NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...
Projeto-piloto é implementado em povoado no oeste do país. Pavimento de pastilhas fotovoltaicas transforma velha pista de ciclismo em fonte de energia limpa, que ainda absorve ruídos e faz a neve sobre a via derreter.
Plantações à direita, casas à esquerda e, no meio, uma ciclovia serpenteia através do bairro de Liblar, em Erftstadt, cidade cerca de 30 quilômetros a sudoeste de Colônia. Dois ciclistas sacam seus celulares para fotografar a placa de sinalização: "Inauguração da primeira rota solar da Alemanha".
Muitas pastilhas solares feitas de vidro laminado nodoso formam um tipo de tapete sobre o asfalto. "Esta é uma ciclovia de 35 anos, com desníveis e raízes de árvores", diz o inventor do tapete solar e fundador da startup Solmove, o engenheiro Donald Müller-Judex. "Nós a cobrimos do jeito que estava, colando células fotovoltaicas sobre ela." Usar a ciclovia já existente constitui uma grande vantagem da nova tecnologia, já que construir uma via é bem mais caro.
Cada uma das pastilhas, de 10 por 10 centímetros, é uma célula solar, que é interligada eletricamente e mecanicamente às outras, formando um tecido flexível. Uma camada de borracha absorve o som e conecta o tapete com a parte inferior.
Malha de células fotovoltaicas que cobre ciclovia é autolimpante
Müller-Judex teve a ideia há alguns anos, quando procurava espaços abertos para sistemas solares na região do Allgäu. Todos os telhados com características apropriadas já estavam ocupados, mas havia muitas ruas pouco movimentadas iluminadas pelo sol. Segundo ele, somente na Alemanha há 1,4 bilhão de metros quadrados de ciclovias disponíveis para a produção de energia, situadas em locais de pouca sombra. Essa áreas poderiam ter, assim, dupla utilização.
Nos módulos horizontais, a radiação solar não é ideal para produção fotovoltaica. "A estrada solar gera menos eletricidade do que o modo tradicional, sobre o telhado", explica o pesquisador Lukas Renken, da Universidade Técnica da Renânia do Norte-Vestfália (RWTH), em Aachen. O instituto onde ele pesquisa testou em laboratório o revestimento criado pela Solmove, assim como tecnologias semelhantes, como a SolaRoads, da Holanda.
Usinas de geração de energia em rodovias estão surgindo em diversos países, e os projetos diferem sobretudo na construção e na disposição dos painéis.
Renken vê benefícios sobretudo na multifuncionalidade da nova pavimentação: os ladrilhos permitem a associação com circuitos de aquecimento para o inverno, iluminação LED e também de circuitos de indução para o carregamento de veículos elétricos, ou até mesmo de sensores para monitorar e controlar o tráfego – para fazer funcionar, por exemplo, um semáforo.
Na ciclovia solar, a administração da cidade não precisa gastar com o serviço de limpeza de neve e gelo durante o inverno. A pista se autodescongela com a eletricidade gerada por ela mesma. O restante da energia vai para a rede e pode ser consumida pelos moradores locais. Müller-Judex avalia que poderão ser gerados cerca de 15 mil quilowatt-hora (kWh) por ano, mais ou menos o consumo de uma família de quatro pessoas na Alemanha.
"Nós vamos, nos próximos meses, olhar para o monitor e comparar os rendimentos com a produção fotovoltaica normal, vai demorar dois a três invernos só para testarmos a calefação." Também será necessário algum tempo para se saber como o sistema resiste à geada, à sujeira e ao peso do trânsito.
A superfície deve ser autolimpante devido à estrutura de nódoas: a sujeira se acumula nas junções e é lavada pela chuva. Mas isso funciona na prática? "Há certas coisas que não conseguimos testar em laboratório", pondera Renken.
A construção-piloto, de 90 metros de extensão e cerca de 200 metros quadrados, custou cerca de 800 mil euros e foi financiada pela Iniciativa Nacional para Proteção do Clima, do governo alemão. A ministra alemã do Meio Ambiente, Svenja Schulze, se disse satisfeita por não precisar ir a Amsterdã ou Copenhague – duas das cidades mais famosas do mundo pelo amplo uso de bicicletas para o transporte urbano – para conhecer um exemplo de inovação ambiental.

Apoio estatal

Müller-Judex pede mais apoio estatal para startups de tecnologia limpa. "O que recebemos de incentivo é cerca de um décimo do disponibilizado na França ou na China", afirma, lembrando que, nesses países, estradas solares são construídas em grande estilo. Até 2020, a startup Wattway instalará na França mil quilômetros de rodovias para produção de energia solar. Para financiar o projeto, o governo aumentou o imposto sobre a gasolina.
A administração de Erftstadt também está fazendo muito para reformar sua malha de ciclovias, assumindo cerca de 10% dos custos. "Temos muitos caminhos históricos e antigas linhas ferroviárias para escoamento de minério e investimos muito dinheiro nelas", diz o prefeito Volker Erner. "Há três anos ninguém teria pensado que tal coisa seria possível." A ciclovia solar também é um projeto que serve de contraponto à exploração de minério de carvão nas proximidades.
Críticos do projeto dizem que, com o mesmo dinheiro, poderiam ser construídas ou renovadas inúmeras ciclovias convencionais. Já antes da inauguração, vândalos quebraram algumas pastilhas de vidro. Mas é claro que a pista de teste é muito mais cara do que uma rota solar produzida em grande escala.
Müller-Judex avalia que, com produção em série, o custo será de 250 euros por metro quadrado, e esse investimento daria retorno de 12 a 14 anos. Depois, o pavimento geraria eletricidade por mais dez anos. A longo prazo, a ciclovia solar deve ser mais barata que a normal, que só tem custos.
A demanda já é alta, especialmente no exterior. Na China, ônibus devem percorrer 190 quilômetros nos Jogos Olímpicos de 2022 e se carregarem indutivamente. Esta rota pode ser pavimentada com os módulos da Solmove.
-
Fonte: https://www.climatempo.com.br/noticia/2018/11/21/alemanha-testa-ciclovia-geradora-de-energia-solar-8900
Pedalar pela usina à noite: passeio irá proporcionar aos participantes uma experiência nova
Por Itaipu Binacional

A última edição de 2018 do Circuito de Ciclismo, promovida pela Coordenadoria de Turismo da Itaipu Binacional, irá proporcionar aos participantes uma experiência nova: pedalar pela usina à noite. O passeio especial será no sábado (24), às 20h. Além da novidade do horário, a edição de novembro também homenageará o ciclista iguaçuense Altair de Carvalho, falecido há dois anos.
A edição noturna será gratuita e as inscrições ainda estão abertas por meio do link https://goo.gl/YVmuyX. O número de participantes é limitado e o prazo é até amanhã, sexta-feira (23). Quem já se cadastrou no formulário divulgado pela Altair Cycles não precisa se inscrever de novo.
Para participar é necessário ter mais de 10 anos de idade. Menores de idade precisam estar acompanhados pelo pai, mãe ou responsável legal. O uso de capacete é obrigatório para todos os ciclistas, assim como é necessário apresentar um documento de identificação com foto no início do passeio.
A pedalada terá cerca de 20 km, com início na Barreira de Controle. A primeira parada será no Mirante Central, com a Iluminação da Barragem. De lá, os ciclistas seguem ao Porto Kattamaram e depois até o topo da barragem, na cota 225, para contemplar o fenômeno da lua cheia.
O Circuito de Ciclismo é realizado desde maio, com o objetivo de abrir as portas da usina para a turma do pedal.
Segundo Aline Teigão, da Coordenadoria de Turismo de Itaipu, a ideia é que os participantes tenham outra experiência. “Sempre buscamos alterar o trajeto, apresentar outras novidades, e, desta vez, pensamos numa edição noturna. É outro visual para ser contemplado pelos ciclistas”, disse.
Durante o trajeto de quase uma hora na usina, foram várias paradas para fotos e selfies (Foto: Divulgação )
A chuva da manhã desse ultimo domingo (18/11) não foi impedimento para que cerca de 500 ciclistas participassem do Circuito de Ciclístico do Sest-Senat, na Usina de Itaipu, em Foz do Iguaçu.
Durante o trajeto de quase 1 hora, foram várias paradas para fotos e selfies. O momento mais esperado por adultos e crianças, veteranos e iniciantes no mundo do pedal, foi a parada no Mirante do Vertedouro da Itaipu.
Renato Ribas veio de Santa Terezinha para participar do passeio com família toda: a mulher Cleci e as duas filhas Ana Carolina de 12 anos e Vitória de três anos.
“Gostamos de pedalar, mas o trajeto do circuito foi o que mais chamou minha atenção. Não conhecia Itaipu. Esta foi a oportunidade que encontrei”, disse.
Passeio tem como objetivo estimular a prática de atividade física - foto Divulgação
Soraia Benites já é adepta do ciclismo. Ela participa de um grupo de pedal há dois anos. Desta vez, convenceu o marido Eduardo e a filha Emanuelly, de 10 anos a participar. “Emprestamos duas bicicletas e viemos. O pedal é superação. É a qualidade de vida. É união”, disse.

O casal Leonardo e Mayara Abril encontrou no pedal um laço que fortalece ainda mais a união deles. “Pedalamos de duas a três vezes por semana. Melhora o sono, o condicionamento físico e os relacionamentos”, contou Leonardo.
Ao final do circuito, já com pouca chuva, as crianças se divertiram no espaço kids enquanto os adultos aguardavam o sorteio de brindes. Além de bicicletas, foram sorteados, perfumes e passeios nos atrativos turísticos de Foz.
 Evento contou com epaço kids e sorteio de prêmios - foto Divulgação

Qualidade de vida

O Circuito Ciclístico faz parte do Programa de Esporte e Lazer, do Sest-Senat, cujo objetivo é estimular a prática da atividade física, a busca por mais qualidade de vida para o trabalhador do transporte e seus dependentes.
Segundo Eraldo de Oliveira, diretor da unidade de Foz do Sest-Senat, a proposta da instituição é cuidar da saúde do trabalhador. Uma das alternativas encontradas foi promover o circuito ciclístico, uma atividade física que remete à infância. “A maioria dos trabalhadores do setor é muito sedentária, pois ficam muito tempo sentados. Com o ciclismo, conseguimos movimentar esse pessoal de forma saudável e, acima de tudo, junto com a família”.


Adultos e crianças curtiram o pedal no interior da usina - foto Divulgação
Oliveira destacou que a unidade de Foz tem um diferencial. “Procuramos participar de todos os projetos da instituição. Das centenas de unidades do Sest-Senat pelo Brasil, Foz do Iguaçu foi uma das 17 cidades escolhidas para receber a 2ª edição do Circuito Ciclístico. A meta do projeto é até o final do ano, movimentar 13 mil pessoas.
A iniciativa contou com o apoio da Itaipu Binacional, Rádio 97,7, Loumar turismo, Cataratas S.A, Óticas Carol, La Petisquera, Pomare, Kattamaram 2, Hotel Recanto Cataratas, BESS, Sax, Sicoob e Altair Cycles.
-
Fonte: https://www.h2foz.com.br/noticia/500-ciclistas-participaram-do-circuito-sest-senat-na-itaipu
Um giro pelas ciclorotas de São Luiz do Purunã, com uma pitada de tropeirismo.
Sob o comando da ciclista CYNTHIA DUARTE, o programa PEDALA PARANÁ além de divulgar todas as possibilidades possíveis de mobilidade urbana, cicloturismo e a cultura da bicicleta no Estado do Paraná.

ASSISTA O EPISÓDIO Nº4


O programa PEDALA PARANÁ é exibido pela TV PARANÁ EDUCATIVA todo domingo as 19:00 e tem suas reprises na terça-feira às 08:30 e no sábado as 17:30.
Ladeira abaixo, descendo através o charme da Serra da Graciosa e desfrutando das belezas e da deliciosa gastronomia das cidades de Antonina e Morretes, mostrando as melhores rotas para pedalar seguro e contemplando as melhores paisagens.
Sob o comando da ciclista CYNTHIA DUARTE, o programa PEDALA PARANÁ além de divulgar todas as possibilidades possíveis de mobilidade urbana, cicloturismo e a cultura da bicicleta no Estado do Paraná.

ASSISTA O EPISÓDIO Nº3


O programa PEDALA PARANÁ é exibido pela TV PARANÁ EDUCATIVA todo domingo as 19:00 e tem suas reprises na terça-feira às 08:30 e no sábado as 17:30.
Neste segundo episódio do Pedala Paraná, Cynthia Duarte desbrava duas cidades que ficam pertinho da Capital... Piraquara e Quatro Barras.
Sob o comando da ciclista CYNTHIA DUARTE, o programa PEDALA PARANÁ além de divulgar todas as possibilidades possíveis de mobilidade urbana, cicloturismo e a cultura da bicicleta no Estado do Paraná.

ASSISTA O EPISÓDIO Nº2


O programa PEDALA PARANÁ é exibido pela TV PARANÁ EDUCATIVA todo domingo as 19:00 e tem suas reprises na terça-feira às 08:30 e no sábado as 17:30.
# Modalidade também vai contribuir para atrair mais turistas para a cidade
-
O fomento ao esporte como ferramenta para atrair mais turistas. Com esse objetivo, a prefeitura está planejando um conjunto de ações para estimular a prática do Mountain Bike (MTB) em Petrópolis.
Nesta terça-feira (06.11), o prefeito Bernardo Rossi esteve reunido com Henrique Avancini, atleta petropolitano campeão mundial de MTB cross-country maratona, no Parque Natural Municipal Padre Quinha, na Av. Ipiranga, para analisar a possibilidade de utilizar um trecho das trilhas existentes no local para a modalidade. A ideia é preparar o espaço para receber as bicicletas, de forma que não ocorram prejuízos ambientais, trazendo uma nova opção de entretenimento para os moradores da região.
“Queremos fazer no Parque Natural uma pista para o lazer dos petropolitanos e não um espaço para competições. O mountain bike é uma modalidade que está crescendo em todo o país e a nossa cidade conta com um campeão mundial, que vai nos ajudar fomentando a modalidade em Petrópolis. Também é uma forma de atrair os praticantes de todo o país para o município, estimulando também o comércio em geral com a vinda de mais turistas”, pontuou o prefeito Bernardo Rossi.
A parceria com o atleta também vai render frutos em outros pontos do município. Avancini recomendou quatro pistas na cidade, que estão sendo chamadas de “polos”, onde serão feitas ciclorrotas: em Secretário, Vale do Cuiabá, Vale das Videiras e Vale Florido. O objetivo principal é preparar os locais para que os praticantes percorram as trilhas de maneira autônoma, sem a utilização de serviços de guia ou de GPS. Para isso, os locais vão receber sinalização específica para fortalecer o esporte e ainda atrair visitantes.
“A ideia é que o poder público faça a marcação e a divulgação dessas rotas, para trazer o turismo até esses polos. A ideia é sinalizar para que as pessoas consigam usar esses locais de forma espontânea e conheçam a área em segurança. São rotas seguras. A ideia é oferecer esse primeiro contato para o visitante de fora, mas fazer com que a comunidade abrace esse novo consumidor e comece a oferecer serviço. Então o objetivo é oferecer uma nova modalidade de turismo pra cidade ou pelo menos fomentar uma que já existe, só que não é estruturada”, explica Avancini.
As conversas entre o atleta e a prefeitura já acontecem há cerca de um ano. Os projetos foram avaliados pelo próprio prefeito, além da Turispetro e a Superintendência de Esportes e Lazer.
“A pista de Secretário já está autorizada e os trabalhos vão começar ainda este ano. Mas temos também um segundo projeto com o Avancini, que é o Pump Track no Parque Municipal, em Itaipava. Pretendemos começar a construção no ano que vem. Isso é muito importante porque é um benefício que atinge tanto o turista quanto o petropolitano. E nos ajuda a divulgar o circuito de ecoturismo”, frisa o secretário da Turispetro, Marcelo Valente.
A Pump Track é uma pista de circuito contínuo, considerada a mais democrática da modalidade. “Hoje temos poucas pump track asfaltadas no Brasil. É uma pista muito legal para quem gosta de bike, mas que permite a utilização de skate, patins, patinete, entre outros. Petrópolis será uma referência para o país no investimento em Mountain Bike”, garante Hingo Hammes, superintendente de Esportes e Lazer.
Participaram do encontro o vice-prefeito Baninho; os secretários de Meio Ambiente, Renato Couto; de Obras, Ronaldo Medeiros; de Administração e Recursos Humanos, Marcus von Seehausen; de Serviços, Djalma Januzzi; o comandante da Guarda Civil, Jeferson Calomeni; o coordenador do Procon, Bernardo Sabrá; o diretor técnico e operacional da CPTrans, Luciano Moreira; o presidente da Câmara Municipal, Roni Medeiros; além de representantes da Águas do Imperador.
-
Fonte: http://diariodepetropolis.com.br/integra/prefeitura-planeja-acoes-para-estimular-a-pratica-do-mountain-bike-em-petropolis-157968
O programa Vida de Biker, do Campeão Mundial de Mountain Bike Maratona, Henrique Avancini, mostrará os bastidores do atleta na etapa de Araxá da CIMTB Levorin de 2018. O episódio inédito foi ao ar nesta terça-feira (06/11) às 21h30 no canal Off e mostrou a pré prova e os bastidores da etapa. O programa Vida de Biker está na segunda temporada.

Abaixo você confere o horário de estreia e as reprises.
Terça-feira (21h30) – Programa Inédito
Quinta-feira (8h30) – Reprise 1
Quinta-feira (00h) – Reprise 2
Sexta-feira (7h) – Reprise 3
Sexta-feira (1h) – Reprise 4
Sábado (13h) – Reprise 5
Sábado (20h) – Reprise 6
Sábado (2h) – Reprise 7
Domingo (15h) – Reprise 8
Domingo (21h30) – Reprise 9
Segunda-feira (12h30) – Reprise 10
Segunda-feira (1h30) – Reprise 11

CIMTB Levorin 2018

A CIMTB Levorin conta pontos para o ranking mundial, da União Ciclística Internacional (UCI), fazendo parte do ciclo Olímpico Tóquio 2020, ranking Brasileiro e Mineiro.
Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 23ª Edição em 2018. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Sense Bike e Audax.
#Pepe Fiamoncini iniciou a arrecadação de doações em Porto Alegre e concluirá o percurso no do Rio de Janeiro (RJ), no dia 23/12. Com este foco, a iniciativa é pioneira no Brasil.
-
Ajudar a transformar vidas depende apenas de uma atitude e o engajamento de todos aqueles que acreditam na causa. Com esta filosofia, o ciclista e aventureiro, Valmor Giuseppe Fiamoncini, 27 anos, conhecido popularmente como Pepe, resolveu pedalar para ajudar pessoas com deficiência física voltar a praticar esportes. Por meio do projeto “Pedale por aqueles que AINDA não podem”, Pepe vai percorrer 3 mil km, de Porto Alegre ao Rio de Janeiro, para arrecadar doações, de forma independente, em prol das instituições Associação Desportiva para Deficientes (ADD) e Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação (ABBR). Com este foco, a ação é pioneira no Brasil.
Pepe Fiamoncini é conhecido por sua participação ativa nas mídias sociais. Além de pedalar, ele pratica montanhismo, já tendo escalado algumas montanhas andinas, como o Ojos del Salado. Ele é irmão de Moeses Fiamoncini, que recentemente fez cume no Manaslu, a oitava montanha mais alta do mundo com 8156 metros de altitude no Nepal.
A aventura que iniciou no dia 01/10, abrangerá cinco estados do Brasil, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. A previsão de chegada à capital carioca é para o dia 23/12. O esportista já pedalou 1150 km do percurso e arrecadou até agora um pouco mais de R$ 5 mil.
A iniciativa de ajudar no desenvolvimento destas pessoas surgiu após um passeio de ciclismo, em que o blogueiro percebeu que muitas pessoas não têm as mesmas oportunidades de experiências dessa natureza.
 “Estou arrecadando doações, nas ruas, nos parques, nos sinais de trânsito e promovendo pedaladas conjuntas pelas cidades, além de visitar centros de tratamentos de pessoas com deficiência”, destaca Pepe.
De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atualmente no país 45 milhões de pessoas possuem algum tipo de deficiência e 1,3%, são deficientes físicos. Deste percentual, 47%, ou seja, quase metade dos deficientes físicos do país sofre com grau intenso de limitações.
A experiência, segundo Pepe, começou com grandes expectativas e até o momento está gerando novas experiências de vida. “A cada dia me surpreendo com os lugares que passo e principalmente com as pessoas que conheço. Tenho certeza que não estou ajudando apenas deficientes, mas sim, todos aqueles que estou me conectando”, enfatiza.
Para quem deseja apoiar a causa, basta acessar o link https://www.vakinha.com.br/vaquinha/pedale-por-aqueles-que-ainda-nao-podem, e contribuir com qualquer quantia. O Pepe também esta fazendo um “Diário de Bordo” da viagem e todo o conteúdo pode ser acompanhado nas redes sociais, no perfil @pepefiamoncini.

Sobre ambas instituições

A Associação Desportiva para Deficientes (ADD), há 22 anos, auxilia pessoas de todas as idades no desenvolvimento pessoal, por meio do esporte. Atualmente conta com 71 atletas de alto rendimento, 270 jovens que estão iniciando nos esportes e 12 atletas paralímpicos. As modalidades ofertadas são basquete, atletismo, ciclismo, vôlei, natação entre outras. A instituição tem o apoio de 250 voluntários. Já a Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação (ABBR), fundada em 1954, é referência no tratamento de deficientes físicos em mais de 12 setores. Além do centro de reabilitação possui oficina ortopédica para fabricação de próteses, órteses e calçados. Ao todo, 1.357 pacientes são atendidos por dia, contabilizando 550.000 atendimentos terapêuticos por ano. Em 2017, foram realizadas 50.416 consultas ambulatoriais e terapêuticas, em 14 unidades de tratamento.
-
Fonte: http://altamontanha.com/ciclista-pedalara-3mil-km-para-ajudar-pessoas-com-deficiencia/
A Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) anunciou os critérios que irá adotar de classificação e convocação da equipe brasileira dos dois naipes (masculina e feminina) do BMX Freestyle Park para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Os critérios de classificação são específicos da Confederação de Ciclismo Internacional (UCI) e os de convocação da própria CBC.
Critério de classificação UCI
– Total de vagas por nação: 8 vagas + 1 vaga por país sede;
Obs: Caso o país sede já esteja classificado pelo primeiro critério (Ranking de Nações UCI), a referida vaga será remanejada para a próxima nação de acordo com o ranking UCI.
– Máximo de (2) dois atletas por nação;
– O atleta deverá ter o mínimo de 10 pontos no ranking UCI.
Classificação por Ranking de Nações
A classificação da nação será determinada pela soma dos dois melhores atletas da categoria elite no período de 01/11/2018 a 11/05/2020. O período contempla dois campeonatos mundiais (as edições de 2018 e 2019), os seis melhores resultados em copas do mundo, os seis melhores resultados em em provas Classe C1, um campeonato continental (mais próximo do evento), e um campeonato nacional (2019).
– Nação na 1ª colocação terá duas (2) vagas;
– Nações da 2ª a 5ª colocações terão direito a uma (1) vagas;
Classificação por Vagas diretas
O Campeonato Mundial de 2019 (Masculino e Feminino) irá disponibilizar uma (1) vaga diretas para as duas primeiras nações. Para ser contemplada, a nação não pode estar inserida no primeiro critério (Ranking por Nações UCI).
Critério de Convocação CBC
Para preenchimento das vagas, a confederação adotará os seguintes critérios:
– Melhores atletas ranqueados na UCI ao final do período de classificação, levando em conta 10% de variação de pontos entre esses atletas. Existindo esta margem, será aplicado automaticamente a análise de pesos.
– Análise de pesos: Campeonatos Mundiais e Copas do Mundo receberão peso dois (2), enquanto todas as demais competições terão peso um (1).
O primeiro período de ranking classificatório UCI será peso um (1) e o segundo período de ranking classificatório UCI será peso dois (2).
– Critério técnico: Clínico (médico), Doping e Ética.
-
Fonte: https://www.olimpiadatododia.com.br/ciclismobmx/101183-confederacao-divulga-criterios-do-bmx-para-toquio-2020/
#Competição será realizada no mês de maio de 2019 e contará pontos na corrida da modalidade para os Jogos Olímpicos de Tóquio.
-
A Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) confirmou a realização do Campeonato Pan-Americano de BMX para a cidade de Americana (SP). Após reunião com a Prefeitura da cidade nesta semana, ficou definido que a competição será entre 25 e 26 de maio de 2019. O local definido, portanto, é a pista do Complexo Esportivo Ayrton Senna.
Os melhores pilotos das Américas estarão presentes no torneio, pois também somará pontos para a corrida classificatória para Tóquio-2020. O Pan estará promovendo disputas em todas as categorias oficiais da União Ciclística Internacional (UCI). Além disso, também acontecerão as categorias promocionais visando o fomento da modalidade.
O coordenador da disciplina na CBC, Kleber Santos, representou a confederação na reunião e destacou a importância do evento no país.
“Trata-se de uma competição de muita relevância para a modalidade. São esperados mais de 800 pilotos de vários países, além de um grande público que sempre acompanha as competições. A realização do Pan confirma o grande potencial que o Brasil tem para realizar grandes eventos. Os nossos atletas terão uma grande oportunidade de disputar um título continental em casa, contando com o apoio massivo da torcida brasileira”, declarou Kleber.
-
Fonte: https://www.olimpiadatododia.com.br/ciclismobmx/103939-pan-americano-bmx-americana/
Holandês Jeroen van Eck e alemão Simon Gegenheimer estão inscritos na etapa. Evento acontece nos dias 24 e 25 de novembro
A Copa do Mundo de Eliminator vai levar os amantes do mountain bike a sentirem o gosto emocionante de uma competição mundial. Diversos atletas vêm da Europa buscando fechar o campeonato com o melhor resultado possível. Este é o caso do holandês Jeroen van Eck (Vaneck Racing) e do alemão Simon Gegenheimer (ROSE Vaujany fueled by ultraSPORTS). Os dois, que estão em primeiro e segundo lugares no campeonato respectivamente, já se inscreveram na etapa de Congonhas. A competição acontece nos dias 24 e 25 de novembro. Acesse e se inscreva.
Tanto Jeroen quanto Simon correram todas as seis etapas que aconteceram nos Estados Unidos, Itália, Áustria, Holanda, Alemanha e Bélgica. Agora, desembarcam no Brasil para mais uma missão no campeonato.  “Não teria melhor maneira para estrear no Brasil, sendo que ainda passarei uma semana no país para descanso. Mas enquanto essa semana não chega, meu foco será correr o mais rápido que eu puder no XCE. Ouvi dizer que os espectadores brasileiros são demais e eu não vejo a hora de fazer um show junto com eles”, disse.
Finalizando a temporada, o holandês fez um balanço positivo já que começou 2018 com um novo projeto, a própria equipe. “Estou muito feliz com minha performance em 2018. No fim de 2017 eu comecei minha própria equipe, Vaneck Racing, com o objetivo de criar um ambiente onde eu poderia me desenvolver de forma profissional. E eu posso verdadeiramente dizer que esta é uma coisa que eu alcancei. Com bons resultados, 2018 foi um ano que eu tracei correr e terminar entre os quatro melhores em toda Copa Mundo que eu participasse. Com cinco pódios na Copa do Mundo de Eliminator eu posso orgulhosamente dizer que eu alcancei meu objetivo”, comentou.
d3302d10-af39-4466-9f2e-7bf04ef62258.jpg 
Simon é um alemão que já está habituado com as terras brasileiras. Além de já ter competido em outras competições no país, participou da etapa de Araxá em 2017 e finalizou a competição em 41º dos 76 atletas daquele ano. “Todas as vezes que estive no Brasil fiquei impressionado com as corridas e com o tamanho da comunidade brasileira de ciclistas. Para mim como Europeu, Henrique Avancini é o atleta mais conhecido brasileiro. Quando o encontrei durante a temporada de Copa de Mundo, ele mostrou ser muito gentil e amigável”, disse.
Para Simon, a temporada também teve um balanço positivo. “Estou na segunda posição geral da Copa do Mundo de Eliminator e ganhei pela quarta vez o título Alemão de XCE. Além disso, eu gosto como a disciplina desenvolve a técnica e como estamos pedalando em todas as partes do mundo. Ainda há duas grandes competições à frente, uma na China e a final do XCE em Congonhas”, finalizou.
*Fotos: City Mountainbike by Glenn Peeters
CIMTB Levorin 2018
A CIMTB Levorin conta pontos para o ranking mundial, da União Ciclística Internacional (UCI), fazendo parte do ciclo Olímpico Tóquio 2020, ranking Brasileiro e Mineiro.
Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 23ª Edição em 2018. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Sense Bike e Audax.
Acompanhe tudo de um dos principais eventos do mountain bike mundial pelas redes sociais. Lá você encontrará fotos e vídeos dos atletas e das provas.
-
Fonte: http://jornaldiadia.com.br/2016/?p=498754
Nos dias 10 e 11/11, a cidade de Maricá vai receber a Taça Brasil de Mountain Bike XCO. Promovido pela Prefeitura de Maricá, através da Secretaria de Esporte e Lazer, o torneio acontece no Mirante do Caju, região rural e próxima ao centro da cidade. O evento é realizado pela Confederação Brasileira de Ciclismo e União Ciclística Internacional (UCI), e faz parte do calendário nacional, o que confirma a vocação da cidade para promover e impulsionar esportes de todos os tipos. A competição vale também como pontuação máxima para o ranking internacional.
Ao todo, serão 25 categorias dividas em Elite Masculino e Feminino (23 a 29 anos); Júnior Masculino (17 e 18 anos); Juvenil Masculino (15 e 16 anos); Juvenil Feminino (16 anos ou menos) e infanto-juvenil masculino e feminino (13 e 14 anos). Ainda no dia 11 de novembro haverá a competição de Mountain Bike para crianças de 2 a 12 anos de idade, fazendo o encerramento de todas as categorias.
Na sexta-feira (09/11), os comissários da UCI farão a avaliação do local, que tem aproximadamente 4 km de percurso composto de obstáculos naturais e artificiais. No sábado, dia 10/11, acontece o treino oficial dos participantes, com o intuito de reconhecer a pista para a competição que será no domingo (11/11). As provas de Cross Country Olímpica têm em média quatro a seis voltas na pista e cada uma leva entorno de 15 a 20 minutos.
Para o secretário de Esporte e Lazer, Fillipe Dias Bittencourt, Maricá é uma cidade privilegiada por sua bela paisagem, o que proporciona a prática de vários tipos de esportes. “Maricá é uma região que favorece muito a prática deste esporte. Temos belos locais que podem ser explorados pelos atletas, tanto em competições quanto nos treinos”, afirmou. “A Secretaria de Esporte e Lazer sempre visa conciliar o apoio a estes eventos que trazem visibilidade para nossa cidade, bem como dar estrutura para que tudo ocorra de perfeita forma”, finalizou.
Na opinião do organizador e coordenador da prova, Luiz Fernando Costa, a pista onde ocorrerá a prova tem características peculiares, o que aumenta a disputa pelo pódio.
 “O percurso técnico é desenvolvido todo em trilhas, obstáculos naturais e artificiais, e aqui no Mirante do Caju nós temos muito obstáculo natural. É uma trilha muito técnica, desafiadora e com muitas subidas. Então é uma trilha bem atual e rápida, característica para as bicicletas da atualidade que são as de Aro-29. Isso contribui para que os atletas consigam desenvolver uma velocidade boa durante todo o percurso”, avaliou.
Além de ser construída com a finalidade de abrigar um evento internacional de Mountain Bike, a pista pode der utilizada para treinamentos dos atletas locais, competições regionais, e servir para aprimorar o desempenho dos alunos da primeira escolinha de Mountain Bike existente na cidade, que funciona desde 2015 na Escola Municipal Jacinto Luiz Caetano, no Caju, projeto da equipe Brabus Race, em parceria com a Prefeitura.
“Hoje atendemos cerca de 25 alunos que são renovados a cada ciclo de 6 a 8 meses. Alguns desses alunos viraram competidores, como conseguimos fazer em 2015 dois campeões estaduais de Mountain Bike Cross Country. Então, para nós que fazemos parte da equipe, é muito legal”, afirmou.
Ciclista há 30 anos, o mecânico de motos e bicicletas, Clodoaldo Gomes da Silva, de 45 anos, aguarda ansioso pelo dia da competição. “Eu vejo isso como uma vitória para o Estado do Rio de Janeiro e para a nossa linda cidade de Maricá. Adoro esse tipo de esporte”, comentou.
Maricá foi escolhida para receber a competição devido sua proximidade com a capital do Estado, o que representa uma posição geográfica significativa em relação aos demais estados, além de possuir uma beleza natural e apresentar um grande crescimento econômico. Além disso, o município abriga a equipe campeã do ranking XCO 2015 no Estado, e também por ser a cidade-sede da Taça Brasil XCO 2016 etapa Rio de Janeiro.
-
Fonte: https://leisecamarica.com.br/mirante-do-caju-recebera-etapa-da-taca-brasil-de-mountain-bike-neste-final-de-semana/

O fim de semana foi de protagonismo para os atletas do Shimano Sports Team. O principal resultado veio com Ricardo Pscheidt (Trek/Shimano/Giro 29), vencedor na última etapa do Desafio Vale Europeu de MTB, em Timbó (SC). Quem também teve um grande desempenho foi Reinaldo Colucci (Sesi/Shimano), vice-campeão do Ironman 70.3 Buenos Aires, válido como Campeonato Sul-Americano da modalidade. Por fim, em Santiago, no Chile, Clara Carvalho (Sense Factory Racing) garantiu seu melhor resultado na sequência de provas sul-americanas, com o sexto lugar na elite feminina da American Cup de Triathlon.
A quarta e última etapa do Desafio Vale Europeu de MTB foi realizada na manhã deste domingo (4) e teve percurso de 97,5 km para a categoria de Ricardo Pscheidt, a pro. No final, a disputa foi decidida no sprint entre Pscheidt e o ciclista Marcelo Moser. “A disputa transcorreu em boa parte da prova, com um pelotão de seis atletas na liderança. Para mim, o maior desafio foi largar com o desgaste acumulado da ultramaratona Brasil Ride, encerrada na semana passada”, destacou Pscheidt, ciclista que tem sua bike equipada com o grupo Shimano XTR Di2 de transmissão de marchas eletrônicas.
Foto: Marcelo La Gattina
“Além do circuito contar com muitas subidas, tivemos como desafio extra a chuva na região de Timbó. O pelotão de seis atletas se manteve até a metade da prova. Na parte final, três ciclistas ainda estavam na disputa, um deles o Moser, que na última serra seguiu junto comigo na luta pela vitória. O cansaço era bem grande, mas foquei o máximo possível para chegar nos 10 km finais com ele. Ali, em uma área plana, guardei a energia que me restava e consegui vencer no sprint. Muito feliz, porque é uma competição bem tradicional em Santa Catarina, disputada em quatro etapas ao ano. Fui vice-campeão na soma das quatro provas, tendo vencido três delas, enquanto em uma não pude estar presente”, complementou Pscheidt.
Ironman 70.3 Buenos Aires – Também neste domingo, o triatleta paulista Reinaldo Colucci esteve em ação, na disputa do Ironman 70.3 Buenos Aires. A competição teve os tradicionais 1,9 km de natação, 90 km de ciclismo e 21,1 km de corrida de rua. Enquanto Colucci foi o vice-campeão, o título ficou com o norte-americano Rudy Von Berg, campeão europeu na distância. O brasileiro Santiago Ascenço completou o pódio na terceira posição.
American Cup de Triathlon – Caçula entre os triatletas do Shimano Sports Team, a mineira Clara Carvalho competiu neste domingo em sua terceira prova em três finais de semana seguidos. Após dois finais de semana no Equador, o desafio da vez foi a American Cup de Triathlon, em Santiago, no Chile. Clara foi a sexta colocada na competição realizada na modalidade sprint, com 750 m de natação, 20 km de ciclismo, com cinco voltas em um circuito de 4 km, e 5 km de corrida (duas voltas de 2,5 km). O título ficou com a também brasileira Beatriz Neres.
Novidades Shimano – Em 2018, a Shimano fez o lançamento do tradicional grupo de ciclismo de estrada 105 R7000, totalmente remodelado: são novas tecnologias herdadas do Dura-Ace, alavancas de STI adequadas para mãos menores (de mulheres por exemplo) e freio a disco hidráulico – finalmente regulamentado pela Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC). Vale destacar que o ciclismo de estrada é uma modalidade bastante praticada por atletas de MTB, como complemento aos treinos.
Também neste ano, a marca lançou o XTR M9100 e atendeu o pedido dos fãs com a configuração de 12 velocidades, trazendo muitas outras inovações. O grupo apresenta um cassete totalmente inovador com pinhões de amplo alcance de 10-45D ou 10-51D, freios com 2 ou 4 pistões, e um novo cubo com a nova tecnologia Shimano Micro Spline. Um novo projeto de configuração de freios e alavancas, que permite ao ciclista posicionar seus comandos, incluindo a alavanca de canote retrátil de selim “dropper post” XTR, em uma situação otimizada para máximo conforto e acionamento rápido.
Mais informações no site: bike.shimano.com.br
Twitter:@shimanobrasil
Fanpages no Facebook: https://www.facebook.com/ShimanomtbBrasil/
e https://www.facebook.com/ShimanoroadBrasil/
Estão abertas as inscrições para o “1º Desafio MTB na Veia”, que será realizado no domingo (9) de dezembro, em comemoração aos 84 anos de aniversário de Londrina.
Os ciclistas poderão competir nas provas de 20, 35 e 55 quilômetros de distância. O percurso passará por estradas rurais e urbanas. A concentração está prevista para às 6h30 e a saída para às 8h, em frente ao restaurante tradicional do Distrito de Heimtal, localizado na Rua Domingos Cantagali, 20.
A previsão é que o evento termine às 12h. Os participantes devem utilizar equipamentos de segurança e proteção, como capacete, luva, óculos, câmara reserva e a bicicleta deve estar revisada, para evitar problemas.
Ao todo são 500 vagas. As inscrições variam de R$ 30 (primeiro lote) a R$ 40 (segundo lote) e podem ser feitas pelo site: https://bit.ly/2OQVXIt.Toda a renda arrecada será destinada ao Hospital do Câncer de Londrina (HCL).
-
Fonte: https://massanews.com/esportes/ciclismo/desafio-de-ciclismo-sera-realizado-em-comemoracao-aos-84-anos-de-londrina-rrp86-rrp86.html