.
NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

Cientistas antidoping arrasam defesa de Alberto Contador

- -_A agência Mundial Antidopagem analisou carne do talho e criador bascos referido pelo ciclista e não encontrou vestígios de clembuterol, confirmando os dados dos exames regulares feitos pela UE
- -_O ciclista da Astana Alberto Contador viu os seus argumentos sobre a origem dos vestígios de clembuterol detectados na sua urina numa análise durante a Volta à França de 2010, que venceu, serem "destruídos" pela Agência Mundial Antidopagem (AMA). O atleta alega que houve uma contaminação através do consumo de carne de vaca do País Basco, fato corroborado pelos baixos indicios registados nas análises.
- -_A teoria do vencedor, à condição, do Tour já tinha sido descredibilizada por peritos de laboratórios antidoping, mas a maior ameaça à sua defesa é um relatório da AMA: os seus peritos analisaram a carne do talho de Irún e do mesmo fornecedor ao qual, segundo as testemunhas apresentadas pelo ciclista, teria sido comprado o bife contaminado. Resultado: nada de anormal foi detectado. A força da hipótese de se tratar de doping é cada vez maior.
- -_O clembuterol é uma substância com poder anabolizante, usada ilegalmente tanto a nível humano como veterinário para acelerar o crescimento da massa muscular (ou, em doses mais pequenas, para perder massa gorda). Segundo o El País, o relatório entregue à União Ciclista Internacional (UCI) e à Real Federação Espanhola de Ciclismo (RFEC), encarregada de julgar o caso em primeira instância, indica que em nenhuma das inspeções efetuadas foi detectada aquela substância.
- -_Também a estatística desfavorece Contador. A AMA cita um relatório da União Europeia (UE) de 2008 e que envolveu a realização de 300 mil análises, em que só num caso se levantou a hipótese de engorda ilegal de porcos com clembuterol... na Croácia, que não faz parte da UE. Outros dados, citados recentemente pela AP, indicam que, de 83 mil amostras colhidas na UE em 2008 e 2009, só uma acusou clembuterol. Nas 20 mil amostras espanholas não se encontraram vestígios do produto.
- -_Para que a hipótese remota de contaminação tenha credibilidade, argumenta a AMA, sustentando-se em estudos científicos, os produtores teriam de abater e vender o seu gado nos 20 dias seguintes à administração de clembuterol, situação que fazem por evitar, para "não serem apanhados nos controles à carne e para permitir que o anabolizante tenha efeito pleno na engorda".
- -_Recentemente, Christiane Ayotte, diretora do laboratório de Montreal, considerou "não plausível" a hipótese de contaminação devido às restrições na indústria agro-alimentar. Para esta perita, vestígios de clembuterol significam quase sempre doping, mesmo em valores muito baixos, pois anualmente os laboratórios detectam 50 a 70 casos com resultados semelhantes aos de Contador (50 picogramas por mililitro de urina). "Nunca se encontram toneladas, porque as doses usadas são realmente muito baixas. A maioria das amostras está abaixo de um nanogramas. (...) É usado no esporte para perder peso. Lá por serem valores baixos não quer dizer que não seja dopagem. Significa apenas que os Dopadores se vão tentando reajustar às técnicas de detecção", falou a líder do laboratório canadiano.
-
Fonte: DN Desporto

0 comentários: