.
NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

O Red Bull Rampage expande as barreiras do esporte, sobre a voz de KDra e Arruda

Falta pouco para a nova edição do Red Bull Rampage. O principal evento de mountain bike freeride, que coloca à prova todas as habilidades dos pilotos, será disputado nesta sexta-feira (25), a partir das 13h, e, novamente, com transmissão em português. E fomos falar com a nossa equipe sobre essa prova incrível.
Os microfones estarão com Luciano ‘KDra’ Lancellotti, lenda do MTB brasileiro, com comentários de Eduardo Arruda, trackbuilder e especialista no freeride. "Estive no deserto de Utah antes mesmo do Red Bull Rampage existir. O evento profissionalizou a modalidade, que era vista antes como o undergound", afirma Luciano.
O Red Bull Rampage exige dos atletas algumas cartas na manga, pois as condições climáticas, como vento e temperatura, variam com muita frequência, influenciando a dinâmica dos saltos, velocidade e apresentação dos participantes.
"O freeride trouxe proporções quase inimagináveis para o universo da bike..."
"Uma das coisas mais legais do mountain bike é a liberdade de curtir a bike. O freeride expandiu fronteiras, assim como aconteceu com o surfe de ondas grandes e o motocross freestyle", diz KDra.
Andreu Lacondeguy testa sua via
© Garth Milan/Red Bull Content Pool
"O maior evento de freeride do planeta gerou um impacto gigante no incentivo do esporte de forma global. Eu sou um dos entusiastas gerados dessa onda freeride e isso moldou a minha relação com a vida e o mundo", diz Eduardo Arruda, que participou das construções das pistas do Red Bull Rampage em 2017.
Rampage 2017
© Red Bull Content Pool

Arte imita a vida

A edição do evento este ano é aguardada com expectativa por causa do nível que a modalidade tomou e como a competição vem puxando a evolução do esporte.
"Antigamente os esportes de ação eram inspirados nos videogames e agora essa lógica se inverteu e os games estão copiando essa realidade. O nível do esporte está quase transcendendo nossa imaginação, isso é muito motivador e o Red Bull Rampage é um dos eventos que expande essas barreiras", completa KDra.
Um exemplo que corrobora com a afirmação de KDra é o game Bike Unchained que é inspirado no Red Bull Rampage, disponível smartphone.
Rampage
© Christian Pondella/Red Bull Content Pool

Essência do freeride

O Red Bull Rampage será disputado pelo segundo ano em uma nova montanha, com isso veremos os pilotos que correram ano passado melhorando as linhas que já esculpiram anteriormente e os novos pilotos aplicando novas visões para se destacar.
O Red Bull Rampage é uma competição contra você mesmo.
"Será um evento com mais chances de todos completarem suas voltas e mostrarem um show incrível para a transmissão ao vivo. A essência do MTB freeride é a criatividade e superação. Isso significa aplicar sua experiência de pilotagem para a criação da sua própria linha na montanha e ultrapassá-la com estilo. No final das contas é uma competição contra você mesmo", completa Arruda.
-

Aos 36 anos, lenda das bikes sofre acidente em trilha e morre

Jordie Lunn (Foto: Reprodução/Instagram)
O canadense Jordie Lunn, conhecido como uma das grandes lendas do BMX, uma categoria de ciclismo de aventura, mountain biking e corrida, morreu após um trágico acidente durante uma viagem a Cabo, no México, no´último dia 9 de outubro.
Ele estava fazendo uma trilha de bicicleta com os amigos quando sofreu um acidente em uma decida e teve um ferimento fatal na cabeça. A informação chegou à família de Lunn por meio dos colegas que estavam na viagem. "Jordie perdeu a vida fazendo exatamente aquilo que amava", dizia um comunicado da família do atleta, enviado ao site Pinkbike.
Jordie Lunn (Foto: Reprodução/Instagram/Sterling Laurence)
Conhecido pela maneira chamativa de se vestir e as tatuagens pelo corpo todo, Jordie também se dedicava à dar aulas de mountain biking para crianças e também fazia vídeos sobre a categoria. "Se Jordie não for para o céu, então o céu não existe", comentou Darren Berrecloth, um dos amigos do ciclista.
Jordie Lunn (Foto: Reprodução/Instagram/Sterling Laurence)
-

Revelado o percurso da Volta a França 2020: veja o mapa e as datas

O Col de la Loze estreia-se na Tour de France, como ponto mais alto da 107.ª edição da prova, cujo percurso foi apresentado esta terça-feira e que arranca em Nice, a 27 de junho de 2020.
Com o cume localizado a 2304 metros, aquele será o "teto" do Tour no próximo ano, com o diretor da corrida, Christian Prudhomme, a destacar a montanha nas imediações de Méribel como "o protótipo da subida do século XXI".
A prova inicia-se em Nice e decorrerá inteiramente em solo francês, terminando nos Campos Elísios, em Paris, em 19 de julho, depois de um traçado que volta a ser marcado pela montanha, não tanto pela alta montanha, em menor número do que em 2019, mas pela média montanha, mais representada.
Os destaques vão também para as subidas nos Pirenéus e nos Alpes, com o Jura, na subida ao Grand Colombier, e Vosges, como outros testes num perfil que, garantiram os organizadores, terá algo para todos os ciclistas.
Ao todo, são 3470 quilômetros até Paris, com o 20º e penúltimo dia de prova a reservar o regresso de La Planche des Belles Filles, desta vez para um contrarrelógio individual de 36 quilômetros, que pode ser decisivo nas contas finais do sucessor do colombiano Egan Bernal (INEOS).
Nice recebe a partida das primeiras três etapas, com a corrida a "aquecer" na nona etapa, entre Pau e Laruns, mesmo antes do primeiro dia de descanso.
Ao todo, são 29 as subidas categorizadas, com seis chegadas em alto, setores em gravilha e um "crono" com bastante inclinação, numa primeira semana com mais montanha do que o habitual em edições recentes.
São ausências de destaque um contrarrelógio por equipes, mas também as históricas chegadas em alto no Alpe d"Huez e no Mont Ventoux, num ano em que a prova começa uma semana mais cedo, para permitir aos participantes viajarem para os Jogos Olímpicos Tóquio'2020 seis dias depois do final da prova.
"O Tour continua a reinventar-se. Em 2020, a mais longa etapa terá 218 quilômetros - nunca uma etapa mais longa foi tão curta", destacou o diretor da prova, que mencionou ainda a passagem por Sarran, terra do antigo presidente francês Jacques Chirac, que morreu em setembro.

Confira todas as etapas e calendário do Tour 2020:

27 de junho, 1.ª etapa: Nice - Nice, 156 km.
28 de junho, 2.ª etapa: Nice - Nice, 187 km.
29 de junho: 3.ª etapa: Nice - Sisteron, 198 km.
30 de junho, 4.ª etapa: Sisteron - Orcières-Merlette, 157 km.
1 de julho, 5.ª etapa: Gap - Privas, 183 km.
2 de julho, 6.ª etapa. Le Teil - Mont Aigoual, 191 km.
3 de julho, 7.ª etapa: Millau - Lavaur, 168 km.
4 de julho, 8.ª etapa: Cazères-sur-Garonne - Loudenvielle, 140 km.
5 de julho, 9.ª etapa: Pau - Laruns, 154 km.
6 de julho: Dia de descanso.
7 de julho, 10.ª etapa: Ile d'Oléron - Ile de Ré, 170 km.
8 de julho, 11.ª etapa: Châtellaillon-Plage - Poitiers, 167 km.
9 de julho, 12.ª etapa: Chauvigny - Sarran Corrèze, 218 km.
10 de julho, 13.ª etapa: Châtel-Guyon - Puy Mary Cantal, 191 km.
11 de julho, 14.ª etapa: Clermont-Ferrand - Lyon, 197 km.
12 de julho, 15.ª etapa: Lyon - Grand Colombier, 175 km.
13 de julho: Dia de descanso.
14 de julho, 16.ª etapa: La Tour-du-Pin - Villard-de-Lans, 164 km.
15 de julho, 17.ª etapa: Grenoble - Col de la Loze, 168 km.
16 de julho, 18.ª etapa: Méribel - La Roche-sur-Foron, 168 km.
17 de julho, 19.ª etapa: Bourg-en-Bresse - Champagnole, 160 km.
18 de julho, 20.ª etapa: Lure - La Planche des Belles Filles, 36 km (CRI).
19 de julho, 21.ª etapa: Mantes-la-Jolie - Paris, 122 km.
-

Jovem ciclista holandês fica paraplégico após acidente

Edo Maas, da Sunweb, considerado uma das grandes esperanças holandesas no ciclismo, sofreu um acidente grave no dia 6 de outubro, em  uma prova na Itália, e a equipe confirmou nesta quinta-feira que, em consequência da mesma, ele ficou paraplégico.
«Edo Maas está a assimilar o diagnóstico de que a fratura em suas costas o deixou paraplégico, pela perda de estimulação nervosa nas pernas», pode ler-se, no site da equipa alemã, que acrescenta ainda que «neste momento é improvável que a funcionalidade retorne às suas pernas, mas a capacidade de luta e a esperança prevalecem.»
Durante a prova, Maas bateu contra um carro da organização que circulava em sentido contrário ao do percurso, por erro da organização. As fraturas nas costas e na face resultantes do choque levaram a diversas intervenções cirúrgicas.
-

Campeonato Brasileiro de Mountain Bike Marathon 2008 - Como o tempo passa!! #mazobikers #dinossauros


from Instagram

Veja a simulação 3D interativa do percurso do 8o. Desafio de Cicloturismo da Santa do Paredão https://ift.tt/2M6tXxT , em Jaguariaíva-PR... Conheça o percurso... Faça sua inscrição e venha pedalar conosco.


from Instagram

Simulação 3D do percurso - 8º Desafio de Cicloturismo da Santa do Paredão

Conheça desta simulação 3D totalmente interativa (ZOOM, ROTAÇÃO, ANGULO, VELOCIDADE) o percurso do 8° Desafio de Cicloturismo da Santa do Paredão a ser realizado na cidade de Jaguariaíva-PR. INSCREVA-SE, não fique fora dessa!!!!

Pensem numa galera animada!! @bikenbeer pedalando em Jaguariaíva-PR #melhordoparana


from Instagram

VÍDEO - Conheça um pouquinho mais de JAGUARIAÍVA-PR - junto com RICHARD RASMUSSEN

 Olá galera, o apresentador de documentários relacionados a natureza e aventura, RICHARD RASMUSSEN esteve a semana passada gravando um episódio de seu programa AS AVENTURAS DE RICHARD RASMUSSEN NO PARANÁ. Programa este da TV PARANÁ TURISMO que vem com intuito de mostrar as belezas naturais, turísticas e gastronômicas de nosso estado.
Sua passagem marcante em nosso município mostra "um pouquinho" da história e "um pouquinho"  do potencial turístico. É de deixar arrepiado quem assiste pois nos faz pensar, temos muito a conhecer em nosso país.
VALE A PENA CONFERIR... ASSISTAM... E COMPARTILHEM.

Com 156 vitórias, Andre Greipel está perto da aposentadoria!


Depois de 15 temporadas no ciclismo profissional, o velocista alemão Andre Greipel, aos 37 anos de idade, pode estar chegando ao fim de sua gloriosa carreira.
Essa semana Greipel decidiu rescindir seu contrato com a equipe Arkea-Samsic francesa, ele não deu detalhes do motivo do desligamento, mas os próximos capítulos dessa novela estão chegando rapidamente.
O apelido de Greipel no pelotão é Gorila, tamanha a força com que vencia nos sprints. Nessa foto ele posa como garoto propaganda da fabricante francesa Look.
Greipel começou em 2005 com a equipe alemã Team Weisenhof, depois teve passagens pelas equipes T-Mobile, HTC-Columbia, na qual começou a colecionar vitórias, então ficou oito temporadas na Lotto-Soudal onde teve um trem embalador de respeito.
Não é qualquer um que consegue 156 vitórias como ciclistas profissional. As vitórias de Greipel foram em sua grande maioria em sprints massivos!
O ciclista tri-campeão alemão tem nada menos do que 156 vitórias em seus palmares, sendo 11 delas no Tour de France, 7 no Giro d’Itália e 4 na Vuelta a España. Greipel tem sido um dos velocistas mais vitoriosos da história do ciclismo, seus números não mentem.

A ida para a equipe Arkea foi sob questionamentos, pois saiu de uma equipe World Tour consolidada, com estrutura e time para vencer, indo para uma equipe continental com menor porte. O resultado não foi o esperado para ambas as partes.
A última vitória de Greipel foi na La Tropicale Amissa Bongo (2.1) em fevereiro. O ciclista deixou em sua página a informação de que irá competir sua última prova na Alemanha no dia 3/1 na clássica Sparkassen Münsterland Giro, a qual ele afirmou que irá com força total para a vitória e então ficará em off até a semana entre 4 a 10 de novembro na qual trará a público a sua decisão sobre a temporada de 2020.
Esperamos que Greipel encontre o caminho correto neste momento, seja para continuar em 2020, seja para aposentar com seu nome entre os grandes do esporte!
-
Fonte: https://www.digitalcycling.com.br/2019/10/01/com-156-vitorias-andre-greipel/

Canal OFF promove programação exclusiva sobre ciclismo

O Canal OFF prepara um outubro especial para os amantes de ciclismo, com o Mês de Bike levando conteúdos exclusivos para o linear e o aplicativo. Entre as novidades estão a estreia da terceira temporada de “Vida de Biker”, o inédito “Volta de Bike em Oahu”, a reprise da jornada da Família Nalu de bicicleta pela Europa e um documentário para comemorar o mês em que foi confeccionada a primeira mountain-bike como a conhecemos hoje, por Joe Breeze, em 1977.
O Mês de Bike no Canal OFF começa na terça-feira, dia 1º de outubro, às 20h, com a exibição de “North of Nightfall” (Unrideables 3). Nele, os lendários bikers Darren Berrecloth e Cameron Zink, junto com os jovens Tom Van Steenbergen e Carson Storch, seguem para uma desabitada ilha canadense para descerem linhas desafiadoras e inimagináveis enquanto testemunham o impacto da ação humana sobre o planeta. O documentário celebra o mês em que Joe Breeze confeccionou, em 1977, a primeira bicicleta de Mountain Bike e mudou toda uma geração na prática do esporte.
No dia seguinte, quarta-feira, dia 02 de outubro, às 21h, estreia o inédito “Volta de Bike em Oahu”. Em quatro episódios, acompanhamos mais uma cilada de Felipe “Gordo” Cesarano. Dessa vez ele embarca para o Havaí com Caio Vaz, amigo e campeão mundial de SUP, para dar a volta na ilha de Oahu de bicicleta em busca de muito surfe, aventura e diversão.
Na quinta-feira, dia 17 de outubro, o campeão mundial Henrique Avancini retorna ao Canal OFF com a estreia da terceira temporada de “Vida de Biker” às 21h30. Neste novo ano, acompanhamos os bastidores da rotina do atleta campeão mundial de MTB Maratona e segundo colocado no ranking geral de MTB Cross Country Olímpico da UCI. Esses resultados o consolidaram como um dos maiores nomes do ciclismo mundial da atualidade. “Vida de Biker” explora a convivência e o relacionamento entre Avancini e seus companheiros de equipe e treinadores, a rotina de viagens, treinos e, claro, competições.
Já no domingo, dia 27 de outubro, o Canal OFF exibe uma maratona a partir das 11h com os 13 episódios de “Nalu Pelo Mundo de Bike”, onde Bela Nalu, Fabiana Nigol e Everaldo Pato encararam de bicicleta cerca de dois mil quilômetros pela Europa, saindo de Lacanau, na França, até Lisboa, em Portugal.
-