.
NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

VIDEO - O que você vai encarar no 4º Desafio de Cicloturismo do Dia do Trabalhador - Jaguariaíva-PR

Olá amigos bikers do Paraná e demais estados desse nosso lindo Brasil, dia 29/04/2018 se realizará o 4º Desafio de Cicloturismo do Dia do Trabalhador na cidade de Jaguariaíva-PR.
Evento este organizado pelos bikers da cidade com caráter filantrópico  e turístico com o intuito de ajudar os velhinhos do Asilo Lar Bom Jesus e divulgar também as belezas naturais do município (trilhas, lageados, cachoeiras, mirantes e Vale do Codó - 8º maior canyon do mundo em extensão) .
Lembramos que este pedal, é um desafio criado para agradar a todos, pois os percurso foram pensados justamente para aqueles amam um verdadeiro mountain bike e que querem colocar a prova sua técnicas de pilotagem e se divertirem, e para aqueles que querem um passeio fora da rotina, mas que tenham resistência para um pedalzinho de longa distância.
Este video abaixo mostra um pouco do que vocês vão encarar e curtir neste desafio.
CORRA, FAÇA SUA INSCRIÇÃO E VENHA SE DIVERTIR COM CONOSCO!

Cape Epic 2018 2a Etapa - Avancini e Fumic vencem mais uma

Depois da vitória na primeira etapa de maratona do Cape Epic 2018, a dupla Henrique Avancini e Manuel Fumic (Cannondale Factory Racing) levou hoje a segunda etapa da competição, que cruzou 106km com 2000m de escaladas. A segunda equipe passar a linha foi a Centurion Vaude de Nicola Rohrbach e Daniel Geismayr seguidos também de perto por Kristian Hynek e Alban Lakata da Canyon Topeak.
Avancini e Fumic levam a segunda etapa do Cape Epic 2018 Shaun Roy
Jaroslav Kulhavy e Howard Grotts (InvestecSongoSpecialized), segundos na geral e na etapa de ontem passaram apenas na sétima colocação, cedendo cerca de 1m42s para os vencedores. Com isso, a vantagem dos camisas amarelas cresceu para 2m23s.
Shaun Roy/Cape Epic
Raiza Goulão e Margot Moschetti (PMRA/CST Racing) ficaram com o quinto lugar hoje, mantendo assim sua sétima colocação na classificação geral. A dupla demorou cerca de 20 minutos a mais para completar o estágio do que Annika Langvad e Kate Courtney (Investec Songo Specialized), vencedoras de hoje e líderes na classificação geral feminina.

Resultados da Etapa Elite Masculino

1 - Manuel Fumic e Henrique Avancini 4:05.52,3
2 - Nicola Rohrbach eDaniel Geismayr +1,7
3 - Alban Lakata e Kristian Hynek +2,2
4 - Francesc Guerra e Luis Leao Pinto +2,8
5 - Andri Frischknecht e Michiel Van Der Heijden +1.40,2

Classificação Geral Elite Masculino

1 - Manuel Fumic e Henrique Avancini 8:59.56,2
2 - Jaroslav Kulhavy e Howard Grotts +2.23,3
3 - Nicola Rohrbach e Daniel Geismayr +5.37,9
4 - lban Lakata e Kristian Hynek +6.48,10
5 - Francesc Guerra Carretero e Luis Leao Pinto +7.18,10

Resultados da Etapa Elite Feminino

1 - Annika Langvad e Kate Courtney 4:37.43,8
2 - Ariane Lüthi e Githa Michiels +4.26,6
3 - Mariske Strauss e Annie Last +4.27,3
4 - Sabine Spitz e Robyn De Groot +12.35,9
5 - Margot Moschetti e Raiza Goulao +19.01,5

Classificação Geral Elite feminino

1 - Annika Langvad e Kate Courtney 10:16.25,0
2 - Ariane Lüthi e Githa Michiels +6.31,5
3 - Mariske Strauss e Annie Last +12.26,6
4 - Sabine Spitz e Robyn De Groot +26.04,2
5 - Carmen Buchacher e Samantha Sanders +40.27,1
....
7 - Margot Moschetti e Raiza Goulao +53.47,8
Resultados completos no site do Cape Epic.
-
Fonte: https://www.pedal.com.br/cape-epic-2018-2-avancini-e-fumic-vencem-mais-uma_texto12806.html

Óscar Sevilla relata assalto violento em Bogotá: Fiquei com o braço virado para trás...

O ciclista espanhol Óscar Sevilla passou por um momento complicado neste último domingo, tendo chegado a temer pela própria vida.
Quando saía de sua casa para treinar foi atacado por um grupo de meliantes em Bogotá, na Colômbia (onde reside há nove anos com a mulher e as filhas), e acabou no hospital com fraturas num braço e duas costelas quebradas.
"Estou aqui para contar, o que não é pouco", começou por dizer o corredor. "Saí de casa, numa zona relativamente segura em Bogotá, e sensivelmente um quilômetro depois cinco ou seis pessoas atacaram-me numa esquina, com paus e facas. Tiraram-me da bicicleta e começaram a agredir-me. Pedi-lhes que parassem... Tiraram-me a bicicleta, o capacete, os sapatos, os óculos... Tinha medo das facas e por sorte tudo aconteceu muito rápido porque uns vizinhos começaram a gritar. Quando pararam vi que tinha a mão virada para trás. Creio que me partiram o braço com um pau, ou então quando me atiraram ao chão, não sei... Mas ficou virado para trás, foi horrível", contou o ciclista da Medellín–Inder.
Sevilla explicou que o grupo era constituído por "garotos jovens, magros e morenos". "A polícia disse-me que já os identificou, trata-se de um grupo que estão a seguir há uns seis meses e que rouba ciclistas desta forma. Espero que os prendam depressa."
O corredor aproveitou também para agradecer a quem o ajudou.
"Os vizinhos ajudaram-me rápido, dois deles trabalham na Cruz Vermelha e socorreram-me logo; outro levou-me ao hospital." A bicicleta, avaliada em cerca de 8 mil euros, já apareceu. "A polícia encontrou-a num parque de estacionamento, mas ainda não a tenho. Parece que foi lá deixada por um garoto de 14 anos..."
O incidente pode ter precipitado o fim da carreira de Óscar Sevilla, de 41 anos.
"Agora tenho medo de sair de bicicleta, isto aconteceu num sítio inesperado...Já comentei com a minha mulher que não sei se vou continuar a correr. Estou prestes a retirar-me, mas as bicicletas vão continuar a fazer parte da minha vida."
-
Fonte: https://www.record.pt/modalidades/ciclismo/detalhe/oscar-sevilla-relata-assalto-violento-em-bogota-fiquei-com-o-braco-virado-para-tras.html

Pedalar faz bem para a saúde e ao planeta!

Ortopedista e traumatologista Gustavo Falcão Cristofoli fala dos benefícios da prática do ciclismo, esporte que ganha mais adeptos a cada dia.


Pedalar faz bem para a saúde e ao planeta! Quem já não ouviu esta frase?
Pois bem, a prática do ciclismo tem ganhado novos adeptos a cada dia. Além de ser um esporte de aventura e sustentável, pedalar proporciona vários outros benefícios à saúde, indica o ortopedista e traumatologista Gustavo Falcão Cristofoli.
Gustavo Falcão Cristofoli
“Hoje em dia andar de bicicleta está bastante em alta, tanto como lazer, atividade física e meio de transporte para se deslocar ao trabalho, à escola ou à universidade. Além de ser um transporte que não polui o meio ambiente, ao mesmo tempo você está praticando atividade física. Se o pedal for praticado de forma correta, os benefícios são inúmeros, desde a redução do risco de doenças cardiovasculares e psiquiátricas como ansiedade e depressão. Pedalar acima de 60 minutos tem liberação de endorfina e serotonina, provocando prazer e sensação de bom humor. Junto com isso, diminuição da taxa de diabetes, colesterol e controle de peso”.
Conforme o ortopedista pedalar de 40 a 60 minutos ao dia provoca a queima de 300 calorias/dia. Em uma semana, a queima pode chegar a duas mil calorias, além de fortalecer a mente e tonificar a musculatura e articulações. “Nós ortopedistas temos indicado o ciclismo até mesmo para pacientes que apresentam alguns transtornos articulares. Por ser uma atividade de baixo impacto e completa é benéfica para as articulações, principalmente membros inferiores, quadris e até mesmo o abdômen”, complementou.
Outro benefício citado por Dr. Gustavo é o convívio social, além de ser um dos esportes mais democráticos que existe. Pode ser praticado por pessoas de todas as idades, desde que com avaliação médica prévia e uso dos equipamentos corretos direcionados à pratica segura do ciclismo, como capacete, óculos de proteção e roupas luminosas para o ciclista ser facilmente visualizado. Recomenda-se também a utilização da bicicleta com a postura correta.
E ainda: andar de bicicleta é uma das maneiras mais fáceis de encaixar o exercício em sua rotina diária, por funcionar como meio de transporte.
*Reportagem publicada no jornal “O Celeiro”, Edição 1520 de 15 de março de 2018.
-
Fonte: https://jornalceleiro.com.br/2018/03/pedal-e-saude/

Ciclistas defendem construção de ciclovias em Toledo

Construção de ciclovias vai garantir maior segurança aos ciclistas (Foto: Arquivo pessoal)
Está cada vez mais comum ver pessoas utilizando a bicicleta no dia a dia, seja para ir ao trabalho, para lazer ou para uma atividade física. E na hora de pedalar é inevitável dividir o espaço com carros e caminhões. Vivendo essa realidade perigosa diariamente, um grupo de ciclistas resolveu levantar a discussão para a construção de ciclovias no município de Toledo. “A construção de ciclovias vai garantir maior segurança de ciclistas, que poderiam pedalar sem medo de sofrer um acidente, e dos motoristas, que poderiam dirigir sem ter que ficar cuidando de bicicletas nas estradas”, explica o ciclista Delmar Hoffmann.
Segundo Delmar, existem oito grupos de ciclistas organizados na cidade e cerca de mil pessoas que praticam regularmente o ciclismo em Toledo. “Como vemos que esse número está crescendo, resolvemos levantar o assunto da construção das ciclovias no nosso grupo. Eu ando de bicicleta pelo menos três vezes na semana e evito ir para estradas de asfalto por causa do grande fluxo de veículos. O grupo espera ansioso para que essa ideia saia do papel e seja executada o mais breve possível”, acrescenta Hoffmann.
Mas para isso se tornar realidade, existe um longo caminho a ser percorrido, segundo explica a secretária de Planejamento Maísa Kuhn. “Primeiro os ciclistas devem realizar um abaixo assinado para mostrar que existe o interesse de um grande grupo de pessoas. Depois eles devem solicitar um protocolo de intenções para o prefeito do município, havendo acordo na execução da ideia, esse pedido chega até a secretaria de planejamento onde o projeto é desenvolvido”.
Hoffmann explica que os trechos mais utilizados pelos ciclistas são os que ligam Toledo a Dez de Maio e Cerro da Lola, até São Luiz do Oeste e até Novo Sobradinho. “Utilizamos muito essa estradas pelas condições de relevo, por ter bastante subida, elas são muito convidativas para nós que praticamos o ciclismo. São trechos muito perigosos e que não tem nem acostamento”, comenta o ciclista.
A secretária de Planejamento explica que a prefeitura tem ciência do desejo dos ciclistas, mas não existe orçamento para a execução das obras. “Sabemos que existe esse movimento em Toledo, mas o município não tem previsão orçamentária. São trechos longos que requerem um investimento alto. Caso o projeto for executado, os recursos devem ser externos”, informa Maísa. “Temos muito interesse em colocar essa ideia em prática, vamos mobilizar os demais grupos de ciclistas e dar seguimento a discussão”, reforça Hoffmann.
-
Fonte: https://www.jornaldooeste.com.br/noticia/ciclistas-defendem-construcao-de-ciclovias-em-toledo

Ciclovia com MUITO verde... Aqui no Paraná...

Dezenas de ciclistas participaram do lançamento da primeira fase do projeto (Foto: Fábio Donegá)
Imagine pedalar 187 km em meio a muito verde, contato direto coma natureza passando por propriedades rurais, belas cachoeiras e lugares exóticos. Cascavel saiu na frente do projeto que reúne vários municípios do oeste do Paraná e lançou, no último sábado (17), o “Marco Zero” do Caminho do Iguaçu-Rota Beira Parque.
O projeto de cicloturismo que prevê trilhas para os amantes da bike praticarem o esporte com saída de Cascavel, podendo se deslocar até Foz do Iguaçu, num trecho de 187 km entre a natureza, começa a se concretizar. O prefeito de Cascavel Leonaldo Paranhos enfatiza que este sonho é acalentado por tanta gente há muitos anos.
"Agora estamos dando o primeiro passo, numa parceria importante com a Itaipu Binacional, que tem sido uma alavanca importante para muitos projetos do nosso governo", afirmou ao a largada do primeiro passeio de quatro quilômetros, que atraiu ciclistas de toda a região e também um grupo adepto de cavalgadas da Comitiva Rancho Cavalgueiro, de Alto Bom Retiro, todos vestidos a caráter.

Longa espera

"São pelo menos dez anos de espera até que hoje este sonho começa a se concretizar", comemorou o presidente a ACC (Associação dos Ciclistas de Cascavel), Newton Rodrigues, que citou também as associações dos ciclistas de Matelândia e Foz do Iguaçu, que participaram do encontro.
O projeto envolve oito municípios da região, a Adetur, que segundo Flavio de Gasparini "foi uma satisfação participar da parceria e contribuir na elaboração do projeto que tira as pessoas do sedentarismo e estimula à qualidade de vida.

10 mil ciclistas

Atualmente, somente em Cascavel, segundo a ACC, são pelo menos 10 mil ciclistas adeptos desta prática de atividade física.
"E se temos um número tão expressivo de pessoas fazendo ciclismo numa cidade de 320 mil habitantes, a cidade precisa andar no mesmo ritmo. E eu gosto de desafios, então vamos caminhar para sermos referência também nesta modalidade, incentivando e dando condições para ela ser uma opção de qualidade de vida", acrescentou Paranhos.
O "Marco Zero", entre a BR-277 e a PR-180 começa bem em frente à Agrotec, à direita, na estrada que dá acesso ao Assentamento Valmir da Motta e segue em direção à Ferroeste. Vai passar por Santa Tereza, depois Céu Azul seguindo pelos demais municípios até Foz do Iguaçu. O trecho de 44,6 quilômetros que pertence ao Município de Cascavel leva o nome do ex-presidente da Associação Comercial e Industrial de Cascavel, José Torres Sobrinho, falecido em acidente aéreo.
-
Fonte: https://www.oparana.com.br/noticia/ciclovia-com-muito-verde

Nibali vence Milan-San Remo

O italiano Vincenzo Nibali (Bahrain Mérida) venceu, neste último sábado, a clássica Milan-San Remo, conquistando o terceiro ‘monumento’ da carreira, depois das duas vitórias no Giro de Lombardia.
O ‘tubarão’ destacou-se na última subida do percurso, a cerca de 7 quilômetros da linha de chegada, ganhando tempo suficiente na descida para aguentar grupo de `sprinters`, que chegou com o mesmo tempo, mas não a tempo de evitar o triunfo do italiano.
-
Fonte: http://www.abola.pt/nnh/noticias/ver/721476

Diz-se que os corpos sensuais se fazem com ciclismo… (Fotos)

Podemos pensar que o ciclismo, spinning, MTB ou um simples passeio de bicicleta é coisa de homens, mas estamos enganados. E basta olharmos para alguns elementos históricos para percebermos que a mulher teve sempre mais contacto com as bicicletas do que o homem. Aliás, “a bicicleta fez parte do ‘processo’ pela emancipação da mulher um pouco por todo o mundo”, chegou a afirmar Susan Anthony, feminista americana, no final do século XIX. Não só para lhes dar autonomia em termos de mobilidade, como a própria relação com as roupas que se for adaptando ao facto das mulheres se moverem em duas rodas.
Detalhes históricos à parte, as mulheres estão, cada vez mais, a aderir aos esportes com bicicleta, sejam indoor ou outdoor. Mesmo que algumas delas que já compitam profissionalmente – sobretudo, as triatletas -, é a nível amador que se nota esse crescimento em Brasil e obviamente por todo o mundo. Deparamo-nos com algumas nas redes sociais e, uma coisa é certa, o ciclismo feminino faz bem à saúde… mas também à elegância e beleza. Ora veja lá as fotografias na Galeria abaixo…

CLIQUE NAS FOTOS PARA AMPLIA-LAS!


-
Fonte: https://menshealth.pt/sexo/beleza-das-mulheres-no-ciclismo/

Empresas brasileiras com produtos que duram para sempre

Alguns negócios oferecem garantia vitalícia numa tentativa de atestar a qualidade de seus produtos e, ao mesmo tempo, destacar a venda de itens sustentáveis.
Um número crescente de empresas vem oferecendo garantia eterna para seus produtos. Os compradores recebem um certificado sem data de vencimento e sem custo adicional contra defeitos de fabricação. Esse tipo de garantia era mais comum em eletroeletrônicos. Porém, mais recentemente, uma série de segmentos — de marcas de óculos a fabricantes de bicicletas — tem usado essa prática para se diferenciar da concorrência. Numa época de busca intensa por “maximização de receitas” e troca de produtos em ciclos cada vez menores, esses negócios caminham na direção oposta.
“Há um movimento vigoroso do slow selling [vendas lentas] , que prega a fabricação e a venda de itens duradouros e mais sustentáveis”, diz Marcelo Pontes, chefe do departamento de marketing e economia da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM).

Conheça a um exemplo de marcas brasileira que seguem esta prática.

Groove Bikes - Fundada em 2013

A Groove fabrica bicicletas de alta performance para a prática de mountain bike. Os preços dos modelos variam entre R$ 1,8 mil e R$ 19,9 mil. A garantia ilimitada é válida para o quadro de alumínio (leve e, ao mesmo tempo, resistente) — a parte principal e mais cara da bicicleta. “Queríamos criar um fator de peso para a decisão de compra do cliente”, afirma Caio Salerno, 47 anos, sócio ao lado de Sergio Gallo e Tito Caloi. Em quatro anos, o negócio já vendeu 35 mil unidades e, em 2016, colheu R$ 15 milhões em receitas.
-
Fonte: https://revistapegn.globo.com/Negocios/noticia/2018/03/3-empresas-brasileiras-que-fazem-produtos-que-duram-para-sempre.html

Cape Epic 2018 - Avancini e Fumic buscam título inédito

Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing), que ano passado terminou a temporada na quinta colocação mundial da categoria MTB XCO, busca mais uma vez um bom desempenho no Cape Epic. Mais uma vez, o brasileiro faz dupla mais uma vez com o alemão Manuel Fumic na disputa da competição que começa nesse final de semana na África do Sul, nos arredores da cidade de Cape Town.
Cape Epic / Divulgação
No ano passado, a dupla de ciclistas terminou na quinta colocação geral. Avancini e Fumic tiveram duas vitórias em etapas e lideraram a competição durante cinco dias. Henrique tem ainda no currículo o feito de ter sido o primeiro brasileiro da história a vencer uma etapa da Cape Epic, na categoria Elite, em 2016.
“A Cape Epic é um dos maiores títulos que um mountain biker profissional pode desejar alcançar e é um dos maiores desafios que um atleta amador pode encarar em cima de uma bicicleta. Para mim, depois de ter vencido uma etapa em 2016, duas etapas em 2017 e liderado a prova por 5 dias, agora em 2018 é a hora de pegar tudo que aprendi e melhorar, crescer em cima disso. Tanto eu quanto o Fumic já temos um outro nível de bagagem, corremos juntos, competimos juntos, já passamos por muita coisa durante esses dois anos de Cape Epic, então temos outro nível de entrosamento e de experiência. Espero que isso se transforme em um resultado ainda mais expressivo”, diz o atleta que ficou em oitava na primeira etapa da Copa do Mundo, competição também realizada na África no último sábado.

A Cape Epic é considerada a maior ultramaratona de mountain bike do mundo. Na prova desse ano, que ocorrerá entre os dias 18 e 25 de março, os ciclistas percorrerão mais uma vez sete etapas pedalando 658 km de distância, com 13.530 metros de subidas acumuladas.
Para saber mais acesse o site oficial da prova.
-
Fonte: https://www.pedal.com.br/cape-epic-2018-avancini-e-fumic-buscam-titulo-inedito_texto12792.html

Bronze no Pan-Americano 2016, atleta americana competirá em Araxá. Confira...

A atleta vem com o companheiro de equipe Keegan Swenson (Foto: Stan’s-Pivot Pro Te
Com os principais atletas brasileiros e atletas internacionais confirmados, a Copa Internacional Levorin de Mountain Bike (CIMTB Levorin) vai reunir grandes disputas na etapa que abre a temporada da competição em Araxá.
O evento acontece entre os dias 13 e 15 de abril e está com as inscrições abertas. Dos Estados Unidos, a atleta Chloe Woodruff (Stan’s-Pivot Pro Team) e o companheiro de equipe Keegan Swenson estão confirmados. Os dois desembarcam na capital do mountain bike em busca dos pontos UCI.
Com 31 anos, Chloe Woodruff está vindo confiante. No último fim de semana a atleta ficou com a 12º colocação na Copa do Mundo da UCI, etapa que aconteceu em Stellenbosch, África do Sul. Em 2016, a americana foi a 3º colocada no Pan-americano de Catamarca, na Argentina, atrás da brasileira Raíza Goulão que ficou com a prata. Raíza ficou em 22º lugar na etapa da Copa do Mundo de Stellenbosch. As duas devem lutar durante os três estágios na CIMTB Levorin para conquistar a vitória geral.
“Raiza Goulão começou a temporada muito bem. Ela é uma concorrente forte e é a favorita do público, com certeza. Além disso, estou muito animada para correr junto com os fãs brasileiros de mountain bike e aprender algumas palavras em português”, comentou a competidora.
Chloe esteve nos Jogos Olímpicos Rio 2016 e disse que jamais vai esquecer a multidão que assistiu à competição de mountain bike.
“Parece que o mountain bike está cada dia mais próspero e popular no Brasil. Correr na frente daquela multidão nos Jogos 2016 é uma das minhas recordações mais queridas e por isso estou animada para voltar”, afirmou.
A atleta afirmou que tem planejado voltar ao Brasil desde 2016 e que decidiu vir para a CIMTB Levorin por ser a única competição SHC das Américas.
“A CIMTB é a única competição por estágios UCI SHC de toda América e Keegan e eu estamos tentando coletar pontos UCI antes das próximas etapas de Copa do Mundo. Sabemos pouco sobre Araxá, mas não vemos a hora de nos aventurar e experimentar outro tipo de corrida Cross Country. Sou uma grande fã de corridas de curto formato e estou animada com a programação dos estágios”, finalizou.

CIMTB Levorin 2018

A CIMTB Levorin conta pontos para o ranking mundial, da União Ciclística Internacional (UCI), fazendo parte do ciclo Olímpico Tóquio 2020, ranking Brasileiro e Mineiro.
Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 23ª Edição em 2018. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Sense Bike e Audax.
Acompanhe tudo de um dos principais eventos do mountain bike mundial pelas redes sociais. Lá você encontrará fotos e vídeos dos atletas e das provas.
-
Fonte: http://jornalaraxa.com.br/noticia/pagina/id/7278