Banner do Campeonato Paranaense de DH 2019
NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

A pequena Stefany Brazão, é campeã na Taça Brasil de BMX

Stefany Brazão no lugar mais alto do pódio.
Aconteceu neste último final de semana a Taça Brasil de BMX, que foi disputada na pista Parque Jacuí, em São Paulo. que contou com vários pilotos de vários estados.
Um dos maiores destaques do evento foi a paranaense Stefany Brazão, que desde muito cedo vem se destacando no BMX. Tendo como principal apoio o pai e treinador André Brazão.
Stefany sagrou-se campeã da Taça Brasil de BMX na sua categoria.
Ela já destaca desde os cinco anos de idade, e vem mostrando sua garra, técnica e determinação não somente nas pistas de BMX, mas também em provas de Downhill.
O evento marcou a abertura oficial da temporada e distribuiu pontos pela Classe C2 para o ranking brasileiro.
“Criamos a Taça Brasil para ser anualmente o evento de abertura oficial da temporada do BMX Racing no calendário nacional”, disse José Luiz Vasconcellos, presidente da CBC. “A ideia principal é estabelecer um novo conceito de competição, difundir a modalidade e ter mais um evento de alto nível contribuindo para a revelação de novos talentos e o desenvolvimento dos nossos pilotos”, declarou. 

Feminino

No feminino a Top 8 do mundo no BMX, a sorocabana Priscilla Stevaux (Shimano/Dougtraining/Chase Bicycles) iniciou a temporada de 2018 com o pé direito. Representante do Brasil na Rio 2016, Priscilla confirmou o favoritismo e venceu a Taça Brasil de BMX, disputada na pista do Parque Jacuí, em São Paulo (SP). Na decisão, ela superou a atual campeã brasileira Julia Alves, que ficou com o vice-campeonato. Completaram ainda o top 5 as atletas Maria Tereza Muller, Letícia Martins e Fernanda Maciel.

Pódio feminino Taça Brasil BMX – Foto: Divulgação


“Me senti muito bem durante a Taça Brasil de BMX, em São Paulo. Tenho treinado bastante e, mesmo com uma garoa fina, meu desempenho durante as corridas não foi prejudicado. Na prova decisiva, foquei desde o início até cruzar a linha de chegada. Estou muito feliz com essa vitória, que me dá ainda mais ânimo para me preparar para os eventos internacionais que estão por vir”, comemorou Priscilla Stevaux, ciclista que tem sua bike equipada com componentes DXR da Shimano, de alta qualidade e específicos para o BMX.

Masculino

Pódio Masculino Taça Brasil BMX – Foto: Divulgação

O piloto Renato Rezende (GT Bicycles/Nissan/Shimano) começou com tudo a temporada de 2018 do BMX nacional. Após garantir vitórias nas três baterias classificatórias e na semifinal da Taça Brasil de BMX, disputada no Parque do Jacuí, em São Paulo (SP), Rezende sagrou-se campeão do evento em uma decisão bastante emocionante. O ciclista do Shimano Sports Team saiu de quarto lugar no início da final, para ultrapassar o vice-campeão Igor Martins na última curva e garantir o título por uma distância de menos de meia bicicleta.
“Muito feliz por começar o ano com o pé direito. Foi muito emocionante esse título. Sei que tenho muito para evoluir na temporada e o legal é que o nível da competição esteve muito forte. A Taça Brasil de BMX foi uma corrida que ganhou ainda mais importância pela presença dos melhores pilotos do País. As pessoas presentes comentaram que fazia anos que uma disputa final não era tão equilibrada no BMX nacional”, comentou Renato Rezende, que tem sua bike equipada com componentes DXR da Shimano, de alta qualidade e específicos para o BMX.
-
Fontes:
http://surgiu.com.br/2018/02/19/renato-rezende-e-campeao-da-taca-brasil-de-bmx-apos-final-emocionante-em-sao-paulo/
http://www.mtbbrasilia.com.br/2018/02/19/priscilla-stevaux-confirma-favoritismo-e-vence-a-taca-brasil-de-bmx/

First Bikes apresenta seus atletas patrocinados para 2018

A First Bikes amplia sua atuação com atletas nas modalidades de Mountain Bike e Ciclismo nesta temporada.A empresa patrocinará o Time Jundiaí, que se divide em uma equipe de mountain bike e outra de ciclismo. Ambas contam com ciclistas profissionais de elite, de base e veteranos, distribuídos em diversas categorias.
Na elite do MTB o time conta com Edivando Souza Cruz, Henrique Paixão, Willian Lima Souza e Fabiana Brandão. Na Elite do ciclismo a equipe é formada por Fábio Xavier Santos, Flávio Miranda, Bruno Calimani, Rodolfo Gardillari, Wellington Albuquerque e Paulo Padovan.
"Ter um grande número de atletas está dentro da nossa filosofia de contribuir com o desenvolvimento do MTB no país e de ser uma marca para todos", revela Wagner Ienne, diretor da First Bikes.
Edmilson Souza Lima, coordenador de ciclismo da cidade de Jundiaí, vê o apoio da First como essencial para manter o projeto. "É uma parceria de longa data que atua com atletas profissionais de alto rendimento e também com os de base para que evoluam de categoria".
Edivando, piloto com bagagem olímpica é um dos principais nomes do time e do cenário nacional de bicicletas. Ele renova o contrato com a empresa que já dura três anos.
"É muito bom poder firmar uma parceria duradoura. O tempo fortalece as nossas experiências, nos permite conhecer mais a fundo a empresa, nos deixa mais entrosado com o time e adaptado com a equipe", declara Edivando.
A Equipe Zero One, que conta com três pilotos e está há cinco anos em parceria com a empresa, também recebe patrocínio em 2018.
No Mountain Bike, os atletas irão disputar as principais competições do país como o Campeonato Brasileiro, Brasil Ride, Copa Internacional de MTB, GP Ravelli e Big Biker. No ciclismo as principais provas serão o Campeonato Paulista de Resistência, Campeonato Metropolitano, Copa Ibc, entre outras.
A estreia do time de ciclismo ocorre no Desafio Ultra Race de 6 horas, que ocorrerá no dia 18 de fevereiro, em Paulínia (SP). Já a equipe de Mountain Bike terá sua primeira disputa no GP Ravelli, que acontece no dia 25 de fevereiro, em Jacutinga (SP)
-
Fonte: https://www.pedal.com.br/first-bikes-apresenta-seus-atletas-patrocinados-para-2018_texto12735.html

Produção de bicicletas cresce 49,8% em janeiro

As indústrias de bicicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) produziram 52.211 unidades em janeiro, o que representa alta de 49,8% sobre o mesmo período de 2017 (34.849). Na confrontação com dezembro, o aumento foi de 138,6% sobre as 21.879 bikes fabricadas no último mês do ano passado, porém é justificado pelo fato de as fábricas estarem em férias coletivas em parte daquele período. Os dados são da ABRACICLO, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares.
Com estes números positivos registrados no primeiro mês do ano, a entidade reforça suas projeções de crescimento do setor em 2018. A expectativa é que no acumulado dos doze meses suas associadas produzam 727 mil unidades, representando crescimento de cerca de 9% na comparação com o ano anterior, quando saíram das linhas de produção 667.363 bicicletas.
“O ano começou mais aquecido, com o mercado pedalando forte para cima, o que reforça a perspectiva de bons resultados. Este promete ser, enfim, um período de crescimento dos negócios, conforme indicam as projeções das fabricantes instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM)”, comenta João Ludgero, vice-presidente do segmento de Bicicletas da Abraciclo.

Resultados por categoria

Dados da entidade mostram que entre as categorias foram produzidas 29.776 bicicletas do tipo Urbana, com alta de 99,2% sobre dezembro (14.951 unidades). A categoria Mountain Bike (MTB) contou com 21.918 unidades, com resultado mensal 224,4% superior ao mês anterior (6.757 unidades). Por último, aparece a categoria Estrada, com 517 unidades, representando um aumento de 202,3% sobre dezembro (171 unidades). No que diz respeito à participação, a categoria Urbana aparece no topo do ranking, com 57%, seguida da MTB, com 42%, e Estrada (1%). É preciso levar em conta, ainda, que muitos consumidores de bicicletas do tipo MTB também estão adquirindo estes produtos para uso urbano.

Exportações

Segundo os dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) analisados pela Abraciclo, a importação de bicicletas em todo o território nacional totalizou 17.515 unidades em janeiro, alta de 56,4% sobre o mesmo mês de 2017 (11.201). Na comparação com dezembro houve aumento de 51,2% (11.586). A maior parte das bicicletas trazidas de outros países veio principalmente da China, Canadá, Portugal, Taiwan (Formosa) e Camboja.
As exportações de bicicletas produzidas no Brasil ocorrem em menor volume, atingindo 718 unidades, o que corresponde a um aumento de 8,8% sobre as 660 unidades de janeiro de 2017, sendo o Paraguai o principal destino (705 unidades), na frente da Bolívia (13 unidades). No entanto, na confrontação com dezembro de 2017 (1.129 unidades) houve queda de 36,4% nos embarques.
-
Fonte: http://www.investimentosenoticias.com.br/noticias/negocios/producao-de-bicicletas-cresce-49-8-em-janeiro

Tim Wellens conquista a Volta à Andaluzia

O belga Tim Wellens, da Lotto Soudal, começou o ano como vencedor da Volta à Andaluzia, depois de ter conseguido defender a liderança no contrarrelógio final, disputado em Barbate, Cádis.
Weelens ganhara na véspera a liderança, em Alcalá de los Gazules, e neste domingo tinha que defender sete segundos no curto contrarrelógio de 14 quilômetros. Esteve bem, conseguindo o oitavo tempo, a 14 segundos do espanhol David de la Cruz (Sky), mas ganhou tempo em relação aos adversários diretos.
Foi, nomeadamente, o caso do espanhol Mikel Landa (Movistar), que era segundo e hoje perdeu 49 segundos para o vencedor da tirada, caindo para sexto da geral.
O holandês Wout Poels (Sky) subiu a segundo, com mais oito segundos a mais que Wellens, e o espanhol Marc (Movistar) em terceiro, com mais 27 segundos.
-
Fonte: https://www.ojogo.pt/modalidades/ciclismo/noticias/interior/tim-wellens-conquista-a-volta-a-andaluzia-9127984.html

O ciclismo não afeta a função urinária ou sexual dos homens

Andar de bicicleta não afeta a função urinária ou sexual dos homens, de acordo com um estudo recente.

Os homens que praticam ciclismo , seja apenas por hobby ou profissionalmente, não tem a saúde sexual ou a função urinária prejudicadas como pensavam. Isto é confirmado pelos resultados de pesquisas publicadas no The Journal of Urology , o que contradiz alguns estudos anteriores que indicam que a posição tomada na bicicleta pode causar pressão sobre os órgãos masculinos sistema reprodutivo.
O novo estudo foi feito por um grupo de especialistas da Universidade da Califórnia em São Francisco (UCSF), nos Estados Unidos, que analisaram a saúde sexual de 2.774 ciclistas, 789 corredores e 539 nadadores , espalhados por Austrália, Canadá, Estados Unidos, Nova Zelândia e Reino Unido. Os participantes responderam alguns testes que reuniram informações sobre sua função sexual e urinária e sobre os possíveis problemas de infecções , dormência, estenoses uretrais – fechamento da uretra e dores na área.
Os resultados foram semelhantes em todos os participantes, independentemente do tipo exercício que eles realizaram, o que mostra que não há maior risco em homens que fazem ciclismo , como observado em outros estudos. Benjamin Breyer, investigador principal, explicou que os benefícios deste tipo de esporte superam os riscos, uma vez que melhora a saúde cardiovascular e dificilmente afeta negativamente as articulações.
Mais dormência genital entre ciclistas
No entanto, houve diferenças em alguns aspectos dos atletas. Alguns ciclistas eram mais propensos a estenose uretral e, acima de tudo, entorpecimento genital . A última desordem ainda está estudando para ver se poderia trazer outros problemas.
O estudo também deixou claro outros aspectos do ciclismo, como o tipo de bicicleta utilizada, a altura do banco e do ciclista, o uso de roupas com reforço na área genital ou o tipo de terreno pelo qual circula, mas nenhum parecia ter efeitos negativos sobre os homens.
Além disso, houve uma diferença entre aqueles que realizaram o exercício de forma mais intensiva (mais de duas vezes por semana durante pelo menos dois anos e uma média de 40 km por dia percorrido) e aqueles que andavam de bicicleta apenas por gostar e também não foram encontrado diferenças significativas entre esses dois grupos, exceto que os ciclistas de alta intensidade tiveram uma melhor função sexual.
-
Fonte: https://www.jornaldecanoas.com/noticias/o-ciclismo-nao-afeta-a-funcao-urinaria-ou-sexual-dos-homens/

7ª Volta Feminina do Brasil acontece em São Carlos, no Carnaval

Mesmo durante o Carnaval, centenas de brasileiras não deixarão de pedalar na 7ª Volta Feminina do Brasil, evento destinado para atletas de elite, sub-23 e máster, em São Carlos (SP). Além delas, ciclistas da nova geração, de 12 a 18 anos, masculino e feminino, participarão da 12ª Volta Ciclística do Futuro, sediada no mesmo local e realizada nos mesmos dias.
A principal competição voltada ao público feminino da modalidade no País quer valorizar as atletas nacionais. Na ocasião, etapas de contrarrelógio, circuito e estrada serão disputadas.
No próximo domingo, as provas de estrada e de contrarrelógio (5,5Km), no Parque Eco Esportivo Damha, dão início às disputas. No dia seguinte, as atletas voltam a disputar estrada, desta vez no Distrito de Água Vermelha e Santa Eudóxia. Finalmente, na terça-feira, a última etapa será um circuito estrada de 8,5Km.
Com provas também no Parque Eco Esportivo do Damha, a Volta do Futuro tem o objetivo de revelar valores para o esporte e ampliar a base da modalidade. As principais equipes brasileiras terão representantes na disputa, o que promete elevar o nível técnico da competição.
-

Equipe de Ciclismo de Arapongas vai participar da 12ª Volta do Futuro

A equipe de ciclismo de Arapongas vai participar no período de 11 a 13 de fevereiro da 12ª edição da Volta Ciclística do Futuro, em São Paulo. A competição contará com a presença de atletas de todo o território nacional sendo considerada como uma das maiores provas de ciclismo para jovens entre 12 a 18 anos do Brasil.
A prova, pelos naipes masculino e feminino, dará pontos para o ranking da Confederação Brasileira de Ciclismo.
Na competição realizada no ano passado participaram os araponguenses Gustavo Henrique Santos Domingos, Brehon Castagno Schinaider Júnior, Gabriel Santiago Magalhães, João Vitor Rocha da Silva, Júlia Maria Constantino e Maria de Lourdes Aparecida Maciel.
Do Paraná também competiram ciclistas de Rolândia, Londrina, Maringá e Foz do Iguaçu.
-
Fonte: https://tnonline.uol.com.br/noticias/esportes/1,457500,06,02,equipe-de-ciclismo-de-arapongas-vai-participar-da-12a-volta-do-futuro.shtml

Dupla mineira marca presença em nova equipe de ciclismo

Cannondale Brasil Racing, que leva nome de uma das principais marcas do mountain bike mundial, chega para romper barreiras e trazer mais competitividade para a modalidade no Brasil .
Quatro dos principais atletas de mountain bike de Minas Gerais agora estarão reunidos como membros da Cannondale Brasil Racing, nova equipe que aparece para se destacar no cenário nacional e internacional. A apresentação da formação aconteceu na última sexta-feira, na sede da Power Cycle, primeiro centro de treinamento de ciclismo indoor de Belo Horizonte.
A dedo, Viviane Favery, Sherman Trezza, Hugo Prado Neto e Lukas Kaufmann foram escolhidos. Estes dois últimos, inclusive, já trabalham juntos há vários anos, facilitando o trabalho de entrosamento do quarteto. Enquanto Hugo e Sherman são mineiros, Lukas, nascido na Suíça, é radicado no Estado das montanhas e acaba de conseguir a nacionalidade verde-amarela. Já Viviane é natural de São Paulo e tem participado de algumas das principais competições de mountain bike do planeta nos últimos anos.
“A Cannondale Brasil Racing é uma equipe que vem para somar e engrandecer o ciclismo nacional, com uma proposta de estrutura, produtos de primeira linha, que nos dará condições de nos desenvolvermos como atletas e buscarmos grandes conquistas. O Brasil fica ainda mais fortalecido no esporte”, comenta Sherman Trezza, que está entre os três melhores brasileiros no ranking da União Ciclística Internacional (UCI)

Espelho

A ideia de uma equipe competitiva e com boa estrutura por trás já é usada com frequência fora do país em locais como Estados Unidos e Europa que possuem alguns dos melhores ciclistas do planeta.
“Essa equipe nasce com um modelo romper barreiras no ciclismo brasileiro, queremos usar o mesmo conceito utilizado hoje na Europa e Estados Unidos pelos grandes times. Considero que uma equipe de mountain bike é muito mais do que apenas bicicletas, componentes, atletas e uma boa estrutura. Pensamos como uma plataforma, de unir toda a comunicação, com o público, patrocinador, aproximar os fãs do esporte e apresentar como funciona uma equipe de alta performance que vai buscar elevar o nome do Brasil no esporte”, comenta o técnico Loris Verona Junior.
O potencial da modalidade foi predonderante para a iniciativa. A tendência é que novos e bons resultados apareçam, contribuindo para a evolução do mountain bike brasileiro a nível internacional.
“O mountain bike é um esporte forte e que cada vez mais ganha novos fãs no Brasil. Com a criação da equipe Cannondale Brasil Racing, queremos incentivar o crescimento da modalidade. Buscamos atrair o olhar do público, chamar a atenção para novos atletas e elevar a competitividade dos mountain bikers brasileiros. Temos o sonho de ver o Brasil abrindo a terceira vaga no masculino e a segunda no feminino nas Olimpíadas. Hoje já temos o Avancini correndo lá fora na quinta posição do ranking mundial, e podemos ter novos atletas figurando entre os melhores, só precisamos incentivar”, analisa Eduardo Rocha, diretor de marketing da Cannondale.
-
Fonte: http://www.otempo.com.br/superfc/dupla-mineira-marca-presen%C3%A7a-em-nova-equipe-de-ciclismo-1.1570561

COMUNICADO APDH-04/2018: Link para as inscrições

COMUNICADO APDH-04/2018

ASSUNTO: LINK PARA REALIZAÇÃO DAS INSCRIÇÕES

As inscrições deverão ser feitas através do site:

http://www.mazobikers.com.br/

No menu DH 2018, sub-menu INSCRIÇÕES... que está destacado em vermelho.

Sem mais, obrigado!

Nery Soares
Presidente da APDH – Associação Paranaense de Downhill
nerysoares@yahoo.com.br / coordenacaodh.jaguariaiva@gmail.com
(43) 9 96658470

GUIA TÉCNICO - 3ª Etapa - IRATI

Guia Técnico referente a 3ª Etapa do Campeonato Paranaense de Downhill
Responsável: JULIO CESAR KIMPINSKI

GUIA TÉCNICO - 1ª Etapa - LONDRINA

Guia Técnico referente a 1ª Etapa do Campeonato Paranaense de Downhill
Responsável: DOUGLAS RUTH

Cartaz Oficial Geral do Campeonato Paranaense de Downhill 2018


Cartaz Oficial Geral referente ao Campeonato Paranaense de Downhill 2018.

Regulamento - Campeonato Paranaense de Downhill 2018

REGULAMENTO REFERENTE AO CAMPEONATO PARANAENSE 2018
-

Cronometragem oficial do Campeonato Paranaense de Downhill 2018

A REDLINE de Londrina-PR será a responsável pela CRONOMETRAGEM OFICIAL do Campeonato Paranaense de Downhill 2018.

Campeonato Paranaense de DH 2018 - Inscrições Abertas - 1a. Etapa

Olá a todos os downhillers de plantão, estão abertas as inscrições para a 1a. Etapa do CAMPEONATO PARANAENSE DE DOWNHILL, que será realizado na cidade de  Londrina-PR nos dias 17 e 18 de março.
Para se inscrever clique no menu "DH 2018" e em seguida "INSCRIÇÕES" e preencha o formulário.

  • DATA/PERÍODO PARA INSCRIÇÕES COM O SEGURO DE VIDA:
      • Até o dia 15/03/2018 ás 12:00hs
      • Valor da inscrição: R$ 100,00
  • DADOS PARA DEPOSITO OU TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA:
      • HENRIQUE CECILIATO DE CARVALHO
      • CPF 033.076.819-07
      • Caixa Econômica Federal
      • Agência: 3068
      • Operação:  013
      • Conta Poupança 226-8
Os comprovantes devem ser enviados para douglasruth@gmail.com, e os mesmos deve ser novamente apresentados junto com a identificação na hora da retirada do Number Plate.

COMUNICADO APDH-02-03/2018: CATEGORIAS OFICIAIS DO CAMPEONATO PARANAENSE DE DOWNHILL

COMUNICADO APDH-02-03/2018


ASSUNTO: CATEGORIAS OFICIAIS DO CAMPEONATO PARANAENSE DE DOWNHILL – VÁLIDO PELO RANKING NACIONAL (CBC)

  • MASCULINO – DOWNHILL
    • ELITE: 19 A 29 ANOS OU CRITÉRIO TÉCNICO (Nascidos em 1999 e anos anteriores)
    • SUB-30: 19 A 29 ANOS (Nascidos em 1999 a 1989)
    • JUNIOR: 17 A 18 ANOS (Nascidos em 2001 a 2000)
    • JUVENIL: 15 A 16 ANOS (Nascidos em 2003 a 2002)
    • INFANTO-JUVENIL: 12 A 14 ANOS (Nascidos em 2006 a 2004)
    • MASTER A1: 30 A 34 ANOS (Nascidos em 1988 a 1984)
    • MASTER A2: 35 A 39 ANOS (Nascidos em 1983 a 1979)
    • MASTER B1: 40 A 44 ANOS (Nascidos em 1978 a 1974)
    • MASTER B2: 45 A 49 ANOS (Nascidos em 1973 a 1969)
    • MASTER C1: 50 A 54 ANOS (Nascidos em 1968 a 1964)
    • MASTER C2: 55 A 59 ANOS (Nascidos em 1963 a 1959)
    • MASTER D: 60 ANOS ACIMA  (Nascidos em 1958 e anos anteriores)
  • FEMININO – DOWNHILL
    • ELITE: 19 ANOS ACIMA (Nascidas em 1999 e anos anteriores)
    • JUNIOR: 17 A 18 ANOS (Nascidas em 2001 a 2000)

OBS: PARA A CATEGORIA ESTREANTE NÃO HÁ NECESSIDADE DE SE FILIAR NA FPC (ESTA CATEGORIA É EXTRA-OFICIAL)

Sem mais, obrigado!

Nery Soares
Presidente da APDH – Associação Paranaense de Downhill
nerysoares@yahoo.com.br / coordenacaodh.jaguariaiva@gmail.com
(43) 9 96658470