Clique aqui e faça sua inscrição para o Desafio. Clique aqui para mais informações sobre o pedal. Clique aqui para ver a lista de inscritos.
NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

Após polêmica, atleta faz vídeo e "apresenta" ciclismo a Tiago Leifert do "Globo Esporte"

--_Um comentário bem mal colocado de Tiago Leifert na edição da semana passada do Globo Esporte, da TV Globo, repercutiu negativamente no meio ciclístico.
--_Nesta quarta-feira, inclusive, o atleta olímpico Renato Rezende publicou um vídeo em resposta ao apresentador global, apresentando a modalidade BMX.
--_A polêmica se deu na última sexta-feira, após a exibição de uma reportagem do ex-ciclista Lance Armstrong, que confessou ter feito uso de substâncias dopantes para melhorar o rendimento durante a carreira...
-
>> “Vamos falar de esportes de verdade, agora? Vamos falar do nosso futebol”, disse Leifert, ao final da reportagem.
-
Esse é o video do comentário...

--_Embora a crítica fosse direcionada a Armstrong, a declaração deu margem para outra interpretação e repercutiu mal, e muitas reclamações foram direcionadas ao apresentador nas redes sociais.
>>“Sou muito fã do Tiago, ele manda bem demais no Globo Esporte, mas neste comentário ele mandou mal”, opinou Renato Rezende, quinto colocado nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em 2011, e que sofreu um acidente durante a disputa do BMX na Olimpíada de Londres.
>>“Treino muito e me dedico o máximo que posso para, quem sabe um dia, trazer uma medalha para o Brasil. Continuo muito seu fã, Tiago, mas te convido a conhecer um pouco mais nosso esporte. Vou te mostrar que ele é realmente um esporte de verdade”, convidou Renato, que vestiu o capacete e realizou uma volta em um circuito de BMX.
--_Ao longo do vídeo, Renato ainda lembrou a necessidade de outros esportes ganharem relevância junto ao povo brasileiro – especialmente neste momento, que marca o início de um ciclo olímpico antes dos Jogos do Rio 2016.
>>“Estamos prestes a sediar nossa primeira Olimpíada e temos que mostrar para o Brasil que não mandamos bem só no futebol. Há muitos outros esportes com muitos outros talentos. Sem querer desmerecer qualquer outro esporte, longe disso, mas temos que treinar tanto quanto que o futebol, até mais. Se não estivermos 100% em uma corrida, não tem ninguém para nos ajudar”, destacou o ciclista.-
-
Esse é o video do Renato Rezende indagando sobre o comentário...
-
Leifert nega desdém:
Em sua conta no Twitter, Tiago Leifert negou a intenção de depreciar o ciclismo na edição do Globo Esporte. “”Eu nunca na minha existência disse que ciclismo não é esporte. Eu disse que Lance Armstrong não é esporte, nem atleta. E reitero”, escreveu o apresentador.
-
$$ Comentário dos MAZOBIKERS em relação ao ocorrido: Eu Rogério "Purga", concordo plenamente pois a vida dos reporters esportivos brasileiros gira somente em torno do FUTEBOL,  esquecendo quase por completo da existência de outros exportes, e acabam por fazer um fisco desse, dizendo que futebol é esporte de verdade! Poxa, acorda midia! O Brasil tá desse jeito por que existe uma máfia "Politica" por trás do futebol! vejam por exemplo a seleção brasileira de futebol, tantas copas mundias, mas nenhuma medalha olímpica no futebol, isso por que recebem milhoes em investimento, em compensação no boxe, dois caras que treinavam com o próprio pai, dando murro em tronco de bananeira, foram medalhistas, cadê o investimento do governo e das empresas nos atletas brasileiros? E o ciclismo?? Cadê o investimento em uma equipe olímpica de ciclismo de estrada e montanha? Pouquissimo nós ouvimos sobre isso, e as vezes quando à a participação, acabamos por as vezes nem saber qual foi o resultado, pois a midia nem divulga...
Para mim e para centenas de brasileiros espalhados por entre esses quatros cantos desse nosso Brasilzão consideram sim o CICLISMO UM ESPORTE DE VERDADE!!
-
Parabéns ao atleta Renato Rezende pela iniciativa!!!!

Entrevista de Oprah com Lance Armstrong é vista por 28 milhões no mundo

## A entrevista exclusiva em duas partes -com 2,5 horas no total- foi vista em mais de 190 países em 30 línguas, afirmou o canal a cabo, uma joint venture com a Discovery Communications.
 -
--_Cerca de 28 milhões de telespectadores assistiram à entrevista feita por Oprah Winfrey com o ciclista Lance Armstrong, em que ele admitiu ter usado substâncias para melhorar seu desempenho durante anos, informou o canal de TV a cabo de Oprah OWN na terça-feira.
--_O OWN disse que 12,2 milhões de norte-americanos e 15 milhões de pessoas no exterior assistiram à entrevista, editada em duas partes, nas diversas exibições no canal. Outras 800.000 pessoas assistiram pela Internet no site Oprah.com.
--_A entrevista exclusiva em duas partes -com 2,5 horas no total- foi vista em mais de 190 países em 30 línguas, afirmou o canal a cabo, uma joint venture com a Discovery Communications.
Nos EUA, entretanto, a audiência diminuiu dramaticamente após a primeira exibição, em que Armstrong admitiu nos primeiros cinco minutos o uso doping nas sete vezes que venceu na Volta da França.
--_Cerca de 3,2 milhões de norte-americanos assistiram à primeira transmissão na quinta-feira à noite, subindo para 4,3 milhões com as reprises. Na sexta-feira, apenas 1,8 milhão de telespectadores viram a segunda parte, e depois subiu para 2,4 milhões com as retransmissões.
--_A primeira parte da entrevista não alcançou números recordes para o OWN, apesar de dias de propaganda antecipada e do interesse do universo do ciclismo. O programa mais assistido da história do canal foi a entrevista de Oprah com a família de Whitney Houston em março de 2012, após a sua morte, que atraiu 3,5 milhões de telespectadores.
-
Fonte: D24am
Link Origem: http://www.d24am.com/plus/tv/entrevista-de-oprah-com-lance-armstrong-e-vista-por-28-milhes-no-mundo/78788

Bradley Wiggins teme efeitos da confissão Armstrongem relação a modalidade.

--_O ciclista britânico Bradley Wiggins, vencedor em título da Volta a França, considerou que, depois da confissão de doping de Lance Armstrong, o que importa são os efeitos naqueles que estão na modalidade. "Vi que o ciclismo poderia ser retirado dos Jogos Olímpicos. Seria inacreditável. O mais importante agora é o que acontece conosco, que continuamos no esporte", disse Bradley, em entrevista ao jornal "L'Équipe".
--_Wiggins é sete vezes medalhado olímpico, quer em estrada, como em pista. Este comentário do britânico foi o único relacionado com a entrevista dada na última semana pelo norte-americano Lance Armstrong à apresentadora Oprah Winfrey, na qual admitiu ter usado substâncias dopantes ao longo da carreira. --_Wiggins assegurou que nunca se dopou e que nem o podia fazer, sob pena de perder a sua família e o modo de vida, ligado ao ciclismo. Quando foi conhecido o relatório da Agência Mundial Antidopagem dos Estados Unidos (USADA) sobre Armstrong - que serviu para condenar o norte-americano -, Bradley Wiggins referiu que não ficara surpreso, mas que o ciclismo tinha mudado muito desde os tempos de glória do texano, que venceu o Tour sete vezes consecutivas.
-
Fonte: RECORD
Link Origem: http://www.record.xl.pt/Modalidades/Ciclismo/interior.aspx?content_id=800307

Mais uma tragédia: MTBiker profissional Burry Stander morreu atropelado

  O Mountain Biker sul-africano Burry Stander morreu atropelado há poucas horas enquanto treinava na cidade onde mora na Africa do Sul.


De acordo com a polícia, o ciclista que ficou em na 5ª colocação na prova de XCO nas olimpíadas de Londres, foi atropelado por um taxi próximo a Shelly Beach e morreu devido aos ferimentos.

  O ciclista foi campeão de XCO Sub-23 em 2009 e ganhou a 5ª etapa da Copa do Mundo de MTB em Windham, NY.

  Mais um que vai embora por conta desse trânsito maluco… Mês passado quem foi embora foi o MTBIker Espanhol Iñaki Lajarreta, que foi atropelado por um motorista drogado.

  Vejam esse vídeo que a Specialized fez sobre Stander:

  http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=F8OR9pzVFxI

 (Fonte: http://www.praquempedala.com.br/blog/mais-uma-tragedia-mtbiker-profissional-burry-stander-morreu-atropelado/)

Ir e Vir de Bike na África: uma expedição no continente mais fascinante do planeta

Divulgação/Tourdafrique.com / Acampamento dos participantes do TDA na savana africana
  Cruzei o Rubicão para poder atravessar o Nilo. Em janeiro de 2013, embarco para aquela que certamente será a grande aventura da minha vida: cruzar o continente africano, de ponta a ponta, sobre duas rodas.
 Anualmente, um grupo de ciclistas de diferentes nacionalidades percorre uma jornada de bicicleta pelo coração da África em uma das aventuras mais emocionantes do mundo do ciclismo. É o Tour d´Afrique(Tour da África), evento que, em 10 edições, já reuniu cerca de 400 ciclistas de mais de 20 países.

  Até hoje, no entanto, nenhum brasileiro participou dessa expedição. Com inscrição confirmada e passagens compradas, serei o primeiro representante da bandeira verde e amarela e o primeiro ciclista latino-americano a fazer parte dessa jornada épica.

  Serão 4 meses de pedaladas, aventuras e descobertas. A partida será no dia 11/01/2013 na Cidade do Cairo, Egito, e a chegada prevista para o dia 11/05/2013, na Cidade do Cabo, África do Sul. A expedição percorrerá 10 países -- Egito, Sudão, Etiópia, Quênia, Tanzânia, Malauí, Moçambique, Zâmbia, Zimbábue, Botsuana, Namíbia e África do Sul – totalizando quase 12 mil quilômetros. Uma média de quase 120 quilômetros por dia de pedal.



Divulgação/Tourdafrique.com / Desafio nível:
 A jornada percorrerá, de bicicleta, ao longo dos últimos templos antigos do Nilo, atravessando o deserto do Sudão, recortando as paisagens bíblicas da Etiópia e as acidentadas montanhas de Simian. Depois de cruzar a linha do Equador, no Quênia, a pedalada passará pelo lendário Monte Kilimanjaro, pelo o Lago Malauí, nas Victoria Falls e ao longo das bordas do magnífico Kalahari, dos desertos da Namíbia, terminando na magnífica Cidade do Cabo, no extremo Sul do continente.


  Além da paisagem, há também a beleza das pessoas. O contato com as comunidades e tribos de diferentes etnias ao longo do trajeto. E a camaradagem com outros cilistas, de diferentes partes do mundo, que também estarão lá pedalando por um sonho. 

  O evento tem como objetivos atravessar a África com uso da energia humana para promover a consciência sobre a bicicleta como um meio alternativo e adequado de transporte.

  Além disso, o Tour d´Afrique também busca levantar fundos para doações de bicicletas para comunidades na África, com apoio de grupos de desenvolvimento além de ser um evento esportivo único e uma experiência ímpar para ciclistas amadores e profissionais.

  O Tour d´Afrique é organizado por uma empresa canadense, que promove expedições transcontinentais na América, África, Ásia e Europa.

  A expedição africana, iniciada em 2002, é o evento pioneiro e que dá nome à empresa. O evento incorpora duas modalidades simultâneas – o tour propriamente dito, que não tem caráter competitivo – e o race challenge (corrida), em que os participantes vão acumulando pontos ao longo das etapas naquela que é considerada a competição ciclística de maior distância em todo o planeta.

Divulgação/Tourdafrique.com / África: cenas e paisagens de um dos lugares mais fascinantes do planeta

  Sonho 3 em 1


 Há cerca de três anos descobri a existência do Tour d´Afrique enquanto navegava em sites sobre cicloturismo na internet. Desde então, realizar essa jornada tornou-se, mais que um sonho, um grande objetivo.

  O desejo de conhecer a África vem desde a infância, quando minha mãe me presenteava com fascículos da Enciclopédia Geográfica Universal. Os livros de capa verde, publicados semanalmente pela Editora Globo nos idos de 1995, ajudaram a despertar meu interesse pela geografia, geopolítica, países, bandeiras, história e culturas do continente negro.

Divulgação/Tourdafrique.com / Do Cairo à Cidade do Cabo: África de ponta a ponta sobre duas rodas

 Não à toa, naquela época, minhas melhores notas na escola eram sempre em Geografia e, não raro, um 9 ou 10 no boletim ajudava a aplacar, ao menos em partes, as cobranças e castigos em função das notas vermelhas em Matemática.

  Esse interesse pelas coisas do mundo e a ânsia de descobrir e explorar novos horizontes (ainda que pelos livros), mais tarde, tiveram importância fundamental na minha decisão de ter o jornalismo como profissão.

  Participar do Tour d´Afrique será a chance de realizar um grande sonho. Aliás, o único sonho capaz de aliar três das minhas grandes paixões: o jornalismo, as bicicletas e a África.

Divulgação/Tourdafrique.com / Cuidado, animais na pista

  Riscos envolvidos


 Quando conto sobre o projeto para alguém, a primeira pergunta que me fazem é: “Não é perigoso?”. E a resposta é simples: sim, é perigoso. Tanto que, uma dos primeiros avisos na seção de tira dúvidas no site do tour os organizadores deixam claro: “Muitas das áreas percorridas não aderem às mesmas normas de segurança comuns nos países ocidentais. Os passeios costumam viajar por terras onde pode haver instabilidade política ou econômica e pode haver riscos envolvidos. Não se junte a um de nossos tours a menos que você esteja preparado para aceitar esses riscos”.

  Claro, logo em seguida eles fazem questão de explicar que uma equipe vai monitorando a questão interna dos países do trajeto para evitar áreas de conflitos deflagrados. Ainda assim, o TDA passará por cidades como Luxor (Egito) e Cartum (Sudão), que já foram palcos de violentos conflitos étnicos ou atentados promovidos por extremistas islâmicos.

  É arriscado? Até que é. Mas não deixa de ser empolgante e de remeter às aventuras de Tintin, o jovem repórter que é um dos meus personagens de desenho animado favoritos.

  Detalhes


Reprodução/Tourdafrique.com / Trajeto do TDA´13: 12 mil quilômetros e um continente de aventuras
  As próximas semanas serão decisivas para acertar todos os detalhes – vistos, equipamentos, acessórios, logística, etc. Toda essa jornada épica e os detalhes da expedição serão relatados aqui no blog Ir e Vir de Bike. Logicamente, as reportagens não serão restritas à questão do Tour d´Afrique e da expedição ciclística.

  A cobertura especial possibilitará, durante quatro meses, revelar aspectos geográficos, políticos, econômicos, ambientais, humanos e sociais do continente africano.

  Todas essas questões serão detalhadas a partir de agora aqui no blog. A ansiedade, os preparativos, as descobertas e emoções de cada pedalada. Vamos juntos. A aventura só está começando...

***

  Quer patrocinar ou apoiar essa aventura? Entre em contato, ainda dá tempo!

 (Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/blog/irevirdebike/?id=1317753&tit=ir-e-vir-de-bike-na-africa:-uma-expedicao-no-continente-mais-fascinante-do-planeta)