NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

Cidades e atrativos do litoral do Paraná viram rotas de cicloturismo

# São cinco rotas, e o tempo de pedalada varia de 30 minutos a 2 horas.
Passeios são gratuitos e não é preciso se inscrever; confira.
-
. Moradores e veranistas do litoral do Paraná podem usufruir de uma programação de clicloturismo durante a temporada de verão. Representantes de entidades ligadas ao ciclismo percorreram os municípios de Matinhos, Guaratuba e Pontal do Paraná para elaborar cinco roteiros. Os passeios são gratuitos e não é preciso fazer inscrição. Trata-se de uma sugestão para os turistas que têm curiosidade em conhecer lugares diferentes, além de incentivar o uso da bicicleta como meio de tranporte. (Veja as rotas no final da reportagem).
. O coordenador do programa Ciclovida da Universidade Federal do Paraná (UFPR), José Carlos Belotto, conta que entre as atrações está o passeio no Parque Estadual Rio da Onça, que fica a seis quilômetros da UFPR Litoral. "Esse é um passeio que pode ser feito por toda a família, afinal o parque fica a 20 minutos da sede da universidade. Devemos lembrar que as pessoas que quiserem participar dos passeios mais longos podem levar a bicicleta de carro até os parques e percorrer apenas as trilhas internas", disse Belotto.
. Ainda de acordo com Belotto, que também é vice-presidente da Federação Paranaense de Ciclismo (FPC), o uso da bicicleta durante o verão pode ser transformado em uma prática cotidiana. "Esse é um período em que as pessoas estão em um momento de lazer, com menos compromissos. Se começarem a ter contato com a bicicleta nas férias pode ser que tragam isso para o dia-a-dia", disse.
. O uso da bicicleta no litoral deve ajudar a desafogar o trânsito nos balneários, conforme explicou Belotto. "Muitas vezes as pessoas utilizam o carro para fazer percursos pequenos, como ir até a panificadora por exemplo. Só que na época da temporada de verão isso pode complicar o trânsito", afirmou.
. Os passeios ciclísticos possuem rotas para iniciantes, com duração média de 30 minutos, e trajetos longos, destinados aos praticantes de ciclismo, que podem durar até 90 minutos, segundo o vice-presidente da FPC.
http://s2.glbimg.com/8zo6RA8qzBaVM8h9rPjNecP49xA=/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2014/12/29/foto_leo_ferreira_3_1.jpg
. Para o estudante Léo Thiago Ferreira, a criação de rotas de cicloturismo é um importante passo para quem é adepto ao meio de transporte. "Achei muito bacana essa iniciativa. Eu uso a bike há muito tempo e acredito que o número de pessoas que começou a ver a bicicleta como meio de transporte vem aumentando, com um incentivo como esse tende a aumentar ainda mais", disse. O estudante reforça que muitos motoristas ainda precisam se conscientizar do uso da bicicleta. "Eu já cheguei a descer a Serra para o litoral do estado duas vezes por dia e o que percebo é que ainda tem muito desrespeito em relação aos ciclistas. Os motoristas precisam de mais conscientização", contou Léo.
. A prática do cicloturismo no litoral paranaense é uma iniciativa do Governo do Estado e faz parte das ações do Programa Ciclo Paraná, coordenado pela Secretaria do Meio Ambiente e desenvolvido com a participação de 21 entidades públicas e privadas. As rotas do programa de passeio ciclístico foram traçadas por representantes da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Federação Paranaense de Ciclismo (FPC), Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu e projeto Ciclovida da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Rotas
Rota 1: de Matinhos ao Parque Estadual Rio da Onça. São seis quilômetros de ida e seis de volta. O parque fica em meio a Mata Atlântica e conta com 1.567 metros de trilhas educativas que podem ser feitas a pé. O tempo estimado para percorrer a trilha é de 30 minutos.
- 
Rota 2: de Matinhos ao Cabaraquara, conhecido como o Roteiro das Ostras. O percurso é de sete quilômetros de ida e sete de volta. Algumas opções do passeio são percorrer as trilhas, passeios de barco, montanhas e cachoeiras, além da degustação de ostras cultivadas e servidas em uma comunidade localizada próximo ao Ferry Boat em Caiobá, também no litoral do estado. O tempo estimado para o passeio é de 40 minutos.
-
Rota 3: de Praia de Leste à Floresta Estadual Parque do Palmito. A distância do trevo de Praia de Leste até a Floresta do Palmito é de 15 quilômetros. O parque possui uma trilha de 6.500 metros que leva até o Rio das Correias. O local é considerado um dos maiores orquidários naturais da região Sul. Iniciantes levam em média 60 minutos para percorrer o trecho e ciclistas 30 minutos.
-
Rota 4: de Matinhos até a Floresta Estadual Parque do Palmito. A distância de Matinhos até o parque é de 32 km. O parque possui uma trilha de 6.500 metros que leva até o Rio das Correias. O local é considerado um dos maiores orquidários naturais da região Sul. Iniciantes levam em média 60 minutos para percorrer o trecho e ciclistas 30 minutos. O nível de dificuldade do trecho é alto e os ciclistas demoram em média uma hora e meia para percorrer o trajeto, enquanto os iniciantes podem levar até três horas.
-
Rota 5: de Matinhos à Colônia Maria Luiza, na área rural de Paranaguá. São 25 quilômetros de distância e o tempo estimado para percorrer o trajeto é de 1h30 para ciclistas e 2h para iniciantes. Boa parte do trajeto pode ser feito pela Estrada Velha paralela a PR-508, conhecida como Alexandra Matinhos. O nível de dificuldade da rota é considerado alto.
-
Quem estiver interessado pode conferir as cinco rotas completas no site do governo do estado.
-
Fonte: http://g1.globo.com/pr/parana/ferias-verao/2015/noticia/2014/12/cidades-e-atrativos-do-litoral-do-parana-viram-rotas-de-cicloturismo.html

0 comentários: