.
NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

Turma se transforma em ciclista cidadão...


 . Andar de bicicleta pode ser brincadeira divertida, esporte e até meio de transporte. Mas, assim como dirigir automóvel, pedalar exige disciplina e atenção. Por isso, a Escola de Ciclismo de Diadema ensina sobre a convivência de ciclistas, pedestres e motoristas, sinalização e regras do Código Brasileiro de Trânsito. O programa da Secretaria de Esportes do Estado de São Paulo tem duração de três meses e é dividido em aulas teóricas e práticas.
. Eduarda Lima Freitas, 11 anos, é aluna do curso. Ficou surpresa ao descobrir que há regras para andar de bike corretamente. “Quando quiser fazer uma curva, tem de dar sinal com o braço, apontando para a direção que pretende ir. Se não fizer isso, pode provocar acidentes.” Durante o trajeto é importante manter as duas mãos no guidão e só tirar uma delas para sinalizar as manobras.
. Quem anda de bicicleta também precisa ser educado com todos aqueles que cruzam seu caminho. Não pode xingar ou ficar bravo e tem de lembrar que o pedestre sempre tem prioridade. “Muitos motoristas não respeitam quem está a pé ou de bicicleta. Temos de fazer diferente”, afirma Dayane Souza Martins, 10.
CUIDADOS
. Na infância, não é recomendado andar de bike na rua. Adultos podem pedalar pelas vias, mas têm de ficar a 1,5 metro de distância da calçada e dos veículos. E é perigoso andar na contramão. Ao transitar pela calçada ou faixa de pedestres, deve-se descer da bicicleta.
. O ideal é pedalar somente em ciclovias (via que isola o ciclista e proíbe a circulação de carros, motos e pedestres), ciclofaixas (faixa pintada na rua reservada para ciclistas) e parques que permitem a prática.
. Qualquer pessoa, a partir dos 7 anos, pode participar da Escola de Ciclismo de Diadema. A inscrição é feita no Clube Municipal Mané Garrincha (Rua dos Cariris, 195, tel.: 4067-3007), das 9h às 16h. As aulas ocorrem no Estádio Padre Anchieta, conhecido como Clube Piraporinha (Avenida Dona Ida Cerati Magrini, 645).

SEGURANÇA DEVER SER A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO AO PEDALAR
. O Brasil é o quinto País que mais usa bikes, sendo que três em cada dez usuários são crianças, segundo a Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares).
. Andrei Lima Freitas, 9 anos, de Diadema, adora a magrela. Ele curtia pedalar com os amigos na rua onde mora. No entanto, descobriu que era perigoso demais ficar entre os veículos. “Tinha muito carro e moto. Agora, vou ao parque com meus pais para brincar.”
. Na Escola de Ciclismo, o menino aprendeu medidas de segurança e sabe que outra opção é andar em ciclovias e ciclofaixas.
. Vitória Ferreira da Silva, 8, de Diadema, também aprendeu a se proteger contra possíveis acidentes com a bike. “Já caí e ralei os braços e o joelho. Ficou dolorido. Não sabia que precisava usar equipamentos de segurança.”
. Capacete, par de luvas específicas para ciclistas, óculos de proteção, cotoveleiras e joelheiras evitam machucados. Também é aconselhável colocar buzina e espelho retrovisor na magrela.
. E os cuidados não param por aí. Ao andar de bike durante o dia, principalmente no verão, tem de passar filtro solar para se proteger dos raios do sol. Além disso, é necessário tomar água a cada 30 minutos pedalando e se alimentar a cada hora.
. Mesmo em ciclovias e ciclofaixas, o ciclista deve usar roupas claras à noite para ficar bastante visível para motoristas e pedestres. Precisa ainda colocar sistema de iluminação nas partes da frente e de trás da bike, junto de adesivos refletivos no raio e nos pedais.

BIKE FAZ BEM A SAÚDE E A NATUREZA
. Como toda prática de exercícios físicos, andar de bicicleta combate a obesidade, diabetes, pressão alta e doenças cardíacas. Também fortalece a musculatura e contribui para o bom funcionamento do organismo. Desenvolve ainda o equilíbrio, a noção de espaço, alivia sintomas de depressão, ansiedade e estresse, além de ajudar na concentração.
. Quando o adulto troca o carro pela magrela também dá uma forcinha para a natureza. Diminui a poluição atmosférica e sonora e ocupa menos espaço no trânsito, melhorando a mobilidade urbana.
. O lugar de um carro estacionado pode ser ocupado por até dez bicicletas. Além disso, a fabricação e a manutenção da bike geram pouco impacto ambiental.

ONDE ANDAR
. Santo André
. Parque Central (Rua José Bonifácio, Vila Assunção).
. Ciclovia na Av. Lauro Gomes, entre a Av. Atlântica e Rua Fernando Magalhães.
. Ciclovia na Marginal Cassaquera, entre avenidas dos Estados e Giovanni Battista Pirelli.
. Ciclovia na Av. Waldemar Mattei, entre Rua Gamboa e Av. Pereira Barreto.
. Ciclovia na Av. Lauro Gomes, a partir da Av. Pereira Barreto até Rua Urupema.
. Ciclovia na Estrada do Pedroso.
SÃO BERNARDO
. Ciclovia na Av. Pery Ronchetti.
. Ciclovia na Av. João Firmino.
. Ciclofaixa na Av. Presidente João Café Filho.

SÃO CAETANO
. Ciclovia na Av. Presidente Kennedy.
. Ciclofaixa na Av. Tijucussu.
. Parque Chico Mendes (Av. Fernando Simonsen, 566). Apenas bike infantil, até aro 26.
. Parque Bosque do Povo (Estrada das Lágrimas, 320). Apenas bike infantil, até aro 26.
. Estação Jovem (Rua Serafim Constantino, Centro).
DIADEMA
. Ciclofaixa na Av. Ulysses Guimarães (domingos, das 7h às 16h).
. Ciclofaixa nas avenidas Almiro Sena Ramos, Paranapanema e Luís Carlos Prestes (domingos, das 7h às 16h).
MAUÁ
. Tem 11 quilômetros de ciclofaixa nas avenidas Papa João XXIII e Washington Luiz e ruas Santa Helena e dos Manacás.
RIBEIRÃO PIRES
. Ciclofaixa na Av. Prefeito Valdírio Prisco (domingos e feriados, das 7h às 16h).
RIO GRANDE DA SERRA
. Parque dos Ipês (Av. São Paulo, bairro Santa Tereza).
-
Consultoria de Francisco Carlos Sabino, coordenador da Escola de Ciclismo de Diadema, Luis Carlos de Oliveira, instrutor de pesquisas do Celafiscs, e Augusto Machado, consultor do site www.euvoudebike.com
-
Fonte: www.dagbc.com.br

0 comentários: