Banner do Campeonato Paranaense de DH 2019
-->
NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

Detran debate estratégias de prevenção de acidentes com cicloativistas

O diretor-geral do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran), Marcos Traad, recebeu nesta quinta-feira (26) representantes da Lobi, Grupo Especializado em Cicloturismo que também são cicloativistas na sede da autarquia em Curitiba. Durante o encontro os participantes trocaram experiências e iniciativas realizadas no Estado, com a proposta de reduzir os números de acidentes e melhorar o relacionamento no entre motoristas e ciclistas.
“Acreditamos que trabalhar o tema nos Centro de Formação de Condutores (CFCs), intensificar a instrução do próprio ciclista com cartilhas disponibilizadas pela autarquia, bem como a limpeza dos acostamentos nas BR’s são formas muito úteis de contribuir para redução dos acidentes. Mas ainda há muito a ser feito e, sem dúvidas, a conversa de hoje ampliou nossas estratégias sobre o assunto”, explica o diretor-executivo (CEO) da Lobi Ivan Mendes.
ESTATÍSTICA – O número de feridos em colisões entre automóveis e bicicletas aumentaram 14% no primeiro semestre de 2017, no Paraná. Foram 888 ocorrências em 2016 e 1.012 em 2017. Em contrapartida, esse ano no mesmo período, o número de óbitos reduziu em 64% no estado. Os dados são do Sistema Digital de Dados Operacionais da Polícia Militar do Paraná e Corpo de Bombeiros.

PARTICIPANTES – Além do diretor-geral do Detran, participaram da reunião o presidente da Federação Paranaense de Ciclismo, Eduardo Pereira, Cicloturista da Lobi e Instrutor de Trânsito, Ricardo Navarro, o diretor-executivo (CEO) da Lobi Ivan Mendes e o cicloativista, Agostinho Creplive.
Fonte: Assessoria de Comunicação - http://www.detran.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=2449&tit=Detran-debate-estrategias-de-prevencao-de-acidentes-com-cicloativistas

Brasileiro participa de construção de pista do Red Bull Rampage

Indo além de pontuar os competidores de mountain bike freeride pelas suas apresentações, o Red Bull Rampage, o Mundial de Freeride Mountain Biking, inova ao fazer com que os atletas e suas equipes construam as próprias pistas sem auxílio de ferramentas elétricas.
A 12ª edição do evento acontece nesta sexta-feira, a partir das 14h, nos penhascos de Virgin, Utah (EUA) e poderá ser acompanhada ao vivo pelo https://www.redbull.tv/live/AP-1QG7A6VKD2111/red-bull-rampage.
Claro que um brasileiro não podia falar nesta aventura. O trailbuilder Eduardo Arruda foi convidado para integrar a equipe de montagem e elaboração de percurso do francês Rémy Métailler, que acabou ficando de fora por um problema no visto. Mesmo sem a presença do francês, Arruda estará na competição ajudando outros pilotos.
“Tive a honra de participar da montagem da rampa do francês Rémy, mas ele teve um problema com o visto de última hora e não competirá. Ultimamente, tenho ajudado os pilotos que estão construindo linhas novas. Tem sido uma experiência incrível cavar no deserto. Acredito que toda essa experiência vai ser fundamental para eu desenvolver no Brasil o Mountain Biking em termos de construção. É uma experiência que nunca vou esquecer na vida”, comenta.
Critérios como velocidade, técnica e estilo serão analisados pelos jurados, que deixam quem chega na frente em segundo plano. Os voos em cima das bikes prometem acontecer a mais de 20 metros de distância, dando uma ideia da coragem dos participantes. Os organizadores escolheram o mesmo lugar do torneio de 2016, mas optaram por abrir uma nova linha para este ano, dando mais opções para a escolha das vias morro abaixo.
-
Fonte: http://www.otempo.com.br/superfc/outros/brasileiro-participa-de-constru%C3%A7%C3%A3o-de-pista-do-red-bull-rampage-1.1535619

Montanha Abaixo, programa brasileiro de Freeride, estréia no Canal Off

Os freeriders Caio Suzarte, Eduardo Arruda e seus amigos vivem o sonho de construir e pedalar nas melhores pistas de mountain bike do mundo. Assista à trajetória dos novos talentos do esporte na nova série Montanha Abaixo que estreou nesta quarta-feira (25) às 21:30 no Canal OFF.
"O primeiro episódio foi intenso, pegamos um helicóptero até o topo de uma montanha em Petrópolis (RJ) que não sabíamos se dava pra andar ou não. Só tínhamos visto fotos na internet", conta Caio que pedalou ao lado do local Diego Knob.
O programa passou por pistas consagradas e locais construídos pelos próprios atletas.
"No segundo capítulo, eu e o Arruda voltamos ao sítio que eu já tinha construído uma pista de freeride e refizemos linhas insanas, mas acabei caindo e quebrando a clavícula", contou o atleta que ainda precisou fazer uma cirurgia.
Montanha Abaixo gravou episódios na "meca" do MTB durante o Crankworx Whistler, no Canadá, com destaque para as gravações na casa da equipe do Coastal Crew.
"Os caras eram meus ídolos de rolé, vídeos, sempre acompanhei tudo que eles fazem, são referência e inspiração. E poder viver alguns dias com eles, andar nas pistas secretas, ver as construções, bastidores dos filmes, foi animal", finalizou Caio.
-
Fonte: https://www.pedal.com.br/montanha-abaixo-programa-brasileiro-de-freeride-estreia-no-canal-off_texto12520.html

Bonito será palco de uma das principais competições de mountain bike do Brasil

Uma das maiores competições de mountain bike do Brasil está de volta após quatro anos. Em março de 2018, a Brasil Challenge MTB promete esquentar as trilhas e estradas de Bonito – um dos principais roteiros do ecoturismo do Brasil e do mundo. Entre os dias 28 e 31 de março, ciclistas de todo o País irão percorrer trechos que formam um cenário de paisagens naturais e rios cristalinos.
Com estimativa de reunir mais de 400 atletas profissionais e amadores, a competição pretende movimentar a cidade. “Entre os competidores e seus familiares, mais de mil pessoas passarão por Bonito durante os dias de provas”, garante o diretor-executivo do evento, Thiago Mol. A primeira edição da Brasil Challenge MTB foi realizada em 2014 no Espírito Santo, e reuniu 50 duplas de ciclistas.
Para a competição de 2018 foram preparadas duas opções de provas. A primeira dividida em três dias, com um total de 210 km separados em trajetos de 60 km no dia 29 de março (quinta-feira), 90 km no dia 30 de março (sexta-feira) e outros 60 km no dia 31 de março (sábado). Todos os percursos começam e terminam em Bonito. Nessa modalidade os atletas podem correr em dupla ou solo.
A segunda opção é a prova MTB de um dia, apenas na modalidade individual. A corrida será na sexta-feira (30 de março), e homologada pela Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) e pela Federação MS de Ciclismo (FMSC) como etapa do ranking brasileiro de mountain bike maratona. Na modalidade, esportistas podem escolher entre os percursos pró (90 km), sport (60 km) e turismo (30 km).
Os trechos das provas ainda serão divulgados e, segundo a organização, o objetivo é fazer com que a Brasil Challenge MTB, uma das maiores competições nacionais de mountain bike, entre para calendário de eventos de Mato Grosso do Sul. “Esperamos promover o turismo esportivo e fomentar a economia, nos setores de hotelaria, hospedagem, alimentação, transporte e comércio”, explica Thiago Mol.
Inscrições – Ciclistas profissionais, amadores e todos os amantes do esporte podem participar das provas. As inscrições serão limitadas e abertas ao público no dia 25 de outubro deste ano, disponíveis em três lotes. O promocional entre 25 de outubro e 3 de novembro de 2017; o segundo lote entre os dias 4 de novembro de 2017 e 1° de fevereiro de 2018; e o terceiro entre os dias 2 e 28 de fevereiro de 2018. Detalhes sobre valores e formas de pagamento podem ser conferidos no site brasilchallengemtb.com.
Prêmios – Além de desfrutar de todas as emoções e cenários que o esporte e a natureza proporcionam, quem participar da competição de Mountain Bike ainda terá a oportunidade de conquistar mais de R$ 30 mil em prêmios. A Brasil Challenge MTB vai entregar brindes, bicicletas, R$ 10 mil em dinheiro e duas motos zero quilômetros, uma à equipe que chegar no primeiro lugar geral na prova de três dias (solo ou dupla) e a outra ao vencedor da prova de um dia, no percurso de 90 km.
A Brasil Challenge MTB conta com o apoio dos parceiros Nutry e La Maglia Cycling Wear.
Confira a programação da Brasil Challenge MTB em Bonito
27/03/2018
Recepção dos atletas
28/03/2018
Recepção dos atletas
Congresso técnico
Warmup (prólogo) – 7 km
29/03/2018
1º dia de prova (individual ou dupla) – 60 km
30/03/2018
2º dia de prova (individual ou dupla) – etapa rainha – 90 km
Prova MTB de um dia – percursos pró (90 km), sport (60 km) e turismo (30 km)
31/03/2018
3º dia de prova (individual ou dupla) – 60 km
1/04/2018
Dia livre para ciclistas e familiares
-
Fonte: http://www.opantaneiro.com.br/turismo/bonito-sera-palco-de-uma-das-principais-competicoes-de-mountain-bike/134422/

Brasil é qualificado para receber o Mundial de 24h solo e tem prova promocional em Costa Rica - MS

Está confirmado o primeiro evento de promoção do Campeonato Mundial 24h de Mountain Bike, que será realizado de forma inédita no País, em julho de 2019, no município de Costa Rica - Mato Grosso do Sul. Nos dias 25 e 26 de novembro, o município do Centro-Oeste brasileiro receberá o Brasil Ride 24h Eliminator. O anúncio de lançamento oficial da competição internacional foi feito durante a oitava edição da Brasil Ride, em Arraial d'Ajuda - BA, e contou com a presença do prefeito costarriquense, Waldeli dos Santos Rosa.
"Costa Rica é uma cidade que está entre as 100 melhores do Brasil para se viver no País, em termos de segurança. Organizamos o município e queríamos transformá-lo em um local turístico. Temos lindas cachoeiras e ficávamos sonhando em estar no centro da atração turística. Começamos com o esporte de aventura e organizamos a Copa América em 2016. De lá para cá as coisas mudaram e encontramos pessoas fantásticas em nosso caminho", contou Waldeli.
"Conheci o Mario Roma e pedi um tempo para pensar e aceitei o desafio. O Estado do Mato Grosso do Sul não dava tanto valor ao turismo, além de Bonito e do Pantanal. Porém, já se manifestaram para estar junto com a gente no Mundial 24h de MTB. Todos que participarem das competições da Brasil Ride lá podem ter a certeza que ajudarão Costa Rica a nascer para o País e para o mundo no turismo. E desde já agradeço vocês por isso", completou o prefeito.
O processo de transformação de Costa Rica em uma cidade que incentiva o ciclismo e que receberá o Mundial 24h de MTB começou há alguns meses. Até o momento, foi montada uma pista de pump track, que é fundamental para ajudar na base do esporte. Em seguida serão construídas duas de cross country (XC) que serão juntadas para o circuito do Mundial, com extensão de 21 km, com 700 metros de ascensão por volta, o dobro do que há em Botucatu - SP, utilizado na 24h de MTB da Brasil Ride.
"Confirmamos em primeira mão que o Brasil terá o primeiro Mundial 24h de MTB no País. Várias pessoas sairão daqui como os campeões do mundo de 2019, em Costa Rica. Este é um presente que nós damos a vocês, amantes do ciclismo", anunciou Mario Roma. "Tivemos a sorte de escolher uma cidade que é um exemplo. Uma grande Brasil Ride, que as pessoas se respeitam, por isso gostaria de parabenizar o prefeito Waldeli Rosa por tudo que lá vi", acrescentou Roma, fundador da Brasil Ride.
O Eliminator, em novembro próximo, será uma grande festa da bicicleta com uma lista extensa de convidados de honra, os chamados embaixadores do Mundial 24h. São eles: Henrique Avancini, Sherman Trezza, Wolfgang Soares, Ricardo Pscheidt, Roger Renso, Lukas Kaufmann, Halysson Ferreira, Allyson Lucas, José Gabriel Marques, Daniel Carneiro, Robson Ferreira, Hugo Prado Neto, João Firmeza, Marco Antônio Veríssimo, Kennedi Sampaio e Brou Bruto. Estes atletas ajudarão a divulgar o evento de 2019 e estarão presentes na corrida de lançamento para compartilhar seu conhecimento por meio de um workshop e no domingo, dia 26 de novembro, reconhecerão o percurso junto com os participantes do Eliminator 24h.
O Brasil Ride 24h Eliminator tem patrocínio do município de Costa Rica – MS por meio da Secretaria Municipal de Turismo, Meio Ambiente, Esporte e Cultura. O evento é uma realização da Roma Comunicação e do Instituto Brasil Ride.
-
Brasil Ride: Mais que uma prova, uma etapa em sua vida.
-
Fonte: http://www.msnoticias.com.br/editorias/interior-mato-grosso-sul/brasil-e-qualificado-para-receber-o-mundial-de-24h-solo-e-tem-prova/75432/

Apesar da morte de ciclista, único projeto para a BR-277 é a instalação de placas.

Ciclistas paranaenses acreditam que a instalação de placas de sinalização alertando motoristas a respeito da presença dos atletas na BR-277 pode evitar novos acidentes como o registrado no último dia 8 de outubro. Nessa data, um ciclista morreu após ser atropelado por uma motorista com sinais de embriaguez. Um ano antes - dia 8 de outubro de 2016 -, outra colisão na mesma rodovia deixou duas vítimas em estado grave e causou outra morte.
Entre um acidente e outro, a única proposta para garantir mais segurança aos atletas que trafegam pelas rodovias foi apresentada pelo Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR), que pretende instalar 64 placas em trechos da BR.
De acordo com o ciclista Yuri Siqueira, de 56 anos, a instalação dessas placas de sinalização focadas na segurança dos atletas é uma solicitação muito antiga. “Estou envolvido com ciclismo há 45 anos e já vi muitas promessas, mas nada foi concretizado”, lamentou. Segundo ele, o último pedido dos ciclistas foi feito à Ecovia. “Entramos em contato com eles pedindo sinalizações de atenção, de atletas em treinamento e outras opções que alertariam motoristas, mas não conseguimos nada”.
A Ecovia – concessionária responsável pelo trecho entre Curitiba e o Litoral paranaense, do quilômetro 0 até o 83 - confirma esse pedido e afirma que uma reunião foi realizada com a presença de ciclistas, representantes da empresa e também do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR). No entanto, os atletas deveriam protocolar um projeto de sinalização, algo que – segundo a concessionária – ainda não aconteceu.
O pedido de uma sinalização específica também chegou à Rodonorte, responsável pelo trecho entre o Parque Barigui e a região de São Luiz do Purunã, em Balsa Nova (quilômetros 94 ao 138 da 277) e a empresa decidiu utilizar seus painéis eletrônicos para informar a respeito da presença de ciclistas na rodovia. De acordo com a concessionária, a ação já tem acontecido durante os fins de semana e possibilita a edição rápida da mensagem apresentada em casos de emergência.
Para o ciclista Juliano Elisio Pereira, de 36 anos, todas es entidades responsáveis pela rodovia deveriam desenvolver estratégias com foco na conscientização dos motoristas.
“Nem todos respeitam quem está de bicicleta, que é bem mais fraco”, afirmou o eletricista, que pedala nas rodovias do estado seis dias por semana. “O motorista precisa ter atenção e muita prudência, pois ele é responsável pelas vidas que encontra pelo caminho”, afirmou.
-
Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/curitiba/apesar-da-morte-de-ciclista-unico-projeto-para-a-br-277-e-a-instalacao-de-placas-3nz1ymmgtfe898xfc8p9envnv

6º DESAFIO DE CICLOTURISMO DA SANTA DO PAREDÃO é neste próximo domingo.

Olá bikers de Jaguariaíva, Arapoti, Sengés, Campos Gerais, Norte do Paraná, Sul e Sudoeste do Estado de São Paulo, é neste próximo Domingo (29/10) que estaremos realizando o 6º DESAFIO DE CICLOTURISMO DA SANTA DO PAREDÃO em conjunto com o Circuito Ecoturistico e Religioso do Santuário do Senhor Bom Jesus da Pedra Fria.
Venham curtir conosco.
Este ano, para a sua participação, estamos solicitando uma pequena ajuda!!

O Asilo Lar Bom Jesus precisa muito da ajuda da comunidade para que assim idosos recebam os cuidados, apoio e carinho que realmente merecem.

O custo de inscrição para a participação poderá ser constituído dos seguintes itens:

2kg de alimento não perecível

ou 1 Pacote de Fraldas Geriátricas - tamanhos G ou GG

ou 1 Toalha de Banho

ou 1 Kit Lençol Solteiro C/Elástico

ou 1 Kit (1 Shampoo + 6 Sabonetes)

ou 1 Pacote de Papel Higienico C/ 12 unidades

Lembrando novamente que todo o conteúdo arrecadado será em prol do Asilo Lar Bom Jesus.


Os itens, serão recebidos no local de saída, no dia do evento.

As inscrições devem ser feitas aqui: CLIQUE AQUI para inscrições.

A sua inscrição será de suma importância pois além do controle do que será arrecadado, estaremos providenciando um café da manhã, para antes do pedal.

A concentração dos bikers será na Praça Dr. Getulio Vargas - Centro - Jaguariaíva PR, em frente a antiga prefeitura. a partir das 07:00 da manhã com previsão de saída as 08:00, para que assim possam curtir o pedal, até o local da festa.
O percurso terá um total de ida/volta 48Km de distância levados no ritmo do cicloturismo para que possamos curtir as belezas naturais da região, tendo como parada principal o local da festa, onde iremos repor as energias, saboreando lanches ou belo churrasco no velho espeto de pau, no pé do Paredão da Santa.
Os Lanches, Porções, Bebidas e o Churrasco são vendidos no local pela organização da festa (Santuário do Senhor Bom Jesus da Pedra Fria).
-
Programação religiosa no local da Festa da Santa do Paredão
  • 05:00h - Início da caminhada saindo do Santuário do Senhor Bom Jesus da Pedra Fria até o local da festa.
  • 08:00h - Saída do Pedal da Praça Dr. Getúlio Vargas - Centro - Jaguariaíva PR
  • 10:30h - Missa Campal
  • 12:00h - Praça de Alimentação (Churrasco, Porções, Lanches, Sucos, Refrigerantes, etc)
  • 13:00h - Apresentações Culturais - Com artistas regionais.
  • 17:00h - Encerramento
Retomaremos o pedal a partir da 13:30 para o retorno a cidade, com algumas paradas obrigatórias no Açude/Cachoeira da Trevo, Cachoeira das Andorinhas, Cachoeira do Lago Azul e enfim chegaremos na cidade.
Preparem suas Câmeras, pois vai valer e muito a pena o registro das fotos, pois esses locais, são belíssimos.
-
Obrigatório: Levar Squeeze com Água e Uso de Capacete, um canivete para o Churrasco!
-
VAMOS NOS UNIR CICLISTAS DE NOSSA CIDADE E REGIÃO, VAMOS PRESTIGIAR ESTÁ LINDA FESTA EM LOUVOR A NOSSA SENHORA!
-
Mais informações através do e-mail: mazobikers@gmail.com ou Whatsapp (43)98821-2099

BROU BRUTO DREWS - Lindo relato de sobrevivência e conquista no BRASIL RIDE 2017


POR BROU BRUTO DREWS
Sobrevivi!! Top 20 na Brasil Ride! O sonho nunca acaba mesmo, no momento de maior sofrimento e estágio máximo de aniquilamento do ser humano, vocês me impulsionaram ao Arco do Triunfo!

Relato maluco dessa jornada épica em busca da brutalidade: numa Ultramaratona como essa, o principal, se treinado estiver, é o psicológico e a escolha do parceiro! Treinado estou como nunca, o psicológico não finge e o parceiro foi escolhido pelo coração, meu menino de ouro Lucio Otavio BrouAventuras foi o mais FORTE da #brasilride2017! São meses de preparação, treino, abdicação e disciplina! Para enfrentar quase 700km em cima de uma bicicleta você tem que ter algo a mais em seu coração que os fatores acima não podem te ajudar, tudo parte do princípio da vontade indomável, isso não faltou a nossa dupla!

Viagem longa, bike nova, alimentação e suplementação ok...

1ª etapa, o temido prólogo, que irá definir, numa explosão de sensações, a sua posição na largada e mostrar um simulado do que iríamos enfrentar nas 7 etapas. Ali, nos poucos kms eu já imaginaria minha dor tendo em vista o potencial explosivo do meu parceiro! Conseguimos alinhar nos bolsões principais!

2ª etapa, em direção as barracas, com 138 km me sentindo muito forte e rápido conseguimos uma velocidade impressionante que nos deixou com um certo conforto pra enfrentar a terceira e muito dura etapa! O acampamento Maluco é onde só os brutos sobrevivem e, acima de tudo, se sentem confortáveis àqueles que se adaptam melhor!

3ª etapa, com um ritmo muito forte dos gringos Malucos estávamos nos no pelotão da carniceria entre os ídolos, rodamos muitooooo forte e, com o desnível altimétrico muito agressivo a coroa de 34 dentes com um cassete 46 já começou a me mostrar que deveria ter optado pela 32 sem fingimento e vaidade! Voltando ao acampamento Maluco tive uma noite de recuperação não muito eficiente!

4ª etapa, acordei com o corpo completamente lento, aniquilado e sentindo um peso terrível em minhas pernas! Mas fingir eu não poderia, ainda mais com o parceiro que eu tinha! Quando tomei o café da manhã já não me senti muito empolgado com os alimentos, um pouco enjoado e apreensivo! Dada a largada, ao clipar o pé no pedal já sabia o que me esperaria naqueles 90 kms com 3 mil de ascensão! Do primeiro ao último km me sentindo lento mas confiante, tendo em vista os adversários que estavam ficando pra trás! Na subida mais dura da prova meu parceiro levou as 2 bikes morro acima com uma personalidade ímpar! Rompendo as barreiras físico psicológicas chegamos no sacrifício mas pensativos com a vigésima segunda colocação geral, o sonho era top 20!!

5ª etapa, a volta a Arraial, com 130 km e muitas dificuldades, com o corpo ainda mais exausto e lento que na etapa anterior... Logo na primeira subida vi ao meu lado muitos brutos que nem no meu mais otimista dos sonhos pensaria estar sofrendo juntos! Sofri como nunca até o km 70 onde as pernas começaram a assimilar as pedaladas com um certo conforto! Numa carniceria fora do padrão, colocamos um passão cancelara com ataques #fullgas que nos renderam algumas honrosas posições! Faltavam 20 kms dentro de uma mata do Parque pau Brasil e a única coisa que via eram os cabelos do pneu traseiro do meu parceiro que, quando rompia poças de lama eu não conseguia nem desviar o pescoço de lado, muita lama cobria meu rosto, pálido e com uma expressão nada amistosa! Faltando 5 km um Areião sem fim nos conduziu ao Arco do Triunfo onde para minha surpresa minha família estava a me esperar!! Sorriso então brotou em meu coração! Muitas pessoas me dando força e motivação para enfrentar o brutal XCO da penúltima etapa!

6ª etapa, xco Maluco, onde as duplas podem se separar e a somatória de tempo define a colocação geral! Já no primeiro calçamento soltei o veloz e explosivo parceiro e o intimei a fazer força com os gringos malucos, nesse mesmo momento eu, aniquilado, não consegui imprimir um ritmo rápido ficando próximo dos 50 na geral! O menino não fingiu e foi pra cima conseguindo um expressivo top 10.. o que nos proporcionou a 18 colocação na geral, os aplausos ao meu parceiro e os gritos pelo percurso de "o Brasil está com você brutão" me tiraram um pouco do eminente desconforto que me dominava! Cheguei! Ufa!! Família, força, mensagens e determinação!! Dormi e sonhei com o top 20... Sabia das dificuldades mesmo assim acreditei!

7ª e última etapa, 80 km, muitas trilhas que poderiam fazer diferença pra nossa equipe... Me sentindo um miserável desde o primeiro metro da prova, fui encontrando forças na inexplicável constância do meu parceiro! E assim fomos num ritmo não muito rápido porém constante! Sem conseguir acompanhar os pelotões velozes fomos encontrando nosso ritmo e lutando "contra relógio" para conseguir o sonhado Top 20!! Floresta, singles, lama e rosto sem reação de desvios mantive a força e pensamento positivo! Numa carniceria agressiva achamos nosso ritmo com o trio Maluco da Brou e fomos sem fingimento! Vocês devem estar pensando: "pq será que ele sofreu tanto esse ano? Overtraining? Acúmulo? Trabalho? Desidratação?! " - nenhum desses!! O principal motivo foi aceitar enfrentar 7 dias de prova ao lado de um atleta, pelo menos, 10% mas forte que eu! Tem isso simmmm!! E essa força dele nos levou ao sonho!!! TOP 20 entre os melhores e mais rápidos atletas do mundo!!

Com essa foto da chegada fica fácil compreender a gratidão, emoção e prazer em dividir as montanhas com meu parceiro diferenciado!! Gratidão eterna a vocês meus seguidores Também que não me abandonaram na dor mais expressiva que já senti em cima da bicicleta!! Muito obrigado mesmo, vocês, podem acreditar e não é exagero, me levaram junto com meu incansável parceiro, ao ARCO do TRIUNFO! 2018 tem mais sem fingimento, na Master, se Deus quiser, acho que tô ficando velho pra Elite open da Brasil Ride!!

Muito obrigado a todos pela brutalidade compartilhada, torcida maluca e alegria com meu honroso top 20... A toda família Brasil Ride, o @Mário Roma pela parceria expressiva, a @Cannondale Brasil pela FSI malucassaaaa e scalpel... Ao @Fabio Piva pela foto ... A @Ert Uniformes pelos mantos de Milionário e a todos os nossos parceiros: #NQSF #BrasilRide2017 #ERTuniformes #bullterrieradventure #brouaventurasraceteam #Suum #GLICOFAST #meuapreciare #aooenergia #thule #Kailash #squeezestronglife #hartsnatural #smoovelube #cannondalebr #caloievoce #ConstruaSeuDestino #elevenbikes #compressportbrasil #actionbutter #maxxis #rosinhaoficinadebicicletas #damattanutri #cascagrossa #PolarBrasil #compressportbra #mackcycles #fitness#uvex #nivea#Calypsonet #AmarcaDaProteção #mormaiioficial #letoursports #dinizpneus #aguamineralviva #tokenbrasil
 -
Fonte: Perfil Brou Bruto Drews - Post link: https://www.facebook.com/broubrutodrews/posts/1488440771244875

PARABÉNS BROU e Equipe pela garra e determinação, pois encarar essa ultramaratona, e principalmente entre o TOP20 não é para qualquer um. Deus abençoe muito vcs e BORA TREINA, SEM FINGIMENTO pois 2018 vem ai...!!!

Brasil Ride 2017 7ª Etapa - Avancini e Jiri Novak são campeões

A dupla de campeões da open na Brasil Ride, formada pelo brasileiro Henrique Avancini e o tcheco Jiri Novak, levou os amantes do mountain bike ao delírio neste sábado (21), ao conquistarem o título de 2017 com 5min12 de vantagem para Michele Casagrande e Fabian Rabensteiner.
Henrique Avancini e Jiri Novak comemoram vitória Fabio Piva / Brasil Ride

Com o resultado, Novak colocou seu nome no patamar mais alto de vencedores da principal categoria, sendo o primeiro ciclista a ganhar três títulos nas oito edições. Já Avancini, agora bicampeão de sua prova favorita, teve o prazer de proporcionar ao companheiro o encerramento perfeito para uma carreira profissional vitoriosa no esporte.
Após terminar a terceira etapa na liderança por um segundo e ver os italianos Michele Casagrande e Fabian Rabesteiner liderarem na quarta e na quinta provas, Henrique Avancini e Jiri Novak se recuperaram na sexta-feira (20), durante o cross country (XC), disputado individualmente. Apesar de Fabian ter sido vencedor da penúltima prova, cerca de um minuto à frente de Jiri, Avancini conseguiu excelente vantagem para Michele e a diferença, que era de 10 segundos para a dupla europeia, virou 21 segundos para a parceria tcheco-brasileira.
Assim, na sétima e última corrida, os campeões Avancini e Novak não apenas administraram a vantagem. Marcaram seus dois adversários, não os deixaram fazer uma fuga bem sucedida, e colocaram mais de cinco minutos de vantagem sobre eles.

Avancini e Jiri em momento descontraído Fabio Piva / Brasil Ride
Se antes do início da Brasil Ride, Jiri Novak já sentia um clima especial no evento, junto da família de Henrique Avancini, agora sua carreira termina com chave de ouro.
"É incrível para mim. Me sinto muito bem por ter feito sete dias de prova nessa corrida louca que é a Brasil Ride. Na etapa final, aceleramos demais, e os últimos quilômetros foram maravilhosos. No downhill, o Fabian caiu e foi difícil para ele, porque depois vinha uma serra. Depois disso fizemos 20 km em velocidade máxima", contou Jiri.
"Vivi uma semana maravilhosa com a família do Henrique Avancini, que é um cara muito legal. Com Hans eu me divertia demais e agora com o Henrique também. Seu pai, sua irmã e sua esposa, ótimas pessoas", disse Jiri.
"Estou certo de que vou terminar a carreira. Quando você está no topo, é fácil de cair. Então, a hora de parar definitivamente é agora", finalizou o único tricampeão da open - 2014, 2015 e 2017.

Henrique Avancini não escondeu a felicidade em conquistar seu bicampeonato (2013 e 2017) e fazer parte de um momento especial na vida de seu companheiro.
"Nos distanciamos na metade final da etapa e o Jiri estava muito forte. Praticamente ficou na frente o tempo inteiro. É um dia especial em função do nível da Brasil Ride. Acredito que nunca uma competição teve tanto equilíbrio, com a diferença nunca sendo maior que 25 segundos até a decisão. E também pela parceria como Jiri. Ele se aposenta e é algo especial para um atleta, que agora vira uma lenda. O único tricampeão da open. Quem já correu a Brasil Ride sabe, não é nada fácil", afirmou.

Raiza bicampeã na Ladies


Raiza Goulão e a francesa Margot Moschetti completaram a Brasil Ride com vitórias nos sete estágios, sem dar chances para as rivais. Na última prova, Raiza reconheceu a força de sua jovem companheira, que foi a protagonista.

Pódio da ladies Fabio Piva / Brasil Ride

"Fui bicampeã em grande estilo. Foi uma surpresa correr com a Margot, porque o entrosamento foi perfeito. A Margot é forte no plano e na subida, enquanto nas partes técnicas eu a ajudei. Ela teve dificuldades na quinta etapa, mas hoje ligou o motor e fez a diferença", disse Raiza.
"Foi uma semana ótima aqui no Brasil, em uma corrida linda e incrível. A Raiza não foi apenas uma ótima companheira, mas também uma grande anfitriã. Estou feliz demais pela conquista", avaliou Margot.

Mais informações no site do Brasil Ride.
-
Fonte: https://www.pedal.com.br/brasil-ride-2017-7-avancini-e-jiri-novak-sao-campeoes_texto12515.html

Dupla de Ribeirão Preto vence última etapa na principal competição de mountain bike das Américas

Cristian Egídio e Lucas Motta, atletas da Equipe de Ciclismo de Ribeirão Preto (São Francisco Saúde/Klabin/SME), faturaram a vitória na 7ª etapa do Brasil Ride, o maior evento de mountain bike das Américas, nesse sábado, 21. A dupla ficou em 1º lugar na classificação das Américas e em 4º na classificação Geral, em corrida disputada no Arraial D’Ajuda, na Bahia.
O Brasil Ride reúne atletas de todo o planeta. Por uma semana, os atletas só pensam em pedalar. São sete dias de competição, sete etapas consecutivas, com distâncias que variam de 16 a 132 quilômetros por etapa, totalizando 700km de competição e mais de 13 mil metros de altimetria acumulada.
A 7ª etapa contou com 74km de prova, sendo 21 deles com singletracks contínuos. É um misto de estrada de terra com trilhas. Ao todo, 250 duplas participaram da corrida. A dupla de Ribeirão Preto superou as adversidades e levou a melhor, conquistando sua primeira vitória e o quarto pódio em sete etapas.
“É um evento grandioso. Um dos mais desafiadores do mundo. Foi uma honra representar a Equipe de Ribeirão Preto. Conquistar pódios e no fim uma vitória, é algo pra ficar marcado”, destacou Lucas.
“Foi uma competição que teve etapas longas, curtas, com estradões de terra e provas de trilha. Todas com diferentes níveis de dificuldade. Com muita raça e espírito de equipe conseguimos fazer um excelente trabalho”, completou Cristian.
.
Fonte: https://www.revide.com.br/noticias/esporte/dupla-de-ribeirao-preto-vence-etapa-na-principal-competicao-de-mountain-bike-das-americas/

Tour de France 2018 terá etapa-rainha de 65 quilômetros

Entre as novidades divulgadas, a organização revelou que esta possuirá um percurso de 65 quilômetros nos Pirenéus, com uma meta colocada no alto de Portet, assinalando uma subida inédita na competição. «Le Portet é um gigante, um Tourmalet duplo», garantiu Prudhomme. Também o alto de La Rosiere, nos Alpes, será estreante na prova gaulesa.
A extensão total da prova será de 3.329 quilômetros, sendo, por isso, a mais longa desde o ano de 1980.
O número de corredores por equipe foi reduzido para oito, como forma de contrariar o domínio evidenciado pela equipa Sky, encabeçado por Chris Froome, que ambiciona a sua quinta vitória e que colocaria o ciclista a par de nomes como Jacques Anquetil, Bernard Hinault, Eddy Merckx e Miguel Indurain.
As nove primeiras etapas da Volta à França vão ser disputadas em terreno plano, à semelhança de 2015, ano em que a prova partiu da cidade de Utrecht, na Holanda, contando-se um contrarrelógio por equipes de 35 quilômetros, na terceira etapa.
O primeiro grande obstáculo presente na parte inicial da competição estará precisamente situado na etapa 9, que estará marcada para o dia da final Copa do Mundo, na Rússia, a 15 de julho, esperando-se uma forte componente de "pavês".
A ‘etapa-rainha’ chega na 17ª etapa, de 65 quilômetros, sendo, portanto, a etapa em montanha linha mais curta deste século.
Passados dois dias, e mantendo-se a tendência para a redução da quilometragem dos contrarrelógios, a última etapa em montanha será um percurso mais tradicional, passado por Tourmalet e Aubisque.
No dia 21 de julho, no momento da 21ª etapa, está prevista a consagração, com a habitual chegada aos Campos Elísios, em Paris.
A 105.ª edição do Tour de France tem início previsto para 7 de julho de 2018, em Noirmoutier-en-l'Ile en Vendée, e foi apresentada nesta última semana pelo diretor da prova, Christian Prudhomme.
-
Fonte: http://www.maisfutebol.iol.pt/modalidades/volta-a-franca/ciclismo-tour-tera-etapa-rainha-de-65-quilometros

Chris Froome foi eleito ciclista do ano no prêmio 'Velo de Ouro'

O britânico Chris Froome, vencedor das últimas três edições da Tour de France, recebeu nesta semana o prêmio ‘Velo’ de Ouro 2017, para ciclista do ano, sucedendo ao três vezes campeão mundial Peter Sagan.
O líder da equipe Sky recebeu o troféu na cerimônia de apresentação da edição de 2018 do "Tour", e assinalou que "é uma temporada que irá relembrar por toda a vida".
Froome teve uma época de excelência, ao tornar-se o terceiro ciclista da história a vencer a Volta a França e Volta a Espanha no mesmo ano, igualando a proeza dos franceses Jacques Anquetil (1963) e Bernard Hinault (1978).
O ciclista britânico tentará chegar aos cinco triunfos no ‘Tour’, competição que venceu em 2013, 2015, 2016 e 2017, juntando-se a nomes como Eddy Merckx, Miguel Indurain, Bernard Hinault e Jacques Anquetil.
-
Fonte: https://desporto.sapo.pt/modalidades/ciclismo/artigos/chris-froome-foi-eleito-ciclista-do-ano-no-premio-velo-de-ouro

Wallace Miranda conquista o Downtown Lleida 2017

Neste final de semana aconteceu na capital de El Segrià (Catalunya), aconteceu o Down Town Internacional Ciutat de Lleida, uma das provas mais dificeis de downhill urbano do mundo.
Com um percurso de 1500 metros repleto de seções de escadas e com incríveis seções de velocidade e saltos de mais de cinco metros acima de caminhões e carros distribuídos pelas ruas estreitas.
Este é o segundo ano consecutivo em que esta prova faz parte do calendário internacional internacional da União Ciclista Internacional (UCI) de DHU.
Com este reconhecimento, a Lleida torna-se uma referência mundial no modo de mountain bike mais extremo, juntamente com Barcelona, ​​Paris (França), Lisboa (Portugal), São Paulo (Brasil) e Valparaíso (Chile), as principais cidades em a organização de tais eventos.
E é na Espanha que o brasileiro Wallace Miranda, mostra sua garra e técnica e conquista a prova levando o Brasil ao lugar mais alto do pódio nesta que é considerada a vertente mais perigosa do mountain bike, o Downhill Urbano.
"CAMPEAO do Downtown Lleida catalunya espanha 🇪🇸 obrigado a toda galera não tenho como descrever a felicidade que estou sentindo obrigado cada pessoa q me incentivou q acreditou q isso poderia dar certo família amigos patrocinadores tamojunto partiu Andorra 🇦🇩 @foxheadbrasil @dopaminadrink @chaoyangtire @santacruzbikesbrasil @templofitness.mmt" - Palavra do Wallace Miranda nas Redes Sociais
Video da subida do Wallace no pódio

Martyn Ashton realiza sonho de pedalar em Whistler

Quem disse que ter as pernas paralisadas é empecilho para Martyn Ashton pilotar numa das trilhas mais famosas do mundo no Canadá.
Martyn Ashton é um nome para ser lembrado para sempre na comunidade do mountain bike. O ex-campeão mundial de bike trial, que é considerado um dos pioneiros no esporte ao colocar o MTB trial em evidência no mundo, continua realizando feitos incríveis, mesmo após um acidente que paralisou suas pernas.
Em 2013, durante uma apresentação de bike trial, Martyn fraturou a coluna, paralisando os membros inferiores. Inquieto, o atleta não se abalou e continua evoluindo no esporte. Um dos seus sonhos antes do acidente era pedalar no Whistler Bike Park na Colúmbia Britânica, Canadá.
Martyn foi para Whistler com o pessoal da Global Mountain Bike Network (GMBN) participar do Crankworx Air DH.
Martyn usou uma Canyon Sender adaptada com um assento para esqui sentado da Tessier e suspensões da Mojo Suspension. Uma caixa moldada em 3D pela NOTBROKEN segurou a bateria para o motor elétrico de 3500 watts. E a Crank Brothers criou pedáis especiais para Martyn pilotar.
-
Fonte: https://www.redbull.com/br-pt/martyn-ashton-sonho-whistler-bike-park

VIDEO: Red Bull Hardline 2017: por que essa pista causou medo nos pilotos? Veja por que!!!



O Red Bull Hardline 2017 ficou marcado na história. O percurso foi mais difícil do que já se esp
Apesar da presença do vencedor da prova em 2016, Bernard Kerr, e de Adam Brayton, primeiro classificado nas qualificações, foi Craig Evans que aproveitou os erros dos dois favoritos e saiu vencedor no final do dia. 
"Esta edição foi mesmo a mais complicada em que participei. Desde o momento em que entramos na trilha, lutamos contra o clima." Dan Atherton


ASSISTAM COMO FOI A PROVA.
Evans esteve muito confiante durante todo o fim de semana e destacou-se durante a sua descida final.
"Nunca pensei que conseguisse vencer", disse Evans. "Tive momentos em que controlei muito bem e outros em que fui mais selvagem na abordagem aos obstáculos, no entanto penso que geri bem a descida até ao final."
Dan Atherton mostrou muita consistência durante toda a descida, apesar das condições não serem as melhores. Após a competição, disse: "Esta edição foi mesmo a mais complicada em que participei. Desde o momento em que começámos a montar o trilho que temos lutado contra o clima. No entanto, todos os pilotos que estiveram presentes foram incríveis. Conduziram as suas bikes com velocidade. Poder atravessar a meta de chegada foi um alívio e, ter ficado em terceiro lugar, fez com que tivesse um sentimento ainda melhor."
Kerr era um dos principais candidatos à vitória, após ter provado que tinha uma combinação perfeita entre as seções técnicas e os saltos no ano passado. Terminou a competição deste ano num excelente segundo lugar, mas não estava totalmente satisfeito com a sua prova.
"Não me sinto muito bem," admitiu. "Como não venci, não foi muito bom. O terreno estava muito escorregadio. Penso que começou a chover durante a descida do piloto que partiu antes de mim. As condições não foram as ideais para poder controlar e fazer uma pilotagem de forma inteligente."
Brayton, primeiro colocado nas qualificações, também era um dos pilotos que estavam no páreo para a vitória e fez uma descida exemplar até ao momento da queda que o colocou à margem da luta pelo triunfo.
"Estava com as parciais de tempo muito bem e, nos últimos 30 segundos do percurso havia uma direita complicada com algumas raízes na saída e isso fez com que perdesse a frente e chocasse contra uma árvore. Foi o fim da corrida para mim," explicou Brayton. "Não tenho a certeza do meu lugar, mas a vitória na qualificação já foi positivo para mim, portanto há coisas positivas a retirar desta participação."
Veja os resultados completos do Red Bull Hardline 2017.
Craig Evans (GBR) – 02m31s29ms
Bernard Kerr (GBR) – 02m33s30ms
Dan Atherton (GBR) – 02m33s73ms
Laurie Greenland (GBR) – 02m36s26ms
Adam Brayton (GBR) – 02m36s40ms
Graeme Mudd (AUS) – 02m36s73ms
Kaos Seagrave (GBR) – 02m45s40ms
Taylor Vernon (GBR) –02m45s96ms
Al Bond (GBR) – 02m49s99ms
Alexandre Fayolle (FRA) – 03m04s31ms
-
Fonte: https://www.redbull.com/br-pt/red-bull-hardline-2017-resultados

Red Bull Rampage 2017: conheça os atletas

A principal competição de mountain bike freeride está chegando para sua 12ª edição. Saiba quem são os atletas selecionados para o encarar os desafios no deserto de Utah (EUA).
Red Bull Rampage, o evento mais desafiador do mountain bike freeride mundial, promete ser incrível! A 12ª edição acontecerá no dia 27 de outubro em Virgin, Utah.

Atletas para 2017

21 dos melhores atletas do mundo estão selecionados para a competição mais insana do esporte de bicicleta. Confira a lista dos participantes, entre pilotos consagrados e novatos:
Darren Berrecloth, Graham Agassiz, James Doerfling, Cam Zink e Logan Binggeli são alguns dos veteranos que estarão retornando ao Rampage. São pilotos que já deixaram suas marcas e estilos no evento mais progressivo do MTB mundial. Enquanto outros três atletas buscam o inédito tricampeonato (hat trick), tais como Brandon Semenuk, Kurt Sorge e Kyle Strait.
Os pilotos locais Ethan Nell e Reed Boggs, que vivem próximo do local onde é realizado o Rampage em Virgin, Utah, vão debutar no Rampage.
Atletas convidados para o Red Bull Rampage 2017 (wildcard)
  • Brendan Fairclough (GBR)
  • Brett Rheeder (CAN)
  • Cam Zink (USA)
  • Conor MacFarlane (NZL)
  • Darren Berrecloth (CAN)
  • Ethan Nell (USA)
  • Graham Agassiz (CAN)
  • James Doerfling (CAN)
  • Logan Binggeli (USA)
  • Reed Boggs (USA)
  • Rémy Métailler (FRA)
Pré classificados para o Red Bull Rampage 2017
  • Antoine Bizet (FRA)
  • Andreu Lacondeguy (SPA)
  • Brandon Semenuk (CAN)
  • Carson Storch (USA)
  • Kurt Sorge (CAN)
  • Kyle Strait (USA)
  • Pierre Edouard Ferry (FRA)
  • Tom Van Steenbergen (CAN)
  • Thomas Genon (BEL)
  • Tyler McCaul (USA)
ASSISTA: Red Bull Rampage AO VIVO na Red Bull TV no dia 27 de outubro. Mais sobre o Red Bull Rampage: RedBull.com/Rampage.
-
Fonte: https://www.redbull.com/br-pt/rampage-2017-athletes-ticket-packages

Vincezo Nibali vence Volta à Lombardia pela segunda vez

O italiano Vincenzo Nibali (Bahrein-Merida) venceu este sábado, pela segunda vez, a Volta à Lombardia, impondo-se ao francês Julian Alaphilippe (Quick-Step Floors) no final dos 247 quilômetros da última clássica da temporada, em Como.
O vencedor do Tour, em 2014, e da Vuelta, em 2010, e bicampeão do Giro, em 2013 e 2016, reconquistou a prova, que partiu de Bérgamo, em 6h15m29s, gastando menos 28 segundos do que Alaphilippe, que já tinha sido segundo na Liège-Bastogne-Liège de 2015 e terceiro da Milão-Sanremo deste ano.
Nibali, que já tinha vencido a clássica lombardia em 2015, atacou a 17 quilômetros da linha de chegada, destacando-se de Alaphilippe e do primeiro grupo perseguidor, encabeçado pelo seu compatriota Gianni Moscon (Sky), que terminou na terceira posição, a 38 segundos.
Antes, na descida para Como, a cerca de 40 quilômetros da chegada, quando o francês Mikaël Chérel (AG2R) seguia na dianteira, o belga Laurens De Plus (Quick-Step Floors) sofreu uma queda asustadora, caido numa ravina após passar por cima dos guardrails de segurança. O corredor foi transportado para um hospital mas, segundo a sua equipe, não sofreu ferimentos graves.
-
Fonte: http://www.record.pt/modalidades/ciclismo/detalhe/nibali-vence-volta-a-lombardia-pela-segunda-vez.html

Bahia recebe melhores ciclistas de montanha no Brasil Ride

A Bahia volta a sediar a principal ultramaratona de ciclismo de mountain bike, o Brasil Ride, que na sua 8ª edição vai reunir os principais atletas da modalidade vindos de vários países para o desafio entre os dias 14 e 21 de outubro.

Com as inscrições em andamento nesta sexta-feira, 6, pela internet, a competição será disputada em sete etapas de ciclismo pela região da Costa do Descobrimento, no Sul da Bahia.

Em sua 8ª edição terá 250 equipes de 22 países e de 24 estados. Nascido na Bahia, o evento reuniu no ano passado 500 atletas de 23 países e 24 estados brasileiros e o Distrito Federal.

Na briga pelo título da edição deste ano, sete dos dez vencedores da competição até o momento já confirmaram presença na prova que será realizada entre o Arraial d'Ajuda, em Porto Seguro, e Guaratinga.

Entre as duplas campeãs da categoria open do evento, apenas a equipe que venceu os dois primeiros anos, em 2010 e 2011, não terá representantes nesta edição.

São eles os bicampeões Robert Novotny e Kristian Hynec, ambos da República Tcheca, sendo que daí em diante sete dos demais ganhadores confirmaram participação.

Vencedores em 2012, os portugueses Luis Leão Pinto e Tiago Ferreira voltam a competir a ultramaratona pelo segundo ano consecutivo no sul da Bahia.

Luís Leão formará parceria com o dinamarquês Soren Nissen, enquanto Tiago Ferreira, atual campeão europeu de Maratona (XCM) e vencedor do Campeonato Mundial de XCM 2016, terá ao seu lado o compatriota José Silva.

"Há cerca de uma semana, Periklis Ilias (GRE) ficou doente e não poderá ir comigo. Assim, pela segunda vez seguida, sou obrigado a trocar de parceiro na última hora", explicou Tiago.
"Vamos fazer uma boa equipe e, seguramente, estar na luta por um lugar no top 5", definiu o português, atual vice-campeão mundial de Maratona.

Brasileiros

Campeões de 2013, o fluminense Henrique Avancini e o mineiro Sherman Trezza vão correr em duplas diferentes nesta edição.

Avancini optou pela categoria open ao lado do tcheco Jiri Novak, vencedor em 2014 e 2015. Já Sherman estará com seu parceiro de 2016 Wolfgang Olsen, também do Rio. Ambos venceram a categoria american men.

"Esta será minha quinta participação na Brasil Ride. Com a saída da prova da Chapada para o Sul da Bahia acredito que exige um pouco mais do físico, com quatro etapas pesadas em sequência", analisou Sherman.
Parceiro de dupla de Jiri Novak, última dupla a conquistar um bicampeonato na categoria open (2014/2015), o holandês Hans Becking correrá com o estreante dinamarquês Sebastian Fini.

"Considero que nossa dupla não é favorita ao título, mas tem um aspecto positivo que é a explosão. Assim, acho possível brigar pelas vitórias nas etapas mais curtas", projetou Hans.
"A maior expectativa no momento é chegar logo ao calor brasileiro e também de poder ir à praia", brincou o holandês.

Atual campeão




Foto: Igor Schifris | Brasil Ride

Finalizando a lista de campeões confirmados, o evento contará com o atual campeão, o italiano Fabian Rabensteiner. Para tentar manter o troféu, ele formará dupla com o compatriota Samuelle Porro.

"Procuramos nos preparar bem, mas será uma corrida difícil no final da temporada. Samuele e eu vamos para dar o nosso melhor e depois, a cada etapa, ver o que acontece", disse Fabian.

Maratona separada

Realizada sempre no sétimo e último dia da Brasil Ride, a Maratona dos Descobrimentos será um evento à parte na principal ultramaratona de MTB das Américas.

Na disputa realizada no formato de cross country marathon (XCM), Arraial d'Ajuda transforma-se em um verdadeiro mar de bicicletas.

Desde a largada da decisão, marcada para às 9h do dia 21 de outubro, o entorno do Uiki Parracho costuma ser tomado por ciclistas de todo o País (24 estados) e de diferentes partes do mundo, com 22 nacionalidades.

Na Maratona dos Descobrimentos os ciclistas pedalarão entre Arraial d'Ajuda e Trancoso, com 20% do traçado alterado em relação ao ano passado.

O ponto alto do dia será pedalar nas falésias da região com o mar azul de fundo, um cenário único em ultramaratonas de mountain bike.

Roteiro dos 558,2 km do Brasil Ride


1ª etapa 15/10

Prólogo em Arraial d'Ajuda - 21 km e 330 m altimetria


2ª etapa 16/10

Deslocamento para o acampamento da Vila Brasil Ride (138 km e 2.199 m altimetria)

3ª etapa 17/10

Largada e chegada no acampamento (74 km e 2.559 m altimetria)


4ª etapa 18/10

Largada e chegada no acampamento (90 km e 2.712 m altimetria)

5ª etapa 19/10

Deslocamento do acampamento da Vila Brasil Ride para Arraial d’Ajuda (130 km e 1.974 m altimetria)

6ª etapa 20/10

Percurso XCO em Arraial d’Ajuda (31,8 km e 564 m altimetria)

7ª etapa 21/10

Maratona dos Descobrimentos

Etapa única - 21/10

73,4 km e 1.041 m de altimetria
-
Fonte:  http://atarde.uol.com.br/esportes/noticias/1901162-bahia-recebe-melhores-ciclistas-de-montanha-no-brasil-ride

Maranhense conquista pódio no Pan-Americano de Ciclismo

A ciclista maranhense Tânia Medeiros conquistou medalha de bronze para o Brasil na prova de 750m contrarrelógio do Campeonato Pan-Americano de Ciclismo de Estrada e Pista Master 2017, que foi realizado em San Juan, Argentina.
A prova foi realizada em dia ensolarado e de calor intenso, e ocorreu na pista dupla que leva à cidade de Ullum, localizada no centro-sul de San Juan, entre o dique do mesmo nome e uma cordilheira íngreme.
Tânia terminou na terceira posição com o tempo de 0m21s25.14ms, conquistando assim a medalha de Bronze para o Brasil, Argentina faturou ouro e prata com Patrícia Noemi e Raquel Liliana, respectivamente. Além de Tânia Medeiros, Claudio Guimarães foi o outro ciclista maranhense que fez parte da Seleção Brasileira, nesta mesma prova Claudio fez o tempo de 0m19s01.36ms, terminando em nono lugar.
Os brasileiros presentes no Campeonato Pan-Americano Master de Ciclismo de Estrada e Pista somaram sete medalhas no total, sendo um ouro, uma prata e cinco bronzes. Competindo na categoria C2, uma das mais disputadas do campeonato, Geraldo Bandoch não fez feio e dominou a competição para conquistar a medalha de ouro na prova de Criterium, que também teve Augusto Alvimanio com a prata na categoria A2.

Ciclismo de Estrada

Nas provas de Ciclismo de Estrada, os destaques foram Augusto Alvimanio (Master A2) e Fabrício Henrique (Master A1), medalhistas de bronze na prova de resistência, Tânia Maria Medeiros (Master Feminino B) e Hudson Luidgi (Master A2), que garantiram bronze no Contrarrelógio Individual. Já no Ciclismo de Pista, Clythio Buggenhout (Master C2) foi o medalhista brasileiro, terminando com bronze na prova de Velocidade Individual.
-
Fonte: https://oimparcial.com.br/noticias/2017/10/maranhense-conquista-podio-no-pan-americano-de-ciclismo/

Rigoberto Urán triunfa na clássica Milão-Turim

Foto: Canondale-Drapac
O colombiano Rigoberto Urán (Cannondale-Drapac) venceu nesta quinta-feira a 98.ª edição da Milão-Turim, a clássica mais antiga do mundo.
Urán, de 30 anos, tornou-se no segundo colombiano a triunfar na corrida, repetindo o triunfo de 2016 de Miguel Ángel López, ao superar os adversários na subida final para a colina de Superga, precisando de 4h24m51s para cumprir os 186 quilômetros do percurso.
O segundo classificado da Volta a França deste ano gastou menos 10 segundos do que o britânico Adam Yates (Orica-Scott), enquanto o italiano Fabio Aru (Astana) completou o pódio ao terminar a 20 segundos do colombiano
-
Fonte:  http://www.record.pt/modalidades/ciclismo/detalhe/rigoberto-uran-triunfa-na-classica-milao-turim.html

UCI sem candidaturas de novas equipas para o WorldTour

A União Ciclista Internacional recebeu somente quatro candidaturas Pro Continental, a segunda divisão do ciclismo mundial.
-
A União Ciclista Internacional (UCI) informa que não recebeu qualquer candidatura nova para o WorldTour. Em 2018, a primeira divisão do ciclismo internacional contará com as actuais 18 equipas já registadas e que solicitaram a renovação da licença.
Haverá apenas uma mudança de nome. A Cannondale-Drapac passa a chamar-se Team EF Education First-Drpac p/b Cannondale.
A UCI regista, por outro lado, quatro candidaturas de equipas para o estatuto de Pro Continental, a segunda divisão do ciclismo mundial. Vital Concept, Rally Cycling, Hagens Berman Axeon e Holowesko-Citadel são os conjuntos que procuram subir para o segundo escalão.

Equipas UCI WorldTour 2018

AG2R La Mondiale
Astana Pro Team
Bahrain – Merida
BMC Racing Team
Bora – Hansgrohe
Team Dimension Data
Team EF Education First – Drapac p/b Cannondale
FDJ
Team Katusha Alpecin
Team Lotto NL – Jumbo
Lotto Soudal
Movistar Team
Orica – Scott
Quick – Step Floors
Team Sky
Team Sunweb
Trek – Segafredo
UAE Team Emirates

Equipas Pro Continental 2018 Androni Giocattoli – Sidermec

Aqua Blue Sport
Bardiani CSF
Caja Rural – Seguros RGA
CCC Sprandi Polkowice
Cofidis, Solutions Credits
Delko Marseille Provence KTM
Direct Energie
Pro Cycling Breizh (Fortuneo – Oscaro)
Gazprom – Rusvelo
Israel – Cycling Academy
Manzana Postobon
Nippo – Vini Fantini – Europa Ovini
Team Novo Nordisk
Roompot – Nederlandse Loterij
Sport Vlaanderen – Baloise
Unitedhealthcare Professional Cycling Team
Veranda's Willems - Crelan
Wanty – Groupe Gobert
Wb Aqua Protect Veranclassic
Wilier Triestina – Selle Italia
Euskadi Basque Country – Murias
Hagens Berman Axeon
Holowesko | Citadel p/b Araphaoe Resources
Rally Cycling
Team Vital Concept
-
Fonte: http://rr.sapo.pt/noticia/95033/uci_sem_candidaturas_de_novas_equipas_para_o_worldtour

All mountain: A modalidade tem conquistado cada vez mais fãs

Natureza, bicicleta e velocidade. Essa é a combinação que tem feito muita gente se apaixonar pelo ciclismo all mountain. Em constante crescimento, a modalidade é considerada uma das mais completas e radicais do mundo da bike, e tem conquistado cada vez mais adeptos no Espírito Santo. O segredo de tanto sucesso? Trilhas de tirar o fôlego e pilotos corajosos.
"Diferente do cross country (XC) que só sobe e na hora de descer eles descem bem devagar, porque a bicicleta não propicia descer bem. E do downhill, que as bicicletas só servem para descer, as pessoas sobem empurrando e descem pela trilha. No enduro, o all mountain, a bicicleta serve tanto para subir quanto para descer. Você sobe igual um cross country e desce igual no downhill. Por isso que a gente diz que é a modalidade mais completa, por que você pode fazer tudo", explica Luciano Canal, de 36 anos, e há três anos na modalidade. 
ES Enduro Séries já começou e quer ajudar modalidade a crescer. Foto: Fernando Madeira


Luciano faz parte do grupo de pilotos acostumado a rodar o Espírito Santo em busca de boas trilhas. Para ajudar o esporte a crescer, eles criaram o Enduro Series, a primeira competição da modalidade no Estado. A primeira etapa reuniu 36 competidores, no último sábado (30), no Morro do Moreno, em Vila Velha.

"Os pilotos são muito bons. As trilhas tem um nível técnico alto, aqui para o nosso Estado. Na hora de descer é a diversão, são pistas técnica e um clima muito bom de companheirismo. Agora é só melhorar cada vez mais", afirma o organizador.
Até o final do ano serão mais duas etapas, que servirão de teste para o ano que vem. Em 2018 a ideia é que sejam disputadas oito etapas com ranking dos melhores pilotos de cada categoria. Mas já na primeira etapa foi possível sentir toda a emoção e adrenalina que envolvem o esporte. No Morro do Moreno, o campeão Alonzo Júnior, de 35 anos, gastou apenas 5m7s para concluir duas trilhas de 1,8 km e 1,6 km de distância.

"O Moreno é o quintal de casa, venho sempre andar aqui. Na primeira sessão de pedras, que a agente chama de rock garden, é uma sessão bem delicada e muito difícil. Cada piloto tem que ter respeito pelos obstáculos. Na segunda decida teve um trecho de pedal muito forte na subida e que exigiu muito da resistência. Mas tive duas descidas constantes. É pura constância, e experiência acumulada. Muita concentração, calma, para não exagerar em certos pontos, não diminuir demais e poder alcançar o objetivo do primeiro lugar", comenta o campeão.

Mas se engana quem pensa que o esporte é restrito aos homens. Na etapa disputada no Morro do Moreno, Jenyfer Bezerra, de 35 anos, também enfrentou os obstáculos ladeira a baixo. No esporte há três meses, ela torcer para que mais mulheres estejam na disputa nas próximas etapas.

"Me encantei pelo enduro, e acabei trocando minha bike, que era de XC. Foi a minha primeira prova e os meninos me veem como uma concorrente mesmo. Tem que ter muita técnica, um pouco de coragem e o equipamento adequado. O enduro é mais completo. Quem faz o enduro se dá bem nas outras modalidades também, porque é bem técnico", aconselha.
Jenyfer Bezerra quer ver mais mulheres disputando as provas. Foto: Fernando Madeira

A próxima etapa, marcada para o dia 28, no Mestre Álvaro, na Serra, promete ser ainda mais difícil que a primeira.
"É uma das pistas mais técnicas do Estado e tem tudo para ser um sucesso", avisa Luciano. Ainda assim, Alonzo promete brigar mais uma vez pelo título: "Quero disputar todas as etapas, e vou correr sempre para dar o meu melhor. A colocação será consequência do meu empenho".
A terceira e última etapa do ano acontece em São Miguel, Guarapari, no dia 25 de novembro.
-
Fonte: http://www.gazetaonline.com.br/esportes/mais_esportes/2017/10/all-mountain-versao-mais-completa-do-ciclismo-conquista-fas-no-es-1014101998.html

Ciclismo joseense terá uma equipe na Turquia e outra mantida na China

O ciclismo joseense prossegue com as suas competições internacionais. Um equipe embarca neste semana para a Europa e outra segue na Ásia, onde terá uma nova disputa depois do Tour da China.
A equipe de ciclismo de São José dos Campos (Funvic/Brasil Pro Cycling) está pronta e definida para mais um importante compromisso internacional. No dia 6 de outubro, o grupo viaja para a disputa da 53ª edição do Tour da Turquia, competição integrante do calendário UCI World Tour que acontecerá entre os dias 10 e 15 de outubro.
O elenco da equipe brasileira na Turquia será encabeçado pelo campeão brasileiro Roberto Silva “Betinho” e pelo campeão mundial de paraciclismo, Lauro Chaman. Os dois terão ao seu lado Murilo Affonso, Pedro Nicácio, Flávio Santos, o espanhol Jordi Simón e os jovens Raphael Pires e Lincoln Silva.
Lincoln Silva, de 20 anos, está recebendo sua primeira chance dentro da equipe para uma prova internacional e se diz muito feliz. “Vejo como uma enorme oportunidade que estou tendo na Funvic, que vem investindo em novos frutos do ciclismo com o projeto Brasil pro Cycling. Venho me dedicando pra ter uma oportunidade como essa, só tenho a agradecer ao Kid diretor da equipe e os patrocinadores que nos apoiam”, comenta Lincoln.
“Estamos dando chance para mais um dos jovens da equipe de participar de uma prova internacional. Sabemos que é uma prova dura, que faz parte do World Tour, mas o Lincoln vem mostrando que está bem e merece esta chance”, destaca o diretor da Funvic, Benedito Tadeu Júnior, o Kid, que irá comandar a equipe na Turquia junto com o técnico Francisco Manzo.
A equipe tem um bom retrospecto na competição. Em 2016, conseguiu um terceiro lugar com Francisco Chamorro na última etapa, em uma disputa apertada com Jakub Maerczko, da Southeast e Sacha Modolo, da Lampre, primeiro e segundo colocados, respectivamente, na chegada em Selçuk. Este ano Chamorro não estará na prova, pois continua na China para a disputa do Tour de Taihu Lake.
“Sabemos das dificuldades da competição, mas nosso foco é participar e mostrar um pouco do ciclismo brasileiro nas principais provas do mundo, sempre dando chance aos ciclistas mais jovens, integrantes do projeto Brasil Pro Cycling, mas se tivermos alguma oportunidade, estaremos prontos para buscar um lugar no pódio, assim como fizemos em 2016”, finaliza o diretor.
A 53ª edição do Tour da Turquia terá seis etapas, com um total de 1.022 km. Estão confirmadas as equipes UCI World Tour, Astana, Bora-Hansgrohe, Trek-Segafredo e UAE Team Emirates. Na Pro Continental, além da Funvic/Brasil Pro Cycling; também estarão a Androni-Sidermec; Bardiani CSF; Caja Rural; CCC Sprandi; Gazprom; WB Veranclassic Aquality Protect; Wilier-Triestina e a Seleção da Turquia.

China

Além do Tour da Turquia, o outro grupo que já está na China, continua por lá e irá disputar o Tour de Taihu Lake. A competição acontecerá entre os dias 10 e 17 de outubro, com um prólogo e sete etapas de estrada.
No ano passado, Gabriel Silva foi um dos destaques da equipe nesta competição, terminando no pódio final como o segundo melhor ciclista da categoria Sub23 daquele ano. A equipe na China ficará sob o comando do auxiliar-técnico Otávio Bulgarelli.
-
Fonte: http://www.meon.com.br/esportes/esportes/regiao-1/ciclismo-joseense-tera-uma-equipe-na-turquia-e-outra-na-china

Sky torna públicas as contas: os milhões de Froome e muito mais

Gastando 28,5 milhões de euros em salários (cerca de quatro milhões para Chris Froome), a equipe mais rica do mundo é paga pela Sky UK (telecomunicações) e pela 21st Century Fox, de Rupert Murdoch.
Cumprindo a lei britânica, a Team Sky é das raras equipes de ciclismo que torna públicas as suas contas, uma transparência que permite surpresas como saber-se que na temporada passada - os números revelados são referentes a 2016 - os vencedores da Volta a França excederam todas as estimativas que haviam sido publicadas, atingindo os 36,3 milhões de euros.
O valor representa um aumento de 27%, em relação a 2015, do investimento feito pelos dois grandes patrocinadores, a Sky UK, empresa de telecomunicações britânica, e a 21st Century Fox, empresa de média norte-americana do magnata Rupert Murdoch, que tem tentado adquirir a Sky e contribui com 15% para a equipe que em 2016 venceu Volta a França, Paris-Nice, Dauphiné e Liège-Bastogne-Liège, entre um total de 39 êxitos que incluíram a Volta ao Algarve.
Este ano, e com valores semelhantes - provavelmente novo aumento para compensar a desvalorização da libra, como também aconteceu em 2016 -, a equipe juntou Tour e Vuelta a um total de 34 triunfos. A maioria dos gastos vai para salários (28,5 milhões de euros), sendo apenas 33 os trabalhadores a tempo inteiro, o que significa terem contrato a prazo boa parte dos 28 ciclistas. Deslocações (2,5 milhões) e equipamento (2,7) são as restantes grandes rúbricas, mas a Sky ainda gasta 357 mil euros em "ciência e médicos", 60 mil em "pesquisa", 500 mil em relações públicas e 740 mil euros no pagamento de cláusulas. Em 2016, recorde-se, contratou Michal Kwiatkowski, Mikel Landa e Benat Intxausti, embora tenha abatido Richie Porte e Bradley Wiggins na coluna dos salários.
-
Fonte: https://www.ojogo.pt/modalidades/ciclismo/noticias/interior/sky-torna-publicas-as-contas-os-milhoes-de-froome-e-muito-mais-8807075.html

Jogo de corpo: aprenda como se posicionar na bike para vencer obstáculos

Dentre as muitas técnicas para superar obstáculos e trilhas desafiadoras num percurso de MTB, o posicionamento correto do corpo sobre a bicicleta e como utilizá-lo em diferentes situações no pedal é um dos fundamentos mais importantes. De nada adianta ter a melhor suspensão ou mountain bike do mercado se o ciclista não souber se posicionar diante de diferentes obstáculos. Assim, pegamos algumas dicas com Pedro Ricciardi, mountain biker com mais de 25 anos de experiência e campeão de inúmeras provas amadoras, como o Big Biker.

Como se posicionar na bicicleta para superar obstáculos

Acionando os freios

Ao acionar os freios, o ciclista é naturalmente projetado para a frente, adotando uma posição desfavorável para sua estabilidade e controle da bike. Por essa razão, o acionamento dos freios deve ocorrer com antecedência, de modo que o ciclista tenha tempo para retornar à sua posição no centro de gravidade antes de transpor o obstáculo.

Trilhas acidentadas

Nessa situação, o ideal é deixar o corpo relaxado e a bicicleta com mobilidade sob o corpo (solta), mas com uma pegada firme. Escolha a linha mais limpa e evite fazer mudanças bruscas. Ao mudar de direção, faça movimentos pequenos e precisos, sempre mantendo o peso sobre o centro da bike. Melhor transpor os obstáculos por cima do que tentar desviar lateralmente. Utilize braços e pernas como suspensões ao sobrepor pedras e tocos.

Areão

Ao deparar com um areão, entre com velocidade, pedalando para não perder a energia (momentum ou embalo), e desloque o peso para trás, deixando a roda da frente mais leve. Assim a roda de trás ganhará tração e a da frente flutuará sobre a areia — enquanto houver velocidade, você não terá dificuldades para pedalar.

Obstáculos maiores

Antes de encarar grandes pedras ou troncos com velocidade, é importante ganhar confiança e prática. Evite chocar-se contra o obstáculo. Prefira sempre fazer uma transição suave. Ao tentar passar por uma pedra, por exemplo, quando a roda dianteira tocar nela, flexione os braços e traga o guidão para perto do corpo, deixando a roda rolar por cima da pedra. Já quando for passar a roda traseira sobre o obstáculo, flexione as pernas e leve o corpo um pouco para a frente da bike, aliviando assim a roda para subir e passar a pedra. Por fim, volte a esticar as pernas, empurrando a bike contra o chão.
Por Marcos Lembo
-
Fonte: https://www.ativo.com/bike/mountain-bike/como-se-posicionar-na-bike-para-superar-obstaculos/