...Mazobikers

-->

Através destas fontes você consegue acompanhar as principais provas do ciclismo mundial!

Clique em uma das Opções de Streaming para assistir...

Para fechar basta clicar no botão na referida Streaming...

As Transmissões do ciclismo feitas pela CyclingToday, EUROSPORT1 UK, EUROSPORT1 ES e EUROSPORT1 POR-PT iníciam-se sempre em torno de 09:00am.

Indicamos o uso do Browser BRAVE para que não haja aberturas de Popups/ADs.

Para o download do Brave Browser acesse aqui!


Giro d'Italia 2023: Andreas Leknessund aprendeu a pedalar na neve...

Andreas Leknessund é o dono da vez da Maglia Rosa (Foto: Getty Images)
    Andreas Leknessund com 23 anos, nasceu em Tromso na Noruega, mede 1,85 metros de altura e pesa 72 kg, conquistou a camisa rosa no final desta 4.ª etapa da Volta à Itália que finalizou em Lago Laceno e diz quem o conhece, será um ciclista com grande futuro.
    Com 13 anos inscreveu-se como sócio de um clube de ciclismo e com 16 foi para uma academia em Oslo, deixando a casa dos pais, onde a mentalidade esportiva não era suficiente para os seus sonhos.
«Na nossa família comíamos muitas pizzas, o que para um atleta não era lá muito bom».
    Andreas Leknessund é o segundo norueguês a vestir a camisa rosa na Volta à Itália, seguindo os passos de Knut Knudsen, que andou três dias de líder, duas etapas em 1975 e uma em 1981.
    O cabelo louro nasceu no norte da Noruega, perto do Polo Norte, que devido ao frio e à neve não é o lugar mais indicado para andar de bicicleta. 
«Como todas as crianças norueguesas, pratiquei esportes diferentes como esqui, mas o ciclismo era a única modalidade em que era bom. Devido ao clima treinamos de forma especial, com bicicletas que nos permitem andar na neve. Todos os anos, perto do Natal, regresso a casa e ando de bicicleta por entre as renas com os amigos. Faz parte da minha identidade», afirmou Leknessund.
    Depois de excelentes prestações na equipa satélite da Uno-X na qual se manteve entre 2018 e 2020, foi contratado em 2021 pelo Team DSM como profissional, equipe na qual confirmou todas as indicações que dava quando corria nas camadas de formação. Em 2022 terminou em 11.º lugar no Paris -Nice, venceu uma etapa na Volta à Suíça e ganhou uma etapa e a geral no Arctic Tour da Noruega.
«Quando era criança, ficava na beira da estrada para recolher as garrafinhas de água dos ciclistas para colecionar e talvez tivesse sido uma das razões por que comecei a pedalar».
Na terça-feira conquistou a camisa rosa; «Todos os dias eu olhava para ela e comentava para mim próprio como era linda. Ainda não sei quanto tempo a irei manter. Espero que os ciclistas que correm para os primeiros lugares nas grandes voltas não me vejam como uma ameaça. Um dia vestido de rosa já é super especial», afirmou o ciclista norueguês que sexta-feira na chegada a Campo Imperatore onde se prevê que possa nevar, existe um piloto que sabe lidar com a situação e tem por nome Andreas Leknessund.
    O ciclista da DSM chegou à Volta à Itália para conquistar etapas e não pensava lutar pela geral, os próximos dias dirão em quantas etapas o ciclista norueguês andou vestido de rosa como líder na Volta à Itália. Em 2020 participou na Volta ao Algarve pela Uno-X Norwegian Development Team, classificou-se em 19.º lugar com mais 3m48s que Remco Evenepoel, a quem tirou a camisa rosa no Giro.
-
Labels:

Postar um comentário

[blogger]

Mazobiker

{google#Mazobiker}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget