Campeonato Paranaense de DH 2018
7º Desafio de Cicloturismo da Santa do Paredao
}
NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

André Nunes da Silveira, história viva do ciclismo do Paraná e dos Jogos Abertos

- -_Um caso de amor pelo esporte. André Nunes da Silveira, 74 anos, lenda viva do ciclismo paranaense e brasileiro, faz parte também da história dos Jogos Abertos do Paraná. Participando da primeira edição dos Jogos Abertos do Interior, em 1959, na cidade de Londrina, o hoje aposentado, garantiu na competição a medalha de ouro na categoria velocidade.
- -_Com 24 anos na época, André lembra de muitos detalhes da competição. “Nós nos enfrentávamos em etapas, de 2 ou 3 atletas, onde o atleta com o melhor tempo se classificava para as finais. Eu venci as 9 etapas e consegui o ouro invicto. Na competição o Renato Romeu venceu na categoria estrada”, conta o ciclista que completou dizendo que as provas eram realizadas na rua. Ele participou também dos Jogos Abertos, em Cornélio Procópio.
- -_No passado de muitas competições nacionais e internacionais, André coleciona muitas vitórias e lembra carinhosamente de todas elas. “Eu costumo dizer que não competia para os outros, para vencer, ou para aparecer em jornais. Eu competia para mim mesmo, para me superar, para ser feliz fazendo o que realmente gostava”, completa o aposentado que parou de correr no ano passado (2008) pela falta de atletas na sua categoria, o que o obriga a competir com um pessoal bem mais novo.
- -_Correndo desde 1951, em seu histórico, teve 9 participações nas 200 milhas de Montevideo, no Uruguai, participações em competições na Colômbia, campeonatos paranaenses, em que foi campeão em 1960, e campeonatos brasileiros. O ciclista aposentado continua correndo, de 60 a 70 km, quase todos os dias, e depois de tantos anos, o amor pelo esporte ainda aumenta.
- -_“A primeira coisa, tem que treinar, se preparar, se alimentar bem, cuidar do corpo e se dedicar ao esporte praticado, procurando sempre melhorar suas marcas e desempenho, não pode se acomodar. Tem que praticar o esporte por amor. Hoje é difícil se manter no esporte, principalmente no ciclismo, que não é muito reconhecido no país. Tem que amar muito, gostar muito do esporte”, ensina o consagrado atleta à todos os paranaenses que almejam evoluir na modalidade, e fazer bonito nos jogos oficiais do Paraná.
-
Fonte: Federação Paranaense de Ciclismo - http://www.fpciclismo.com.br
Link Origem: http://www.fpciclismo.com.br/?area=ler_noticia&id=647

0 comentários: