NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...
Prscilla Carnaval, representante brasileira de ciclismo BMX na Rio-2016 o no Mundial de 2015, teve sua bicicleta roubada na última quinta-feira. A jovem de 23 anos estava em Sorocaba, onde mora e treina, quando foi rendida, juntamente com seu irmão e primo. A atleta teve, o carro e a bicicleta furtados.
Em suas redes sociais, Carnaval lamentou o ocorrido e pediu ajudar para recuperar, pelo menos, sua bike.
- Fui assaltada hoje treinando aqui em Sorocaba ao lado da usina cultural. Apontaram a arma para meu irmão, para mim e meu primo de 13 anos. Roubaram meu carro (Voyage prata HNZ9560) e minha bike GW com rodas com cubo profile, garfo Box, guidão Elevn, pedivela DXR, clip Shimano. Muito triste, pois é sempre tão difícil para um atleta treinar nas condições que temos e ainda roubam o pouco que tenho. Peço para quem souber ou vir a bike em algum local que me informe para que eu possa recuperá-la - publicou a atleta que participou do Pan de Toronto-2015.
-
Fonte: https://www.terra.com.br/esportes/lance/ciclista-que-disputou-a-rio-2016-tem-bicicleta-roubada,99d3d4b6637d850d3c8d397e311833ecnwrusavl.html
Quem já está treinando muito para enfrentar 80 km duros e técnicos em trilhas inéditas da região montanhosa da cidade de Picos é Daniel Zoia, da equipe Audax Bike/FSA/Marzocchi.
O mineiro encara a prova com o companheiro de equipe, Francisco Édio, de Teresina, Piauí. “Estou na fase de finalização, pois venho fazendo uma sessão de provas e o Picos Pro Race vai ser a última para fechar o ciclo.
Vou chegar aí em uma excelente forma física e junto com meu companheiro de equipe, Francisco Édio, que estará com a gente na prova, vamos traçar uma estratégia para ficarmos em primeiro e segundo lugar na competição e fazer uma dobradinha para a Audax”, disse Daniel Zoia.
A dupla chega em Picos na quinta-feira, 29, para sentir o clima da região. “O clima é um fator importante, por isso a chegada com antecedência. Já corri em Picos no Brasileiro de Moutain Bike e ainda a largada do rally Cerapió, sei das dificuldades climáticas da região e vamos fazer uma prova bem consciente para que eu e Francisco possamos ficar na primeira e segunda colocações”, afirma o atleta.
Daniel Zoia tem um histórico de conquistas. A última prova foi no final de semana passado, onde participou do 70 Km de Brasília, prova conhecida em todo o território nacional, ficando na segunda colocação.
Em 2016, foi campeão do Rally Cerapió e este ano ficou na segunda colocação do mesmo evento, o Piocerá (anos [ímpares), foi ainda campeão do Desafio dos Rochas, em Santa Catarina, Desafio da Serra da Bodoquena, em Mato Grosso, todos no estilo maratona, o mesmo do Picos Pro Race. Fechou na terceira colocação o ranking nacional de cross country no ano passado.
Quem também participa da competição é o paraibano Sharlys Silva. Em sua estreia no Picos Pro Race, a expectativa é garantir pontuação para o ranking nacional. “É uma prova de grande porte, grande nível. Sei que terá a participação de atletas profissionais e espero fazer um bom resultado”, disse o atleta da equipe Wetek bikesystem, que compete na categoria Elite.
Sharlys tem um histórico de vitórias nos 13 anos de ciclismo. Entre as principais e mais recentes ele destaca: pentacampeão paraibano, bicampeão da maratona Cabra da Peste, maior prova da Paraíba, bicampeão MTB do Trabalhador de Santa Cruz do Tambaribe (PB), campeão do Rally 40 Graus no Piauí.
O Picos Pro Race 2017 vale etapa do Piauiense de MTB Maratona e ranking nacional classe XCM1 da Confederação Brasileira de Ciclismo – CBC. Acompanhe informações do evento no site www.nnativapi.com.br e Facebook.com/picosprorace.

Da Redação
redacao@cidadeverde.com
-
Fonte: http://cidadeverde.com/noticias/250441/atletas-campeoes-de-todo-o-brasil-estao-confirmados-no-picos-pro-race-2017
A Volta a França de 2017 inicia-se em 1 de julho, na cidade alemã Dusseldorf, vai passar pela Bélgica e termina em Paris em 27 de julho.
Chris Froome vai ter o apoio de uma forte Sky para tentar conquistar pela quarta vez, a terceira consecutiva no Tour de France com a equipe britânica a apresentar duas alterações em relação a 2016.
A Sky apresentou os nove ciclistas que vão correr o 104.º Tour, com Froome, vencedor de 2013, 2015, 2016, a surgir como chefe de fila, num conjunto muito forte, como nos últimos anos. Em relação a 2016, o conjunto britânico fez apenas duas alterações, com as entradas do polpnês Michal Kwiatkowski, ex-campeão do mundo, e do alemão Christian Knees.
Depois de uma decepcionante participação na Volta a Itália, em que o español Mikel Landa foi o mais bem classificado, na 17.ª posição, a Sky volta a apostar tudo no Tour.
O británico Geraint Thomas, que desistiu no Giro após um acidente com uma moto, o campeão colombiano Sergio Henao, os escaladores espanhóis Mikel Nieve e Mikel Landa, o bielorrusso Vasil Kyrienka, ex-campeão do mundo de contrarrelógio, e o británico Luke Rowe completam a equipe.
A Volta a França de 2017 inicia-se em 1 de julho, na cidade alemã Dusseldorf, vai passar pela Bélgica e termina em Paris em 27 de julho.

A equipe da Sky: 

  • Chris Froome (GB),
  • Mikel Landa (Esp),
  • Mikel Nieve (Esp),
  • Sergio Henao (Col),
  • Vasil Kiryienka (Bie),
  • Christian Knees (Ale),
  • Michal Kwiatkowski (Pol),
  • Luke Rowe (GB)
  • Geraint Thomas (GB).
-
Fonte: http://www.ojogo.pt/modalidades/ciclismo/noticias/interior/chris-froome-e-sky-na-maxima-forma-na-volta-a-franca-8582945.html
O atleta Fabrício Rosa da Silva da Equipe Mazobikers/Academia Physical Fitness, esteve participando neste último final de semana da competição Brasil Ride Warm-UP, na cidade de Botucatu-SP.
Fabrício participou na categoria PRO Masculino MASTER B1 40 A 44 ANOS, nesta que é considerada a segunda segunda maior competição de mountain bike do país e tem dificuldades de altissimo nível ao longo do seu percurso, como rock gardens, subidas de alto grau de inclinação, descidas técnicas, calor, etc.
  • 1º DIA, XCO durissimo de 11,6km com 455m de subida acumulada
  • 2º DIA, XCM pesado de 80,3km com 1668m de subida acumulada
  • 3º DIA, XCM duríssimo de 107km com 893m de subida acumulada
O mazobiker Fabrício ficou na 66ª colocação em rua respectiva categoria, cumprindo os três dias de prova com um tempo total de 14h51m59s.
  • 1º Dia - 00h52m40s 
  • 2º Dia - 05h29m03s
  • 3º Dia - 08h30m16s
O Brasil Ride Warm-UP contou com mais de 1.600 ciclistas na categoria PRO, que é realizada durante três dias de disputa.
A Próxima competição do Brasil Ride que será em outubro na Bahia.
-
Fabricião, todos os seu amigos Mazobikers de Jaguariaíva lhe parabenizam pela belíssima participação nesta prova que é uma das mais cascas grossas do país, e continue sempre treinando forte para conquistar os seus sonhos e atingir com sucesso seus objetivos.

Um grande abraço irmão!

O eslovaco Peter Sagan, bicampeão do mundo de longa distância, e o polonês Rafal Majka, vencedor da montanha em 2014 e 2016, são as apostas anunciadas esta quarta-feira pela equipe alemã Bora-hansgrohe para a Tour de France 2017.
A Bora-hansgrohe vai procurar o sexto triunfo consecutivo de Sagan na classificação por pontos, enquanto Majka deverá cobiçar a geral, além da classificação dedicada aos escaladores.
"Nós vamos para o Tour com uma equipa muito forte, os desempenhos nas últimas semanas permitem-nos pensar em alcançar objetivos elevados no Tour", advertiu o diretor desportivo Enrico Poitschke ao site da equipe na Internet, na antevisão à 104.ª edição da 'Grande Boucle', a disputar entre 01 e 23 de julho.
-
Eles são veteranos no esporte e desempenharam um papel fundamental para o crescimento do mountain bike brasileiro. Desde a popularização do esporte no país no final dos anos 80 até hoje, a história desses cinco personagens fundem-se com a história do MTB.


Osvaldo dos Santos, o Osvaldão, é uma lenda viva do MTB brasileiro, que com muita humildade consolidou o seu nome como um dos grandes ciclistas de montanha do Brasil. Com muita garra e luta, Osvaldão continua em atividade com muita fibra.

Eduardo "Edu" Ramires atualmente é o "zelador" de uma das pistas de mountain bike mais divertidas do Brasil, no Parque Cemucam em Cotia (SP). Ramires possui um histórico esportivo invejável, do BMX ao MTB, dono de um título mundial amador conquistado no final dos anos 80 quando muita gente ainda nem sabia pedalar. Ramires é também organizador de um dos eventos mais tradicionais do país, o MTB 12 Horas.

Márcio Ravelli dispensa apresentações. Nosso primeiro atleta olímpico de MTB em Atlanta96 é um dos ciclistas mais competitivos, técnicos e de altíssimo rendimento que o Brasil já viu. Não faz muito tempo que ele fundou sua própria competição - GP Ravelli - e também ensina atletas através de clínicas de técnicas.

Bob Nogueira é um apaixonado pelo esporte, que vive o sonho do "lifestyle" da bike. Além de pedalar há 25 anos, Bob fomenta o desenvolvimento do MTB, sempre acreditando em novos projetos e investindo na formação de atletas e equipes.

Mário Roma é um luso-brasileiro que redescobriu o prazer de pedalar no Brasil. O dono de um dos grandes eventos esportivos do América Latina e do Mundo - Brasil Ride - Roma é um dos responsáveis pelo amadurecimento do esporte no país.

O filme tem uma direção do Bike na Mídia e uma produção do Bike.TV.
-
Fonte: https://www.redbull.com/br-pt/assista-doc-masters-do-mountain-bike-2017
Kildare está ansioso para a 9 de Julho (Foto: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press)
A prova ciclística mais importante do Brasil está cada vez mais próxima. Faltando menos de um mês para a 71ª edição da 9 de Julho, os atletas seguem se preparando para a disputa, e o nervosismo está cada vez mais presente, ainda mais naqueles que competirão na categoria aspirante, como é o caso de Kildare Alexander.
Na edição de 2016 da 9 de Julho, Kildare terminou a prova na 54ª colocação na categoria aspirante masculino de 40 a 44 anos, fechando o percurso em 42min44s. Com a proximidade da competição neste ano, o atleta revelou que a ansiedade está aumentando.
“A expectativa é grande, sempre dá aquele frio na barriga, óbvio”, afirmou com exclusividade à Gazeta Esportiva.
O ciclista aspirante também destacou a importância histórica da 9 de Julho, que chega a 71 edições no Brasil. Preparando-se para sua segunda participação na disputa, relembrou que sua relação com a modalidade vem de família, e destacou a ligação forte da competição com a cidade de São Paulo.
“A 9 de Julho sempre foi importante. Meus avôs foram ciclistas e um deles já chegou a subir no pódio da prova, só não lembro o ano, mas ele conquistou uma medalha. Acho que é uma coisa que já virou história, faz parte de São Paulo, e é bastante importante até para a promoção do esporte em si”, declarou.
Por fim, Alexander também destacou a razão pela qual a 9 de Julho surgiu. Como uma forma de homenagear a Revolução Constitucionalista ocorrida no estado de São Paulo em 1932, o jornalista Cásper Líbero criou a prova, que teve a primeira edição em 1933.
“Acredito que, no todo, a história é bem legal, porque a prova foi criada para que o fato histórico da Revolução Constitucionalista pudesse ser visto de uma forma mais positiva. Então, acho que é bem legal, vale a pena”, finalizou.
Confira abaixo algumas fotos históricas da 9 de Julho.
Reprodução de foto histórica da Prova Ciclística Internacional 9 de Julho de 1933. Na foto, ciclistas durante a largada da prova.
Reprodução de foto histórica da Prova Ciclística Internacional 9 de Julho de 1934. Na foto, ciclistas da equipe do Palmeiras durante a largada da prova.
Reprodução de foto histórica da Prova Ciclística Internacional 9 de Julho de 1939. Na foto, ciclistas se preparam para a largada da prova  
O pelotão dutante o percuso
Vitória de Carlos Flores em 1969
-
Fonte: http://www.gazetaesportiva.com/mais-esportes/ciclismo/ciclista-destaca-importancia-da-9-de-julho-faz-parte-de-sao-paulo/
Daniela Genovesi mostrando o resultado de sua conquista
A brasileira Daniela Genovesi conquistou no último domingo o primeiro lugar nas 24h de Michigan, válido pelo Circuito Mundial de Ultramaratonas de Ciclismo. Além de levar a melhor na categoria entre 44 e 49 anos, ela também se sagrou campeã na classificação geral.
A carioca completou 640km em menor tempo que a americana Jessica Anderson. As marcas oficiais ainda não foram divulgadas pela organização. No masculino, o campeão foi o americano Jessop Keene.
Em 2015, Daniela já havia vencido a prova em sua categoria e terminou em segundo no geral. No ano passado, ela não disputou a competição devido a uma lesão no quadril, mas esteve no local para acompanhar suas alunas.
O resultado garante à brasileira 60 pontos no ranking mundial. A pontuação de Michigan é dobrada, por valer título nacional nos Estados Unidos. Em geral, as provas de 24h valem 30.
– É muito difícil ganhar aqui no geral, pois como vale título nacional, as meninas vêm sempre com "amigos de equipe" para dar roda (vácuo). Como vou sozinha, sempre fico em desvantagem – contou Daniela.
A ciclista tem agora como meta a disputa do Volta da Áustria de ultramaratona.
-
Fonte:  https://ndonline.com.br/florianopolis/esportes/daniela-genovesi-conquista-vitoria-dupla-nas-24h-de-michigan
Está cada vez mais comum encontrar pessoas que, apesar de não serem atletas profissionais, viajam para participar de eventos esportivos
O centenário Tour de France é um espetáculo para quem ama ciclismo. Rodrigo La Rosa, 41 anos, foi à França para viver a experiência de pedalar em uma etapa da corrida.
A Etape du Tour é um evento feito para amadores sentirem como é andar nas mesmas estradas e olhando para os mesmos cenários que os ciclistas do Tour. Cerca de 15 mil pessoas participam.
Com amigos, ele viajou para a Europa com o objetivo de completar o Etape. Pedalaram 150 quilômetros pelos Pirineus da França, com a vista das montanhas. Depois de terminarem a etapa, pegaram as bikes e seguiram turistando. Foram até a comuna de Lourdes, um dos principais destinos de peregrinação religiosa na Europa. Segundo Rosa, um dos benefícios de uma viagem de bicicleta é poder fugir do óbvio e parar em lugares fora dos roteiros tradicionais do continente.
— Lourdes surpreendeu, tem todo aquele ambiente religioso. Se não fosse pela etapa, jamais iríamos para lá — diz.
Para fazer turismo de bicicleta, Rosa recomenda primeiro escolher o lugar que quer conhecer e o perfil da viagem que deseja. Ele comenta que os locais que oferecem as opções de viagens de bicicleta ou eventos próprios para a prática contam com boa estrutura e roteiros apropriados para maravilhar os turistas.
Antes de se programar, não esqueça de levar em consideração o preparo físico.
— Tem passeios de bicicleta em vários lugares na Alemanha e na França, alguns passam por castelos, outros, vinícolas. A distância também depende do preparo. Às vezes, é preciso fazer o caminho carregando uma mochila. Quem não pratica um esporte ou tem pouco preparo pode sentir dores — explica Rosa.
Confira mais fotos do Tour de France
Entre Avranches e Mont-Saint-Michel, noroeste da França Foto: JOEL SAGET / AFP
Entre Seraing, na Bélgica, e Cambrai, na França Foto: ERIC FEFERBERG / AFP
Entre Chambery e Gap, no sudoeste francês Foto: JOEL SAGET / AFP
Ajaccio, Mediterrâneo francês Foto: PASCAL POCHARD-CASBIANCA / AFP
Entre Bourg-en-Bresse e Saint-Etienne Foto: LIONEL BONAVENTURE / AFP
Museu do Louvre, em Paris Foto: FRANCOIS GUILLOT / AFP

Le Etape by Le Tour de France

Além da França, o evento Le Etape tem corridas pelo mundo inteiro, incluindo Austrália, Inglaterra, México e Brasil. Pelo site letapebyletourdefrance.com, é possível conferir as datas e os locais. A programação inclui eventos até dezembro deste ano.

Fique ligado

Informe-se sobre serviços extras e de apoio aos atletas. Rodrigo La Rosa indica que há vans que fazem os trajetos junto com os ciclistas.
-
Fonte: http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/viagem/noticia/2017/06/etapa-dotour-de-france-para-amadores-e-chance-de-admirar-belas-paisagens-do-pais-sobre-duas-rodas-9819685.html

O ciclista ribeirãopretano Nicolas Sessler venceu a Volta a Lleida, na Espanha, no último domingo, 18.
O atleta, de 23 anos de idade, foi o melhor em quatro etapas em competição disputada na Catalunha, e ganha elogios de equipe espanhola, que o aponta como principal nome do time.
Para o triunfo, o ciclista precisou do trabalho de equipe, e referendou a vitória aos companheiros, que, com cinco atletas desde o início da última etapa, disputada em Lérida, segurou os competidores adversários, para garantir a vitória ao brasileiro, que terminou a última etapa em 8º.
“Estive muito bem em todas as etapas e desfrutei disso. Sem dúvida, a chave de minha vitória foi o trabalho de equipe”, comentou Sessler, que chegou a ter uma crise de asma na competição, e que diz que só terminou com a ajuda dos companheiros. 
“Depois de muitos chutes, a bola entrou no gol”, comemorou o ciclista.
No tempo geral, Sessler concluiu a Vuelta de Lleida com o tempo de 13h58min37s, apenas três segundos a menos que o segundo colocado.
A equipe Lizarte, do atleta, comemorou o desempenho do ribeirãopretano, dizendo que ele está indo bem na temporada – Sessler estreia na Espanha em 2017, já que antes competia por um time belga – mantendo a regularidade, o apontando como um dos principais nomes da equipe.
-
Fonte: https://www.revide.com.br/noticias/esporte/atleta-ribeiraopretano-vence-volta-de-ciclismo-na-espanha/
Cada tribo na sua área e todos juntos – assim pode se resumir o 4º Desafio FS Cicle e Bike na Estrada – Encontro das Tribos, que acontecerá no dia 9 de julho em Brusque. O evento será voltado para os amantes do ciclismo em todas as categorias e promete reunir público de outros esportes radicais.
O Encontro das Tribos terá competições como: Mountain bike,  Ciclismo de estrada, BMX, Duathlón (corrida/ciclismo) e espaços para atividades físicas e esportes radicais, como zumba, skate e outros.
“O público vai interagir com todos os esportes. Vai ser uma Beira Rio de Lazer”, frisou Tormena.
Para receber todos os participantes e competidores, a organização contará com o espaço da Avenida Beira Rio que será interditada para as provas, do trecho entre o Fort Atacadista e a rótula da Apae, das 8h às 17h. Os estacionamentos em torno do pavilhão e da Arena Multiuso vão concentrar as tendas e palcos do encontro – no local haverá espaços recreativos para crianças e adolescentes.
Para os iniciantes, o destaque será a prova cicloturismo, que terá o percurso até nas imediações da Estrada da Fazenda, com retorno ao pavilhão de eventos, em ritmo de passeio.
“O competidor vai largar e ter o pedal controlado com o grupo (com as mesmas regras da categoria Elite) e fazer o retorno, com chegada e medalha, para ele sentir como funciona uma prova de montain bike”, explicou Maurício.

Inscrições:

CATEGORIA DUATHLON

INSCRIÇÕES PELO SITE FOCO RADICAL OU NA FS CICLE BIKE CENTER
TRAJETO : CORRIDA 5 KM BIKE 20 KM E CORRIDA 2.5 KM
CATEGORIAS :
INDIVIDUAL MASCULINO E FEMININO
REVESAMENTO MASCULINO E FEMININO

MTB MASCULINO E FEMININO

VALOR DA INSCRIÇÃO R$ 40,00
DIREITO A ÁGUA E FRUTA DURANTE O EVENTO
PREMIAÇÃO ATÉ O 5o LUGAR
LOCAL : AVENIDA BEIRA RIO BRUSQUE

INFORMAÇÕES PELO FACE MAURICIO TORMENA , NA FS CICLE BIKE CENTER , EMAIL: TORMENAMAURICIO@GMAIL.COM OU COM A GALERA DA ATRIBRUSQUE
4º DESAFIO FS CICLE E BIKE NA ESTRADA
09/07 BRUSQUE SC

MODALIDADE XCM, PROVA COM 55 KM QUASE TODA POR ESTRADAS DE TERRA , ELEVAÇÃO 300 M PROVA RÁPIDA E MUITO COMPETITIVA ,
PREMIAÇÃO ATÉ O 5o LUGAR , CATEGORIAS
ELITE - MASCULINO E FEMININO
SÊNIOR - 46 ACIMA MASCULINO E FEMININO
MATER - 40 A 45 MASCULINO E FEMININO
ESPORTE - MASCULINO E FEMININO
FEMININO AMADOR
VALOR DA INSCRIÇÃO R$ 40,00

SITE FOCO RADICAL OU DIRETAMENTE NA FS CICLE BIKE CENTER .EM BRUSQUE

Serviços
APOIO DURANTE A PROVA, ÁGUA E FRUTA, NO LOCAL ESTRUTURA COM BANHEIRO ESTACIONAMENTO PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO E MUITA DIVERSÃO PARTICIPANTES DO XCM PODEM PARTICIPAR A TARDE DO CICLISMO DE RUA E DO RACHÃO SEM CUSTO ALGUM.
-
Fonte: http://www.diplomatafm.com.br/portal/esportes/detalhes.php?id=10302
O eslovaco Simon Spilak (Katusha Alpecin) venceu este domingo a Volta à Suíça, ao segurar a vantagem no contrarrelógio final, ganho pelo australiano Rohan Dennis (BMC).
Na nona e última etapa da Volta à Suíça, domínio total da BMC: além de Dennis, que cumpriu os 28,6 quilômetros do 'crono' em 36m30s, o segundo lugar foi para o suíço Stefan Kung e o terceiro para o italiano Damiano Caruso.
Spilak, que tinha a ameaça de Caruso à geral, foi quinto a 51 segundos do vencedor e segurou a vitória na geral individual, com o italiano em segundo e o holandês Steven Kruisjwijk (LottoNL-Jumbo) em terceiro.
O eslovaco voltou a vencer a prova suíça, que já tinha conquistado em 2015, e deu a segunda vitória do dia à Katusha Alpecin.
-
Fonte: http://www.record.pt/modalidades/ciclismo/detalhe/volta-a-suica-simon-spilak-triunfa-e-rui-costa-acaba-em-5-lugar.html
Usar a bicicleta como meio de transporte está mais comum no Brasil. Já são 70 milhões de bikes contra 50 milhões de veículos.

Ainda não chegamos no nível da Holanda, país conhecido pelo uso da bicicleta, mas estamos a caminho. Tem crescido no Brasil o número de pessoas que usam a bicicleta não só para esporte, mas também para trabalhar. No Brasil já circulam mais bicicletas do que carros. São 70 milhões de bikes contra 50 milhões de veículos, segundo a Abraciclo e o IBGE.
“A gente vem de um mercado que era mais restrito aos esportes, e com a ampliação da malha de ciclovias no meio urbano, a gente tem um potencial de crescimento gigantesco”, declara Renê Fernandes, Associação de Ciclistas Urbanos - SP.

É esta mudança de hábito que tem atiçado os novos investimentos nessa área.
Um shopping de bike faz parte de rede de franquias que oferece produtos e serviços para ciclistas. O fundador é um apaixonado por bikes. “Eu comecei no ramo como importador de uma marca alemã, e na sequencia eu fui desenvolver produtos com a nossa marca e trazer pro mercado”, conta Luis Fernando Lucas, empresário.
Como importador, Luis foi conhecendo o mercado e percebeu que havia espaço pra montar no Brasil um tipo de loja já comum em outros países.
“Faltava aquela experiência que existe em outros mercados fora do Brasil, que não é apenas ter a bicicleta, ter a oficina, mas você dar a experiência pro cliente, numa loja conceito, que seja um bike shop, que tenha bons produtos, opções não só de bicicletas, mas de acessórios, vestuário, roupas, principalmente pra mulher”, comenta Luiz Fernando Lucas, empresário.
Paulo Mohriak foi sócio do Luis Fernando Lucas na primeira loja da marca. Hoje é dono da primeira franquia da rede, instalada na Grande São Paulo, onde tem três mil itens de produtos. Uma oportunidade e tanto para todo tipo de público e fornecedor.
Dentro da loja também tem outras boas ideias, como o hotel de bike. “As pessoas deixam aqui, a pessoa mora em apartamento, não tem espaço. Ou só para não ter o trabalho de levar. Deixa, volta, pega e pedala”, diz Luis Fernando Lucas
Tem inclusive roupa de ciclista que dá pra usar pra trabalhar, como por exemplo uma calça estilo social de risca de giz. “É social mas pode ser usada com tênis ou blazer, ela tem um tecido que possibilita pedalar, e quando você vai pra ciclovia você dobra a barra da perna direita pra não raspar nas correntes e nas marchas e ela tem um refletor pra você ser visto na ciclovia à noite", detalha.
A oficina é dentro da loja e não tem vidro. "Justamente pra pessoa ver, dar o palpite, pro mecânico mostrar como é que faz”, mostra Paulo.
O investimento para abrir a franquia é a partir de 290 mil reais. O faturamento médio da loja é de 100 mil reais por mês.
“Em três anos crescemos 30% ao ano”, afirma. "Ainda estamos muito abaixo da média mundiaL no uso da bicicleta, então o mercado vai crescer e muito", declara Luis.
Pedalar faz bem pra saúde, pro meio ambiente e ainda por cima gera negócios.
“Em breve teremos o crescimento dos park showers, para o ciclista estacionar as bicicletas e tomar um banho antes de ir para um compromisso. A gente vê cada vez mais a ascensão do mercado de aplicativos. As pessoas vão poder usar APPs para traçar rotas ou ganhar bonificação, pontos, gameficação em cima do uso de bicicletas”, avalia Renê Fernandes, Associação de Ciclistas Urbanos – SP.
Quem tem comércio perto de ciclovia ou ciclofaixa também pode pegar carona nesse mercado. É só colocar um paraciclo para que o cliente possa parar a bike e consumir os produtos da sua loja.
“O paraciclo não só atrai o ciclista porque ele tem possibilidade de estacionar, mas ele visualiza de longe local que está falando: ‘Vem ciclista’. Recebe de braços abertos, é um sinal de boas-vindas”, comenta Fabio Samore, empresário.
O bar já teve até chuveiro pro ciclista tomar banho. Hoje, tem oficina e vende acessórios. Para montar o negócio, Fabio investiu 700 mil reais.
“Uma pesquisa do departamento de transportes de Nova York, mostra que nas vias onde houve implementação de ciclovias e ciclofaixas, o comércio local teve um incremento de 49% nas vendas”, diz Renê Fernandes, Associação de Ciclistas Urbanos – SP.
Outro mercado que tem crescido com o avanço das bikes é o de roupas para ciclistas.
Claudio Cordiolli montou uma confecção há sete anos. Ele praticava triaton e não achava roupa legal de ciclista no Brasil. “Eu pensei em produzir aqui algo semelhante ao que tinha lá fora, pra atender uma demanda muito específica e não atendida no mercado nacional”, conta o empresário.
Claudio levou seis meses para pesquisar o mercado e montar um plano de negócio. Investiu um milhão de reais nos dois primeiros anos e confessa que a maior dificuldade foi achar tecidos de qualidade no Brasil. “Eu tinha acesso a poucas tecelagens que tinham produtos com boa qualidade pra que nós pudéssemos produzir algo similar”, declara.
Hoje ele só importa o forro. Os demais tecidos são nacionais. As peças são criadas e produzidas na tecelagem. Todas elas com um toque funcional. A confecção fornece roupas para lojas especializadas. Faz vendas pelo e-commerce e também produz uniformes personalizados para grupos de ciclistas.
“O mercado da bicicleta tem potencial de expansão. A gente está vendo ampliação da malha cicloviária nos centros urbanos do Brasil, principalmente, nas grandes cidades. Então cada vez mais podem ser agregados serviços pros ciclistas”, avalia Renê Fernandes, Associação dos Ciclistas Urbanos-SP.
MYND SPORTS WEAR
Rua Antônio Fernandes Pinheiro, 50 – Jardim Cidade Pirituba
São Paulo/SP – CEP: 02941-000
Telefone: (11) 4193-1756
Site: www.mynd.com.br
Email: mynd@mynd.com.br
ARO 27 BIKE CAFÉ
Rua Eugenio de Mederios, 445 – Pinheiros
São Paulo/SP – CEP: 05425-001
Telefone: (11) 2537-1918
Email: aro27@aro27.com.br
Site: www.aro27.com.br
SPORTIX BIKE SHOP
Alameda Araguaia, 272 – Loja 10 – Alphaville
São Paulo/SP – CEP: 06455-000
Telefone: (11) 2680-4538/ 2680-4539
Email: alphaville@sportixbikeshop.com.br
Site: www.sportix.com.br
-
Fonte: http://g1.globo.com/economia/pme/pequenas-empresas-grandes-negocios/noticia/2017/06/bicicleta-envolve-estilo-de-vida-que-gera-oportunidades-de-negocios.html
A segunda etapa da Copa São Paulo Open de Bike Downhill, que será realizada na pista de MTB Asa Delta Racing, em São Vicente (SP), já é aguardada com ansiedade pelos ciclistas da Baixada Santista e região. A competição, patrocinada pela Riachuelo, está marcada para o próximo fim de semana, no sábado e domingo (dias 17 e 18 de junho) e terá a presença de dois atletas locais que foram vencedores de suas categorias na abertura, Lucas Silva, na Sub-30, e Carlos Nascimento, na Máster C.

Para o vicentino Lucas Silva, top 5 da Descida das Escadas de Santos em 2017, a expectativa é grande para a disputa da competição no quintal de casa. "Muito bacana poder correr mais uma prova aqui na pista do morro da Asa Delta. Vai ser uma corrida muito legal e importante para o esporte no Brasil, porque será de alto nível e bem disputada. O mais legal de tudo é ver que agora a Prefeitura de São Vicente e o Governo do Estado estão nos ajudando, com as inscrições gratuitas e o suporte aos pilotos, para todos nós disputarmos o evento", destacou Lucas. "A corrida será um sucesso. Vai lotar de atletas e público. Vamos com tudo", completou.
Além de ser um dos pilotos mais experientes do evento, Carlos Nascimento, mais conhecido como o Minhoca, fala sobre o que haverá de novo no traçado da pista. "Ela estará mais fácil em relação a abertura, devido a presença de vários atletas mais novos e também para ajudar alguns atletas mais veteranos. Terá obstáculos mais difíceis, mas ao mesmo tempo teremos uma segunda linha mais tranquila, em que os pilotos não perderão muito tempo se optarem por ela. Vai ficar bom para quem consegue ir nos obstáculos mais sinistros, mas também mais fácil para quem não consegue e assim a pessoa não fica um tempo tão longe de quem passou no mais difícil. Tem locais que estão muito top agora. Mudou bastante, e para melhor. Convido todos a virem, seja para participar ou para assistir no feriado", contou Minhoca, um dos responsáveis pela manutenção do local.
Teleférico liberado - A organização traz para o atletas um excelente novidade em relação a etapa de abertura, um legado muito valioso deixado pela Copa São Paulo Open de Bike Downhill. Durante os dois dias do evento, os ciclistas subirão de teleférico para o topo do morro, de forma gratuita. Após a competição em São Vicente, poderão pagar uma taxa diária e utilizar-se do teleférico durante todo o dia.
"Não ganhamos o teleférico apenas para a corrida. Agora, quem quiser utilizá-lo, poderá fazer diariamente, pagando uma taxa de 15 reais e subindo até quatro vezes para o topo, se eu não me engano. A galera tinha esse problema, por ter que subir a pé. O teleférico será aberto para os ciclistas todo os dias. De dia de semana a partir das 13h até de noite, e nos finais de semana a partir das 8h. Para quem quiser andar sozinho ou com dois ou três amigos, terá esse adianto de pagar pela utilização do teleférico e subir", contou Minhoca.
"A liberação do teleférico é uma conquista. Já ando lá há sete anos e sempre foi uma vontade nossa. Esperamos que continue assim, com o pagamento de um valor por dia, para nós podermos treinar. Como não tenho carro, com o teleférico dá para treinar mais vezes e evoluir no esporte", comentou Lucas. "Temos vários pilotos locais e nem sempre temos condições de ir para as corridas. Espero que com a valorização da pista, os pilotos também ganhem apoio e incentivo para disputar as principais provas do País. Todo apoio é válido para nós, competidores um esporte que cada vez mais cresce no País", finalizou.
A Copa São Paulo Open de Bike Downhill é um projeto aprovado pela Lei Paulista de Incentivo ao Esporte (Lei 13.918) do Governo do Estado de São Paulo, com o patrocínio da Riachuelo, realização da ONG Associação Progresso, e apoio da Prefeitura do Município de São Vicente, através da Secretaria de Esportes, e da Secretaria de Esportes, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo - SELJ.
Mais informações no site oficial da prova, no perfil do Facebook ou pelo emai: imprensa.copaspdownhill@gmail.com
O eslovaco Peter Sagan (Bora-hansgrohe) impôs-se esta quarta-feira ao sprint em Cevio, no final da quinta etapa da Volta à Suíça 2017, que continua a ser liderada pelo italiano Damiano Caruso (BMC).
O eslovaco, bicampeão do mundo, conquistou o seu 14.º triunfo na corrida helvética, ao bater o suíço Michael Albasini (Orica-Scott) e o italiano Matteo Trentin (Quick-Step Floors), respetivamente, segundo e terceiro na etapa.
Caruso continua a liderar a classificação geral, aumentando ligeiramente a vantagem sobre o holandês Steven Kruijswijk (LottoNL-Jumbo), segundo a 16 segundos, e o esloveno Simon Spilak (Katusha-Alpecin), terceiro a 26.
Na quinta-feira, os 166,7 quilômetros entre Locarno e La Punt vão testar os escaladores, na sexta de nove etapas, com duas subidas com prêmio de montanha, uma delas coincidente com a meta.
-
Fonte: http://www.record.pt/modalidades/ciclismo/detalhe/peter-sagan-vence-ao-sprint-quinta-etapa-da-volta-a-suica.html