NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

Atropelada por caminhão, Clemilda se recupera e quer ficar entre melhores do mundo...

http://imgsapp.df.superesportes.com.br/app/noticia_127116951798/2013/06/03/45429/20130603122043761479i.jpg# A goiana, bronze no Pan-Americano de Mar del Plata, faz planos para figurar entre as cinco melhores do mundo e quer disputar as Olimpíadas do Rio-2016...
-
--_Clemilda Fernandes guarda na memória o dia de cada medalha que conquistou para o Brasil no ciclismo. Esses grandes momentos, no entanto, convivem com uma data que até hoje a assombra. Em 14 de março, um caminhão a atropelou durante treino em uma rodovia de Goiânia e quase a deixou paraplégica. Após um período de sofrimento tanto físico quanto emocional, ela conseguiu dar a volta por cima. Atualmente, já se arrisca em competições internacionais.
--_Menos de dois meses após o atropelamento, a melhor brasileira no ranking internacional participou do Pan-Americano de Ciclismo Estrada e Contra-Relógio Individual, no início de maio, em Zacatecas, no México. O resultado foi ruim (16ª colocação no contra-relógio), se comparado ao rendimento no ano anterior, quando faturou o bronze em Mar del Plata, na Argentina. “Vou me dedicar cada vez mais e conseguir meus títulos de volta”, promete.
--_Sem nenhum vestígio de desânimo e com a enorme certeza de que retornará à elite nas competições, Clemilda continua se arriscando nas estradas brasileiras e recusa propostas de treinar no exterior. Ela pede mudanças na legislação para garantir mais segurança ao ciclista. “Sei que o Brasil tem potencial no ciclismo e quero estar presente nesse processo de evolução da modalidade.” Como meta, a atleta, que antes do acidente figurou entre as 10 melhores do mundo, pretende participar da terceira Olimpíada da carreira, desta vez em território nacional.

O r
etorno no Pan-Americano
“Eu voltei com uma expectativa grande, embarquei esperando ser medalhista, mas tive dificuldade com a altitude de 2.800m por causa do meu pulmão, que foi perfurado no acidente. Quero retomar o ritmo e subir novamente no ranking internacional. Minha meta é ficar entre as cinco melhores ciclistas do mundo. Estou me recuperando do acidente e vou conseguir.”

O atropelamento

“Uma equipe de jornalismo foi fazer uma entrevista na minha casa, porque eu tinha chegado com sete vitórias de uma competição internacional. Nós encerraríamos a gravação no autódromo. Para chegar lá, segui pela BR-153 e entrei na GO-020. Faltando só 3,5km para chegar ao local, fui atingida na curva por um caminhão, que me jogou a 30 metros de distância. Tive duas vértebras trincadas e o pulmão perfurado, além de machucar o joelho.”

A responsabilidade

“Foi do motorista. Eu estava no acostamento, único local que nós, ciclistas, temos para treinar. Ele me atropelou e fugiu. Não sei quem foi, não prestou assistência. Me deixou lá no chão, sem conseguir levantar, com o braço em carne viva. As pessoas não têm cuidado com quem está pedalando. Ficamos muito vulneráveis na estrada, e os outros esquecem que há uma vida em cima da bicicleta. Esquecem que tenho uma família esperando por mim em casa. É preciso mais respeito ao ciclista.”

Desrespeito ao ciclista

“Falta respeito. Tem muita gente sendo atropelada pelas estradas do país. Muitos ciclistas morrendo. Como um pai vai incentivar o filho a pedalar, sem saber se ele vai voltar para casa depois de um treino? Eu mesma continuo arriscando minha vida. E está cada dia pior. As pistas não têm duplicação, acostamento.”

-
Fonte: SUPERESPORTES
Link Origem: http://www.superesportes.com.br/app/19,66/2013/06/03/noticia_maisesportes,45429/atropelada-por-caminhao-clemilda-se-recupera-e-quer-ficar-entre-melhores-do-mundo.shtml

0 comentários: