...Mazobikers

Ciclista supera crise de ansiedade com ajuda da bike e agora quer ir além: chegar às Paralimpíadas

    Mikaeli Araújo descobriu os poderes do esporte por casualidade, uma personagem daquelas histórias onde o "por acaso" virou destino. O ciclismo durante a pandemia era a alternativa a tratamentos medicamentosos contra a ansiedade. Junto com a sua bike, Mikaeli tem planos mais altos: participar de uma edição dos Jogos Paralímpicos.
Ciclista Mikaeli Araújo — Foto: Arquivo pessoal/Mikaeli Araújo
    Mikaeli pedala desde pequena. Aprendeu com bicicleta de rodinha, só com um diferencial: precisa amarrar uma perna para poder fazer o giro. Depois do lazer, a bike passou a ser instrumento de transporte até os 14 anos até, definitivamente, virar parte da sua vida.
Mikaeli Araújo — Foto: Arquivo Pessoal
- Só em 2020 que eu comecei de verdade no ciclismo, e comecei por necessidade mesmo. Como um hobby, para poder movimentar o corpo, porque estava com uma crise de ansiedade muito grande ao ponto de tomar medicamento. Era o auge da pandemia, estava terminando o TCC, a faculdade matando a gente. Tinha de ter uma válvula de escape - narrou.

A antiga brincadeira, agora é o plano de futuro.

- Fui vendo que tinha uma boa resistência, conseguia subir ladeira, mesmo só com uma perna. E fui me aperfeiçoando. Hoje em dia, eu pedalo no esporte. Ainda amador, mas futuramente pretendo ser uma ciclista profissional – projetou.
Ciclista Mikaeli Araújo — Foto: Arquivo pessoal/Mikaeli Araújo
Mikaeli Araújo — Foto: Arquivo Pessoal
    Mikaeli ainda não é atleta profissional por um mero detalhe, quase um capricho do destino. Se não fosse pela pausa das competições por causa da Covid-19, a torcida para a piauiense nas Paralimpíadas de Tóquio poderia ser preparada. Mas tudo no seu tempo, e o de agora é a preparação para competir.
    A pandemia apresentou o ciclismo, mas também tirou a possibilidade de Mikaeli somar os pontos necessários para disputar uma vaga nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. Uma história contada em dois atos.
- A primeiro onda veio com uma bomba de informações, deixando todo mundo louco, ansioso. Depois, consegui reverter a situação e usar a pandemia para me motivar a pedalar cada vez mais em buscar os objetivos.
Mikaeli Araújo — Foto: Arquivo Pessoal
- Depois, veio o impacto negativo com o cancelamento das competições, os calendários que estavam todos certo em 2020. Se tivesse continuado, mesmo sendo tão nova, poderia estar em Tóquio, competindo nas Paralimpíadas se tivesse alguns pontinhos, mas dessa vez não deu, quem sabe na próxima – finalizou.
    Esse período serviu de preparação e aperfeiçoamento, agora vão começar os testes. As competições ainda se apresentam tímidas com as restrições sanitárias de combate à Covid-19. Por isso, fazer os circuitos como iniciante vai ajudar Mikaely a descobrir novos terrenos e adquirir experiências para iniciar a busca por uma vaga em Paris 2024.
-
Labels:

Postar um comentário

[blogger]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget