...Mazobikers

Alejandro Valverde por seu último milagre em Tóquio

    O ciclista espanhol chega a Tóquio com o objetivo de estar no topo e ter a chance de ganhar uma medalha que encerraria uma carreira profissional impressionante. Para fazer isso, muitos fatores serão necessários. Mas desejo e entusiasmo, aos 41 anos, Bala não falta.
Alejandro Valverde, ativo nas Olimpíadas de Tóquio
    Falar de Alejandro Valverde é falar de uma lenda viva do ciclismo. Obviamente, já faz alguns anos que o anúncio da aposentadoria voa constantemente sobre a figura de Valverde. No entanto, Bala se superou e atingiu o auge com maturidade no início do Campeonato Mundial de 2018. Sim, aos 38 anos.
    Agora, ele está focado em Tóquio com o objetivo de fechar sua carreira com um grande momento histórico, com o pretexto de tocar no ouro. E se aprendemos algo com ele, é que tudo é possível e que a idade não supõe nenhuma deficiência.
    Em entrevista à própria Federação Espanhola de Ciclismo, Valverde afirmou que também está inspirado porque os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 podem ser a sua última motivação. São palavras de quem já conquistou quase tudo no ciclismo.
    Será a sua quinta participação nas Olimpíadas e desta vez, mais uma vez, parte como líder de uma equipe espanhola que tentará trabalhar a seu favor.

Último milagre de valverde

    Em 2008 ele estava muito perto de atingir seu objetivo. Ele veio forte e o perfil acompanhou. Mas a corrida correu como aconteceu e Valverde entendeu que Samuel Sánchez tinha ficado muito bom. Naquela época, o murciano se tornou um gregário de luxo e Sánchez ganhou a medalha de ouro, que é também a história do ciclismo espanhol.
    Agora, ele chega a Tóquio com dois argumentos a favor: o roteiro e a experiência. O percurso é adequado para ciclistas do seu perfil, embora a umidade do país japonês jogue contra ele. Se essa humidade baixar, o calor e essa pista podem significar que a equipa espanhola está na frente e que Valverde tem opções.
    Por enquanto, parece que Valverde continuará pedalando por mais uma ou até duas temporadas. Mas, no médio prazo, o que mais o motiva são essas Olimpíadas de Tóquio. Por isso se refere a eles como sua última grande motivação, seu último grande triunfo.
    Para realizar esse sonho olímpico, a corrida teria que ser muito parecida com a de Innsbruck. Para conseguir esse arco-íris, o percurso foi ideal, Valverde foi forte, a equipe espanhola jogou com perfeição e Bala finalizou a tarefa com uma chegada brutal ao sprint. Obviamente, é difícil repetir as circunstâncias. Mas sonhar é grátis. Gratuito e necessário. Ainda mais quando você tem 41 anos.
-
Labels:

Postar um comentário

[blogger]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget