Banner Inscrições para o 1º Cicloturismo do Padroeiro
NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

Entendendo - Mountain Bikes Elétricas

Falar em bicicleta elétrica não é novidade nos dias de hoje, afinal já vemos elas circulando nas ruas há alguns anos. Já as bicicletas esportivas e de competição, como estradeiras e mountain bikes, estão recentemente ganhando suas versões elétricas.
Pensando na prática, isso pode não fazer sentido. Se essas bicicletas são voltadas para competição e desempenho, então porque colocar um motor ? Seria trapaça ? É possível manter o peso e agilidade aceitáveis ? E no caso do mountain bike, onde a bicicleta vai atropelar pedras, saltar, pegar chuva e lama ?
Agora em 2018, já podemos afirmar que as mountain bike elétricas vieram para ficar e já estão bastante populares na Europa. As maiores marcas já tem um modelo, ou ao menos um protótipo, e grandes fabricantes como Bosch, Shimano e Brose já entraram na corrida pela fabricação de motores e baterias.

Entendendo o Conceito

A ideia inicial das elétricas de passeio é se transportar com menos esforço. A tecnologia chegou num ponto em que a bicicleta pode ter ajuda total ou parcial da motor, ou até mesmo ser pedalável com a bateria removida ou desligada.
Ou seja, é um bicicleta “com esteróides”. Você pode andar mais longe, mais rápido e continua sendo um veículo leve e não poluente.
Nestas bicicletas, você tem a opção de nem mesmo pedalar, usando apenas o acelerador ou então ter assistência do motor, onde você nem mesmo precisa acelerar - ao pedalar, o motor é acionado e gera velocidade de acordo com sua força / cadência.

As E-MTB - Mountain Bikes Elétricas

Criar uma mountain bike elétrica que pode atender aos rigores do esporte com desempenho satisfatório é um grande desafio de engenharia.
Todo ano vemos novas tecnologias, ou melhorias, no mundo do mountain bike. São novas suspensões, mais marchas, novos materiais, tamanhos diferentes de pneus e uma infinidade de detalhes. Acrescente na receita motor e bateria e temos algo bem complexo.

O motor é acionado apenas quando você pedala

O esporte também tem diferentes níveis de exigência. Pode ser praticado numa simples estrada de terra, como também em trilhas super técnicas onde é difícil até mesmo descer a pé.

Integrando o motor ao invés de iniciar do zero

A decisão mais sábia dos fabricantes foi deixar as bicicletas com seus componentes originais ao invés de tentar criar um novo produto, com componentes específicos da categoria elétrica.
 Sistema de assistência de uma elétrica como a Turbo Levo
Então, hoje temos bicicletas com quase todos os componentes de uma mountain bike tradicional, exceto o quadro, onde é integrado o motor + bateria. Afinal, suspensões, pneus, freios e demais componentes, já estão num grau de maturidade e eficiência avançado.
O resultado final é uma bicicleta que tem a mesma cara de uma mountain bike tradicional, aguenta os rigores do esporte e traz as vantagens de ter um motor.
Já estão até surgindo componentes específicos para o E-MTB como o grupo SRAM EX1, mas ainda não sabemos o futuro deles e parecem ser apenas otimizações dos componentes tradicionais.

Funcionamento de uma E-MTB

Por pensar em integrar um motor ao MTB e não o oposto, as novas bikes tem um funcionamento praticamente idêntico a uma bike normal. Até a presente data, as grandes marcas só possuem bicicletas de pedalada assistida, ou seja, elas não possuem acelerador. O motor é acionado apenas quando você pedala.
Níveis de intensidade de ajuda escolhidas no guidão Pedro Cury
Esse funcionamento é diferente de marca pra marca, mas em geral é bem dinâmico. O sistema percebe em que marcha você está e o quanto precisa de ajuda para dosar a força que o motor irá gerar. Assim, a experiência é bem natural, como se você fosse um ciclista muito forte e não com grandes trancos como seria uma moto.
Por uma questão de legislação, essas bicicletas possuem um limitador de velocidade máxima, que em geral é de 25 km/h. Já existem formas de enganar o limitador. Mas isso é assunto para outro artigo.
Além disso, a maioria das bikes oferecem a possibilidade de escolher níveis de ajuda do motor. Você poderá regular isso no guidon, por aplicativo de celular ou ambos.

Autonomia

Essa é a pergunta mais frequente e mais difícil de responder. Bicicletas de passeio tem um comportamento mais previsível - em geral andam no plano e no asfalto. Mas andar em ladeiras íngremes ou terreno super acidentado trazem exigências diferentes.
Pra dificultar, existem diferentes níveis de assistência do motor que podem ser alterados ao longo do uso. E também, se a pessoa pedala mais ou menos forte, vai usar mais ou menos assistência no mesmo modo.
Vale lembrar que é possível pedalar a bike normalmente com o motor desligado. É uma bicicleta pesada, mas um sistema de roda livre desengrena totalmente o motor.
Ou seja, tudo é muito dinâmico, mas fizemos algumas experiências que você vai conhecer em um artigo que será publicado em breve.

Apps Inteligentes

A bike que testamos até agora, a Specialized Turbo Levo, possui um aplicativo para celular, onde é possível ver e ajustar diversos parâmetros.

 

Algumas das funções do APP da Turbo Levo

Você pode saber quantas cargas a bateria já teve, detalhes como número de série, versão do firmware e mais detalhes do motor e bateria. Pode integrar os seus treinos ao Strava e outras funções do tipo.
É possível também ajustar o nível de ajuda de cada modo. No caso da Turbo Levo, existem 3 modos de ajuda, e é possível definir a porcentagem de ajuda em cada um deles. Exemplo: no modo econômico, posso definir que o motor irá me ajudar apenas 10%, no modo intermediário pode ser 40% e no modo Turbo ser 100%.
Mas uma das funções mais surpreendentes é a definição de autonomia dinâmica. Você pode configurar a bike para que a bateria dure quantas horas ou quilômetros que você quiser, e ela irá dosar a força. Assim, não existe o risco de ficar sem bateria durante o seu rolé.

Enfrentando Preconceitos

Nas bicicletas de transporte e passeio, é muito bem aceito ter um motor. Os argumentos de “não chegar suado ao trabalho” ou até mesmo “sou preguiçoso mesmo”, são bem aceitos. O mountain bike, por ser um esporte, já sofre do problema oposto.
Uma e-MTB é uma bicicleta inclusiva
Em qualquer discussão virtual você vai ter o grupo que diz que “se tem motor, não é bicicleta” ou que não faz sentido ter motor. E por aí vai. Fizemos uma TopicoTopico.

Vantagens

Ter uma motor na bike traz vantagens óbvias, mas elas ficam ainda mais claras na prática. A questão de treinos falamos no artigo (Preguiça nada! Com bike elétrica vc treina mais…), seguem outros pontos:
- Levar menos treinado ou sedentário pra andar junto
- Levar uma bike de mais curso e pneus plus pra trilha
- Treinar técnica quando tá cansado das pernas
- Treinar em trilhas mais distantes quando se tem menos tempo
- Treinar mais controladamente com regulagem de força + Potencia
- Fotografos, trienadores, etc...
Autonomia depende do tipo de uso

Desvantagens

As e-MTBs não são só alegria. Elas ainda estão em uma fase inicial e é preciso se acostumar com algumas desvantagens.

Preço

A maior desvantagem, como era de se esperar no nosso mercado, é o preço, que nos dias de hoje vai variar de R$ 25 a 60 mil reais. Esse valor tende a cair muito, com a vinda de mais e mais concorrentes e com possíveis melhorias na tributação.

Peso

Depois do preço, o maior problema mesmo é o peso. Apesar de não ser um grande problema na hora de pedalar, ela é mais difícil de colocar no rack do carro ou mesmo na mala. Nada impossível, colocamos ela tranquilamente na mala de um Honda Fit, com mais duas bicicletas, apenas é mais trabalhoso. Vale lembrar que a dificuldade pode ser maior para pessoas com menos força física.

Manutenção

Ir mais longe, mais rápido e escalar subidas mais inclinadas pode ser muito bom, mas isso obviamente gera um desgaste maior nos componentes da transmissão da bicicleta, encurtando a vida de cassetes, correntes e coroas. Além disso, a própria bateria é um item de desgaste com custo elevado que eventualmente deverá ser substituída.

Transportar em Avião

Um problema que pode ser mais grave para alguns é a impossibilidade de transportá-la em aviões de passageiro, pelo menos por enquanto. A legislação de quase todo o mundo proíbe o transporte de baterias de lítio do tamanhos que elas levam. Algumas empresas proíbem o transporte da bicicleta, mesmo sem a bateria! Nesse caso, a bike tem que vir por cargo.

Conclusão


As mountain bikes elétricas sem dúvida vieram para ficar! Elas oferecem características muito positivas, possibilitando a experiência do mountain bike a um novo leque de praticantes, além de ser uma excelente ferramenta complementar de treinamento.
Por isso, com o tempo espera-se que o custo delas diminua, assim como sua presença nas trilhas tende a crescer.
-
Fonte: https://www.pedal.com.br/entendendo-mountain-bike-eletricas_texto12953.html

Caloi apresenta linha de bicicletas com viagem de caminhão pelo país

Projeto usa veículo adaptado e equipado para aproximar marca dos fãsA Caloi acaba de lançar sua linha de bicicletas 2018. Para apresentar as novidades e ter uma maior proximidade com os fãs, a marca decidiu inovar e adaptou e equipou um caminhão para viajar por todo o país. O projeto, chamado de Demo Tour, passará por todas as capitais brasileiras.
Foto: Divulgação

“O Demo Tour tem o objetivo de levar as bicicletas Caloi a todas as regiões do Brasil, e assim aproximar a marca dos consumidores. Sabemos que existe um carinho muito grande dos brasileiros pela Caloi, e de certa forma essa iniciativa oferece essa proximidade”, declarou Vânia Xavier de Oliveira, gerente de marketing da Caloi.
Com um estilo moderno e confortável, o caminhão que leva um verdadeiro showroom da Caloi também estará presente nos principais eventos do setor. Quem fizer uma visita poderá testar as bicicletas da marca.
Modelos de mountain bike e mobilidade urbana serão os principais atrativos, mas bicicletas das linhas infantil e juvenil, assim como da categoria Road, também farão parte da ação.
-
Fonte:  http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/caloi-apresenta-linha-de-bicicletas-com-viagem-de-caminhao-pelo-pais_34737.html

Atletas Shimano têm agenda agitada no fim de semana: MTB, ciclismo de estrada e triathlon

Agenda cheia para as atletas Shimano, que representam a marca em três competições nacionais neste fim de semana. Em Goiânia (GO), no Paço Municipal, Viviane Favery (Cannondale Brasil Racing), Karen Olimpio (Squadra Oggi) e Danielle Moraes (Caloi Avancini Team) disputam a Taça Brasil de XCO, que vale pontos nos rankings olímpico e mundial. No Parque Eco-Esportivo Dahma, em São Carlos (SP), a LuluFive Team tem três atletas em ação no Campeonato Paulista de Ciclismo de 2018. Por fim, em Brasília, a triatleta sub-23 Clara Carvalho (Sense Factory Racing) compete no Campeonato Pan-Americano de Triathlon.
Foto: Divulgação
A etapa goiana da Taça Brasil de XCO será a terceira competição no País válida pelo Ciclo Olímpico de Tóquio 2020 no mountain bike. Na pista do Laboratório, no Paço Municipal, 30 pontos (classe 2) estarão em jogo aos campeões das elites nos rankings UCI (União Ciclística Internacional). A largada da super elite será às 12h15, com cinco voltas para as mulheres, o que totaliza pouco mais de 25 km no circuito de 5,1 km de extensão.
A mais nova entre as três ciclistas Shimano que estarão em Goiânia, a mineira Karen Olimpio avalia a disputa no Cerrado. “A pista do Laboratório é de alto nível. Tem um traçado bastante técnico. Tem um pouco de parte aberta e depois cerca de 70% de mata fechada com com um single track (trilha estreita) muito bacana. Será uma excelente oportunidade de me testar competindo com algumas das melhores ciclistas do MTB nacional”, define Karen.
Campeonato Paulista 2018 – O Parque Eco-Esportivo Dahmna, em São Carlos, será o palco da edição de 2018 do campeonato de ciclismo, com disputas de ciclismo de estrada entre sexta-feira (22) e domingo (24). A LuluFive estará em ação na disputa da elite da prova de estrada, marcada para as 8h da manhã do terceiro e último dia de evento. Estarão em ação representando a marca as ciclistas Gisele Gasparoto, Kamila Sikora e Erika Soares, com suas bicicletas equipadas com grupo e rodas Dura-Ace da Shimano, além do medidor de potência da marca.
O apoio à equipe LuluFive é uma das principais apostas da Shimano nesta temporada para motivar mais mulheres a praticarem o ciclismo. Além do time de ciclismo, que compete em provas nacionais e internacionais, a LuluFive Team conta ainda com uma assessoria de treinamento esportiva, voltado para o público feminino na prática ciclística.
Pan-Americano de Triathlon – A jovem Clara Carvalho, de 21 anos, será a representante feminina da Shimano no Campeonato Pan-Americano de Triathlon, realizado em Brasília. A disputa será na distância Standard e terá 1,5 km de natação, 40 km de ciclismo e 10 km de corrida. O evento faz parte do novo Ciclo Olímpico para Tóquio 2020 e ofertará 450 pontos aos campeões no ranking da ITU (União Internacional de Triathlon).
Espaço das mulheres – A Shimano dá destaque especial a suas atletas, com releases, postagens em mídias sociais, eventos, entre outras ações de comunicação específica para o público feminino. O objetivo é difundir ainda mais o ciclismo feminino e dar atenção às ciclistas que crescem em quantidade e nível de profissionalismo a cada temporada.
Novidades Shimano – Em 2018, a Shimano fez o lançamento do tradicional grupo de ciclismo de estrada 105 R7000, totalmente remodelado: são novas tecnologias herdadas do Dura-Ace, alavancas de STI adequadas para mãos menores (de mulheres por exemplo) e freio a disco hidráulico – finalmente regulamentado pela Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC). Vale destacar que o ciclismo de estrada é uma modalidade bastante praticada por atletas de MTB, como complemento aos treinos.
Também neste ano, a marca lançou o XTR M9100 e atendeu o pedido dos fãs com a configuração de 12 velocidades, trazendo muitas outras inovações. O grupo apresenta um cassete totalmente inovador com pinhões de amplo alcance de 10-45D ou 10-51D, freios com 2 ou 4 pistões, e um novo cubo com a nova tecnologia Shimano Micro Spline. Um novo projeto de configuração de freios e alavancas, que permite ao ciclista posicionar seus comandos, incluindo a alavanca de canote retrátil de selim “dropper post” XTR, em uma situação otimizada para máximo conforto e acionamento rápido.
Mais informações no site: bike.shimano.com.br
Twitter:@shimanobrasil
Fanpages no Facebook: https://www.facebook.com/ShimanomtbBrasil/
https://www.facebook.com/ShimanoroadBrasil/
Instagram: www.instagram.com/ShimanoBrasil

Mulheres no Ciclismo: veja quem compete pela Shimano Sports Team esse final de semana

Danielle Moraes, da Caloi Avancini Team em ação Reprodução/Fabio Piva
Os próximos dias estão cheios para as mulheres da Shimano Sports Team. Neste final de semana, acontece no Parque Eco-Esportivo Dahma em São Carlos, interior de São Paulo, a disputa do Campeonato Paulista de Ciclismo 2018. A LuluFive Team contará com a presença de três atletas. Já em Brasília, Clara Carvalho (Sense Factory Racing), triatleta sub-23, compete o Pan-Americano de Triatlhon.
Em Goiânia, no Paço Municipal, acontece a Taça Brasil de XCO, valendo pontos para o ranking mundial e olímpico. Entram em disputa as atletas Viviane Favery (Cannondale Brasil Racing), Karen Olimpio (Squadra Oggi) e Danielle Moraes (Caloi Avancini Team). A etapa goiana da Taça Brasil de XCO será a terceira competição no Brasil válida pelo Ciclo Olímpico de Tóquio 2020 na modalidade de mountain bike. A largada será às 12h15 e tem o total de cinco voltas para as mulheres, totalizando 25km.
Karen Olimpio é a mais nova entre as três ciclistas a disputar em Goiânia e ela fala sobre o campeonato: “A pista do Laboratório é de alto nível. Tem um traçado bastante técnico. Tem um pouco de parte aberta e depois cerca de 70% de mata fechada com com um single track (trilha estreita) muito bacana. Será uma excelente oportunidade de me testar competindo com algumas das melhores ciclistas do MTB nacional".
-
Fonte:  http://www.espn.com.br/espnw/artigo/_/id/4447872/mulheres-no-ciclismo-veja-quem-compete-pela-shimano-sports-team-esse-final-de-semana

Volta Ciclística de Guarulhos 2018 - Prova percorrerá 800km no Estado de São Paulo

Bike 76
A cidade de Guarulhos sediará a principal competição de ciclismo do país, a 3ª Volta Ciclística Internacional da Cidade de Guarulhos. De 10 a 15 de julho, as melhores equipes do Brasil e América Latina passarão por cerca de 20 cidades do Estado de São Paulo, percorrendo um total de 763 km. A prova é organizada pela Associação Desportiva Facex, com apoio das prefeituras de Guarulhos, Atibaia, Santa Isabel, São Vicente e Mairiporã, e os patrocínios do Instituto EDP e do supermercado Nagumo.
A grande novidade para esta edição do evento será a introdução de duas etapas à prova, que acrescentarão quase 200 km ao percurso. Uma das etapas terá largada em São Vicente, no litoral paulista, e chegada em Guarulhos e a segunda inicia em Guarulhos e finaliza em Atibaia, no interior do Estado. Além de Guarulhos, São Vicente e Atibaia, outras cidades, como Mairiporã, Nazaré Paulista, São José dos Campos, Santa Isabel, Igaratá e São Paulo (Capital), receberão a competição. Na cidade guarulhense, a prova percorrerá as principais vias, como Avenida Paulo Faccini, Anel Viário, Marginal do Rio Barquirivu e Rodovia Presidente Dutra.
O organizador da competição, José Claudio dos Santos, mais conhecido como Facex, ressaltou a qualidade dos atletas que disputarão a prova. “Teremos ciclistas da Seleção Brasileira e atletas que disputaram os Jogos Olímpicos. Fico feliz por nossa prova crescer a cada ano e atrair cada vez mais talentos; ela vem se tornando uma tradição no país”, declarou.

Organização prepara ‘Fan Fest’ para a final da Copa do Mundo

A data da prova (10 a 15 de julho) foi escolhida estrategicamente para coincidir com a disputa da Copa do Mundo de Futebol. A organização da Volta Ciclística planeja montar uma “Fan Fest” no Bosque Maia para que todos os participantes do evento e público em geral possam acompanhar os jogos de sábado (dia 14) e a grande final no domingo (15) por um telão.
Além da integração com o Mundial, o parque também vai receber uma programação cultural completa, com shows, playground para as crianças e atividades para toda a família.

Etapas

Dia 10 (terça-feira)
11h – 1ª Etapa – Guarulhos / São José / São José / Guarulhos – 165 KM
Dia 11 (quarta-feira)
11h – 2ª Etapa – São Vicente / Guarulhos – 121 KM
Dia 12 (quinta-feira)
11h – 3ª Etapa – Guarulhos / Santa Isabel / Igaratá / Atibaia – 131 KM
Dia 13 (sexta-feira)
11h – 4ª Etapa – Guarulhos / Nazaré Paulista / Mairiporã – 80 KM
Dia 14 (sábado)
11h – 5ª Etapa – Guarulhos / Nazaré Paulista / Igaratá / Santa Isabel / Guarulhos – 156 KM
Dia 15 (domingo)
8h – 6º Etapa – Guarulhos / Tatuapé / Guarulhos – 108 KM
-
Fonte: https://www.pedal.com.br/volta-ciclistica-de-guarulhos-2018-prova-percorrera-800km-no-estado-de-sao-paulo_texto13084.html

Segunda edição do Circuito de Ciclismo na Itaipu será neste domingo

Com o dobro de vagas, a 2ª edição do Circuito de Ciclismo na Itaipu Binacional ocorre na tarde deste domingo (24) com a expectativa de receber 200 participantes, 100 a mais que a primeira edição, em 27 de maio. O evento é aberto aos ciclistas da comunidade e está programado sempre para o último domingo do mês – o calendário vai até novembro.
As inscrições para este domingo já estão abertas. A participação é gratuita e está sujeita à disponibilidade de vagas. Para aderir, é preciso preencher um formulário pela internet (goo.gl/forms/G96JlBMpC6KPSerE3).
Qualquer pessoa com mais de 10 anos de idade pode participar, embora o circuito seja voltado a quem tem experiência no pedal. Crianças precisam estar acompanhadas pelo pai, mãe ou responsável legal.
Pedal vespertino
Desta vez, o circuito começa às 15h30. Pela manhã, a usina receberá a Nanocorrida de Aventura, evento esportivo exclusivo para o público interno da Itaipu, por isso a mudança de horário (em maio, o pelotão largou às 8h).
Durante o percurso, os ciclistas terão a oportunidade de pedalar por 18 quilômetros dentro da maior geradora de energia limpa e renovável do planeta, passando pelos principais pontos da hidrelétrica, como a Barreira de Controle, o Mirante do Vertedouro, Mirante Central, Porto do Kattamaran e Parque da Piracema.
O uso de equipamento de segurança, como capacete, é obrigatório e todos os ciclistas devem seguir em comboio. A organização recomenda que os atletas levem garrafa de água para hidratação durante o percurso e utilizem protetor solar. Outras orientações relativas às regras de trânsito serão repassadas no dia do evento.
Na última edição, famílias inteiras, pessoas de todas as idades e ciclistas do Oeste do Paraná, além de colaboradores da Itaipu, esbanjaram disposição e motivação para desfrutar dos cenários da usina sobre duas rodas. A integração foi tamanha que dois terços dos participantes eram pessoas da comunidade e sem vínculo com a empresa.
“É um jeito saudável de integrar ainda mais a comunidade com os atrativos que Itaipu oferece”, disse Aline Teigão, da Coordenadoria de Turismo da Itaipu.
O evento surgiu em razão das demandas de vários grupos de ciclismo da cidade que pediam a liberação de acesso à Itaipu. Atenta aos anseios da comunidade, a empresa abriu as portas para os adeptos do esporte.

2ª edição do Circuito de Ciclismo
Data: 24 de junho (domingo), às 15h30
Local: Itaipu Binacional (Barreira de Controle)
Clique para acessar o formulário de inscrições 

INSCRIÇÕES ABERTAS - 3ª Etapa do Campeonato Paranaense de Downhill - ETAPA IRATI

Olá a todos os downhillers de plantão, estão abertas as inscrições para a 3a. Etapa do CAMPEONATO PARANAENSE DE DOWNHILL, que será realizado na cidade de IRATI-PR nos dias 07 e 08 de julho.
Para se inscrever clique no menu "DH 2018" e em seguida "INSCRIÇÕES" e preencha o formulário.

  • INSCRIÇÕES:
      • Valor da inscrição: R$ 100,00
  • DADOS PARA DEPOSITO OU TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA:
    BANCO -  CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
    JULIO CESAR KIMPINSKI
    CPF - 079.354.649-44
    AGÊNCIA: 0390
    OPERACAO :013
    CONTA POUPANÇA: 000.039.325-1
      3ª Etapa do Campeonato Paranaense de DOWNHILL - RANKING NACIONAL, na lendária pista do ALESSI, considerada por vario pilotos do estado e outros estados com a melhor pista do Parana.
      • CRONOGRAMA
        • Dia 07/07 - SÁBADO
          • CONFIRMAÇÕES DAS INSCRIÇÕES NA SECRETARIA DE PROVA
          • RECONHECIMENTO DA PISTA
          • TREINOS LIVRES DAS 08:30 às 11:30h.
          • TREINOS LIVRES DAS 13:30 às 18:00h.
        • Dia 08/07 - DOMINGO
          • TREINOS LIVRES DAS 8:30 às 10:00h
          • REUNIÃO DE PROVA COM TODOS PILOTOS 10:00h
          • QUALIFY A PARTIR DAS 10:30h
          • FINAL A PARTIR DAS 13:00h
      ATENÇÃO QUALIFY E FINAL PODEM SOFRE MUDANÇA DE HORÁRIO COM A QUANTIDADE DE PILOTOS

      PREMIAÇÃO
      LOGO APÓS O ENCERRAMENTO DE TODAS AS CATEGORIAS.

      PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO
      Lanches ( x-salada, coxinha, pastel, etc).
      Refrigerante.
      Aguá.
      Cerveja.

      BANHEIROS QUÍMICOS.

      APOIO / PATROCINADORES
      • FEDERAÇÃO PARANAENSE DE CICLISMO.
      • APDH.
      • PREFEITURA MUNICIPAL E SECRETARIA DE ESPORTES DE IRATI.
      • OTL On The Line - Extreme Cycling Clothes.
      • MAGICEL - Seguros de Vida.
      • NAGAZAVA TINTAS.
      • LADEIRA HILL (cobertura fotográfica).
      • RED LINE (cronometragem).
      • CLINICA DO CELULAR (WIFI para todos os pilotos).
      • MUD BIKE.
      • LANCHONETE CENTRAL (praça de alimentação).
      • CLINICA DR GUERREIRO.
      • VOU DE BIKE.
      • JS EVENTOS (som).
      • ALTMAYER SPORT.

      CATEGORIAS

      MASCULINO
      1 - ELITE: 19 a 29 ANOS OU CRITÉRIO TÉCNICO ( nasc 1999 e anos anteriores).
      2 - SUB-30: 19 a 29 ANOS (nasc. 1999 a 1989)
      3 - INFANTO-JUVENIL: 12 a 14 ANOS (nasc. 2006 a 2004).
      4 - JUVENIL:15 a 16 ANOS (nasc. 2003 a 2002).
      5 - JUNIOR: 17 a 18 ANOS (nasc. 2001 a 2000).
      6 - MASTER A1: 30 a 34 ANOS. (nasc. 1988 a 1984).
      7 - MASTER A2: 35 a 39 ANOS (nasc. 1983 a 1979).
      8 - MASTER B1: 40 a 44 ANOS (nasc. 1978 a 1974).
      9 - MASTER B2: 45 a 49 ANOS (nasc. 1973 a 1969).
      10 - MASTER C1: 50 a 54 ANOS (nasc. 1968 a 1964).
      11 - MASTER C2: 55 a 59 ANOS (nasc. 1963 a 1959).
      12 - MASTER D: 60 ANOS OU MAIS.(nasc. 1959 e anos anteriores).
      13 - ESTREANTE: (idade livre).

      FEMININO
      1 - ELITE: 19 ANOS ACIMA (nasc. 1999 e anos anteriores)
      2 - JUNIOR: 17 a 18 ANOS (nasc. 2001 2000).

      PREMIAÇÃO
      1ª a 5º LUGAR TROFÉU ( todas as categorias).

      COBERTURA FOTOGRÁFICA

      COBERTURA FOTOGRÁFICA FICA UNICA E EXCLUSIVAMENTE A LADEIRA HILL, O QUAL VAI FAZER UM PACOTE PARA OS PILOTOS DE TODAS AS FOTOS DE CADA PILOTO NO VALOR DE R$15,00 REAIS, PILOTOS QUE OPTAREM FAZEM PAGAMENTO NA HORA DA INSCRIÇÃO. (as fotos serão enviadas para os pilotos assim que forem editadas com prazo max. de 4 dias).

      AS INSCRIÇÕES ABREM NA 1ª SEMANA DE JUNHO, OS 30 PRIMEIROS PILOTOS A FAZER SUAS INSCRIÇÕES E O DEPOSITO ESTARÃO CONCORRENDO A 1 INSCRIÇÃO (reembolso do valor ) E UMA DIÁRIA NO HOTEL.

      MAIS INFORMAÇÕES:
      (42) 9 9928-2114 JULIO.
       =