.
NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

Sonho sobre duas rodas...

### Cearense de Iguatu, que já tentou marcha e tênis, garante vaga olímpica, após aderir ao ciclismo há apenas cinco anos...

-
--_Em meio às indefinições sobre qual profissão seguiria, a cearense Fernanda da Silva Souza, natural de Iguatu, era apenas mais uma das milhares de mulheres que, em 2007, sonhavam em ganhar a vida fazendo o que gostam. No entanto, o ingresso na prática do ciclismo profissional, aos tardios 25 anos, seria o início de uma relação que teria como destino, cinco anos depois, a estreia em uma Olimpíada, pela seleção brasileira de estrada.
--_O treinamento duro e a abdicação de momentos ao lado da família passaram a fazer parte da rotina da atleta que, atualmente, encontra-se concentrada na Colômbia, juntamente com as companheiras e veteranas de seleção, Janildes e Clemilda Fernandes.
-
>> "Praticamente, nos últimos três anos, tenho vivido somente do ciclismo. (Para Londres) O meu principal objetivo será fazer um excelente trabalho em equipe", destaca ela, com exclusividade ao Diário do Nordeste.
@ História
--_Fernanda cresceu vendo sua avó paterna, Maria Alcioneide, acompanhar as mais variadas modalidades esportivas pela TV e, segundo ela, isso influenciou na escolha do esporte como profissão.
-
>> "Ela (a avó) é fanática por qualquer esporte. Além disso, meu pai também sempre praticou esportes de forma amadora e foi daí que comecei a praticar", relembra a atleta. Aos seis anos, Fernanda mudou-se com os pais para a cidade de Rio Claro, no interior de São Paulo, onde reside até hoje. Lá, começou a busca pelo esporte perfeito. "Tentei atletismo (marcha atlética) e tênis, até que no ciclismo tomei gosto e quando vi já estava dentro de competições e não consegui mais parar".
-
--_Pensando em todos os obstáculos que terá pela frente, Fernanda acredita que contará com um incentivo a mais na conquista pela medalha: a família. "Após a confirmação (de que iria a Londres), todos ficaram muito felizes e é muito importante saber que, mesmo com familiares tão distante, a gente pode contar com uma energia tão boa", diz.
--_Mesmo tendo deixado o Ceará cedo, quando ainda tinha seis anos, Fernanda sempre que pode retorna à terrinha para visitar familiares e amigos. "Estou me programando para que, assim que voltar de Londres, possa visitar meus familiares em Iguatu. Já faz, mais ou menos, um ano e meio que não vou por aí e a saudade está grande", conclui.
--_Esta será a primeira olimpíada na qual a delegação brasileira de ciclismo de estrada participará com a equipe completa (três atletas no masculino e no feminino - ver relação abaixo).
-
@ A avó previu a convocação
>> "Acredito que chegaremos a Londres na busca pela medalha e não só para participar. Das outras vezes que ia, a seleção feminina era uma ou duas atletas, então, era bem difícil trabalhar assim. Agora, com um grupo de três, a gente já vai mais motivada e focada na conquista de uma medalha", acredita.
Alcioneide tem participação fundamental na escolha profissional da atleta que, aos seis anos, saiu de Iguatu para morar em São Paulo Foto: Honório Barbosa
-
--_Iguatu Fé e esperança. São esses os sentimentos que a aposentada Maria Alcioneide Souza vivencia com a expectativa de que sua neta, a ciclista Fernanda da Silva Souza, natural deste município, seja vitoriosa nas Olimpíadas de Londres. "Ela vai ganhar uma medalha", diz. "Tenho essa convicção porque a equipe (do Brasil) é muito boa", afirma.
--_A aposentada conta que sonhou com a neta sendo convocada para as Olimpíadas. "Liguei para meu filho (pai de Fernanda), contando sobre o sonho, mas ele me disse que achava que não seria possível", contou. "É difícil eu sonhar para uma coisa não dar certo". Dito e feito. Poucos dias depois, chegou a confirmação da convocação.
--_Desde quando recebeu a notícia, dona Alcioneide comemora o resultado com muita alegria. "Estou muito feliz e até dei uns saltos, apesar do joelho doente".
--_A família pretende fixar uma faixa em frente à casa, no Bairro Veneza, em Iguatu. "É uma forma de comunicar aos moradores e de torcer por minha neta querida", explica.
--_Alcioneide tem participação fundamental na vida da jovem atleta, que, aos seis anos, saiu de Iguatu com os pais e foi morar em Rio Claro, São Paulo. "Ela estava ansiosa, com medo, retraída e sugeri que ela praticasse atividades esportivas para melhorar", contou.
-
>> "Ligava quase todos os dias e dizia: vamos lá mudar essa garota". A sugestão deu certo. Fernanda começou em disputa de corridas e acumulou dezenas de troféus. Depois, integrou a equipe de ciclismo. "Ela já é vitoriosa, pois vai competir e, se não ganhar em Londres, ganha no Brasil em 2016".
-
--_O pai de Fernanda, Jean Souza, é funcionário do Banco do Brasil e, quando adolescente, era corredor em Iguatu. "Sempre gostei de esportes, conheço quase todas as regras de várias modalidades e incentivei meus filhos e netos a praticarem atividades esportivas", diz a avó.
@ Mountain Bike e BMX garantem vagas
--_Em se tratando da disputa olímpica no ciclismo de mountain bike, o Brasil terá apenas um representante em Londres. Trata-se do mineiro Rubens Donizete que fará a sua segunda participação em olimpíadas.
-
>> "Eu estou tirando muita experiência da participação de Pequim (2008) e estou colocando todas as minhas fichas na disputa de Londres. Vou dar o meu melhor para andar entre os Top 10", esclarece Rubinho.
@ Bicicross
--_Aos 22 anos, a catarinense Squel Stein fará sua estreia pelo BMX nos Jogos de Londres de olho no Rio em 2016. "Como a modalidade ainda não possui muita estrutura no Brasil, o objetivo era conquistar uma vaga. Agora, iremos adquirir experiência olímpica para almejar algo maior no Rio", afirma. No masculino, o representante é Renato Rezende.
-
Matéria por: ÍKARA RODRIGUES, HONÓRIO BARBOSA
Fonte: Diário do Nordeste

0 comentários: