NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

Capixaba ganha vida nova em cima da bicicleta e sonha com Paralimpíadas


. O paraciclista Welington Antônio Cavalcante, de 42 anos, viu sua vida mudar por meio do esporte. O ex-caminhoneiro, que perdeu a perna esquerda após um acidente, já fez uso de álcool e outras drogas antes de se tornar atleta. Atualmente, o capixaba de Anchieta coleciona títulos estaduais e nacionais e se vê perto de realizar um sonho: disputar a Paralimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016.
http://s2.glbimg.com/-6sQfwCSlCxNrnJqMeNTV7CP_fY=/0x319:1739x1303/690x390/s.glbimg.com/es/ge/f/original/2014/04/09/rdnvhi45qabtvr55etm4geia1501913_1.jpg
"Minha vida se transformou em 1996, quando sofri o acidente e perdi a perna esquerda. Sem poder seguir ao volante, fui trabalhar em uma oficina de bicicleta. Alguns amigos me mostraram a história de clientes que eram deficientes físicos e andavam de bicicleta. Em 2002, comecei a pedalar e, três anos depois, larguei de vez o cigarro e me profissionalizei no esporte" recordou o atleta capixaba.
. Helinho, como é chamado pelos amigos, viu na bicicleta um novo começo e, de lá para cá, passou a colecionar troféus das competições de disputa ao invés de problemas ligados à vida que levava.
"Antigamente eu ficava virado na noitada. Fazia uso frequente de arrebite e cocaína para me manter acordado ao volante do caminhão. Sem falar que eu fumava dois maços de cigarro por dia. Com o esporte ganhei uma vida saudável e encontrei mais prazer. Já ganhei 12 títulos nacionais com a bicicleta e quero muito mais"  ressaltou o ciclista.
Paralimpíada Rio 2016. O próximo objetivo de Helinho é bem claro: estar nas Paralimpíadas do Rio, em 2016. Ele sabe que ainda tem muito chão pela frente e não vê a idade como um adversário, pois, na época Jogos, estará com 45 anos.
"Confio na força do meu pedal. No que depender de mim, estarei pronto para ir até o meu limite máximo. Seria uma aposentadoria em grande estilo. O que mais me motiva é ver as crianças querendo conhecer o ciclismo. Isso sim é valioso para mim e tento ajudar quem posso em prol do esporte" contou o paraciclista.
Treino pesado para as Paralimpíadas
. Para chegar às Paralimpíadas do Rio, Welington Cavalcante treina duro. A dedicação diária tem transformado cada gota de suor em esperança.
"Percorro entre 250 e 400 km por semana. Depende do tipo de treino. Os trabalhos são divididos e tem dia que pedalo 100km, no outro 60km e, às vezes, 30 km, além de fazer exercícios funcionais. O foco nos Jogos é total e por isso até deixei meu emprego como segurança no supermercado para me dedicar ao ciclismo em tempo integral."
. Segundo Welington, para garantir um lugar na equipe brasileira, precisa de um bom desempenho na Copa do Brasil de ciclismo.
"A competição é uma espécie de seletiva. Ano passado fui campeão na categoria C2 (para quem só tem uma perna). Dia 4 de abril será disputada a primeira etapa de 2014, em Peruíbe, São Paulo. Serão quatro etapas no total e quem somar mais pontos será o vencedor. Se eu repetir o feito de 2013, estarei com boa vantagem."
Garotada aprendeu a paixão pelo esporte
. A família é o porto seguro de Welington Cavalcante. O suporte que a esposa e os filhos lhe dá serve de combustível para continuar olhando sempre em frente. E o melhor de tudo é ser o espelho para os meninos.
"Tenho três filhos e o caçula, assim como o filho da minha esposa, estão seguindo meus passos no ciclismo. O Jhon Wesley e meu enteado Lucas já vão disputar os jogos escolares. Estou muito orgulhoso por ver esses meninos praticando esse esporte que tanto amo."
. O paraciclista fica ainda mais emocionado de ver seu trabalho rendendo frutos.
" Meus filhos e outros garotos estão participando da escolinha de ciclismo aqui de Anchieta, que agrega em torno de 40 jovens com idade entre 12 e 17 anos. te:Quando saio com eles para pedalar é show ver as crianças tentando fazer o que faço" destacou o ciclista.
-
Fonte: http://globoesporte.globo.com

0 comentários: