NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...
A décima edição da Copa América de Downhill 4X 2018 que se realiza neste final (19 a 21/01), mais uma vez na pista montada no Ski Mountain Park, na cidade de São Roque (SP), Onde os principais pilotos do pais e de destaques do exterior, no masculino e feminino, participarão da disputa. O evento terá transmissão da prova final para todo o país no domingo (21), a partir das 9h15, dentro do Esporte Espetacular.
O atleta ANDERSON DE BARROS SOARES o "DECO", estará representando novamente a cidade de jaguariaíva neste evento que é considerado um dos maiores eventos da modalidade Mountain Bike Downhill do país, juntamente com a Descida das Escadas de Santos.
DECO juntamente com a Equipe TARTARUGAS Racing Team, tem levado o nome de Jaguariaíva-PR e região dos Campos Gerais a diversos eventos e mostrando essa que é a modalidade que é a mais perigosa do mountain bike.
Os pilotos terão de mostrar muita habilidade e ousadia para superar adversários e, principalmente, os desafios de uma pista muito técnica, com cerca de 600 metros, 13 obstáculos e oito wallrides de terra no total. É um traçado novo, rápido e com obstáculos novos, tornando o desafio ainda mais técnico.
ANIMAÇÃO DO PERCURSO COMPLETO
Participarão desta edição cerca de 120 pilotos, 90 no masculino e 30 no feminino, entre os melhores atletas do país, incluindo os destaques do ano e do Brasileiro de Downhill 2017. Serão quatro pilotos do exterior, que competirão no masculino.
VIDEO DE UM POUCO DO TREINO DO "DECO" NA PISTA DE DOMINGO
Todos estes atletas só participam deste evento mediante a um convite especial, ou seja, a coisa não é para qualquer um.
O evento surgiu em 2002 e foi disputado até 2006, retornando em 2014 com a mesma força. Ao longo das nove edições realizadas, os brasileiros têm total supremacia sobre os estrangeiros, com sete vitórias e apenas duas derrotas no masculino. Robson Urubu Santos é o maior vencedor, com três conquistas. No feminino, que começou em 2014, Júlia Santos é o destaque, com três vitórias em quatro edições.
O atual campeão do evento, Anderson Ezequiel, não compete neste ano. Mas o vice-campeão e vencedor em 2014, Lucas Borba, estará na pista.

Como será a prova?

O sistema de disputa prevê que os 24 mais bem colocados na fase de classificação no masculino passarão para as oitavas de final, juntamente com o oito convidados pelo evento. No feminino, as três primeiras da edição anterior estarão classificadas automaticamente para a Prova Principal de domingo, mas deverão participar da tomada de tempo para definição de Cabeças de Chave.
-
VAI LÁ DECO, A CIDADE DE JAGUARIAÍVA e todos os seus amigos estão torcendo por você.


Wallace Miranda em Urubici em 2017 
O Enduro World Series divulgou nesta quinta-feira, 11 de janeiro, a listagem de eventos classificatórios para 2019. Pelo segundo ano consecutivo, O Brasil Enduro Series está presente na lista, com a etapa na cidade de Urubici, em Santa Catarina. São apenas 50 competições no mundo válidas como classificatória, distribuídas em 25 países.

Como funciona

Através de um sistema de ranking das provas classificatórias , atletas associados a Enduro Mountain Bike Association (EMBA), poderão conseguir pontos nas provas credenciadas. Esse sistema foi criado pois a demanda para participar de provas do mundial era muito maior que o número de vagas disponíveis no evento. Em 2017, aproximadamente 300 vagas foram conquistadas através do sistema de eventos classificatórios.

Urubici

A pequena cidade da serra catarinense é um dos locais mais incríveis para pratica do enduro e do mountain bike no Brasil. Já foi palco de duas etapas do Brasil Enduro Series e também do Latino americano da modalidade. Em 2018, a prova promete ser ainda melhor que 2017, com novidades em vários aspectos do evento.
“Estamos muito empolgados por termos conseguido credenciar uma etapa do BES como classificatória do Enduro Series. Sabemos que a demanda para provas classificatórias foi muito grande e estar presente na lista confirma a seriedade de nosso trabalho. Estamos animados, junto com o pessoal de Urubici, em fazer uma bela prova”- comentou Théo Duarte, um dos responsáveis pelo BES.
A etapa de Urubici será realizada no final de semana dos dias 01e 02 de setembro. O restante do calendário será confirmado em breve.
Mais informações no site do Brasil Enduro Series.
O esporte considerado amador de Maringá é realmente uma potência nacional. Isso acontece em virtude do bom trabalho desenvolvido pelos professores-técnicos, a maioria vinculados à Secretaria de Esportes e Lazer (SESP) Maringá e, independentemente de modalidade, anualmente são revelados atletas de qualidade que não se cansam de conquistar títulos representando o município. Com isso, grandes equipes do Brasil ´observam´ o desempenho esportivo maringaense. E, com propostas quase que irrecusáveis, acabam levando algumas ´feras´ de Maringá. Agora, a ciclista Ana Paula Casetta, está deixando a Cidade Canção. Acertou com o Memorial Santos Fupes, da cidade de Santos/SP.
Casetta, que conquistou vários títulos no ano passado e acabou eleita a melhor ciclista de Maringá na categoria Sub-23 em 2017, como divulgado pelo blog, já tem a primeira competição em vista pela nova equipe. De 25 a 28 de janeiro participa do Tour do Uruguai. Depois, de 1º a 4 de fevereiro, tem presença confirmada no Torneio de Verão, em Ilha Comprida/SP.
“Pelo contrato, só vou correr por Santos na temporada, mas vou continuar morando em Maringá. Agradeço o apoio que recebi, foi muito importante para o meu crescimento no ciclismo, e torço para que a equipe de Maringá continue conquistando títulos”.
-
Fonte: http://blogs.odiario.com/orlandogonzalez/2018/01/19/campea-ana-paula-casetta-esta-deixando-o-ciclismo-de-maringa/
A Prefeitura de Araucária, por meio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SMEL), é apoiadora do “Grande Prêmio Aniversário de Araucária de Ciclismo 2018” que ocorrerá em 18 de fevereiro, às 7 horas, no Parque Cachoeira.
A competição, dividida em 20 categorias, é organizada pelo Projeto Pró Bike Brasil e contará com arbitragem da Federação Paranaense de Ciclismo. Araucária completa 128 anos em 11 de fevereiro.
Os detalhes sobre o evento e as inscrições online também podem ser obtidos por meio do da página www.facebook.com/probikebrasil.
As inscrições presenciais (em dinheiro) ocorrem nas lojas credenciadas listadas na página de Facebook citada. O 1º lote de inscrições (online e presencial) ocorre até 09/02 com valor de R$ 65 mais taxa. 
Algumas categorias, por questão de segurança, contam com vagas limitadas.
No caso da categoria KIDS, o valor é de R$ 30 mais taxa. O 2º lote de inscrições ocorre de 10/02 a 16/02 e será apenas nas lojas credenciadas. Para os idosos (acima de 60 anos) há desconto de 50% no valor da inscrição. A organização esclarece que as inscrições são intransferíveis e que não realizará devolução de valores pagos por motivo de arrependimento ou não poder participar do evento. Assessorias, equipes e grupos acima de 10 atletas podem realizar suas inscrições com desconto de 10% através do e-mail probikebr@hotmail.com .
Kit
O kit do atleta é composto de número de identificação, medalha de participação, foto gratuita, seguro de vida e brindes de patrocinadores. A retirada do kit será realizada no dia do evento até 30 minutos antes de cada largada. Os cinco primeiros de cada categoria receberão troféu.
A defesa de Chris Froome, Quatro vezes vencedor da Tour de France, vai alegar que o ciclista britânico sofreu uma disfunção renal, o que explica o excesso de salbutamol detetado na sua urina, revela o jornal L'Équipe.
Froome, campeão do Tour em 2013, 2015, 2016 e 2017, teve um controlo antidoping positivo em setembro do ano passado na Volta a Espanha, que viria a vencer.
O advogado contratado por Froome, o inglês Mike Morgan - que já defendeu Alberto Contador no seu caso de clembuterol - vai recorrer ao testemunho de um grupo de cientistas para dar crédito a essa tese.
É defendido que o salbutamol, princípio do Ventilan, utilizado pelos asmáticos, é metabolizado pelo organismo e passa para o fígado. Depois são os rins que o eliminam através da urina.
Segundo a linha de defesa de Mike Morgan, Froome sofreu uma disfunção renal que provocou que o salbutamol se acumulasse durante vários dias, até ser expelido no dia do controle em questão, na 18.ª etapa, o que explica a concentração de 2.000 nanogramas por milímetro, o dobro do autorizado pela Agência Mundial Antidopagem (AMA).
O L'Équipe adianta que os serviços jurídicos da União Ciclista Internacional (UCI) contrataram um especialista renal para contrariar esta linha de defesa.
-
Segundo nota oficial à imprensa, a Santa Cruz Bikes passará a realizar no Brasil vendas diretamente para o consumidor final, além de continuar o trabalho com seus lojistas parceiros. Para acompanhar a iniciativa, a marca preparou algumas novidades como descontos que podem chegar a até 30% e parcelamento sem juros em até 6 vezes.

A novidade passa a valer a partir de hoje, dia 9 de janeiro de 2018, no site oficial da Santa Cruz Brasil, página que foi reformulada para facilitar a navegação e a escolha dos modelos. Além disso, a Santa Cruz conta com staff dedicado para o atendimento técnico por telefone, email, whatsapp ou presencialmente no showroom da marca em Itaipava, RJ
A Santa Cruz é bastante conhecida entre os que são envolvidos há mais tempo no MTB, mas muitos iniciantes no esporte acreditam que a marca oferece apenas boas bicicletas de Enduro ou Downhill - o que tende a mudar com sistema de vendas diretas e as novas condições.

Vantagens da venda direta

- Redução de preço em até 30% (varia de acordo com os modelos)
- Parcelamento em até 6x sem juros no cartão - podendo fazer em até 18x com juros
- Opção de financiamento próprio mediante aprovação do cadastro
A Santa Cruz ressalta que continuará a realizar vendas através de seus lojistas parceiros, e que as bikes poderão ser encontradas no site e nas bike shops pelo mesmo preço.

Posicionamento Premium

Segundo Andre Sanches, sócio fundador da marca no Brasil, a Santa Cruz foca em bicicletas premium, especificamente em modelos de XC, Trail e Enduro. Com isso, o modelo mais básico não custa menos do que R$ 9.000 - todavia, são utilizados apenas componentes de performance e quadros com garantia vitalícia
"Marcas populares como Specialized, Scott e Trek, por exemplo, têm produtos muito bons, e o nosso diferencial é que focamos nas bikes premium de mountain bike, não atacamos em todas as frentes, focamos no mountain bike", afirmou André. "Exemplo disso são nossas bikes de carbono que são inteirinhas de carbono, nem oferecemos bikes com a pegadinha da traseira de
alumínio", complementou.
Esse posicionamento acabou resultando em um alto reconhecimento da Santa Cruz no mercado internacional, com a marca sendo considerada a melhor em um comparativo feito pelos leitores da revista Enduro Mountainbike Magazine. Além disso, a marca foi a mais votada em inúmeras categorias entre os leitores do site Vital MTB.
Para maiores informações, acesse o site oficial da Santa Cruz Brasil, entre em contato pelo email pedidos@santacruzbikes.com.br, pelo telefone (24) 2222 - 3400 ou pelo whatsapp 99963 - 5381.

Ciclista sobe para a quinta posição na lista dos melhores do mundo do mountain bike. Brasil também cresce no ranking feminino.
 A temporada 2017 foi a melhor da carreira de Henrique Avancini. E deixou frutos para 2018. Nesta quinta-feira, o ciclista alcançou a quinta posição do ranking mundial de mountain bike da União Ciclista Internacional (UCI), a melhor de um brasileiro na história do ciclismo. O carioca de 28 anos comemorou a conquista em suas redes sociais.
 - Tradição a gente constrói. Cultura a gente transforma. Pelos sonhos a gente trabalha. Um sincero agradecimento às pessoas que estiveram ao meu lado na jornada pelo que era considerado surreal. Acredite ou não, tem um Biker brasileiro no Top 5 do Mundo! - postou Henrique, 23º colocado na Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016.
Depois de sofrer com algumas lesões nos últimos anos, Henrique conseguiu fazer um 2017 completo, participando das principais etapas da Copa do Mundo e, em forma, terminou em quarto lugar no Campeonato Mundial da Áustria, em setembro, melhor resultado da história de um atleta da América Latina.
Com 1.311 pontos, Henrique agora só fica atrás do atual campeão olímpico, o suíço Nino Schurter (2.320 pontos), e dos franceses Jordan Sarrou (1,541), Maxime Marrotte (1,460) e Stephane Tempier (1,425). O brasileiro subiu dois postos no ranking desta sexta-feira e superou o tcheco Jaroslav Kulhavy (1.270), atual vice-campeão olímpico e campeão de Londres 2012. Vale lembrar que a posição no ranking mundial define a ordem de largada em todas as competições.

Brasil no top 10 entre as mulheres

O Brasil também cresceu no ranking feminino com Raiza Goulão. O salto dela foi ainda maior do que o de Henrique. Subindo sete posto, ela alcançou a nona posição, entrando pela primeira vez no top 10. Só não é melhor do que a sétima colocação de Jaqueline Mourão em 2003.
- Todos nós vivemos à espera do tal “grande dia”, daquele momento em que se confirmam nossas escolhas e se consagra a dedicação. Na verdade, a vida é composta por vários “grandes dias”. Afinal, atingido um objetivo, nasce o compromisso com uma nova meta, maior, mais ousada. O tão sonhado “top 10” no ranking mundial da UCI eu acabo de alcançar. Agora foi dada a largada para o “top 5”. E vamos pra cima dele! - festejou a ciclista em suas redes sociais.
A ciclista de 26 anos foi a 20ª colocada na Olimpíada do Rio de Janeiro. No Mundial de 2017, ela mostrou evolução com a 14ª posição.

Com 1.185 pontos, Raiza é a melhor ciclista de fora da Europa no ranking. A líder é a ucraniana Yana Belomoina.

O Atual vice-campeão olímpico do ciclismo BMX, o holandês Jelle van Gorkom sofreu um grave acidente durante o treino de terça-feira no centro esportivo nacional de Papendal, em Arnhem. Segundo a confederação de ciclismo da Holanda, o atleta de 27 anos teve costelas quebradas, fraturas na face e uma fissura no crânio, além de danos no fígado, no baço e nos rins.
- Foi um acidente terrível. Desejamos-lhe toda a força no próximo período - disse Jochem Schellens, diretor do centro esportivo nacional de Papendal..

Bas de Bever, técnico da seleção holandesa de BMX, pediu paz e privacidade para a família de Van Gorkom nesse momento difícil
O holandês só ficou atrás do americano Connor Fields na Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016. Um ano antes ele também havia ficado com a prata no Mundial da modalidade, atrás do compatriota Niek Kimmann.
-

O francês Robert Marchand, ciclista centenário que há um ano atraiu os holofotes ao percorrer mais de 22 quilometros em uma hora, vai abandonar a prática esportiva, anunciou nesta terça-feira um amigo. "Seus médicos não querem que ele faça grandes esforços", disse Christian Bouchard, amigo e vizinho de Marchand, confirmando informações do jornal La Marne.
Marchand vai parar de completar voltas no velódromo em busca de novos recordes, apesar de "já ter conseguido todos", acrescentou Bouchard. Robert Marchand estabeleceu os recordes para ciclistas de mais de 100 anos e depois definiu a marca para maiores de 105 anos. As categorias foram criadas especialmente para ele, já que não tem rivais.
Em janeiro de 2017, o ciclista amador percorreu 22,547 quilometros em uma hora, no velódromo de Saint Quentin, em Yvelines. A façanha foi transmitida ao vivo e transformou Marchand em um personagem popular na França. Em agosto, conquistou o título de campeão do mundo de ciclismo em estrada para maiores de 105 anos. A corrida não teve concorrentes.
Buscar novos recordes seria "sofrer muita pressão e tensão", afirmou o presidente do clube de ciclistas de Mitry-Mory, ao qual Marchand está licenciado. "Se pedala, tem que fazer isso para relaxar e por prazer", acrescentou.
Marchand nasceu em 26 de novembro de 1911, em Amiens, e trabalhou como socorrista até idade avançada, em Paris. Antes, morou na Venezuela e no Canadá. Agora, vive em um pequeno apartamento nos subúrbios parisienses. O senhor praticar com sua bicicleta estática diariamente, segundo pessoas próximas.
-
Fonte: http://www.correiodopovo.com.br/Esportes/2018/01/639262/Centenario-ciclista-frances-se-aposenta-aos-106-anos

O ano de 2018 mal começou e Chris Froome já leva mais de mil quilômetros nas pernas. Pelo menos é isso, que é registrado nos dados do perfil do ciclista britânico no STRAVA, uma das aplicações mais utilizadas por atletas profissionais e amadores, tanto de corrida, como ciclismo ou natação (Romain Bardet e Thibaut Pinot são alguns dos ciclistas que já por lá andam).
No total, entre 1 e 7 de janeiro, o britânico percorreu 1082 quilômetros, numa média de 154 quilômetros diários.
Ora, os números poderiam ter sido ainda mais elevados, mas no dia 3 o recente vencedor da Vuelta'2017' decidiu apenas rolar 13 quilômetros. O recorde num só dia neste ano foi batido no dia 7, domingo, quando fez 224,5 quilômetros, a uma média de 37,9 km/h. Já esta semana, Froome percorreu 199,2 quilômetros, esta terça-feira, perfazendo um total de 1281 quilômetros.
Recorde-se que o ciclista britânico se encontra por esta altura a ser alvo de uma investigação por parte da UCI, devido a um controlo antidoping positivo realizado precisamente durante a Vuelta'2017 (na 18.ª etapa), no qual acusou salbutamol em excesso no seu organismo.
-
Fonte: http://www.record.pt/modalidades/ciclismo/detalhe/uma-semana-de-2018-e-froome-jafez-mil-quilometros.html
Vale do Codó 8o. maior canyon do mundo em extensão - escavado pelo Rio Jaguariaíva, que atravessa a Escarpa Devoniana - Jaguariaíva -PR - Foto: Cachoeira do Butiá
No meio do Paraná tem uma pedra. Muitas pedras, uma formação rochosa gigantesca que corta 13 municípios, da Lapa à divisa com São Paulo. É a Escarpa Devoniana, um ecossistema único, que reúne campos nativos, florestas de araucária, afloramentos rochosos, cânions e que guarda tesouros arqueológicos e pré-históricos. Ela faz parte de uma Área de Preservação Ambiental (APA) de 392 mil hectares, cujos limites estão em risco devido a um projeto de lei que tramita na Assembleia Legislativa, propondo a redução de 68% de sua área. Ao longo do ano passado, uma forte reação em defesa da escarpa uniu diversas entidades, as quais têm boas perspectivas para 2018: o texto tem poucas chances de ser aprovado pelos deputados.
O Cânion Guartelá, o maior do Brasil, escavado pelo Rio Iapó, que atravessa a Escarpa Devoniana, paredão que separa o primeiro do segundo planalto paranaense Brunno Covello/Gazeta do Povo/Arquivo
A área é sustentada pela formação furnas, um tipo de rocha que teria sido formada no período devoniano, há 400 milhões de anos, e corta importantes regiões produtivas dos Campos Gerais. De maneira simplista, o embate opõe ambientalistas e ruralistas. Mas o tema é muito mais complexo e já virou até caso de polícia.
Na justificativa do projeto, os autores sustentam que o perímetro da APA da Escarpa Devoniana foi definido em 1992 com “tecnologia pouco avançada na época”. Agora, dizem eles, há dados “mais apurados e confiáveis”. O projeto então, propõe a retirada de 237 mil hectares da APA atual, que correspondem, segundo o estudo, a áreas de agricultura, pecuária e reflorestamento.
Antes mesmo de detalhes polêmicos do estudo virem à tona, entidades de proteção ambiental questionaram o projeto por mudar drasticamente o propósito da APA, que é o de unir produção sustentável com a preservação ambiental. A Lei nº 9.985/2000, que cria o Sistema Nacional de Unidades de Conservação, define que a APA pode ser constituída de terras públicas ou privadas, com o os objetivos de “proteger a diversidade biológica, disciplinar o processo de ocupação e assegurar a sustentabilidade do uso dos recursos naturais”.
O paredão da Santa, em Jaguariaíva, na Serra de Furnas, e seus cerca de 100 metros de alturaDivulgação/Guartelá Filmes

O decreto nº 1231/92, que criou a APA da Escarpa Devoniana, proíbe: agricultura mecanizada que demande alta quantidade de agrotóxicos; reflorestamento com essências exóticas; implantação de atividades potencialmente degradadoras do meio ambiente; e a alteração de sítios arqueológicos e de valor histórico e cultural. Por sua vez, o Zoneamento Econômico-Ecológico (ZEE) da APA, que consta no Plano de Manejo feito em 2004, dividiu a área em 25 zonas, das quais três são de proteção ambiental; 12 áreas de conservação ambiental; oito zonas de usos especiais; e três zonas de proteção especial, caracterizadas pela grande fragilidade ambiental.
Uma moção de apelo, com outra dezena de instituições, tenta convencer os deputados a não aprovar o projeto – o documento está no site www.osultimoscamposgerais.com.br. No mês passado, diversos artistas paranaenses gravaram uma música e um clipe, enfatizando as belezas naturais da área e o criticando o projeto de lei.

FUTURO


As falhas no levantamento que propõe a redução já haviam sido apontadas por pesquisadores. Não há dados sobre a fauna e a flora da região, nem sobre as atividades culturais – o tropeirismo é uma das características essenciais dos Campos Gerais. “No caso da escarpa, ela diz muito a respeito da nossa identidade como paranaense, como sulista. A redução causaria uma descaracterização total da área”, aponta Athayde, do Observatório de Justiça e Conservação.

Crimes ambientais


A imensa área da APA da Escarpa Devoniana é protegida por leis ambientais, mas, na prática, diversas localidades sofrem com a exploração inadequada dos recursos naturais e até mesmo com a extração ilegal.

No fim de dezembro, os ciclistas Bento Aleixo, 40 anos, e Marcelo Vieira, 46 anos, estiveram no Paredão da Santa, em Jaguariaíva, e flagraram a movimentação de blocos de pedra retirados da formação rochosa. “O pessoal deve ter visto que a gente estava chegando e se mandou de lá, não vimos ninguém. Mas as pedras estavam à beira da estrada, para comércio ilegal. É um crime irreversível que está ocorrendo por lá, e é feito à luz do dia. É impressionante a inércia do poder público em relação a isso”, relata Aleixo.

Pedras extraídas ilegalmente encontradas pelos ciclistas Bento Aleixo e Marcelo Vieira, da expedição Ciclo-Tropa Pró-EscarpaArquivo Pessoal

O paredão é um ponto de turismo religioso e que recebe peregrinações e romarias ao longo do ano. Fica a 2 quilômetros da cidade, na Serra das Furnas, e é formado por uma escarpa abrupta de cerca de 100 metros de altura. Os dois ciclistas foram até o local como parte da expedição Ciclo-Tropa Pró-Escarpa, uma das diversas iniciativas lançadas nos últimos meses para divulgar as belezas naturais da região e lutar contra o Projeto de Lei nº 527/2016.

Aleixo e Vieira são policiais militares, e o ciclismo virou mais que um hobby.
“Queremos ser ciclistas funcionais, usar a bicicleta além da diversão. Entendemos que é importante fazer ações e despertar o interesse das pessoas para a bike. A ideia é fazer uma viagem do Pacífico até o Atlântico em 2020, e a cada ano fazemos uma rota preparatória”, conta Aleixo, que nasceu na região do Guartelá, em Tibagi. 
Os dois ficaram sensibilizados pelas notícias recentes de redução da área, e decidiram partir em defesa de uma área sustentável usando um meio de transporte sustentável.

Eles rodaram 540 quilômetros da APA em oito dias pedalando, com o apoio de diversos patrocinadores e apoiadores. Em parceria com o Observatório Justiça e Conservação, definiram a rota para incluir pontos importantes para o tropeirismo.
“Em Castro a gente teve uma aula no Museu do Tropeirismo com uma historiadora e também fomos à Fazenda Capão Alto, que teve um ponto alto para mim. Quando estávamos saindo, chegou um ônibus com estudantes Escola Municipal Fabiana Pimentel, de Castro, e o Aleixo deu uma aula lá, e foi muito bom interagir com eles, falando tanto da Escarpa como das bicicletas”, diz Vieira.

Os dois contam que a expedição feita com bicicletas ajudou a abrir portas: os moradores se interessavam e, sabendo da causa, logo se colocavam à disposição e prestavam auxílio.
“Para os tropeiros, a redução da área é prejudicial, porque isso aumenta as áreas para latifúndio, expulsando os pequenos produtores da terra e acabando com a cultura e tradição no cultivo da terra”, observa Aleixo.

O tropeirismo é uma das mais tradicionais atividades econômicas dos Campos Gerais e pode ser prejudicado com a redução da área da APA da Escarpa DevonianaDivulgação/Guartelá Filmes
 Uma das “pragas” encontradas em boa parte do trajeto foram áreas de reflorestamento com pinus. No próprio Plano de Manejo da APA da Escarpa Devoniana, consta que “este é extremamente prejudicial ao equilíbrio ecológico das comunidades vegetais, especialmente as campestres rochosas”. A literatura científica aponta que essa monocultura causa impacto ambiental negativo, pela acidificação da floresta e consequente diminuição da atividade dos microrganismos no solo, prejudicando também a sobrevivência de animais que ali vivem.

Por outro lado, os viajantes contam que presenciaram atividades exitosas, como as praticadas no Assentamento do Contestado, na Lapa. “Há pouco mais de 100 famílias sobrevivendo da agroecologia, um bom exemplo de que as políticas públicas voltadas para a pequena produção deram certo”, observa Aleixo. Nessa cidade histórica, outro belo exemplo: a Gruta do Monge, com infraestrutura adequada para receber turistas. “A população local usa bastante o local para atividades de lazer e esportivas, aproveitando bem a área. A estrutura que tem ali pode servir de exemplo para outros pontos de interesse turístico dentro da escarpa que ainda não estão bem preparadas”, diz Vieira.

Localização

A Escarpa Devoniana é uma gigantesca formação rochosa sustentada pela Formação Furnas, de idade devoniana (400 milhões de anos), da qual herdou o nome. Ela passa por 13 municípios do Paraná e ao longo da sua extensão apresenta áreas de arenito, florestas, campos, parques e áreas agriculturáveis. O uso do solo pode ser visto com detalhes no mapa.

Flora predominante

A vegetação característica do entorno da Escarpa Devoniana é de campos naturais, que integram o bioma Mata Atlântica. Segundo a publicação Ecossistemas Paranaenses, os campos ocupam 8,4% do território do Paraná. Eles são representados por uma vegetação de gramíneas rasteiras e são habitat de diversos animais, como o lobo-guará.


-
Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/politica/parana/falhas-devem-impedir-aprovacao-de-projeto-que-reduz-a-escarpa-devoniana-10y8d9u52jmfcxnhuin5d5bqj#ancora-1
O final do trajeto deverá somar em torno de 1.600 quilômetros (Foto: Divulgação do Grupo)

Um grupo de ciclistas de Umuarama já está na estrada há longos dias com um objetivo grandioso: chegar a Capital Federal (Brasília), pedalando. A aventura sobre duas rodas chegou nesta terça-feira a cidade de Itumbiara (Divisa de Minas Gerais com Goiás), atingindo os 900 quilômetros. No primeiro dia, foram de Umuarama a Nova Esperança. E no segundo dia atingiram Presidente Prudente, já dentro de território paulista.
Segundo um dos ciclistas, Jeferson Gabriel, o “Jefinho do Esporte”, tudo está sendo muito difícil, cansativo, desgastante, mas a meta será cumprida, com muita força, ânimo e vontade de ver consolidado o objetivo.
“Já passamos por muitas cidades, como Lins, São José do Rio Preto, Penápolis; com muitos trechos complicados, chuva, quebras nas bikes, subidas, mas o grupo está bem, todos estão animados, chegamos no Estado de Goiás; e nos próximos dias estaremos chegando à Capital Federal. Agradecemos a todos aqueles que nos ajudaram no caminho, aos que estão enviando energias positivas e sobretudo a Deus por estar nos propiciando viver este momento”, ressaltou.
Tanto Jefinho como os demais participantes desta “odisseia” sobre duas rodas, são pioneiros e entusiastas do Circuito Vou de Bike, que hoje reúne um grande número de adeptos do ciclismo (MTB) no Estado do Paraná, com circuitos em várias cidades paranaenses, inclusive com etapas já realizadas em Campo Mourão e em várias outras cidades de nossa região.
“O número de praticantes vem aumentando e tenho certeza que por meio de aventuras como esta, vamos empolgando um número ainda maior de pessoas, buscando satisfação pessoal e qualidade de vida”, conclui.
O final do trajeto deverá somar em torno de 1.600 quilômetros. Antes de chegar à Capital Brasileira, os ciclistas passarão ainda por Trindade, um conhecido ponto turístico religioso nacional.
-
Fonte: https://www.tribunadointerior.com.br/noticia/ciclistas-em-uma-viagem-sobre-duas-rodas-que-so-terminara-em-brasilia
A organização do Tour de France anunciou nesta segunda-feira ter convidado as mesmas quatro equipes do ano passado, três francesas (Cofidis, Direct Energie e Fortuneo-Samsic) e a belga Wanty.
Com esta escolha, anunciada pelo diretor da prova, o francês Christian Prudhomme, ficou de fora a nova equipa francesa, atualmente na segunda divisão, Vital Concept, cujo chefe de fila é o francês Bryan Coquard.

Lista das 22 equipas e principais elementos para o Tour de 2018, que se disputará entre 7 e 29 de julho:

- Qualificados diretamente:

AG2R La Mondiale (FRA): Bardet (FRA), O. Naesen (BEL)
Astana (CAZ): Fuglsang (DIN)
Bahrein (BAH): Nibali (ITA)
BMC (EUA): Porte (AUS), Van Avermaet (BEL)
Bora (ALE): Sagan (SVQ), Majka (POL)
EF Drapac (EUA): Uran (COL), Rolland (FRA)
Dimension Data (AFS): Cavendish (GB), Meintjes (AFS)
Emirats (EAU): Kristoff (NOR), D. Martin (IRL)
Groupama-FDJ (FRA): Pinot (FRA), Démare (FRA)
Katusha (RUS): Kittel (ALE), T. Martin (ALE), Zakarin (RUS)
Lotto (BEL): Greipel (ALE)
Lotto NL (HOL): Groenewegen (HOL)
Movistar (ESP): N. Quintana (COL), Landa (ESP), Valverde (ESP)
Mitchelton (AUS): A. Yates (GB), Ewan (AUS)
Quick-Step (BEL): Alaphilippe (FRA), Gaviria (COL)
Sky (GB): Froome (GB), Kwiatkowski (POL), Thomas (GB)
Sunweb (ALE): Matthews (AUS), T. Dumoulin (HOL)
Trek (EUA): Degenkolb (ALE)

- Convidadas:

Cofidis (FRA): Bouhanni (FRA)
Direct Energie (FRA): Calmejane (FRA)
Fortuneo-Samsic (FRA): Barguil (FRA)
Wanty (BEL): G. Martin (FRA)
-
Fonte: http://www.record.pt/modalidades/ciclismo/tour/detalhe/organizacao-repete-equipas-convidadas-para-a-edicao-deste-ano.html
No país do futebol, se aventurar nos gramados é um sonho de quase todos os brasileiros. Porém, não foi o que aconteceu com Rafael Rossi, de 20 anos. O catarinense foi se destacar mesmo nas pistas, ou melhor, nas trilhas de Mountain Bike.
A paixão pelas duas rodas faz parte da vida do jovem desde a sua infância. ”Ando de bicicleta desde os meus 3 anos de idade. É algo que sempre gostei de fazer”, contou.
Com o tempo, a brincadeira foi ficando séria. Aos 15 anos, vieram as primeiras competições. Ali começava uma bonita história no esporte.
”Comecei a competir em 2012, na Maratona de Mountain Bike de São Pedro de Alcântara. Um ano depois, já estava sendo patrocinado pela Prefeitura de Itajaí”, disse Rafael.
Entre a rotina de treinos e corridas, o rapaz começava a ganhar espaço no Mountain Bike catarinense. Em 2015, veio a maior conquista da sua carreira. Ele foi campeão da Volta de Santa Catarina. Além disso, subiu no pódio na etapa de Campo Largo (Paraná) do circuito brasileiro. Com os bons resultados, Rafael chegou a figurar entre os 10 melhores ciclistas do Brasil na categoria Júnior.
Após 4 anos dedicados ao ciclismo, chegou o momento em que o garoto teve que decidir o que iria fazer no futuro. Tendo o seu contrato rompido com a Prefeitura de Itajaí, por falta de verba, o atleta viu a dura realidade do esporte brasileiro.
”Quando eu completei o ensino médio, precisei pensar na minha carreira profissional. Vi que o ciclismo não tem muito incentivo aqui no Brasil. Então seria difícil para eu adquirir uma independência financeira me dedicando apenas ao esporte, que, de maneira geral, possui pouco investimento em nosso País. O futebol é a modalidade mais valorizada. Porém, os demais atletas atravessam dificuldades para atingir o profissionalismo”, explicou.
Atualmente, Rafael faz faculdade de Educação Física e estuda Mecânica Industrial. Mesmo assim, ele não deixa de ressaltar a sua gratidão ao ciclismo. Além disso, incentiva os jovens que sonham em se tornar profissionais do esporte.
”Para quem tem esse sonho, acho que vale a pena lutar, buscar a profissionalização. Aprendi a trabalhar em grupo, conviver com outras pessoas, saber a importância de ajudar o colega. Então, adquiri muita experiência nestes anos. Por isso sou extremamente grato ao ciclismo”, completou.
Essa é a dura realidade não só do nosso esporte e de vários outros em no nosso país.
-
Fonte: https://www.torcedores.com/noticias/2018/01/promessa-ciclismo-catarinense
Projeto "Bauru Em Duas Rodas", da iniciativa privada, disponibilizará gratuitamente bicicletas para passeios a partir do próximo domingo (14/01)
O hábito de pedalar é considerado por médicos, especialistas e preparadores físicos como uma das atividades esportivas mais completas: faz bem para o corpo e para a mente. Pensado nisso, a Bild Desenvolvimento Imobiliário, que conta com cinco empreendimentos imobiliários lançados em Bauru (SP), lança no dia 14 de janeiro (domingo) o projeto “Bauru em Duas Rodas”, que pretende não apenas incentivar a prática esportiva, mas ser uma oportunidade para que todos conheçam a cidade sobre duas rodas. O projeto consiste em emprestar para a comunidade bicicletas por um período determinado e pedalar pela ciclovia da cidade.
O “Bauru em Duas Rodas” começa no domingo (14/01), das 8 às 12h30: uma tenda será montada em frente à academia ao ar livre da Avenida Getúlio Vargas. No local, além de água, frutas e barrinhas de cereais, estarão disponíveis ao público quatro bicicletas (adulto com cadeirinha) e quatro (infantis) - todas na cor laranja. Para a utilização gratuita das bicicletas, por um período de uma hora, será necessário a apresentação e empréstimo do documento oficial com foto. “Assim será possível retirar uma bicicleta para passear nas ciclovias da Getúlio e adjacências. Após o passeio, na devolução da bicicleta, o documento é entregue ao usuário”, explica Mauri Leite, diretor da Bild em Bauru.
O projeto que funcionará todo domingo faz parte dos valores da Bild Desenvolvimento Imobiliário em incentivar e oferecer à população bem-estar alinhado à melhora da qualidade de vida e o desenvolvimento econômico e social das cidades em que atua.

SERVIÇO

Bauru Em Duas Rodas
Quando: a partir do dia 14/01/2018
Horário: das 8h às 12h30
Onde: Avenida Getúlio Vargas, em frente a academia ao ar livre
Participação gratuita e aberta a população. *Condicionada à disponibilidade dos equipamentos e ao empréstimo de documento com foto.

VANTAGENS EM PEDALAR PELA CIDADE

- Assim como toda atividade física, andar de bicicleta auxilia no emagrecimento, é realizada com baixo impacto ambiental e pode, quando seguido os protocolos de segurança, ser utilizada como meio de transporte. Ou seja, a prática além de ser uma ótima opção de lazer, pode ser realizada em grupos de amigos ou familiares e é uma boa oportunidade para deixar o sedentarismo de lado e viver com mais saúde e disposição.
· Sem estresse: pedalar é uma ótima pedida para aumentar o bem-estar. Durante a prática, o organismo libera alguns hormônios que garantem um aumento da sensação de prazer. O resultado? Mais alegria, sensação de bem-estar e diminuição do estresse.
· Postura: dores musculares muitas vezes estão relacionadas com a má postura. E as pedaladas mexem diretamente com a musculatura inferior e do abdômen, o que ajuda na melhora da postura. Além disso, a prática fortalece os músculos das costas.
· Condicionamento: por ser uma atividade aeróbica e de resistência muscular, andar de bicicletas também ajuda na melhora do condicionamento físico.
· Coração mais forte: durante as pedaladas, os batimentos cardíacos são acelerados. Isso, feito com regularidade, tem o poder de fortalecer o coração. Uma ação preventiva contra uma série de doenças.
· Baixo impacto: em cima de duas rodas, o peso do corpo é distribuído sobre os membros inferiores. Com isso, o impacto sobre as articulação é mínimo. Por isso, pedalar é um ótimo exercício para quem não tem o hábito de se exercitar.
· Segurança: quando feita de maneira correta, oferece poucos riscos de acidente. E, mesmo quando ocorrem, o uso de equipamentos – como capacete e joelheira – garantem a proteção. Além disso, o indicado é pedalar sempre no sentido dos veículos, respeitar sinalizações e limites de velocidade e deixar claro para os pedestres, ciclistas e motoristas a sua intenção de movimento.
-
Fonte: http://www.segs.com.br/eventos/98083-avenida-getulio-ganha-acao-de-ciclismo-bauru-em-duas-rodas.html