NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

Praticar ciclismo, corrida ou natação pode prevenir Alzheimer e demência

Sair do sofá emagrece, aumenta sua vida, evita doenças. Mas você sabia que se exercitar também melhora a saúde do seu cérebro e pode prevenir doenças como Alzheimer?
Pesquisadores da Western Sydney University, na Austrália, e da University of Manchester, no Reino Unido, examinaram os efeitos da atividade física no hipocampo, região do cérebro responsável principalmente pela memória.
A saúde do cérebro diminui com a idade e, por incrível que pareça, o envelhecimento também faz o órgão encolher --cerca de 5 por cento por década após os 40 anos. Por essa razão, os cientistas examinaram os cérebros de 737 pessoas antes e depois de praticarem exercícios aeróbicos (pedalar, correr, nadar, dançar).
Os participantes incluíam adultos saudáveis, pessoas com leve deficiência cognitiva (como Alzheimer) e com diagnóstico clinico de doença mental, incluindo depressão e esquizofrenia. As idades variaram dos 24 aos 76 anos, com uma média de 66 anos.

A atividade física pode reduzir danos futuros no cérebro Imagem: iStock
Os resultados, publicados no periódico “NeuroImage”, mostraram que, por mais que o exercício não tivesse efeito no volume total do hipocampo, ele melhorou significativamente o tamanho da região esquerda dessa parte do cérebro.
“Quando você se exercita produz uma substância química chamada Fator Neurotrófico Derivado do Cérebro (BDNF), que pode ajudar a prevenir a deterioração do cérebro”, disse Joseph Firth, autor do estudo. “Nosso estudo mostrou que, ao invés de aumentar o tamanho do hipocampo, o principal benefício do exercício para o cérebro é a diminuição da deterioração em seu tamanho. Em outras palavras, o exercício pode ser visto como um programa de manutenção do cérebro.”
Segundo Firth, os resultados são importantes para a prevenção de distúrbios degenerativos como o Alzheimer e a demência.
-
Fonte: https://estilo.uol.com.br/vida-saudavel/noticias/redacao/2017/11/14/praticar-exercicios-pode-prevenir-alzheimer-e-demencia.htm

0 comentários: