...Mazobikers

Volta ao Algarve: Sam Bennett vence a 1ª etapa ao sprint

    Sam Bennett venceu a etapa de abertura da Volta ao Algarve depois de uma saída tipicamente exemplar da sua equipe Deceuninck-QuickStep, cruzando a linha de chegada com o tempo de 4h37m42s.
Foto: Federação Portuguesa de Ciclismo
    Apesar de alguns quilômetros finais confusos e técnicos, onde duas divisões ocorreram brevemente na frente do pelotão, Deceuninck-QuickStep ainda garantiu que Davide Ballerini e Michael Morkov fossem capazes de conduzir Bennett no quilômetro final.
    Danny Van Poppel (Intermarche-Wanty-Gobert Materiaux) selou o segundo lugar, com Jon Aberasturi (Caja Rural-Seguros RGA) em terceiro.
“Estou muito feliz”, disse Bennett no final. “Eu não sabia como as pernas iriam estar boas para esta corrida depois de uma pequena pausa. Eu estava no limite hoje, mas a equipe fez um trabalho incrível. Mesmo quando caíram em colisões, eles se adaptaram à situação e foram capazes de fazer um trabalho fantástico ”.
    A queda ocorreu a 5 km da chegada, quando os companheiros de equipe de Bennett, Shane Archbold e Fabio Jakobsen, caíram, em um incidente que fez com que um grupo de cerca de 16 pilotos abrisse uma pequena lacuna sobre o resto do pelotão.
    Os dois grupos voltaram a juntar-se um quilômetro depois, apenas para mais quatro pilotos, incluindo três do W52/FC Porto, ganharem alguns comprimentos de bicicleta (lacuna) depois de uma moto se intrometer na tentativa de ultrapassar o pelotão ao estreitar numa rotunda de 3km desde o final.
    Eles também foram trazidos de volta, no entanto, e Deceuninck-QuickStep foi capaz de recuperar o controle na frente da corrida no momento crucial, com Ballerini (que também havia caído no início da etapa) movendo-se para a frente do pelotão quando alcançaram a última rotatória da etapa dentro do quilômetro final, com Morkov e Bennett atrás dele.
“Eu só tinha que ficar alerta e tentar ficar de pé”, explicou Bennett em relação a este final tenso. “Confiei nos meus companheiros de equipe quando eles voltaram nos últimos 2k. Foi difícil no final, minhas pernas estavam meio gastas, mas eu consegui puxar. "
    Apesar de vencer o sprint confortavelmente à frente de Van Poppel, Bennett revelou que ele realmente não se sentiu muito forte no sprint e sentiu como se estivesse sem suas melhores pernas após uma pausa na corrida.
“Tenho muito trabalho a fazer depois das sensações que tive hoje. Mas foi um impulso de confiança, pois eu ainda poderia terminar o trabalho. ”

Como se desenrolou

    Tendo sido adiado do seu horário habitual de fevereiro devido à pandemia, a Volta ao Algarve arrancou hoje com uma fase de abertura plana que deverá terminar num sprint intenso.
    Esta última data no ano significava condições mais quentes e a temperatura se aproximava dos trinta graus, com apenas uma nuvem no céu.
    Cinco pilotos começaram a pausa do dia, todos eles de equipes não pertencentes ao WorldTour. Foram eles: Carlos Canal (Burgos-BH), Jon Irisarri (Caja Rural-Seguros RGA), Gustavo Cesar (Hotel Atum General-Tavira-Maria Nova), Hugo Nunes (Rádio Popular Boavista) e Nicolas Paredes (Louletano-Loule Concelho) .
    Cinco se tornaram quatro, no entanto, quando Paredes caiu poucos quilômetros depois que o intervalo se formou.
    O pelotão ficou feliz em deixá-los abrir uma lacuna, e os quatro pilotos restantes estavam livres para disputar os sprints intermediários do dia e a escalada única categorizada.
    Irisarri e Nunes foram os pilotos mais interessados ​​em colecionar estes, com o primeiro a ultrapassar a linha na subida e o primeiro sprint intermédio, e o último a ganhar pontos máximos sobre os dois últimos.
    Quando Nunes venceu o sprint do último sprint intermediário, faltavam pouco menos de 30 km para percorrer, e o pelotão estava menos de um minuto atrás, com Bora-Hansgrohe e Deceuninck-QuickStep os mantendo a uma distância segura.
    Tudo estava quieto e sob controle, embora Deceuninck-QuickStep tenha sofrido um golpe quando Davide Ballerini foi um dos cinco pilotos a ser retido em uma queda a 26 km do final.
    Outra queda ocorreu pouco depois, desta vez envolvendo cerca de meia dúzia de pilotos. Felizmente, todos puderam continuar.
    A captura foi feita a 19km da chegada, e logo depois as equipes de velocistas começaram a se aglomerar na frente do pelotão, incluindo Arkea-Samsic, Bora-Hansgrohe, Ineos Grenadiers e Bingoal Pauwels Sauces WB.
    O ritmo era alto, mas Peio Goikoetxea (Euskaltel Euskadi) tentou um ataque a 10km do final. Ele durou alguns quilômetros, mas o pelotão estava indo rápido demais para permitir que ele sobrevivesse por mais tempo, com os granadeiros Ineos agora na frente.
    A Caja Rural-Seguros RGA liderava o pelotão na primeira divisão e o W52/FC Porto na segunda, mas inevitavelmente foi Deceuninck-QuickStep quem assumiu o comando nos quilómetros finais para preparar Bennett para a vitória.
Pos.Atleta (País) EquipeTempo
1Sam Bennett (Irl) Deceuninck-QuickStep4:37:42
2Danny van Poppel (Ned) Intermarché-Wanty-Gobert Matériaux0:00:00
3Jon Aberasturi Izaga (Spa) Caja Rural-Seguros RGA0:00:00
4Stanislaw Aniolkowski (Pol) Bingoal Pauwels Sauzen WB0:00:01
5Iúri Leitão (Por) Tavfer-Measindot-Mortágua0:00:01
6Michael Mørkøv (Den) Deceuninck-QuickStep0:00:01
7Rui Oliveira (Por) UAE Team Emirates0:00:01
8Ethan Hayter (GBr) Ineos Grenadiers0:00:01
9Mikel Aristi Gardoki (Spa) Euskaltel-Euskadi0:00:01
10Michael Schwarzmann (Ger) Bora-Hansgrohe0:00:01
-
Labels:

Postar um comentário

[blogger]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget