...Mazobikers

Titânio, aço, grafeno, alumínio ou carbono, por que ainda existem bicicletas tão diferentes?

    Será para debates, até mesmo o debate sobre qual material para fazer uma bicicleta é melhor, é mais rígido, mais flexível, mais leve, mais resistente, mais durável, mais versátil, mais moldável, mais caro ou mais barato, mais conveniente ou menos . É por isso que existem bicicletas de titânio, bicicletas de aço, bicicletas de grafeno, bicicletas de alumínio e bicicletas de carbono, e qual delas é melhor? Por que as bicicletas feitas com todos esses materiais ainda estão sendo feitas e nenhum em particular é imposto?
Da bicicleta de aço à bicicleta de carbono: uma longa lista de materiais
    Eles são muitos e muito diferentes. E daí as dúvidas da sua persistência, do seu espaço no mercado, da possibilidade de ter vendas. Porque, se existem, é porque têm sua posição no mercado.
    E a questão é saber por quê. A resposta geral é simples: porque cada um deles possui características diferentes, e essas características podem ser melhor ou pior adaptadas a um determinado uso.

As bicicletas de titânio:

    por exemplo, têm ótimas propriedades. É um excelente material, com altíssima resistência e uma densidade bastante baixa.
    Além disso, é um material muito, muito durável contra a corrosão de fatores externos. Essa mistura de peso e durabilidade mais do que aceitáveis ​​torna as bicicletas de titânio ideais para objetivos de longa duração, exigentes e expostos, mas de longa distância. Normalmente são bicicletas de design, o que também lhes confere um toque exótico.

 As bicicletas de aço:

     têm um ponto muito bom, podem ser consertadas com uma simples máquina de solda.
    Sim, parece um pouco, mas não é quando você quebra no meio de um deserto e na cidade mais próxima o pouco que eles têm são soldadores de metal caseiros, úteis apenas para aço. Então você é grato por ter uma bicicleta de aço, e por isso ela é usada para grandes marchas, desafios de milhares de quilômetros ou em lugares remotos. Eles pesam um pouco mais, sim.

Bicicletas de grafeno:

    são apenas esboços, projetos, mas se unidas podem se tornar um material que pode realmente competir com o carbono, que hoje é insuperável na fabricação de esquadrias.
    O grafeno é mais duro e mais forte do que o aço, mas mais leve do que o papel. Portanto, ele poderia se tornar o material da estrada e do pelotão de mountain bike. Claro, a tecnologia para produzi-los é cara e bastante inovadora, então repará-los é muito complicado. A implantação de bicicletas de grafeno ainda está por ver, mas promete.

 As bicicletas de alumínio:

    foram as mais populares por muitos anos. A sua extrema leveza foi decisiva para a implantação em bicicletas profissionais, mas é verdade que, a par desta leveza, as bicicletas de alumínio também têm a sua fragilidade perante impactos, forças muito bruscas ou torções.
    Continuam a ser vistos muitos e os fabricantes utilizam-no nas gamas baixas das suas gamas, devido ao seu baixo custo. Esse, o baixo custo, talvez seja sua vantagem mais notável em relação ao restante desta lista.

Bicicletas de carbono ... e as bicicletas de carbono?

    Hoje eles respondem por cerca de 70% das bicicletas e 99% das gamas altas das grandes marcas.
    Sua alta resistência, sua resposta à torção e seu peso muito baixo fizeram do carbono o material do ciclismo. Não apenas os quadros são feitos de carbono, mas quase todos os componentes de uma bicicleta. Ainda é um pouco caro, mas sua qualidade e versatilidade lhe renderam ouro até agora.

Bicicletas de diferentes materiais: depende do uso

Em resumo, como vimos, cada material tem um de vários pontos fortes e um ou mais pontos fracos. E aí está a razão pela qual hoje bicicletas de titânio, bicicletas de aço, bicicletas de alumínio, bicicletas de carbono ainda estão sendo fabricadas e bicicletas de grafeno serão fabricadas nos próximos anos: porque cada usuário precisa de algo diferente. Existem até bicicletas feitas de materiais biodegradáveis, como bambu ou palitos de sorvete.
    Claro que retirar o carbono vai ser muito complicado, pois está em boas condições de saúde e tem uma tecnologia de fabricação com esse carbono que já foi bem desenvolvida e é bastante desenvolvida pelo setor. O desenvolvimento de uma tecnologia em outro material no nível que o carbono possui hoje levará anos.
    Então o carbono é imposto quantitativamente, mas para gostos de cor e para as necessidades materiais de um quadro de ciclismo.
-

Postar um comentário

[blogger]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget