NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

Descida das Escadas de Santos 2017 - VIDEO COMPLETO


Olá Bikers e Riders de Plantão.


Como é provável que muitos não puderam assistir a DESCIDA DAS ESCADAS DE SANTOS 2017 que foi transmitido durante o ESPORTE ESPETACULAR, segue ai mais um video que o MAZOBIKERS BLOG preparou para que todos pudessem curtir o DHU, o evento está na completo, na integra.

Fazemos isso com carinho para que Downhill cresça cada vez mais.

Abraço! Redator Mazobikers

VIDEO - DESCIDA DAS ESCADAS DE SANTOS 2017



Espanhol Javier Guijarro conquista Descida das Escadas de Santos 2017

Javier Guijarro, de 25 anos, é o campeão da Descida das Escadas de Santos 2017, a maior prova de downhill urbano da América da Latina. O espanhol é dono do novo tempo recorde (58.377) da competição – antes, a marca era do eslovaco Filip Polc, que desceu os 514 degraus do Morro do Pacheco em 58.895, no ano passado, e parou de competir ainda em 2016. Guijarro manteve a liderança que havia conquistado na seletiva da semana passada para a prova, em São Vicente, e, também, no qualify. O vice-campeão foi o piloto Wallace Miranda, de Aparecida (SP), com 59.114.
“Eu estou muito, muito feliz com esta conquista. Não somente eu, como toda a minha família que ficou na Espanha. Aqui, no Brasil, eu me sinto em casa. Mas, agora, é hora de voltar para o meu país, com esse título na bagagem”, disse o novo campeão.
O espanhol também foi coroado como Rei das Escadas de Santos pela Garota Dowhill 2017, Adryen Gozzer. Guijarro sentou na tradicional poltrona real, com direito à coroa e ao cetro. A competição foi transmitida ao vivo durante o programa Esporte Espetacular, da Rede Globo.
Por pouco, o brasileiro Wallace Miranda não subiu no lugar mais alto do pódio, como fez em 2008 e 2009. O veterano conhece bem a pista e manteve bons tempos no treino e na prova. Segundo ele, que é visto como exemplo pelos colegas, ver esse reconhecimento dos amigos é muito gratificante. “Fico muito feliz em saber disso. Que eles (pilotos) venham competir sempre com bastante motivação e consigam vencer, na pista e na vida, por meio do esporte”.

Bicampeonato

Na categoria feminina, a vencedora foi Barbara Jechow, a Babi, que completou a prova em 1:27.446. A mineira, que é bicampeã na competição – o último título foi no ano passado – comemora a missão cumprida.
“Eu treinei bastante e estou bem feliz com o resultado. Deixei a bike mais firme e deu tudo certo”.
O organizador da Descida das Escadas de Santos e presidente da Confederação Brasileira de Mountain Bike, Marcelo Coelho, agradeceu a todos os pilotos e à comunidade do Morro do Pacheco, que abraçou toda a competição.
 “É extremamente gratificante ver tudo isso, aqui. Receber o carinho de todos, que colaboraram para o sucesso de mais uma edição da prova, é muito bacana. Por isso: até o ano que vem!”
PódioA competição premiou, também, outros três colocados na categoria masculina: Gabriel Giovannini (59.310), Bruno da Silva (59.700) e Lucas Silva (1:00.385), 3º, 4º e 5º lugares, respectivamente. Na feminina, Ana Carolina Ferrer garantiu a segunda posição, com tempo de 2:00.482. O terceiro lugar ficou com Rafaella Santana, com 10:15.344.
Espanhol Javier Guijarro não deu chances para os brasileiros que chegaram até a final (Foto: Carlos Nogueira)
-
Fonte: http://www.atribuna.com.br/noticias/detalhe/noticia/espanhol-javier-guijarro-conquista-descida-das-escadas-de-santos/?cHash=2bb16cb3c81984da8c4bcb3cb55607d2

Lance Armstrong: «Dopei-me mas trabalhei muito para ganhar o que ganhei»

Lance Armstrong não quer ser recordado por todo o caso de doping do qual foi protagonista. O antigo ciclista norte-americano lembrou que, apesar dos erros que cometeu, trabalhou muito.
"Dopei-me sim, mas não quero ser recordado pelos fãs por causa disso. Também trabalhei muito para ganhar o que ganhei. As pessoas não devem esquecer-se do trabalho duro e esforço dos corredores, mesmo que se tenham dopado ao mesmo tempo. Nem tudo é branco ou preto", referiu Lance num podcast com antigos companheiros.
O ex-corredor, que venceu a Volta a França por sete vezes consecutivas, mas que depois viu todos os títulos retirados, reiterou que a US Postal era uma equipe feita para vencer:
"A mentalidade da equipe era clara: tínhamos a melhor tecnologia, treinávamos como ninguém, tínhamos as táticas mais inteligentes, o melhor diretor, o túnel de vento, uma dieta exaustiva... Isto não pode passar despercebido".
Por fim, Armstrong garantiu que já sofreu muito com todo o caso:
"Sei que muita gente quer que seja castigado severamente e eu percebo, mas já fui severamente punido pelos meus erros. Algumas coisas são públicas, mas outras não, para salvaguardar a minha família".
-
Fonte:  http://www.record.pt/modalidades/ciclismo/detalhe/lance-armstrong-dopei-me-mas-trabalhei-muito-para-ganhar-o-que-ganhei.html

Novos componentes Shimano ampliam as possibilidades para o pedal off-road e trekking


Líder mundial no mercado de componentes para a prática do ciclismo, a Shimano faz o lançamento de novos componentes para os grupos Deore XT, SLX, Deore, Alivio, Acera e Altus, ampliando as possibilidades para o pedal off-road e trekking. Confira:
Série Deore M6000 – Projetado com foco em performance e lazer, o novo Deore M6000 é dedicado aos entusiastas do mountain bike e de trekking, mountain bikers que usam a bicicleta para mobilidade e ciclistas de lazer que curtem o ar livre e precisam de componentes que resistam a estradões duros, chuva, areia e as piores condições que a natureza pode apresentar. O grupo Deore M6000 continua como um sistema de 10 velocidades, porém, com adição de características inovadoras para um pedal confortável, suave e flexível de infinitas possibilidades.

O sistema de transmissão 2×10 (FC-M6000) adota o visual da família do XTR, XT e SLX, com um pedivela incrível de 4 braços Hollowtech II e tipo one-piece em compósito, com projeto em três opções de configuração (38-28D, 36-26D, 34-24D). Vem ainda com uma versão alternativa de 3mm de Q-factor, para quadros com cubo traseiro 148mm (Boost). Enquanto isso, o pedivela de 3×10 tem um visual agressivo e único, oferecendo uma combinação de 40-30-22D para uma ampla gama de estilos de pedalada. Ambos pedivelas combinam com um novo cassete Dyna-Sys (CS-HG500), de grande amplitude de marchas (11-42D) de 10 velocidades, possui mais três opções de configuração: 11-36/34/32D.

Os sistemas de mudanças de marcha em combinações de 2×10 e 3×10 são feitos por um câmbio traseiro Shadow RD+ (RD-M6000-GS), que fornece maior estabilidade e retenção da corrente. Nas trocas dianteiras, três opções de câmbio com top, down e side swing, podem ser combinadas com cinco tipos de opção de montagem: high (alta), low (baixa), direct mount, E-type e o novo mid-type, para oferecer mais opções de rota do cabo de câmbio e ajudar a novas características de montadoras de bicicletas, como por exemplo para se adequar a suspensões traseiras e distância do pneu.

As trocas de marcha são feitas com alavancas Rapidfire Plus (SL-M6000) com display para observação da marcha escolhida. Novos freios a disco hidráulicos oferecem controle com manetes Servo wave de alta potência (BL-M6000), além de pinças de freio com isolamento térmico (BR-M6000) projetadas para acolher pastilhas de freio Ice Technologies. Os cubos (HB-M6000/10, FH-M6000/10) completam o grupo com opção de eixo E-Thru de 100x15mm na frente e montagem centerlock para fácil e rápida instalação dos rotores.

Novidades para componentes Non-series de MTB – A linha de rodas foi expandida com dois novos modelos de 29″ e 27.5″ Deore XT, com opções e-thru mais ampla. As rodas dianteiras são mais rígidas com aumento de 10mm na largura e eixo e-thru de 110×15, enquanto as rodas traseiras são 6mm mais amplas com eixos de 148×12. Novos eixos traseiros e-thru (AX-MT700 e AX-MT500) são mais leves e com dimensões menores do corpo para uma folga maior com relação ao quadro e pinças de freio.

Em termos de sistema de transmissão de marcha, um novo cassete com gama mais ampla de 11-46D (CS-M7000) foi apresentado para configurações de 1×11.

Em nível similar ao novo grupo Deore vem um novo pedivela 2×11 tipo two-piece de 36-26D (FC-MT600) cujos dentes da coroa possuem tratamento anti-abrasão e trocas de marcha Dyna-Sys nas versões para Boost (Q-factor de 3mm) e Standard, assim como um pedivela 2×10 com configuração closer-step de 36-26D (FC-MT500).

Em combinação com o pedivela FC-MT500 vem um conjunto de freio a disco hidráulico (BR-MT500) como uma versão non-series do Deore BR-M6000. Novos pedais duplos SPD (PD-ED500) também vieram para oferecer uma pedalada de ação leve, de nível Deore.

Novas opções de Sistema de marchas para Alivio, Acera e Altus – Os ciclistas que pedalam com grupos nível Alivio (M4000) e Acera (M3000) por trilhas e meias distâncias urbanas, possuem agora a opção de um pedivela de velocidade 2×9, com especificação de 36-22D (FC-M4050 tipo two-piece ou FC-M3000 tipo ponta quadrada) com linha de corrente de 3mm de tolerância para acomodar pneus de tamanhos maiores.

Novos cassetes Hyperglide de 9 velocidades, combinação de 11-36D (CS-HG400/201-9), com trocadores de ação rápida (SL-M4010/M3010-L) e câmbios dianteiros side swing (FD-MT400-E/D) com maior folga para pneus, completam o grupo de componentes.

Enquanto isso, no nível do Altus (M2000) uma nova engrenagem (9ª velocidade) MEGALITE dá total controle nesse estiloso sistema de marchas de 3×9 velocidades. O Pedivela 40-30-22D combina com um cassete maior de 11-36D resistente à oxidação (CS-HG200-9/201-9) e um novo câmbio traseiro com tecnologia Shadow RD fornece uma posição compacta mais protegida.

Mais imagens – A Shimano disponibiliza um acervo completo de imagens dos grupos nos links abaixo:

Sobre a Shimano – Empresa líder de mercado em componentes e acessórios para bicicleta e pesca, a Shimano foi criada em 1921 e possui sede em Sakai, no Japão. O escritório da Shimano Latin America foi fundado em 2007, em São Paulo.

A Shimano desenvolveu as exclusivas tecnologias STI (Shimano Total Integration – alavanca de marchas e freio integrados), SPD (Shimano Pedaling Dynamics – para sapatilhas e pedais) e SIS (Shimano IndexSystem), entre outras, reconhecidas e referência no mundo todo. Possui entre suas marcas nomes que são sinônimos de qualidade e performance no universo ciclístico: XTR, Dura Ace, Ultegra, DI2.
Mais informações no site: bike.shimano.com.br
Twitter:@shimanobrasil
Fanpage no Facebook: www.facebook.com/shimanobrasil

Gustavo Coelho / Doro Jr. – Mtb 13209
E-mail: gustavo@zdl.com.br
Tel: 11 32855911 / Vivo: 11 9.8457-9699
Site: www.zdl.com.br
Facebook: ZDL Comunicação
Twitter: twitter.com/ZDLcomunica

Conheça a Jaraguaense que é número 1 no ranking da Confederação Brasileira de Ciclismo

O amor pela aventura e pelo esporte são os ingredientes da jaraguaense Kauana Thais Nunes, de 16 anos, para continuar persistindo no que ela mais gosta de fazer: praticar o Downhill. E parece que dá certo, porque toda essa dedicação levou a jovem a ocupar o primeiro lugar no ranking da Confederação Brasileira de Ciclismo. Veja o ranking aqui

Jaraguaense de nascença, mas schroedense de coração e residência, Kauana atua há dois anos no esporte e, nesse curto período de tempo, já acumula alguns prêmios na sua trajetória. Por hora, ela leva com orgulho os títulos de vice-campeã brasileira 2016 e campeã catarinense de Downhill.

Toda a inspiração para seguir no esporte veio do irmão mais velho Jhony Feliphe Nunes, de 19 anos, que ainda compete na modalidade. Os dois treinavam juntos sempre na chácara da família, quando ela descobriu a paixão pela modalidade. Junto do irmão, os pais José Carlos e Maria Nunes são os maiores apoiadores de Kauana. São eles que a acompanham nas viagens para competir e apoiar em cada vitória, e também nas quedas (literalmente).

Kauana junto com o irmão Jhony (Foto: Scharlete Schlei)

Mas não é qualquer tombo que faz ela desistir, não. E olha que já foram muitos! Um dos mais marcantes foi o que deixou ela na segunda colocação do campeonato brasileiro, em 2016, depois de pegar uma pedra no caminho.
“Eu queria continuar a prova, mas os bombeiros não deixaram, porque eu tinha me machucado. Mas, na próxima, quero dar o meu melhor”, diz Kauana.
Agora, já recuperada, ela quer treinar forte e focar para conquistar o 1° lugar no Campeonato Brasileiro.

"Eu amo muito esse esporte, é incrível sentir aquele frio na barriga, superar meus medos, fazer novas amizades e me divertir em cada prova. Mas o que me motiva e me deixa mais feliz é ver o sorriso e o orgulho do meu pai." diz Kauana.

E falando em próxima, esse ano tem muitas competições vindo por aí! Kauana pretende participar novamente do Open Shimano, de todas as provas da Federação Catarinense de Ciclismo e outros mais que estiverem ao seu alcance. Mas o principal objetivo este ano é o Campeonato Brasileiro, que vai acontecer em Minas Gerais, em julho.


Veja as conquistas de Kauana:

– Campeã do ranking na categoria feminino livre, nos anos de 2014 e 2015, pela FCMTB (Federação Catarinense de Mountain Bike)
– Campeã do ranking na categoria elite feminino, nos anos de 2015 e 2016, pela FCC (Federação Catarinense de Ciclismo)
– 3° colocada feminino no Open Shimano em 2015 (um dos eventos mais importantes da América latina)
– 3º colocada na 3º etapa do ranking da CBC (Confederação Brasileira de Ciclismo), em 2015
– 1º colocada na 7° etapa válida para o ranking brasileiro da CBC em 2016
– 1º colocada no Meeting Verão de downhill, válida pro ranking da CBC em 2016
– Vice-campeã 2016 de Mountain Bike Downhill juvenil feminino
– Campeã sul-brasileira válida para o ranking brasileiro em 2016
– Campeã na última etapa do paranaense em 2016

Em busca de patrocínio

As empresas jaraguaenses já podem ficar ligadas, porque a Kauana está em busca de patrocínio. Até agora, quem a apoiou e bancou as participações foi o pai, mas este ano um patrocínio seria indispensável para ela continuar competindo, afinal algumas das provas que ela quer participar requerem mais gastos.

Interessados em firmar patrocínio com a atleta pode entrar em contato com o Carlos através do telefone: (47) 9 8862-7163.

Kauana junto do seu grande apoiador, o pai Carlos
Fonte: http://poracaso.com/conheca-a-jaraguaense-que-e-numero-1-no-ranking-da-confederacao-brasileira-de-ciclismo/

Brasileiro Gideoni Monteiro é nono e faz história em etapa da Copa do Mundo

Neste final de semana foi realizada, em Cali, na Colômbia, a terceira etapa da Copa do Mundo de ciclismo de pista. O brasileiro Gideoni Monteiro fez história, terminou na nona colocação e conquistou o melhor resultado do País na história da competição.
Gideoni terminou no nono lugar da omnium, com 68 pontos conquistados, e comemorou a marca história alcançada.
"Este foi o melhor resultado de um brasileiro em Copa do Mundo, o que me deixa muito feliz. Começar um ciclo e estar no top 10 mundial comprova que estou em evolução. Queria estar no top 10 aqui em Cali e consegui o que estava dentro do meu objetivo", disse.
O campeão foi Sam Welsford, da Austrália, com 128, que venceu com boa margem. A segunda colocação ficou com Lindsay de Vylderm, da Bélgica, com 107 pontos, e a terceira com Casper Von Folsach, da Dinamarca, com 104.
Aliás, esta foi a primeira competição que Monteiro atuou sob o novo modelo da omnium. A categoria mundial passou por uma alteração de formato em outubro de 2016. Agora, as quatro provas acontecem no mesmo dia. Dessa maneira, na manhã, Gideoni atuou no scratch e no tempo race, somando 16 e 22 pontos. À tarde, o atleta enfrentou a eliminação e a corrida final por pontos (25 km), conquistando 24 e seis pontos, respectivamente.
"Esse novo modelo da omnium me agradou bastante, porque eu me adaptei muito bem aos estilos das provas, com características de pelotão. Ficou mais duro competir, com intensidade altíssima e pouco tempo de recuperação entre as provas. Realmente ficou mais puxado, então é importante demais planejar o máximo possível para você não sobrar em uma disputa e faltar energia nas outras", finalizou o ciclista.
-
Fonte: https://esportes.terra.com.br/gideoni-monteiro-e-nono-e-faz-historia-em-etapa-da-copa-do-mundo,d3d34610245a73b025c48cde03ae4473hrqv2jx5.html

Valverde e Contador ao ataque na Volta a Andaluzia

O espanhol Alejandro Valverde, líder da Movistar Team, ganhou nesta quarta-feira a primeira etapa da Volta a Andaluzia, impondo-se na linha de chegada em Granada, ao 'sprint', a um grupo de apenas seis ciclistas.
Os 156 quilômetros de Rincón de la Victoria a Málaga tiveram já montanha de primeira, com o Alto de Monachil, o que permitiu que meia dúzia de concorrentes, entre os quais Valverde e Alberto Contador (Trek-Segafredo), chegasse com avanço de alguns segundos sobre os mais diretos perseguidosres.
Foi Contador que atacou no Monachil, mas seria o veterano Valverde - 36 anos - que mais beneficiou da ação, vencendo com o tempo de 4h02m28s, numa etapa em que não houve bonificações.
Com o tempo de Valverde entraram o holandês Wout Poels (Sky), o suíço Sebastien Reinchenbach (FDJ), o italiano Diego Rosa (Sky), o espanhol Ion Izaguirre (Bahrain) e Alberto Contador.
O espanhol Mikel Landa (Sky), o colombiano Rigoberto Uran (Cannondale) e os franceses Thibaut Pinot (FDJ) e Warren Barguil (Sunweb) minimizaram os estragos e cederam somente cinco segundos, mas o resto do pelotão soma já atrasos na casa das dezenas de segundos ou minutos.
Na quinta-feira, a Volta a Andaluzia avança já para a etapa 'rainha', indo de Torredonjimeno até ao Alto Peña del Águila (178 km).
-
Fonte: https://www.rtp.pt/noticias/ciclismo/valverde-e-contador-ao-ataque-na-volta-a-andaluzia_d983272

Volta ao Algarve: Fernando Gaviria vence primeira etapa ao sprint

Fernando Gaviria, da Quick Step Floors, venceu a primeira etapa da Volta ao Algarve, etapa decidida, como esperado, "ao sprint". Após 182,9 quilômetros, entre Albufeira e Lagos, o ciclista colombiano foi o primeiro a cruzar a linha de chegada com o tempo de 4h28m31s. André Greipel (Lotto) e Nacer Bouhanni (Cofidis) completaram o pódio.
No final, Greipel não escondeu o seu descontentamento para com Gaviria, reclamando pelo fato de o colombiano ter feito um ligeiro desvio de tragetória.
A segunda etapa vai ligar nesta quinta-feira Lagos ao Alto da Fóia, na primeira das duas chagadas em alta montanha.

Classificação da 1.ª etapa:
1. Fernando Gaviria, Col (Quick-Step Floors), 4:28.31 horas.
(média: 40,869 km/h).
2. André Greipel, Ale (Lotto Soudal), m.t.
3. Nacer Bouhanni, Fra (Cofidis), m.t.
4. Dylan Groenewegen, Hol (Lotto NL-Jumbo), m.t.
5. John Degenkolb, Ale (Trek-Segafredo), m.t.
6. Baptiste Planckaert, Bel (Katusha-Alpecin), m.t.
7. Matteo Trentin, Ita (Quick-Step Floors), m.t.
8. Andrea Pasqualon, Ita (Wanty-Groupe Gobert)m.t.
9. Lukasz Wisniowski, Pol (Sky), m.t.
10. Edvald Boasson Hagen, Nor (Dimension Data), m.t.

Classificação geral individual:
1. Fernando Gaviria, Col (Quick-Step Floors), 4:28.31 horas.
2. Christoph Pfingsten, Ale (Bora-hansgrohe), a 01 segundo.
3. André Greipel, Ale (Lotto Soudal), a 04 segundos.
4. Justin Oien, EUA (Caja Rural), m.t.
5. Nacer Bouhanni, Fra (Cofidis), a 06
6. João Benta, Por (RP-Boavista), a 08.
7. Dylan Groenewegen, Hol (Lotto NL-Jumbo), 10.
8. John Degenkolb, Ale (Trek-Segafredo), m.t.
9. Baptiste Planckaert, Bel (Katusha-Alpecin), m.t.
10. Matteo Trentin, Ita (Quick-Step Floors), m.t.

Volta ao Algarve: Cavendish veio para se preparar e não para 'sprintar'

O britânico Mark Cavendish garantiu hoje que não está na 43.ª Volta ao Algarve para 'sprintar', mas sim para preparar-se para o resto da temporada e para ajudar a sua Dimension Data.
'Estrela' mais sonante de um elenco invejável de 'sprinters', que entre hoje e domingo vão abrilhantar a 'Algarvia', Cavendish rejeitou assumir-se como candidato ao triunfo na primeira e quarta etapas, as únicas talhadas para os homens rápidos do pelotão.
"É verdade, neste ano estão participando os melhores 'sprinters'. Mas eu não vim para 'sprintar', mas para ajudar a equipe", respondeu o ciclista da Ilha de Man quando questionado sobre a fortíssima concorrência, que inclui o seu arquirrival alemão André Greipel (Lotto Soudal), o colombiano Fernando Gaviria (Quick-Step Floors), os franceses Arnaud Démare (FDJ) e Nacer Bouhanni (Cofidis) e o também alemão John Degenkolb (Trek-Segafredo).
Ainda assim, ele é considerado o melhor 'sprinter' de sempre - tendo 144 vitórias no currículo, 30 das quais no Tour, o mesmo disse que seria maravilhoso sair da prova portuguesa com um novo triunfo, para juntar ao conquistado em 2014.
"Gosto muito de vir ao Algarve, é um lugar muito bonito. Viemos tentar conseguir um bom resultado e desfrutar da corrida", assumiu.
De regresso à Volta ao Algarve, após dois anos de ausência, o ciclista da Dimension Data mostrou-se mais disponível e bem-disposto do que na prova anterior, elogiando a prova que escolheu para dar início à sua temporada européia, depois da participação na Volta ao Dubai.
"É a minha terceira vez aqui. É uma ótima prova. É dura, mas é perfeita como preparação para a temporada. Os organizadores esforçam-se para que tudo saia bem. Não é um caos, nem uma corrida de loucos. Por isso, é muito bom", salientou o ciclista britânico, de 31 anos, antes da largada da primeira etapa, em Albufeira.
-
Fonte: http://www.futebol365.pt/artigo/165431-ciclismo-cavendish-veio-para-se-preparar-e-nao-para-sprintar/

A mais famosa prova portuguesa VOLTA AO ALGARVE começou hoje

O alemão Tony Martin (Katusha Alpecin) e o polaco Michal Kwiatkowski (Sky) partem esta quarta-feira para a 43.ª Volta ao Algarve, como principais candidatos à sucessão do britânico Geraint Thomas (Sky), o bicampeão ausente desta edição.
Sem Thomas no pelotão, o favoritismo recai nos homens que o antecederam no palmarés da principal prova internacional disputada em Portugal, com Tony Martin, campeão em 2011 e 2013, e Michal Kwiatkowski, vencedor em 2014, a assumirem-se como os principais candidatos ao reinado na 'Algarvia', numa lista na qual também se incluem o espanhol Luis León Sánchez (Astana), o irlandês Daniel Martin (Quick-Step Floors) ou o britânico Stephen Cummings (Dimension Data).
Desde 2006 que a Volta ao Algarve, que decorre entre hoje e domingo, não tem um vencedor nacional e, 11 anos depois, só Tiago Machado (Katusha Alpecin) parece ter condições para se intrometer na luta entre os grandes favoritos.
Os primeiros indícios do estado de forma dos candidatos poderão ser vistos na ligação de 189,3 quilômetros entre Albufeira e Lagos, na qual vão alinhar 198 ciclistas, divididos por 25 equipas, 12 das quais no WorldTour, o primeiro escalão do ciclismo mundial.

As etapas

1.ª etapa, 15 fevereiro: Albufeira - Lagos, 182,9 km.
2.ª etapa, 16 fevereiro: Lagoa -- Fóia, 189,3 km.
3.ª etapa, 17 fevereiro: Sagres -- Sagres, 18 km (CRI).
4.ª etapa, 18 fevereiro: Almodôvar -- Tavira, 203,4 km.
5.ª etapa, 19 fevereiro: Loulé -- Malhão (Loulé), 179,2 km.
Total: 772,8 km.

As equipes

World Tour:

Astana (Caz), Bora-Hansgrohe (Ale), Cannondale-Drapac (EUA), Dimension Data (Afs), FDJ (Fra), Katusha-Alpecin (Sui), LottoNL-Jumbo (Hol), Lotto Soudal (Bel), Movistar (Esp), Quick-Step Floors (Bel), Sky (GB) e Trek-Segafredo (EUA).

Profissional Continental:

Caja Rural (Esp), Cofidis (Fra), Gazprom-RusVelo (Rus), Manzana Postobon (Col), Roompot-Nederlandse Loterij (Hol) e Wanty-Groupe Gobert (Bel).

Continental:

Efapel (Por), LA-Metalusa BlackJack, Louletano-Hospital de Loulé (Por), RP-Boavista (Por), Sporting-Tavira (Por), W52-FC Porto (Por) e Rally Cycling (EUA).
 -

Justiça nega bloqueio e Armstrong pode pagar 100 milhões em processo

Com o passar dos anos, a situação só piora para o ex-ciclista Lance Armstrong. Nesta segunda-feira, um juiz de Washington se recusou a bloquear o processo de seu ex-companheiro de equipe, Floyd Landis que busca uma indenização de cerca de 100 milhões de dólares (R$ 311 milhões) devido ao escândalo de doping deflagrado pelo esportista.
O processo foi aberto por Landis em 2010 e três anos mais tarde foi incorporado pelo governo federal dos EUA, já que o serviço de correios do país, o US Postal, patrocinava a equipe que Armstrong defendeu de 1998 a 2005. A decisão do juiz de distrito Christopher Cooper agora abre espaço para o julgamento instaurado pelo Departamento de Justiça do país.

“Dar a Armstrong 'créditos' por aquilo que ele ganhou enquanto usava pode ser visto como uma recompensa injusta por ter escondido seu doping por tanto tempo”, escreveu o juiz Cooper.
A lei estadunidense permite que Landis e o governo dos EUA tenham o direito de recuperar o dinheiro que foi dado a Armstrong uma vez que ele causou danos às imagens dos envolvidos. A US Postal deu cerca de 32 milhões (R$ 99 milhões) para a equipe entre 2000 e 2004, dos quais Lance recebeu cerca de 13,5 milhões (R$ 41 milhões).
Os EUA entraram no processo após o ciclista admitir, em 2013, que se beneficiou de substâncias ilegais para vencer sete vezes a Volta da França. Além do uso, o ciclista também escondeu o doping por anos para seguir recebendo as quantias de patrocinadores. Lance foi banido das competições e teve todos os seus títulos da Volta revogados.
O ciclista também perdeu todos os seus principais patrocinadores e foi obrigado a pagar mais de dez milhões de dólares (R$ 31 milhões) por danos e infrações a diversas leis.
-
Fonte: http://www.gazetaesportiva.com/ciclismo/justica-nega-bloqueio-e-armstrong-pode-pagar-100-milhoes-em-processo/

Atletas Jaguariaívenses são destaque na 1a. Etapa da COPA SUDOESTE DE MOUNTAIN BIKE de SP


Adriano "Sacola" no Pódio
Realizou-se neste último final de semana da cidade de Botucatu-SP a 1a. Maratona ESPAÇO ELO/ACONTECE Botucatu/ABC de Mountain Bike valendo pela 1a. etapa da COPA SUDOESTE DE MOUNTAIN BIKE de SP.
A prova contou com diversos de toda a região sul e sudeste do estado de São Paulo e também com atletas do Norte do Paraná.
Tendo seu percurso passando por estradas rurais com muitas pedras e areia, diversas subidas pesadas, os 257 atletas que largaram, já de cara tiveram que encarar uma bela subida de pedras soltas.
Como é de conhecimento, desde o surgimento da COPA SUDOESTE DE MOUNTAIN BIKE de SP, os atletas da EQUIPE MAZOBIKERS tem representado o nome da cidade de Jaguariaíva-PR no Mountain Bike.
Elias "Polaco" em ação
A cada ano que se passa, aumenta-se o nível e quantidade dos atletas que participam da COPA tornando-a cada vez mais competitiva, fazendo com que cada vez mais os atletas se preparem para cada prova.
Os Atletas ADRIANO ARNAUD e ELIAS FILLVOCK a cada ano tem se destacado cada vez mais, no seu galgar de prepação para as provas. Este ano, já na primeira etapa eles mostraram que Jaguariaíva-PR tem nomes fortes para conquistas ao pódio.
O mazobiker ADRIANO ARNAUD (Sacola) acabou por conquistar a 5a. colocação na categoria MASTER-C - SPORT, concluíndo o percurso com o tempo de 1h40m14s327ms, já o mazobiker ELIAS FILLVOCK (Polaco) conquistou a 7a. colocação na categoria MASTER C - PRÓ.

Parabéns aos nossos amigos pela excelente participação... Seus amigos Mazobikers e seus familiares nos orgulhamos de vocês

A próxima etapa será na cidade de Araçoiaba da Serra - SP no dia 19 DE MARÇO.

VEM AI!!! 1o. CICLOTURISMO MTB DE SENGÉS - 05 de Março de 2017


Pois é amigos bikers do Norte do Paraná, Campos Gerais, Sul e Sudeste de São Paulo, no dia 5 de março irá se realizar na cidade de Sengés-PR o "1o. CICLOTURISMO MTB DE SENGÉS".
Sendo organizado equipe CICLISTAS DE SENGÉS e tendo apoio da Secretaria de Esportes e Turismo da cidade de Sengés, promete ser um passeio inesquecível para você e sua família que são amantes da natureza e adeptos do mountain bike.
O percurso passará por belíssimos pontos turísticos como várias cachoeiras o Canyon do Jaguaricatu e as demais belezas que o município de Sengés tem a oferecer, além da passagem pelo Pesque Pague Bela Vista para saborear um peixinho frito e já de saída o delicioso café da manhã da Dona Augusta.

O percurso total previsto é de 60km com um nível de dificuldade fácil/médio.

Observamos que o custo do café da manhã na Dona Augusta é de R$ 10,00.

Venham curtir e se divertir conosco, a natureza e a cidade de Sengés-PR te espera de braços abertos.

Taça Brasil de XCO 2017 - Campo Largo - Guilherme Müller vence na Elite

A cidade de Campo Largo, no Paraná, recebeu neste fim de semana a primeira etapa da Taça Brasil de XCO (Cross Country Olímpico), prova que abriu o calendário do mountain bike profissional nesta temporada. Classificada como classe 2 pela União Ciclística Internacional (UCI), a prova somou pontos para o ranking nacional e internacional, atraindo os principais atletas do país na modalidade.
Na Elite Masculina, a largada foi marcada pelas fortes acelerações de Rubinho Valeriano (Sense Factory Racing), Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing) e Luiz Henrique Cocuzzi (Lar/Scott/Shimano/BNP Paribas). Sem largar com a mesma velocidade, Guilherme Müller manteve a quinta colocação nos primeiros momentos da competição.
Na segunda volta, porém, o veterano Rubinho Valeriano sofreu um furo no pneu e começou a perder posições. Pouco depois, foi a vez de Avancini, líder no momento, sofrer com vegetação enroscada em seu câmbio traseiro, o que forçou o atleta a parar por alguns instantes.
Aproveitando-se do problema mecânico de seu adversário, Guilherme, que neste momento era o segundo colocado, assumiu a liderança, e completou a volta com uma vantagem de pouco menos de 30 segundos para Avancini.
Dai para frente, ele seguiu até cruzar a meta depois de completar sete voltas com cerca de um minuto de vantagem para o ciclista da Cannondale. O terceiro posto ficou com Luiz Henrique Cocuzzi, com Sherman Trezza de Paiva (Caloi) em quarto.
Já no feminino, vitória de Letícia Cândido, com Tânia Clair (Soul) em segundo.
Depois de Campo Largo, a Taça Brasil de XCO passará por Goiânia (GO), Maringá (PR), finalizando com a última prova na cidade do Rio de Janeiro (RJ).
Os resultados visualizar clicando neste LINK.
-
Fonte: https://www.pedal.com.br/taca-brasil-de-xco-2017-campo-largo-guilherme-muller-na-elite_texto11715.html

Shimano Sports Team apoiará atletas em 8 modalidades

A Shimano apresenta o seu time de atletas para a atual temporada. O Shimano Sports Team será composto por 24 atletas, representando a marca em oito modalidades: BMX, MTB cross country (XC), downhill e enduro, triatlo, triatlo cross-country, ciclismo de estrada e de pista.
"Estamos felizes com o grupo de atletas do Shimano Sports Team para 2017. Temos alguns dos destaques das modalidades que apoiamos e temos certeza de que nossos produtos de alta tecnologia melhorarão o rendimento do grupo nas principais competições do Brasil e exterior," ressalta Rogério Tancredi, gerente de marketing da Shimano Latin America.

No BMX, uma dupla de representantes olímpicos na Rio 2016 renovou com a marca: Renato Rezende (GT/FOP/Shimano) e Priscilla Stevaux (Caixa/Shimano/Frootiva). Principais nomes da modalidade nos últimos anos, o carioca Rezende e a sorocabana Stevaux não somente irão em busca do penta e do tetracampeonato na elite nacional, respectivamente, como representarão o Brasil nas principais competições realizadas no exterior.
No cross country, um time e tanto com ciclistas de cinco equipes. Na Caloi Elite Team, o mineiro Sherman Trezza e fluminense Wolfgang Soares seguem no time, o mesmo ocorrendo com o catarinense Ricardo Pscheidt, da equipe Trek Brasil, que tem como novidade Adriana Nascimento no time da Shimano, e o casal de mineiros Daniel Grossi e Isabella Lacerda, nova integrante da Groove/Shimano. Na Sense Bike Factory Racing, Guilherme Muller e Mario Couto continuam na equipe mineira, que agora conta com Rubinho Valeriano, representante do Brasil em três Olimpíadas.
A Oggi/Isapa seguirá utilizando os componentes Shimano por mais uma temporada. E, entre os atletas da equipe, cinco deles farão parte do grupo da marca: os mineiros Mario Veríssimo e Karen Olímpio, o baiano Kennedi Lago e o goiano Luiz Renato Borges. A grande novidade do ano no mountain bike fica por conta da AVA Project, equipe conceito criada pelo ciclista olímpico Henrique Avancini visando o desenvolvimento de jovens atletas, que pelo primeiro ano terá patrocínio da Shimano. O potiguar Jefferson Batista e o carioca João Pedro Firmeza são os nomes confirmados até o momento na equipe.
Downhill e enduro - Uma das principais revelações do downhill brasileiro nos últimos anos, o catarinense Lucas Borba (Audax) segue com o patrocínio Shimano por mais uma temporada. Além de competir provas de downhill no Brasil e também no exterior, Luquinha vai pedalar também nas principais provas de enduro do circuito nacional, sempre utilizando em suas bikes os componentes da mais alta tecnologia da marca. Enquanto utiliza o grupo Shimano Saint na sua bike de downhill, Borba tem o grupo Shimano XT com rodas Shimano XTR de carbono na bicicleta de enduro.
Triatlo - Principal nome brasileiro no circuito internacional de XTerra, a paulista Sabrina Gobbo, da Trek Brasil, estará por mais uma temporada no Shimano Sports Team, representando a marca no País e exterior no triatlo cross-country. Já Laura Mira (Oggi/Isapa), vice-campeã do XTerra Brasil 2016, atrás apenas de Sabrina no ranking geral do evento, passa a fazer parte do time de patrocinados pela marca no País.
Já no triatlo tradicional, a Shimano apresenta uma grande novidade: o paulista Reinaldo Colucci, representante da seleção brasileira em Pequim-2008 e Londres-2012, dono da medalha de ouro do Pan-Americano de 2011, em Guadalajara, e que também disputa provas de Ironman. A jovem mineira Clara Carvalho, da Sense Bike Factory Racing, também entra para o time, após ser campeã brasileira de triatlo olímpico sub-23 e líder do ranking nacional em sua categoria.
Estrada e pista - Repetindo a fórmula do BMX, a Shimano traz ao seu time dois nomes que estiveram na Rio 2016. No ciclismo de estrada, a carioca Flavia Oliveira (Specialized) viveu um ano especial em 2016 e garantiu o sétimo lugar nos Jogos Olímpicos do Rio. No ciclismo de pista, mas também competindo em provas de estrada, o cearense Gideoni Monteiro (Indaiatuba / HTPro Nutrition / Shimano) colocou o Brasil no velódromo olímpico, após 24 anos sem participação, com o 13º lugar na prova do Omnium no Rio de Janeiro.
-
Fonte: https://www.pedal.com.br/shimano-sports-team-apoiara-atletas-em-8-modalidades_texto11711.html

Austríaco bate recorde de velocidade de mountain bike no Deserto do Atacama

Aos 42 anos, o austríaco Markus Stöckl bateu o recorde mundial de velocidade em uma bike de downhill produzida em série. Ao descer uma pista montada no deserto do Atacama, no Chile, o atleta atingiu 167,7km/h durante a descida.
O local foi ideal para atingir a velocidade: quase 4 mil metros de altitude, inclinação de 45 graus e uma pista de 1,2 km montada.
Após 8 tentativas, o atleta conseguiu quebrar o recorde.
Durante o desafio, ele utilizou equipamentos como roupa especial com airbag e capacete.
Confira no video abaixo a descida de Marcus.

Em entrevista para a RedBull, Max disse: "Foi tão exaustivo, mesmo que a descida tenha durado apenas 20 segundos. Eu não tenho palavras para expressar o meu sentimento, foi demais"
"Mesmo se você souber que só vai ser 10 ou 15 km/h mais rápido, então na última corrida de treinamento - de pé no cume da montanha olhando para baixo e sentindo a adrenalina, é um momento muito emocionante!"

Em 2015, Eric Barone atingiu 223,60 km/h na França, mas fazendo uso de uma bike desenvolvida especificamente só para a descida
-
Fonte: http://www.dailymail.co.uk/news/article-4208874/Cyclist-wearing-special-suit-beats-world-speed-record.html

Daniela Genovesi conquista 24H de Sebring

Superação e Perseverança, esta são as duas palavras que definem a ciclista Daniela Genovesi. Após sofrer uma grave lesão no quadril em 2016 em função de um acidente, a ciclista volta a sonhar com o tricampeonato mundial com a conquista das 24H de Sebring (EUA) com 642km percorridos. O Brasil também subiu no pódio com Elen Casagrande, na segunda colocação.

-Foi muito bom começar a temporada desta forma, ainda mais depois do ano passado.
Em abril do ano passado, Dani sofreu uma fratura no quadril que a deixou dois meses sem andar. Contudo, hoje, a antiga lesão não preocupa mais a atleta. Os enjoos nas duas últimas competições eram os responsáveis pelas dúvidas da atleta para esta competição.
- Do quadril, eu já estava bem confiante. O que me preocupava era que nas duas últimas provas eu estava sofrendo do estômago, o que me levou a abandonar uma das competições. Após quase oito horas deste circuito, eu comecei a sentir um mal estar, mas consegui administrar.
Apesar de ter retornado ainda em 2016, Genovesi teve que adiar o sonho de conquistar mais um título mundial já que, para o azar da atleta, as principais provas do circuito ocorrem entre maio e julho. Porém, em 2017, a ciclista inicia a luta pelo tricampeonato mundial com o terceiro título da prova americana.
O próximo compromisso da ciclista será em julho, com outra prova com 24 horas de duração que recebe entre 300 e 400m. Porém o grande desavio de Dani será a Race Around Austria, que ocorre em agosto. Com 2.200km e 30 mil metros de subidas acumuladas, a brasileira afirma que utiliza as provas mais curtas como preparação para a competição que participará pela primeira vez e tem duração de cinco a seis dias.
- Eu utilizo estas provas como treinamento. Na volta da Áustria, são cerca de 350km por dia, quatro vezes. É uma prova bem desafiadora até mesmo para mim. A logística também é diferente, enquanto na 24H de Sebring eu conto com um apoio fixo, já nas mais longas, o carro vai atrás de mim o tempo todo.
Dani iniciou sua carreira no ciclismo em 1999, mas chegou a praticar Body Board, Jiu Jitsu e Canoa Havaiana. Em toas as modalidades, ela conquistou títulos.

Confira alguns títulos de Daniela Genovesi

Body Board: Triampeã Brasileira (1986, 1987 e 1988)
Jiu Jitsu: Campeã Estadual (todas as faixas); Campeã Brasileira (todas as faixas); Campeã Européia 1998 (faixa preta); Campeã Mundial 2000 (faixa preta)
Canoa Havaiana: 2º lugar: Travessia Maui (Havaí – EUA) em 2008 (OC2 Misto);
Campeã Brasileira Circuito Ilhas (RJ) em 2009 (OC2 Dupla Máster Feminina);
Campeã Estadual Feminino Open (Icaraí Niterói – RJ) em 2009; Campeã Estadual Máster Feminino (Icaraí Niterói – RJ) em 2009

Ciclismo Estrada
Ultra Cycling Dolomiticas (Itália 2014)
Campeã Race Across Italy (Itália 2013)
Campeã Florida Cycling Challenge (USA 2012)
Campeã 24H Sebring na categoria solo (Florida 2011)
Campeã 24h Montello na categoria solo (Itália 2011)
Campeã da UCI Gruyere Cycling Tour (Suíça 2010)
Campeã da Race Across América (RAAM) na categoria Solo – (2009)
Campeã World Cup Ciclismo Desafio 24h de Fortaleza – (2008)
Campeã Extra Distance 800k Solo (2005)

Mountain Bike
Tetra Campeã do Circuito Big Biker: 2004, 2005, 2008 e 2014
Campeã da prova MTB 12 HORAS 2007
Vice Campeã do Piocerá , Rali dos Sertões (2009)
Campeã Brasil Ride 2012 (dupla feminina)
Salzkammergut Trophy (Áustria): 3°lugar geral (2013); 1° lugar cat + 4º geral (2014)
Vice Campeã Brasil Ride 2013 (dupla feminina)
4°lugar Brasil Ride 2014 (dupla mista)
-
Fonte: http://www.lance.com.br/mais-esportes/daniela-genovesi-conquista-24h-sebring.html

Alejandro Valverde vence Volta a Múrcia

O ciclista espanhol Alejandro Valverde (Movistar Team) venceu, pela quinta vez na sua carreira, a Volta a Múrcia, Valverde, que é natural da região de Múrcia, junta o triunfo conseguido neste último final de semana aos alcançados em 2004, 2007, 2008 e 2014.
O ciclista da Movistar percorreu os 182,7 quilômetros de corrida em 4h03m07s, terminando com 2m10s de vantagem sobre o colombiamo Jhonatan Restrepo (Katusha), que foi segundo e completando o pódio Patrick Konrad (Bora-Hansgrohe)
"Eu só tinha que tentar, mesmo que estivesse tão longe da linha de chegada (início da fuga) e foi um tiro longo, mas esse foi o único ponto onde eu poderia ganhar solo", disse Valverde. "Aproveitei essa chance, E eu consegui. "
Valverde vai desfrutar de alguns dias de descanso antes de voltar sua atenção para outra corrida que ele dominou, a Ruta del Sol, onde ele está apontando para a vitória número cinco em seis anos.
-
Fonte: http://www.cyclingnews.com/news/valverde-cort-felline-shine-in-european-one-day-outings-weekend-wrap/

Que Exemplo: Aos 78 anos, americana já viajou 16.000 km de bicicleta

Ethel MacDonald, ciclista (Facebook/Reprodução)
A rotina da americana Ethel MacDonald, aposentada de 78 anos, está longe de ser pacata. Depois de se aposentar como professora de francês, há 14 anos, a idosa decidiu conhecer o mundo de bicicleta.
Desde que começou a praticar o ciclismo, já foram 16.000 quilômetros percorridos em estradas pela Europa e pelos Estados Unidos. “É como me sentir minha própria chefe”, disse Ethel à emissora CNN.
“Eu gosto de fazer o que quero sem ter que esperar outra pessoa ficar pronta”, comentou a bisavó.
A idade de Ethel não a impede de pedalar, nem de viver aventuras em suas viagens. A aposentada não fica em hotéis e prefere encontrar lugares para dormir através de sites para mochileiros, como Warm Showers e Couchsurfing.
“Economiza dinheiro, mas acima disso o real valor é quem você conhece, a inspiração que tira dos outros, as memórias e as conexões”, contou.
 
Segundo a CNN, até o ano passado, Ethel já havia se hospedado em 165 casas diferentes, além de ter recebido cerca de 200 viajantes em sua própria residência, em Missoula, no Estado de Montana. Para não esquecer dos amigos que faz pelo caminho, a ciclista mantém um álbum com fotos de todas as pessoas que lhe hospedaram.
Além das viagens pelos Estados Unidos, Ethel também conheceu a Holanda – seu lugar preferido para pedalar –, a Alemanha, a Bélgica e a Escandinávia. A aposentada acredita ter energia para mais dois anos sobre as rodas, pelo menos.
“Gostaria de ir a Cuba, agora que os Estados Unidos cortaram algumas restrições”, planeja.
-
Fonte:  http://veja.abril.com.br/blog/headlines/aos-78-anos-americana-ja-viajou-16-000-km-de-bicicleta/

Quintana começa com tudo

Quintana venceu a etapa rainha da prova // Fonte: Getty Images
Nairo Quintana, ciclista colombiano que corre pela espanhola Movistar, venceu este domingo a 68ª edição da Volta à Comunidade Valenciana.
A última etapa foi discutida ao sprint e foi encurtada devido ao forte vento que se fazia sentir na região. A luta foi protagonizada pelos franceses Bryan Coquard e Nacer Bouhanni, que conseguiram anular a fuga de Kwiatkowski e de Iljo Keyisse nos derradeiros metros. O mais jovem dos dois, Coquard (Direct Energie), superiorizou-se ao compatriota.
Esta vitória pode ser o sinal para uma excelente temporada de Nairo Quintana nas grandes provas, que destacou que a preparação, a clareza de objetivos e o trabalho de equipa foram as chaves para esta primeira vitória, e refere que é assim que tem que continuar a ser, em declarações à imprensa espanhola.
"A chave está em acertar numa boa preparação, bastante meticulosa, para poder chegar bem às grandes provas", disse o ciclista colombiano ao Eurosport, que tem agora como objetivos da temporada a Volta a Itália e a Volta à França.
-
Fonte: https://www.vavel.com/pt/ciclismo-pt/752114-quintana-comeca-com-tudo.html

Fechado, velódromo olímpico gastará R$ 3,5 milhões de energia elétrica em 2017

O Velódromo, onde aconteceram provas de ciclismo da Olimpíada do Rio, como antecipado pelo RJTV na segunda-feira (6), está com o ar-condicionado ligado desde o fim dos jogos, há cinco meses. O gasto estimado só em energia elétrica para este ano no local é de R$ 3,5 milhões.
Enquanto isso, atletas da modalidade se queixam que não têm lugar para treinar. A pista é especial e a madeira, pinus siberiano, veio da Alemanha - não há outra igual na América Latina. Para que a madeira não se estrague, o ar-condicionado precisa ficar ligado o tempo todo. A empresa alemã que construiu a pista orienta que a temperatura deve permanecer entre 18°C e 26° C. E a umidade do ar em torno de 30%.
Segundo o governo federal, ao todo, serão gastos R$ 10,8 milhões em manutenção, em 2017. A estrutura está de pé. Mas desde o fim dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, em setembro do ano passado, a pista nunca foi usada. Ninguém treinou, não houve competições. A previsão é que a primeira prova só seja realizada em maio.
O "Rio bike weekend" vai de 19 a 21 de maio. A Federação de Ciclistas (Fecierj) está negociando com o governo federal para que o Velódromo abra um mês antes do evento, para treinos, como explica o diretor de ciclismo de pista da Fecierj Rodrigo Babo.
“Todos os nossos atletas são obrigados a treinar em velódromo de concreto, abertos, que não possibilitam treinos em dias de chuva e têm um desempenho muito menor do que o que temos aqui no velódromo. Atletas de alto rendimento vão treinar em outras cidades e até em outros países, quando conseguem patrocínio. A expectativa é fazer um ciclismo de alto rendimento com patrocínio privado”, disse Babo.
O Velódromo foi a obra mais polêmica da Olimpíada. Uma das últimas a serem entregues para os jogos. A obra - bancada pelo governo federal - custou R$ 143 milhões.
Para que o Velódromo volte a ser usado o Comitê Olímpico Brasileiro disse que disponibilizou bicicletas para um projeto social que está sendo montado com escolas da região. E a Federação de Patinação pediu ao COB para usar a parte central do Velódromo.
O Ministério do Esporte disse que assinou contratos no último domingo (5), para estudar formas de utilizar melhor o Parque Olímpico, inclusive o Velódromo. Por enquanto, esse continua sendo - apenas - um ponto fresquinho - e vazio - no verão carioca,
-
Fonte: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/fechado-velodromo-olimpico-gastara-r-35-milhoes-de-energia-eletrica-em-2017.ghtml

Bicicleta pode gerar uma economia de 513 bilhões de euros (R$ 1,76 tri ) por ano na Europa.

© Mariana Gil/WRI Brasil Cidades Sustentáveis
Pode ser novidade para alguns, mas a bicicleta é a resposta para muitos problemas de mobilidade urbana das grandes metrópoles até pequenas cidades. Com cada vez menos espaços para acomodar tantos automóveis e com os níveis de poluição ultrapassando os limites legais estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS), argumentar em prol de mais infraestrutura para bicicletas parece até óbvio.
Porém, para estimular políticas integradas na União Europeia, a Federação Europeia de Ciclistas (ECF) divulgou um novo relatório mostrando que o ciclismo gera 513 bilhões de euros por ano (R$ ) aos 28 Estados-membros.
Para chegar a essa soma, o documento vê possíveis ganhos econômicos por meio de 22 aspectos divididos em nove setores:
  1. Meio ambiente e clima
  2. Economia
  3. Questões sociais,
  4. Energia e recursos
  5. Tecnologia e design
  6. Mobilidade
  7. Saúde
  8. Tempo e espaço
  9. Diversidade cultural
Alguns valores são baseados em evidências concretas, como a economia de 2,2 bilhões de euros com a mitigação de CO2, outros baseados em dados disponíveis – 39 bilhões de euros em benefícios diretos à saúde ou 44 bilhões de euros em turismo, 30 bilhões de euros em saúde mental e 30 bilhões de euros em bem-estar infantil.
Em entrevista ao Cities Today, um dos autores do relatório, Holger Haubold, ressaltou que existem muitos outros benefícios além do econômico.
“Mais financiamento deve ser atribuído à bicicleta, pois é um meio de transporte eficiente em termos de custos, enquanto outros incentivos fiscais poderiam incentivar o pedal ao trabalho. As bicicletas elétricas devem ser incluídas nas estratégias de eletromobilidade. Por último, a promoção do cicloturismo e da infraestrutura para isso são essenciais, uma vez que a procura aumenta a um ritmo acelerado”.
A pesquisa da ECF considera, com base em estatísticas, que os europeus pedalam cerca de 134 bilhões de quilômetros por ano. Esse valor foi o utilizado para os cálculos dos benefícios econômicos. Segundo um levantamento encomendado pela Comissão Europeia e realizado em 2014, 8% da população da União Europeia usa a bicicleta como meio preferido de transporte.
O trabalho aponta alguns setores que ainda necessitam de mais pesquisas qualitativas e quantitativas para identificar benefícios. “Olhar para os benefícios da bicicleta de uma maneira integrada também irá ajudar a moldar uma política integrada com stakeholders de todas as áreas relevantes”, disse Haubold. “Benefícios para a saúde têm a maior parcela no nosso cálculo, com grande potencial para ajudar as pessoas a viverem mais e ter vidas mais saudáveis, uma maneira dos governos economizarem dinheiro para sistemas públicos de saúde.”
Um estudo feito também pela ECF estimou que o setor cicloviário emprega cerca de 650 mil pessoas na Europa. Se a participação da bicicleta na divisão modal do continente dobrasse, o setor poderia criar até 400 mil novos empregos, garantindo trabalho para mais de 1 milhão de pessoas.
No Brasil, esses cálculos ainda não foram feitos cientificamente, porém já se detectou que, com melhor infraestrutura, uma grande parcela dos brasileiros estaria disposta a substituir o carro pela bicicleta. Pesquisa feita pelo Ibope Inteligência, em 2015, mostrou que 44% dos paulistanos fariam essa troca. Além disso, os indicadores europeus podem variar em relação aos brasileiros, mas o país também só tem a ganhar em questões de saúde pública, poluição do ar e mobilidade urbana com o aumento do ciclismo.
-
Fonte: http://www.archdaily.com.br/br/804644/bicicleta-pode-gerar-uma-economia-de-513-bilhoes-de-euros-por-ano-na-europa

Ciclismo joseense anuncia evento de apresentação

A equipe de ciclismo Funvic/Brasil Pro Cycling, de São José dos Campos, fará na quinta-feira, dia 9 de fevereiro, a apresentação do seu elenco para a temporada 2017.
O evento acontecerá no auditório da FUNVIC (Fundação Universitária Vida Cristã), com sede em Pindamonhangaba (SP), com início às 19h30. A Fundação fica na Estrada radialista Percy Lacerda, nº 1000, no Pinhão do Borba (ao lado da via Dutra).
A equipe é a única brasileira com licença Pro Continental da UCI (União Ciclística Internacional) e este ano terá um elenco renovado, mesclando ciclistas experientes com jovens promessas do esporte.
Em 2017, a equipe será formada por 17 ciclistas no masculino e quatro no feminino. Um dos primeiros compromissos da Funvic/Brasil Pro Cycling na temporada será a disputa da Volta a Catalunha na Espanha, em março. Antes disso, o grupo deverá disputar o Torneio de Verão, na Baixada Santista, que servirá como preparação final.

Internacional

A renovação da licença internacional veio um pouco antes do Natal do ano passado e foi assim divulgada em matéria reproduzida pelo Jogando Juntos.
Este será o segundo ano da equipe no calendário Pro Continental. Em 2016, a formação brasileira participou de importantes provas em diversos países, como Turquia, Espanha, Itália, Malásia, Gabão, Portugal e China. Para 2017, o diretor da equipe, conhecido como Kid, afirma que já recebeu alguns convites para que o grupo participe de grandes provas do circuito mundial. “Já temos três provas confirmadas para 2017, fora do país. Vamos aproveitar o restante do ano e o mês de janeiro para intensificar os treinos e integrar o grupo”, afirma.
Quando se fala em integração, é preciso destacar que para a próxima temporada a equipe terá várias novidades, com a chegada de vários jovens e outros nomes já consagrados, como o medalhista paralímpico Lauro Chaman. Caio Godoy e os jovens Lincoln do Vale Silva, Breno Morais, Victor César Ranghetti, Rafael Henrique Pires e Gabriel Silva, também farão parte do grupo.
Com a chancela garantida e um elenco com várias novidades, a única equipe brasileira Pro Continental, termina o ano já focando nas primeiras competições de 2017 e segue buscando desenvolver e mostrar o potencial do ciclismo brasileiro para o mundo. “Foi um ano difícil, tivemos muitas conquistas, algumas decepções, mas o que resta disso tudo é que quando o trabalho é feito com seriedade, amor e principalmente com muito profissionalismo, tudo se resolve da melhor maneira possível”, falou Kid, em tom de desabafo e de quem acredita em dias melhores para a modalidade no Brasil.
“Aproveito o momento também para agradecer a todos os patrocinadores, apoiadores e a todos que colaboraram direta ou indiretamente com nosso projeto Brasil Pro Cycling. Resta aqui, o meu, o nosso, muito obrigado”, finaliza.
-
Fonte: http://www.meon.com.br/esportes/esportes/regiao-1/ciclismo-joseense-anuncia-evento-de-apresentacao

Após dois anos, está de volta a Clássica 21 de Abril

O ciclismo em Minas Gerais terá de volta, após dois anos, a Clássica 21 de Abril. A competição, considerada uma das mais antigas provas de ciclismo de estrada no Brasil, acontecerá no feriado de Tiradentes, dia 21 de abril, na cidade de Senador Firmino.
A prova deste ano terá um percurso de aproximadamente 100 quilômetros, com duração mínima de 3 horas de competição. Qualquer atleta pode se inscrever a participar, mas a organização do evento alerta para dificuldades que o percurso apresenta.
“O percurso é considerado um dos mais duros para o ciclismo de estrada de Minas Gerais. Senador Firmino está localizada numa região montanhosa da Zona da Mata, onde os ciclistas vão enfrentar uma serra de 5km de subida forte e dezenas de outras pequenas montanhas durante o percurso", disse Geraldo Carneiro, organizador do evento.
A realização do evento conta com o apoio da Secretaria de Estado e Esportes, além da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) e da Federação Mineira de Ciclismo (FMC).
O apoio da SEESP acontece por meio da campanha Bicicletize, criada para incentivar o respeito entre os ciclistas e demais usuários de estradas e vias urbanas.

INSCRIÇÕES

Veja abaixo todas as formas de inscrição para a Clássica 21 de Abril
Site da X5 Bikers
Site da FMC
Email: contato@x5bikers.com.br

VIDEO: Vittorio Brumotti com uma Speed desafia a morte fazendo um trial na ponte!

Aparentemente Vittorio Brumotti decidiu tirar uma casquinha do feito de Fabio Wibmer, mas é claro que ele aumentou a aposta usando uma bicicleta de estrada! Dá té um arrepio ver ele andando com a speed no parapeito da ponte a mais de 100m de altura. O resto do video e show! Vale a pena conferir.
Durante um treino junto com a Equipe Astana, ele mostra sua experiência na Estrada e no Trial.

Você gostaria de fazer a gestão Maribor Bike Park?

Por 11 anos, Maribor, Eslovênia, foi uma das principais pistas para o circuito da Copa do Mundo UCI. Foi um lugar tão legal, tinha uma grande pista (lembram-se daquele monstruoso Rock Gardem?) e sempre foi amado por todos.Infelizmente, desde a última vez que ocorreu a Copa do Mundo, o Bike Park tem lutado. Já faz alguns anos, que a propriedade do parque mudou e não foi para qualquer lugar, mas para baixo.Ele perdeu o título de um 'Gravity' park, as trilhas foram esquecidas, e não há mais IXS Cup, nem mesmo nacional, para não mencionar as Copas do Mundo. 
Parece que os investidores abandonaram seus planos e decidiram dar o bikepark de volta para as mãos de alguém que se preocupa e espera que alguém que vai torná-lo grande novamente.Nós todos sabemos que as estações do verão são de qualquer maneira mais rentáveis ​​do que estações do inverno mesmo em baixa altitude - assim talvez esta oportunidade dourada poderia ser para você?Aqui está o Manifesto:Maribor Bike Park - oportunidade de gestãoMarprom Ltd, uma empresa de propriedade da cidade de Maribor que está gerenciando Maribor da montanha Pohorje, emitiu esta documentação para encontrar uma empresa ou indivíduo para gerenciar Bike Park Pohorje. A gestão das trilhas do parque será contratada pelo período de 15 anos.Esta gestão inclui o desenvolvimento de trilhas, construção e manutenção, controle de convidados, primeiros socorros e salvamento e outras tarefas relacionadas com o funcionamento do parque.Todos os lances devem incluir um plano financeiro e uma estimativa do preço do bilhete. Em 2017 (15 de abril a 15 de novembro) renda mínima para o elevador de Marprom das operações do parque da bicicleta deve ser não menos de 150.000 € (R$ 500.000,00). Referências e qualificações na gestão do parque, construção de trilhas e manutenção também precisam ser fornecidos.Partido o escolhido terá de co-financiar plano de desenvolvimento da montanha (5000 € ou R$ 17.000,00) e apresentar apólice de seguro e garantia bancária. Eles também precisarão fornecer funcionários e equipamentos suficientes para as operações do parque.
-
Boa sorte para quem assumir e torcemos para que o Bike Park se reerga como era nos tempos aureos.
-
Fonte: https://dirtmountainbike.com/news/want-run-maribor-bike-park.html

Croatia and La Bresse sediam a Copa do Mundo de DH em 2018

A grande notícia para a Croácia como sua oferta para sediar uma Copa do Mundo em 2018 foi bem sucedida. Losinj vai sediar a primeira etapa da Copa do Mundo de DH 2018 de em abril.Os pilotos estão chamando querendo algumas mechidas para os locais da Copa do Mundo e tem tentado já a alguns anos agora e parece que 2018 poderão trazê-lo. Um calendário provisório mostra a Croácia dando início à temporada, seguido por seis outras etapas. Lugares clássico como o francês, La Bresse também estão fazendo um retorno ao circuito da Copa do Mundo.Atualmente, Losinj organiza uma corrida anual UCI Cat 1, mas esta será a maior corrida de downhill da história da Croácia. Parabéns ao clube local que tem feito um trabalho duro para trazer o evento junto. Infelizmente, a proposta de Maribor não foi bem-sucedida.La Bresse foi a anfitriã de uma Copa do Mundo em 2011, que foi ganho por Greg Minnaar e Tracy Moseley. Steve Peat e Sabrina Jonnier também ganharam vitórias.O calendário completo é completado por Fort William, Leogang, Val di Sole, Vallnord e Mont Sainte Anne. O ano será arredondado pelo Campeonato Mundial em Lenzerheide.

Calendário UCI 2018 - (Provisório)

-
Fonte: https://dirtmountainbike.com/news/croatia-la-bresse-host-2018-world-cups-full-calendar-revealed.html