BMX no Espírito Santo. Agora, com a inauguração da nova pista da Serra, a intenção é fomentar a modalidade e, principalmente, promover competições.
“Com essa pista teremos a oportunidade de nos aprofundarmos nos treinamentos e também vamos fazer o intercâmbio com atletas de outros estados. A princípio, queremos fazer um evento-teste este ano, uma espécie de prova comemorativa, além de fazer um campeonato capixaba, em etapa única, e eventos municipais. Daí, no ano que vem, nosso intuito é tentar trazer uma Copa Brasil de BMX”, explicou Carlos Eduardo de Lima, diretor da modalidade BMX da Federação Espírito-santense de Ciclismo (Fesc).

A PISTA

Largada

A pista, que é totalmente asfaltada, conta com um platô de largada de cerca de 3,5m de altura, que a caracteriza como uma pista veloz. Além disso terá também um portão de largada eletrônico e automático.

Obstáculos

A primeira reta terá mais de 8m, a segunda terá 7m, a terceira terá cerca de 5m e a chegada, aproximadamente, 4m. Uma das retas da pista tem obstáculos menores e é voltada para as crianças. O trajeto tem três curvas e uma delas, apelidada de tsunami, é destaque, com cerca de 60 metros.

Competições

A Federação Espírito-santense de Ciclismo (Fesc) pretende realizar campeonatos municipais, estaduais e até Copa Brasil de BMX.
-
Fonte: https://www.gazetaonline.com.br/esportes/mais_esportes/2019/03/lixao-da-lugar-a-maior-pista-de-ciclismo-bmx-do-espirito-santo-1014173455.html

Campeonato Paranaense de Downhill 2019 - Inscrições Abertas - 2a. Etapa - União da Vitória


Olá a todos os downhillers de plantão, estão abertas as inscrições para a 2a. Etapa do CAMPEONATO PARANAENSE DE DOWNHILL 2019, que será realizado na cidade de  Londrina-PR nos dias 13 e 14 de ABRIL.
Para se inscrever clique no menu "DH 2019" e em seguida "INSCRIÇÕES" e preencha o formulário.

  • DATA/PERÍODO PARA INSCRIÇÕES COM O SEGURO DE VIDA:
    2º ETAPA - UNIÃO DA VITÓRIA: 13 E 14 DE ABRIL DE 2019

    VALORES - CATEGORIAS MASCULINAS
    DIA 18/03 A 07/04: R$100,00 REAIS (VIA DEPOSITO)
    DIA 08/04 ATÉ AS 14:00 HORAS DO DIA 12/04: R$120,00 REAIS (VIA DEPOSITO)
    DAS 14:00 HORAS DO DIA 12/04 ATE AS 15:00 DO DIA 13/04: R$150,00 (PAGAMENTO SOMENTE NA SECRETARIA DE PROVA)

    VALORES - CATEGORIA FEMININA
    DIA 18/03 A 07/04: R$50,00 REAIS (VIA DEPOSITO)
    DIA 08/04 ATÉ AS 14:00 HORAS DO DIA 12/04: R$80,00 REAIS (VIA DEPOSITO)
    DAS 14:00 HORAS DO DIA 12/04 ATE AS 15:00HORAS DO DIA 13/04: R$150,00 (PAGAMENTO SOMENTE NA SECRETARIA DE PROVA)
    DEPÓSITOS EFETUADO APÓS AS 14:00 HORAS DO DIA 12/04
     NÃO SERA VÁLIDO
    • DADOS PARA DEPOSITO OU TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA:
      • CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
        • Agência: 0407
        • Operação: 013 (Poupança)
        • Conta: 00115720-0
          • Titular: Bernadete Terezinha Dolinski Heimoviski
          • CPF: 779.377.759-04
    TODOS OS COMPROVANTES DE DEPÓSITOS ENVIADOS ATÉ O DIA 07/04 CONCORREM A UMA CAMISA RACE SHIFT

    Os comprovantes devem ser enviados com o nome do atleta escrito no comprovante para o whatsapp (042)8429-6913 da Bernadete, e os mesmos deve ser novamente apresentados junto com a identificação na hora da retirada do Number Plate.