NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...
Clique aqui e faça sua inscrição para o Desafio Clique aqui para mais informações sobre o pedal.

Pedalar na chuva pode também despertar uma sensação de liberdade e alegria

___Apesar do desconforto de ficar todo molhado, com o equipamento correto pedalar debaixo da chuva pode também despertar uma sensação de liberdade e alegria.
Então pra você poder usufruir desses prazeres que só a bicicleta proporciona, aqui vão 3 dias fundamentais:
___1ª dica: Use uma capa de chuva específica para ciclismo, que permita a troca de calor do corpo. Caso contrário, em vez de te manter seco, ela vai fazer você suar e ficar encharcado por dentro. Para o ciclista urbano, recomendo as capas tipo poncho com gorro; e para quem treina ciclismo, fazer o investimento em uma capa tecnológica tem que entrar pra conta – pois elas que vão permitir manter os treinos com um mínimo de conforto nos dias de chuva. Eu recomendo as roupas de chuva da Gore Bike Wear, que possui bermudas e calças impermeáveis possíveis de vestir por cima da roupa.
___2ª dica: Use luvas para não perder aderência à manopla da bike. Ela também vai ajudar a manter a temperatura do corpo caso esteja frio.
___3ª dica: Cubra os pés com o famoso saco plástico ou invista em um protetor de sapatilhas vendido em lojas especializadas em ciclismo. Vale a pena!
-
Fonte: http://jovempan.uol.com.br/opiniao-jovem-pan/consultores/bike-vivi-favery/pedalar-na-chuva-pode-tambem-despertar-uma-sensacao-de-liberdade-e-alegria.html

Tirar a bicicleta de casa pode prevenir e até curar doenças como depressão e ansiedade

Muito além de conquistar um corpo sarado e economizar com gasolina, quem anda de bicicleta garante uma série de benefícios para o bem-estar físico e mental do organismo. Segundo Fábio Cardoso, especialista em Medicina do Esporte, pedalar regularmente é investir em uma vida mais saudável no médio e longo prazo.
— A Organização Mundial de Saúde (OMS) diz que para sermos considerados não-sedentários precisamos de 150 minutos de atividade física moderada por semana. São 30 minutos por dia. A bicicleta é uma forma interessante de colocar isso em prática porque é um exercício democrático, que pode ser praticado por pessoas com condicionamentos físicos diferentes — afirma. O ciclismo ao ar livre também pode ser a solução para desestressar. De acordo com Catarina Gewehr, doutora em Psicologia Social e professora da Furb, a atividade estimula os três processos responsáveis pelo bom funcionamento cerebral: atenção, memória e percepção.
— A bicicleta trabalha a dinâmica aeróbica e mental ao mesmo tempo: você aumenta a capacidade respiratória e cardiovascular e consequentemente intensifica o bom funcionamento do cérebro — aponta.
___Os que precisam abandonar o sedentarismo e eventualmente fazer as pazes com a balança — evitando problemas nas articulações e na coluna — podem contar com a bicicleta. A fisioterapeuta Claudia Wanderck explica que a atividade não exerce impacto sobre articulações, músculos e tendões, facilitando a execução para pessoas com problemas articulares. Ela recomenda começar com passeios curtos em terrenos planos:
— Assim a pessoa aumenta a capacidade cardiovascular sem afetar tornozelos, quadris e joelhos. Há ainda o diferencial das variações de marcha, que tornam possível intensificar o fortalecimento muscular — destaca

Brasil Ride 2016 - Abraão Azevedo conta tudo sobre o hepta

___Sete participações e sete títulos. Uma das maiores lendas do mountain bike brasileiro, Abraão Azevedo chegou ao hepta da ultramaratona Brasil Ride ao lado do holandês Bart Brentjens e manteve os 100% de aproveitamento na categoria Master. Ao todo, a dupla percorreu cerca de 600 km entre os municípios de Guaratinga e Arraial d’Ajuda, passando pela Costa do Descobrimento e a divisa entre Bahia e Minas Gerais.

___Mas o que se passou na cabeça do atleta Scott e maratonista de 46 anos e do seu parceiro? Depois de sete títulos, o que o ainda mantém motivado? Qual é o segredo dessa parceria de sucesso com o holandês? Leia esses e outros detalhes na entrevista abaixo:

Preparação
“Eu treinei bastante para esta edição da prova. Como não fui para o campeonato mundial esse ano, pude me dedicar ainda mais aos treinos específicos. Infelizmente tive uma lesão na região lombar na semana anterior ao Brasil Ride, mas felizmente me recuperei e no final deu tudo certo”.
Momento mais complicado
“O primeiro estágio mais longo que foi no segundo dia de prova. Esse foi o mais difícil para mim. O Bart e eu saímos muito acima do que deveríamos para este dia. Depois de uma hora de prova, decidi diminuir o ritmo. Porém, já era tarde e eu estava bem desgastado. Acabei levando muito tempo para voltar a me sentir bem na etapa”.

A bike___No Brasil Ride, Abraão andou com a Scott Spark 900 Premium e deu sua opinião. “Eu me adaptei muito bem ao modelo. É uma bicicleta que responde de maneira positiva nas descidas e ainda oferece a vantagem de travar as duas suspensões de uma só vez, o que ajuda muito nos trechos de subida. Para o Brasil Ride, eu coloquei um grupo Sram Eagle, que me garantiu mais opções de marcha”.

Relação com Brentjens
“Nós corremos muitas provas juntos, então sabemos como cada um se comporta ao longo da etapa e dos vários dias. Temos bastante confiança no nosso rendimento. Nessa prova, eu corri mais uma vez o com marcador de potência e pudemos avaliar bem o limite de cada dia. Sabíamos onde podíamos apertar mais e onde deveríamos ir com mais controle”.
60 largadas
“Nessa edição do Brasil Ride, eu completei 60 largadas ao lado do senhor Bart Brentjens, meu grande parceiro. É impressionante como ele corre de maneira inteligente, sempre poupando energia. Ele não se arrisca em descidas e trechos técnicos, apesar de andar bem rápido. Mas eu me lembro que, justamente na sétima etapa deste ano, ele levou uma queda já nos quilômetros finais. Um descuido numa curva "off camber" com areia. Pensei comigo: ‘até os fortes têm seus dias difíceis’”.
Motivação
“O que mais me motiva é o desafio e não o título. O resultado é esquecido, mas a vivência da prova é eterna. Quando tenho uma disputa pela frente, eu me preparo bem. Assim que ela termina, já estamos pensamos em outra. A vida segue”.

Paixão pelo esporte
“Sou apaixonado por mountain bike XCM. A sensação de andar rápido e com conforto é viciante. Eu treino muito para não sofrer muito nas provas. Claro que temos diferentes tipos de variáveis e a etapa muitas vezes foge um pouco do nosso controle, o que deixa a prova mais difícil que imaginávamos”.

Desafios do heptacampeonato
“O circuito desse ano era totalmente novo e muito desafiador. Nós não sabíamos nada do percurso e das condições de clima e de terreno, então tínhamos dúvidas sobre equipamentos adequados. Felizmente conseguimos terminar bem e com a sensação de satisfação e dever cumprido”.
-
Fonte: http://www.pedal.com.br/brasil-ride-2016-abraao-azevedo-conta-tudo-sobre-o-hepta_texto11416.html

Ciclismo joseense teve um sétimo colocado na China

___O brasileiro Alex Correia Diniz “Meio Quilo”, da Funvic Soul Cycles & Carrefour, terminou em sétimo lugar na classificação geral do Tour de Hainan. A competição do calendário asiático, classe 2HC, reuniu equipes World Tour, Pro Continental e Continental, e foi disputada em nove etapas, sendo a última realizada neste domingo, dia 30 de outubro.
Alex Diniz nas ruas de Hainan (Foto: Luis Claudio Antunes/Boke76)
Alex Diniz nas ruas de Hainan (Foto: Luis Claudio Antunes/Boke76)
___Para chegar ao resultado histórico para a equipe brasileira no pelotão 2HC, Alex Diniz fez uma grande atuação, principalmente na sexta etapa, quando foi disputada a primeira etapa de montanha desta 11ª edição do Tour de Hainan e Alex, contando com o trabalho de seus companheiros, terminou no seleto grupo da frente e subiu na pontuação geral.
___Depois disso, ainda precisou enfrentar mais uma dura etapa de montanha, no oitavo dia, onde contou novamente com a ajuda dos seus companheiros de equipe, que trabalharam duro para que ele se mantivesse no top 10 da competição.
___Neste domingo, a etapa precisou ser alterada por causa da forte chuva que atingiu a região de onde haveria a largada. A organização decidiu levar a última etapa para o mesmo percurso do primeiro dia, sendo disputada em um circuito de 89 km em Wanning, onde Alex Diniz terminou no mesmo tempo do vencedor e garantiu o sétimo lugar na geral. A vitória na geral ficou com o cazaque Alexey Lutsenko, da Astana.
“Foram nove dias de muita batalha. A equipe correu sempre unida, um sempre ajudando o outro e o resultado veio surgindo. Estou feliz demais pelo resultado da equipe e agradeço a cada um de coração pela torcida e a todos da equipe que me ajudaram nessa competição”, afirmou Alex Diniz.
as-559 
-
Fonte:  http://www.jogandojuntos.com.br/2016/10/ciclismo-joseense-teve-um-setimo-colocado-na-china/

World Tour Feminino da União Ciclística Internacional terá mais quatro provas na próxima temporada

___Quatro novas corridas vão fazer parte do calendário World Tour Feminino da União Ciclística Internacional (UCI) na próxima temporada. A Liège – Bastogne – Liège (Bélgica), Ladies Tour of Norway (Noruega) e as holandesas Amstel Gold Race e a Boels Rental Ladies Tour chegam para se juntar as outras 17 que fizeram parte desta temporada.
___O aumento de provas se dá ao sucesso da temporada de estreia do World Tour Feminino. Agora ela vão ter 47 dias de corrida, começando com o Strade Bianche (Itália) em março e chegando ao fim com o Madrid Challenge by la Vuelta (Espanha) em setembro. As novas provas por etapas vão acontecer na Holanda e Noruega, enquanto a Bélgica e os Países Baixos vão sediar as principais provas de um dia.
___2016 foi um grande ano para o ciclismo das feminino, com a introdução do novo calendário de competição, transmissão de televisão ao vivo em mais de metade das corridas e aumento da exposição em mídia social. A próxima temporada tem tudo para crescer mais, pois a caravana vai passar em novas cidades e regiões da Europa, China e nos EUA, e inspirando ainda mais novos fãs. A melhor brasileira no ranking, é a carioca Flavia Oliveira, sétima colocada na Rio-2016, que está na 39ª colocação.
Flávia no pódio do Tour da Polônia | Ilario Biondi/ATCommunication

Ranking final 2016
1 - Megan Guarnier - EUA - Boels Dolmans Cycling Team (Holanda)
2 - Anna Van Der Breggen - Holanda - Raboliv Women Cycling Team (Holanda)
3 - Emma Johansson - Suécia - Wiggle High5 (Grã Bretanha)
-
Fonte:  http://blogs.oglobo.globo.com/de-bike/post/world-tour-feminino-da-uniao-ciclistica-internacional-tera-mais-quatro-provas-em-2017.html

UCI anuncia novas regras em diversas categorias para 2017

___Durante o campeonato mundial de ciclismo 2016, que está sendo realizado no Qatar, a UCI anunciou suas novas regras que envolvem a maioria dos esportes com bicicletas com a chancela da autoridade máxima do ciclismo. Confira a seguir o que mudou.


Estrada___A volta dos testes com freios a disco será retomada. A decisão foi tomada depois de meses de discussão entre a UCI, representantes dos fabricantes e grupos que representam os ciclistas profissionais. A utilização dos novos discos com as bordas arredondadas ou chanfradas deve acontecer já a partir do dia primeiro de janeiro.

Downhill___Algumas novas regras para a Copa do Mundo de Downhill foram implementadas para evitar a degradação da pista durante as provas. São elas:
  • -Reduzir o número de pilotos aumentando o número de pontos para participar de 30 para 40.
  • -Reduzir o número de atletas para 15 na elite feminina e 20 na juniores.
  • -Categoria Junior Feminina em outra data.
Calendário Downhill 2017
  • 29-30 Apr DHI Lourdes, FRA
  • 03-04 Jun DHI Fort William, GBR
  • 10-11 Jun DHI Leogang, AUT
  • 01-02 Jul XCO - DHI Vallnord, AND
  • 08-09 Jul XCO - DHI Lenzerheide, SUI
  • 05-06 Aug XCO - DHI Mont-Sainte-Anne, CAN
  • 26-27 Aug XCO - DHI Val Di Sole, ITA
  • 05-10 Sep UCI MTB WORLD CHAMPIONSHIPS - XCO/XCR/DHI Cairns, AUS
BMX
___As tomadas de tempo deixam de existir e agora tudo será por eliminação direta a partir do primeiro round. Além disso, novas regras para as instalações e pista foram criadas para melhorar a segurança e o bem-estar dos atletas.

Pista
___A categoria Madison vai ganhar sua versão feminina. Além disso, quem der uma volta no pelotão ganhará 20 pontos, assim como acontece na prova por pontos. Os pontos também serão concedidos a cada 10 voltas. A pontuação do sprint final agora vale o dobro tanto no Madison quanto na Corrida por pontos.
___Já o Omnium sofreu mudanças profundas e tornou-se uma competição de endurance, sendo que agora suas categorias são apenas o scratch, tempo race, eliminatórias e por pontos - todas realizadas no mesmo dia.
___No Sprint, agora serão 28 ciclistas contra 24 de antes. Além disso a competição foi encurtada e agora os 4 melhores tempos cronometrados irão direto para as oitavas de final. No contra-relógio de 500 metros, dois atletas andarão ao mesmo tempo nas classificatórias, sendo as finais realizadas no mesmo dia e de forma individual.
___No Keirin, além de algumas mudanças nas regras de ultrapassagens, os sprints passam a acontecer a cada 3 voltas. Na perseguição por equipes, as classificatórias também vão acontecer com duas equipes na pista ao mesmo tempo e as finais de quinto, sexto, sétimo e oitavo lugares deixa de existir
-
Fonte: http://www.pedal.com.br/uci-anuncia-novas-regras-em-diversas-categorias-para-2017_texto11354.html

Ciclista Flavia Oliveira recebe apoio da Shimano

#Atleta brasileira, que disputa as principais provas de ciclismo de estrada do mundo, estará equipada com componentes de primeira linha da Shimano na próxima temporada
-
___Se o ano da ciclista Flavia Oliveira (atleta Specialized) é histórico por ela ter conquistado a melhor colocação brasileira no ciclismo de estrada nas Olimpíadas, com o sétimo lugar na Rio 2016, a carioca de 34 anos tem mais um motivo para sentir-se especial. Flavinha agora faz parte do seleto grupo de atletas apoiados pela marca japonesa no País, e utilizará alguns dos melhores componentes do mundo para a prática do esporte produzidos.
___Sua bike Specialized S-Works Amira estará equipada com o grupo Shimano Dura-Ace Di2 de troca de marchas eletrônica, com alta precisão e velocidade em todas as condições e situações. Para as provas de Contrarrelógio, Flavinha terá ainda as rodas PRO TeXtreme 3 Spoke tubular de carbono, com perfeita aerodinâmica, baixo peso e alta rigidez lateral. Ou seja, a combinação perfeita para a ciclista ser o mais veloz possível no pelotão mundial.
"Quem acompanha os esforços do marketing esportivo da Shimano sabe que estamos sempre buscando investir, impulsionar e popularizar cada vez mais o ciclismo em todas as suas modalidades. Apoiamos eventos, patrocinamos equipes, atletas e ajudamos na promoção e visibilidade do esporte. Então, nada faz mais sentido do que estarmos com a ciclista que obteve um resultado histórico para o ciclismo brasileiro em uma olimpíada", exalta Rogerio Tancredi, gerente de marketing da Shimano Latin America.
"Faz ainda mais sentido para nós que estamos promovendo o ciclismo feminino em toda a América Latina, seja com a equipe Shimano Ladies Power, ou por meio de ações como palestras, eventos etc", conta Tancredi. "Torcemos para que ela tenha muitas vitórias nas principais competições do circuito mundial, agora usando o Dura-Ace Di2 no seu dia-a-dia e tendo à disposição para as etapas de Contrarrelógio a PRO TeXtreme 3 Spoke, roda de qualidade indiscutível e alto desempenho", conclui o gerente da marca.
___Além de fazer história para o Brasil nos Jogos Olímpicos, Flavia Oliveira vive seu melhor momento na carreira. A atleta conquistou nesta temporada títulos inéditos como o Tour de Ardeche, na França, em setembro, e Tour Internacional da República Tcheca, em agosto. Flavinha ainda foi vice-campeonato do Giro della Toscana, na Itália, também em setembro, e garantiu o vice-campeonato do Tour da Polônia, no mês anterior.
-
___Sobre a Shimano - Empresa líder de mercado em componentes e acessórios para bicicleta e pesca, a Shimano foi criada em 1921 e possui sede em Sakai, no Japão. O escritório da Shimano Latin America (SLA) foi fundado em 2007, em São Paulo.
___A Shimano desenvolveu as exclusivas tecnologias STI (Shimano Total Integration - alavanca de marchas e freio integrados), SPD (Shimano Pedaling Dynamics - para sapatilhas e pedais) e SIS (Shimano IndexSystem), reconhecidos e referência no mundo todo. Possui entre suas marcas nomes que são sinônimos de qualidade e performance no universo ciclístico: XTR, Dura Ace, Ultegra, DI2.
-
Mais informações no site: bike.shimano.com.br
Twitter:@shimanobrasil
Fanpage no Facebook: www.facebook.com/shimanobrasil
-
Sala de imprensa: ZDL de Comunicação
Empresa: ZDL DE COMUNICAÇÃO S/C LTDA.
Contato: zdl@zdl.com.br
E-mail: zdl@zdl.com.br Fone (11) 32855911
Editoria (s): Esportes

Isométricos para ciclistas: são importantes?

___O termo exercício isométrico diz respeito àquele tipo de exercício em que nossos músculos são contraídos, mas não são gerados movimentos significativos nas articulações. Mas como é isso? É o famoso “contrai e mantém”.
___Nossos músculos podem desenvolver três tipos de ações musculares, sendo elas:
– Excêntricas: o músculo é alongado (se estende) enquanto produz força. Ou seja, a resistência externa nos vence e alongamos o músculo tentando vencer a carga. Isso é o que acontece com o quadríceps quando descemos uma escada, por exemplo. Estamos contraindo o quadríceps enquanto o joelho está sendo flexionado após pisarmos no degrau que está a nossa frente. Esse tipo de ação muscular está associada a altos níveis de dor muscular tardia;
– Isométricas: o músculo encurta enquanto produz força, mas não gera movimento articular. Isso é o que acontece com nossos músculos da região da coluna lombar e abdômen enquanto pedalamos. Eles estão contraídos para prover estabilidade;
– Concêntricas: o músculo encurta (se contrai), vence a resistência externa e gera movimento. Isso é o que acontece na maioria das nossas ações diárias, como por exemplo, quando contraímos o quadríceps para empurrar o pedal para baixo na fase de potência da pedalada.
___Ações excêntricas geram os maiores níveis de força, seguido das ações isométricas e, por fim, as ações concêntricas. Mas exercícios isométricos para ciclistas são importantes dentro da sua preparação? Com frequência, vemos o campeão olímpico de mountain bike Nino Schurter postar vídeos de seus treinamentos onde exercícios isométricos são evidenciados. Mas o que a ciência nos conta?
___Estudos com atletas de elite indicam que sim, o treinamento de força é importante para o ciclismo, e ele pode incorporar ações isométricas, especialmente para alguns músculos e regiões corporais. O treino de força parece contribuir para o ganho de potência, sem resultar em aumento da massa muscular (uma preocupação de atletas que competem em terrenos íngremes). Além disso, combinar um treino de endurance com treinamento de força pode prevenir quedas no rendimento durante provas prolongadas.
___Mas e o treino com ações isométricas? No ciclismo, o treinamento com ações isométricas é muito usado para fortalecer a região da coluna lombar, abdômen e pelve (core). Isso porque significativa parte da potência na pedalada é gerada pelos membros inferiores, e isso requer muita força dos músculos do core. Como no ciclismo esses músculos são estimulados principalmente de maneira isométrica, os treinos com essas características de ação muscular se tornam bastante específicos à demanda do exercício e podem resultar em excelentes ganhos. Se esses músculos são fracos, quando eles fadigam – durante um treino ou competição – ocorrem mudanças em toda a mecânica de pedalada, prejudicando a técnica, e também diminuindo a capacidade de produção de força nos membros inferiores, o que além de limitar a produção de potência também aumenta o risco de lesão.
___Já que é importante treinar esses músculos, deve-se utilizar apenas exercícios isométricos? Não, não deve ser um trabalho apenas isométrico, mas esse treino específico pode significar maiores ganhos, pois a demanda desses músculos durante a pedalada tem característica de isometria. Aqui falamos de especificidade do treinamento. Então, vale a pena incorporar exercícios com essas características.
___Mas atenção. Algo importante sobre o treinamento com ações isométricas e que é pouco comentado diz respeito ao treinamento dos músculos em diferentes comprimentos. Nosso músculo, quando estimulado de maneira isométrica, vai se adaptar a produzir mais força naquele comprimento em que é estimulado. Por exemplo. Se todos os dias você treinar a força isométrica do seu bíceps com o cotovelo flexionado a 90 graus, após um período ganhará muita força nesse ângulo, mas não em outros ângulos de flexão. Então, é importante realizar os exercícios em diferentes posições, para estimular diferentes comprimentos do músculos.
___Você pode realizar aqueles exercícios já conhecidos, como as “pranchas” frontais, unilaterais, exercícios abdominais (flexão do tronco) com manutenção de postura estática, exercícios de elevação da coluna e também agachamentos estáticos, em séries de até 30 segundos repetidas de 2 a 3 vezes, e com mais séries ou duração da contração aumentando ao longo das semanas de treino. Contudo, esse tipo de exercício, se realizado de maneira inadequada, pode gerar desconfortos na coluna vertebral, pois exige muito dos músculos e requer uma postura correta. Em outros casos, para que sejam eficazes, vão requerer alguma sobrecarga adicional ao peso do próprio corpo. Por isso, pergunte para seu treinador como fazer, pois ele saberá onde procurar informações para elaborar um plano de treinamento mais adequado para a sua característica.
-

Por: Felipe Carpes
___É graduado em educação física, doutor em ciências do movimento humano e professor da Universidade Federal do Pampa (RS). Apaixonado por ciclismo...
-
Fonte: https://www.ativo.com/experts/isometricos-para-ciclistas-sao-importantes/

Oleg Tinkov se despede do ciclismo, cita Peter Sagan e ignora Alberto Contador

Oleg pedalando com a camisa da sua equipe | Reprodução Instagram
___O milionário russo Oleg Tinkov, dono da equipe Tinkoff, fez uma postagem nesta terça-feira, em sua conta no Instagram, agradecendo as 34 vitórias conquistadas pela equipe no ano, ao eslovaco Peter Sagan pelo bicampeonato mundial. Mas Oleg parece ter esquecido da outra estrela do time, o espanhol Alberto Contador, bicampeão do Tour de France (2007 e 2009), que pelo visto caiu em desgraça com o ex-patrão devido as criticas recebidas recentemente.
Peter Sagan e Oleg Tinkov (dono da Tinkoff) após a conquista da etapa | Divulgação Tinkoff
___O russo ainda cita que não haverá mais equipes do seu país no World Tour na próxima temporada, a Katuscha agora será uma equipe suíça e contará com o patrocínio da Alpecin, fabricante alemã de shampoo. Oleg entrou no ciclismo em 2012, neste intervalo conquistou dois mundias de estrada (2015 e 2016) e um campeonato europeu (2016) com Peter Sagan. A maior frustração do milionário, é não ter conquistado um Tour de France. Mesmo sendo esquecido pelo chefe, Contador levou a melhor no Giro de Itália de 2015.
Oleg Tinkov e sua equipe após a conquista do Giro de Itália | Divulgação
___Na próxima temporada, Sagan irá correr no time alemão Bora-Hansgrohe e ainda contará com a companhia de ex-membros da Tinkoff (Maciej Bodnar, Michael Kolar e Erik Baska, e irmão Juraj Sagan). O bicampeão do mundo assinou um contrato de três anos com os alemães. Contador irá para a Trek-Segafredo para dar experiência aos novos talentos e suprir a carência de um ídolo. Devido a aposentadoria do suíço Fabain Cancellara, que conquistou no Rio de Janeiro, o bicampeonato olímpico de contra-relógio.
___A última competição da Tinkoff foi o Abu Dhabi Tour, que acabou no domingo, 23 de outubro e o estoniano Tanel Kangert, da Astana se sagrou vencedor.
Alberto Contador (acenando) liderou a equipe na última competição | Divulgação













Abraão Azevedo busca o hepta, ao lado do campeão olímpico Bart Brentjens

___Maior campeão do evento com seis títulos no curriculo, o formosense radicado em Brasília, Abraão Azevedo, vai em busca do seu sétimo troféu, pedalando pelo quarto ano consecutivo ao lado do campeão olímpico de Atlanta 1996, o holandês Bart Brentjens.
___Abraão teve quatro companheiros diferentes nos últimos seis anos na categoria máster: os brasileiros Plínio Souza, Paulo Freitas e Paulo Borges, entre 2010 e 2012, e o holandês Bart Brentjens, lenda do esporte, entre 2013 e 2016. "Minha expectativa é grande para correr em um percurso totalmente novo, como será o desta edição. É como estivesse correndo a primeira Brasil Ride. Independentemente de resultados anteriores, espero curtir as trilhas e ter uma boa semana ao lado do meu parceiro Bart. Estamos sempre aprendendo", avalia Abraão.
___A Brasil Ride será a terceira ultramaratona em que os dois formarão dupla nesta temporada. "Bart e eu estamos sempre em contato, seja por meio de aplicativos de celular ou por e-mail. Corremos juntos a Cape Epic, na África do Sul, e a Costa Blanca Bike Race, na Espanha", relembra Abraão, que fala sobre os desafios da sétima edição. "Estou um pouco preocupado com a chuva, que pode complicar um pouco o trajeto, mas o que sei que têm quatro dias de trechos bem difíceis com alta umidade e calor, entre a segunda e quinta etapas", avalia o ciclista.
___Parceria antiga - Campeãs na primeira edição, em 2010, a portuguesa Celina Carpinteiro e a alemã Ivonne Kraft irão reeditar uma parceria de sucesso neste ano. De lá para cá, as duas tiveram histórias diferentes na competição. Enquanto Ivonne foi tetracampeã nas duplas mistas, entre 2011 e 2014, ao lado de Mateus Ferraz, e terceira colocada em 2015, com Alan Pedreira, Celina competiu apenas mais uma vez, dois anos atrás, com a brasileira Isabel Caetano.
"A verdade é que estou muito motivada e sinto-me muito bem fisicamente. Voltar a fazer dupla com a minha amiga Ivonne, e ainda por cima neste novo começo da Brasil Ride, tem um significado muito especial, porque foi na primeira edição que nos conhecemos e foi quando conquistei meu único título da prova", conta Celina. "Ela tem tem vindo a Portugal para treinar. Já fizemos também a prova Andalucia Bike Race em equipe, e a Ivonne prestou apoio para a minha equipe na Transalp. Enfim, já nos conhecemos muito bem", completa a portuguesa.
___Entre as diversas competições disputadas por Celina Carpinteiro em sua carreira, a ciclista não tem dúvida em apontar qual a mais difícil até hoje. "A Brasil Ride é a prova mais dura que já fiz em etapas. É uma superação pessoal, autoconhecimento de seus limites físicos e psicológicos. O fato de ser em dupla, aumenta todas as sensações, sejam elas boas ou más", conta Celina, que relembra suas participações anteriores: "Na estreia foi muito difícil por conta do excesso de chuvas. Em 2014, as etapas foram mais técnicas. Inclusive, na segunda quebrei meu selim e tive de pedalar 45 km sem sentar", finaliza.

Programação resumida da Brasil Ride 2016 - 538,8 km - 10.773 metros de altimetria
15/10 - Sábado: entrega de kit atletas em Arraial d’Ajuda
16/10 - Domingo: Etapa 1: Prólogo em Arraial d’Ajuda (21,1 km e 318 m altimetria)
17/10 - 2ª feira - Etapa 2: Deslocamento para o acampamento da Vila Brasil Ride (128 km e 2225 m altimetria)
18/10 - 3ª feira - Etapa 3: Largada e chegada no acampamento (63,5 km e 1.587)
19/10 - 4ª feira - Etapa 4: Largada e chegada no acampamento (85,3 km e 2.963 m altimetria)
20/10 - 5ª feira - Etapa 5: Deslocamento do acampamento da Vila Brasil Ride para Arraial d’Ajuda (134 km e 2.027 m altimetria)
21/10 - 6ª feira - Etapa 6: Percurso XCO em Arraial d’Ajuda (31,8 km e 548 m altimetria)
22/10 - Sábado - Etapa 7: Última etapa do Brasil Ride e Maratona XCM / Festa de encerramento, em Arraial d’Ajuda (75 km e 1.105 m altimetria)

Sobre a Brasil Ride - A sétima edição da Brasil reunirá 250 duplas de 23 países e de 24 estados. No sábado (22), a Maratona Brasil Ride, disputado em uma única etapa, terá mais 1.000 ciclistas. Classe S1 na UCI, a competição distribui aos campeões da Open e Ladies 120 pontos no ranking mundial.

Competição nascida na Bahia, a Brasil Ride reuniu em, 2015, 500 atletas de 23 países e 18 estados brasileiros e o Distrito Federal entre os dias 17 e 24 de outubro, na Chapada Diamantina. No sábado (24) foi disputada a Maratona Brasil Ride, prova de um único dia, por outros 600 bikers. O evento é uma realização da Roma Comunicação e do Instituto Brasil Ride.

Brasil Ride: Mais que uma prova, uma etapa em sua vida.

Mais informações:
Site: http://www.BRASILRIDE.COM.BR
Facebook: www.facebook.com/BRASILRIDE
Twitter: @brasil_ride
Instagram: @brasilride

Gustavo Coelho / Doro Jr. - Mtb 13209
E-mail: gustavo@zdl.com.br
Tel: 11 32855911 / Vivo: 11 9.8457-9699

Siga a ZDL no twitter: twitter.com/ZDLcomunica
e no facebook ZDL Comunicação

Brasil Ride mostra largadas e chegadas ao vivo

# A fan page oficial da Brasil Ride mostrará diariamente trechos de cada etapa, além da premiação e briefing noturno.
-
___Quem quiser saber tudo o que rola na sétima edição da Brasil Ride, a principal ultramaratona de MTB das Américas, pode ir se acostumando com momentos diários de transmissão no Facebook do evento (https://www.facebook.com/BRASILRIDE/).
___Nas sete etapas os amantes do mountain bike terão ao vivo as largadas e chegadas, com comentários e reportagens do ciclista olímpico Henrique Avancini, terceiro colocado no ano passado e que está recuperando-se de uma contusão. A cerimônia de premiação e o briefing noturno também serão transmitidos ao vivo.


Sobre a Brasil Ride
___A sétima edição da Brasil reunirá 250 duplas de 23 países e de 24 estados. No sábado (22), a Maratona Brasil Ride, disputado em uma única etapa, terá mais 1.000 ciclistas. Classe S1 na UCI, a competição distribui aos campeões da Open e Ladies 120 pontos no ranking mundial.
Competição nascida na Bahia, a Brasil Ride reuniu em, 2015, 500 atletas de 23 países e 18 estados brasileiros e o Distrito Federal entre os dias 17 e 24 de outubro, na Chapada Diamantina. No sábado (24) foi disputada a Maratona Brasil Ride, prova de um único dia, por outros 600 bikers. O evento é uma realização da Roma Comunicação e do Instituto Brasil Ride.
 -
Fonte: http://www.webventure.com.br/h/noticias/brasil-ride-mostra-largadas-e-chegadas-ao-vivo/34184

Ciclismo de São José viaja para a China

___A Funvic Soul Cycles & Carrefour, de São José dos Campos, embarca nesta terça-feira (18), rumo à China para a disputa do Tour de Hainan e Tour of Taihu Lake, que serão realizadas entre o fim deste mês e início de novembro.

___A equipe será comandada pelo técnico Francisco Manzo, que terá à sua disposição os ciclistas Carlos Manarelli; Murilo Affonso; Roberto Silva; Alex Diniz; Francisco Chamorro; Ramiro Rincón e o jovem Gabriel Silva, que está fazendo estágio na equipe e participará de sua primeira prova internacional junto com o grupo.
___O mecânico Marcel Pierre e o fisioterapeuta Rone Moura “Grande”, completam a equipe nesse trabalho pelo país da Ásia. O fotógrafo e jornalista Luis Claudio Antunes, do Bike76, também acompanhará a equipe do Brasil.
___A primeira competição será o Tour de Hainan, Prova 2.HC UCI, que acontecerá entre os dias 22 e 30 de outubro. Serão nove etapas com um total de 1.512 km quilômetros a serem percorridos pelos ciclistas nesta edição.
-
Fonte: http://www.jogandojuntos.com.br/2016/10/ciclismo-de-sao-jose-viaja-para-a-china/

Tour 2017 com percurso montanhoso para favorecer ataques

___Maior prova de ciclismo do mundo tem início na Alemanha e até passa por um estádio de futebol
___Uma prova desenhada a pensar no espetáculo da montanha. Foi assim que pensaram os organizadores do Tour de França 2017, que começa com um contrarrelógio em Dusseldorf, na Alemanha, antes de se dirigir a França, passando ainda pela Bélgica e Luxemburgo.
-
1 julho - Etapa 1: Dusseldorf - Dusseldorf (Alemanha), contrarrelógio individual, 13km
2 julho - Etapa 2: Dusseldorf (Alemanha) - Liège (Bélgica), 202 km
3 julho - Etapa 3: Verviers (Bélgica) - Longwy, 202km
4 julho - Etapa 4: Mondorf-Les-Bains (Luxemburgo) - Vittel, 203km
5 julho - Etapa 5: Vittel - La Planche des Belles Filles, 160km
6 julho - Etapa 6: Vesoul - Troyes, 216km
7 julho - Etapa 7: Troyes - Nuits-Saint-Georges, 214km
8 julho - Etapa 8: Dole - Station des Rousses, 187km
9 julho - Etapa 9: Nantua - Chambery, 181km
10 julho - Dia de descanso
11 julho - Etapa 10: Perigueux - Bergerac, 178km
12 julho - Etapa 11: Eymet - Pau, 202km
13 julho - Etapa 12: Pau - Peyragudes, 214km
14 julho - Etapa 13: Saint-Girons - Foix, 100km
15 julho - Etapa 14: Blagnac - Rodez, 181km
16 julho - Etapa 15: Laissac-Severac L'Eglise - Le-Puy-en-Velay, 189km
17 julho - Dia de descanso
18 julho - Etapa 16: Le-Puy-en-Velay - Romans-sur-Isere, 165km
19 julho - Etapa 17: La Mure - Serre-Chevalier, 183km
20 julho - Etapa 18: Briancon - Izoard, 178km
21 julho - Etapa 19: Embrun - Salon-de-Provence, 220km
22 julho - Etapa 20: Marselha - Marselha contrarrelógio individual), 23km
23 julho - Etapa 21: Montgeron - Paris Campos Elísios, 105km
-

Equipe santista de ciclismo é destaque no Campeonato Brasileiro de Pista

Gideoni Monteiro (Foto: Ivan Storti / Divulgação FMA)___ A equipe Memorial-Santos/Fupes foi um dos destaques do Campeonato Brasileiro de Pista concluído na última sexta-feira, no Velódromo do Complexo Esportivo Municipal, em Maringá, no interior do Paraná. No total, os competidores da elite e paraciclismo conquistaram nove medalhas, sendo três ouros, três pratas e três bronzes.
___ Segundo Cláudio Diegues, técnico e coordenador do time santista, os ciclistas tiveram um bom desempenho mesmo com a chuva durante os quatro dias de competição.
– Apesar da chuva, que atrapalhou bastante, nossa equipe teve uma boa participação, aliás, como em todos os anos. Mesmo sem contar com velódromo em nossa cidade, conseguimos demonstrar que o trabalho desenvolvido pelo Ciclismo nas provas de pista, tanto da base quanto da elite, se mantém em alto nível – disse.
___ O time santista conquistou ouro na prova de perseguição por equipes, com Gideoni Monteiro, Robson Ribeiro Dias, Armando Camargo Filho, o Piá, e Endrigo da Rosa Pereira. Gideoni voltou ao ponto mais alto do pódio na prova por pontos e Robson Ribeiro Dias foi o mais rápido na prova scratch.
___ Wellyda Santos Rodrigues e Naira Hendi Barbosa ficaram com a prata na velocidade por equipes. Wellyda conquistou mais uma prata no scratch e Thayná Araújo de Lima ficou com o segundo lugar na keirin. Armando Camargo Filho foi bronze na prova por pontos e Sílvia da Silva, na perseguição individual. O último bronze da equipe santista foi conquistado por Thayná Araújo de Lima, na prova por pontos.
___ O Campeonato Brasileiro de Pista 2016 “Elite e Paraciclismo” foi organizado pela Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) e Federação Paranaense de Ciclismo (FPC) com patrocínio da Caixa Econômica Federal.
-
Fonte: http://www.jornalfloripa.com.br/mundo/noticia.php?id=24562078

Peter Sagan conquista o bicampeonato mundial de estrada da UCI

Pódio estrelado com Mark Cavendish, Peter Sagan e Tom Boonen | Bettini Photo
___O eslovaco Peter Sagan conquistou no último domingo, em Doha, no Qatar o bicampeonato mundial de estrada da União Ciclística Internacional (UCI) com o britânico Mark Cavendish, campeão do mundo em 2001 em segundo, seguido pelo belga Tom Boonen que também usou a camisa arco-íris na temporada 2005 / 2006.
- Não posso acreditar nisso, ainda estou em choque. No ponto decisivo na corrida fui o último a entrar no primeiro grupo. Em seguida, estava prestes a fazer o sprint, senti que havia um vento contrário e eu teria que vir de trás. Eu também tive sorte que Nizzolo não me fechou, se ele tivesse me fechado, cairía, pois não tinha como frear - disse o eslovaco após a conquista.
Sagan comemorando o bi | Bettini Photo

___Sagan comprovou ser o melhor ciclista do mundo da atualidade, alguns vão dizer que é exagero por ele ainda não ter vencido uma grande volta, mas ele teve uma temporada quase perfeita. Conquistou o Campeonato Europeu, líder do ranking da União Ciclística Internacional. Na Rio-2016 trocou a vaga de estrada pela de mountain bike, fez boa prova, mas furou o pneu duas vezes e não conseguiu brigar por medalhas.
___Com a conquista, Sagan entra para o seleto grupo de seis ciclistas que se mantiveram com a camisa arco-íris (três belgas, dois italianos e um eslovaco): Georges Ronsse (Bélgica, 1928-1929); Rik Van Steenbergen (Bélgica, 1956-1957); Rik van Looy (Bélgica, 1960-1961); Gianni Bugno (Itália, 1991-1992); Paolo Bettini (Itália, 2006-07) e Peter Sagan (Eslováquia, 2015-16). O espanhol Alejandro Valverde é o ciclista que mais tem medalhas do Mundial, mesmo sem ter vencido nenhum . Ao todo ele tem seis (2 de prata 2003, 2005 e 4 de bronze - 2006, 2012-14).

Perfil do Mundial Primeira edição - 1927
Edições - 83
Primeiro vencedor Alfredo Binda (ITA)
Maiores vencedores - Alfredo Binda (ITA), Rik Van Steenbergen (BEL), Eddy Merckx (BEL) e Óscar Freire (ESP) - três vezes
-
Fonte:  http://blogs.oglobo.globo.com/de-bike/post/peter-sagan-conquista-o-bicampeonato-mundial-de-estrada-da-uci.html

Camila Coelho e Antônio da Matta vencem o Desafio do Tour do Rio



___Aproximadamente 200 atletas se reuniram no último domingo na cidade de Paraty, Litoral Sul do Rio de Janeiro, para o Desafio Tour do Rio. A largada aconteceu na Avenida Nossa Senhora dos Remédios, próximo ao Centro Histórico e a chegada na Avenida Roberto Silveira, na entrada da cidade. Ao todo, 25 categorias percorreram a BR-101.
___Antônio Luan Nascimento da Matta, da Equipe de Ciclismo de Taubaté (ECT) completou os 130 km em 3h19m26s e conquistou pela primeira vez a categoria elite. A diferença entre os três primeiros colocados foi de apenas um segundo.
Troféu da Elite Masculina | Márcio de Miranda
No feminino, quem brilhou, mais uma vez, foi Camila Coelho. A ciclista da equipe Memorial Girls, vencedora também da quarta etapa da Copa Rio de Janeiro de Ciclismo no último dia 25, finalizou os 80 km em 2h26m51s. Fernanda Amâncio e Anelise Assumpção, da Elite Bike Rio, garantiram o segundo e terceiro lugar, respectivamente.

Quem também esteve presente no Desafio do Tour foi Nívea Stelmann. A atriz falou sobre a sua relação com o ciclismo: - Eu comecei a acompanhar por causa do meu marido Marcus Rocha, vi que ele estava emagrecendo, ficando mais bonito e então falei ‘não posso ficar para trás, eu quero uma bicicleta’. Ele me deu uma bike de presente, eu comecei a pedalar e me apaixonar pelo esporte. Ainda estou muito aquém, mas um dia irei competir -.
___A prova foi marcada pela fortalecimento da campanha Outubro Rosa, que luta pela conscientização no controle ao câncer de mama. Além de um kit exclusivo, o Desafio Tour do Rio distribui 10 mil em premiação.

Resultados

CATEGORIA ELITE MASCULINO
1 - Antônio Luan Nascimento da Matta/ECT - Equipe de Ciclismo de Taubaté - 3h19m26s
2 - Maurício Bielinsk Knapp/São Francisco Saúde Ribeirão Preto - 3h19m27s
3 - Humberto Higino Silva Ferreira/Clube Ace de Ciclismo - 3h19m28s

Camila Coelho comemorando mais uma vitória na temporada | Ivo Gonzalez


CATEGORIA ELITE FEMININA
1- Camila Coelho/Memorial Santos – 2h26m51s
2- Fernanda Amâncio de Assis/Elite Bike Rio – 2h41m06s
3- Anelise Rocha Assumpção/Elite Bike Rio – 2h47m02s

DESAFIO TOUR DO RIO 2016 – PARATY – VENCEDORES

Sub-30 Masculino - João Whitaker
Master A1 Masculino – Alvimanio Augusto das Chagas
Master A2 Masculino - Alejandro Ivan Vergara Munoz
Master B1 Masculino – Márcio Paes da Silva
Master B2 Masculino - Jorge Ferreira de Almeida
Master C1 Masculino - Aaron Long
Master C2 Masculino – Alvimar Taranto Nunes
Master Feminino – Ana Luiza Hajdu Hungria
Open Masculino A – Bruno Rocha Ribeiro Pinto
Open Masculino B – Renato Campos
Open Masculino C – Marcus Rocha
Open Masculino D – Ary Vieira de Araújo
Open Feminino A – Jaqueline Navegantes L. Mattos
Open Feminino B – Daniella Silva de Souza Kikita
Open Feminino C – Melissa Simões Piekarski
Open Feminino D – Maria Viviane Kurtenbach
Júnior Masculino – Victor Cesar Ranghetti
Júnior Feminino - Mariana Latgé Rodrigues
Juvenil Masculino - Matheus Scandian Thomaz
Veterano Masculino – Márcio Leonel Lopes
Estreante Masculino - Geyson Paulo Marques
Estreante Feminino - Lilian Cursi
PNE – Raphael Baddini de Queiroz
-
Fonte: http://blogs.oglobo.globo.com/de-bike/post/camila-coelho-e-antonio-da-matta-vencem-o-desafio-do-tour-do-rio.html

RESULTADOS - REDBULL RAMPAGE 2016

___Hoje (14/10) aconteceu o REDBULL RAMPAGE 2016, considerada por muitos como a prova de downhill mais insana do mundo.
___Descer as montanhas de Virgin, UTAH não é para qualquer um, 21 pilotos botam a prova suas skills para ver quem é o melhor.
___Lendas vivas do DH como Daren Bareclotth, Kyle Strait, Cameron Zink, Brendan Semanuk, Andrew Lacondeguy, etc contrasenam com uma nova geração de rider que tem mostrado que as coisas tem evoluído cada vez mais em questão de técnica.
___Centenas de pessoas amontadas ao longo das varias linhas criadas pelos pilotos, variando entre as 3 linhas de dificuldade da montanha, levaram os espectadores ao delírio.
___Dentre as belas manobras e doideiras, a sempre os tombos que assustam a todos, como o caso do piloto canadense da equipe KONA GRAVITY, que ao realizar um 360 monstruso no segundo Big Drop acabou por cair e teve que ser removido de helicóptero, já Cameron Zink caiu no mesmo lugar e não lhe aconteceu nada. A experiência faz muita diferença nessas horas.
___A prova foi disputadíssima pelo altissimo nível técnico (DH, Sloop Style, Dirt) dos pilotos.
O única coisa que atrapalhou um pouco foi o vento que em vários momentos estava forte na encosta e acaba por demorar a largada dos atletas.
___O grande nome deste ano foi Brendan Semanuk que já na sua primeira descida, foi simplesmente espetacular, atingindo a nota 84.33. Mesmo todos os outros atletas fazendo a segunda descida,  nenhum conseguiu realizar uma descida que merecesse uma pontuação próxima ou superior, nem Antonie Bizzet com seu DOUBLE BACKFLIP foi capaz de tirar o reinado de Semanuk.
___O prêmio de melhor Best Trick ficou para Kurt Sorge com seu 360 no Big Drop.

REDBULL RAMPAGE 2016 - AO VIVO!

___Olá Bikers e Riders de Plantão,
___Amanhã a partir das 13:30 no horário de Brasilia, terá início as transmissão do REDBULL RAMPAGE 2016 e para facilitar a vida de muitos, diponibilizei por aqui também o frame da transmissão do evento AO VIVO.
___Não dá pra perder esse que é considerado o evento de downhill mais foda do mundo.
___Esperamos vocês assistindo com a gente.

Abraços a todos. Biiikkkkeeeeeee!!!!

Primeiras impressões do Red Bull Rampage 2016

# Com novo local, novo formato e a mesma atitude progressiva no MTB freeride conheça o Red Bull Rampage.
-
___A edição de 2016 do Red Bull Rampage - a 11ª edição do evento - traz consigo diversas alterações que visam tornar a experiência o melhor possível para todos os envolvidos. Entre eles, o número de atletas oi reduzido para selecionar somente os 21 melhores pilotos de grande montanha do mundo, cada um deles promete leva uma equipe para escavar e esculpir as trilhas - ou seja - o piloto e mais dois amigos. Isso contribui para que menos pessoas alterando a topografia natural da montanha, o que resultou em um espírito muito mais colaborativo na construção das trilhas do que nos últimos anos.
___Com a escolha de um novo local de competição, a prova fica mais equilibrada e desafiadora. Como sempre, os pilotos optaram por inserir algumas características incrivelmente retorcidas em suas linhas, colocando suas habilidades à prova final.
___Fique ligado na transmissão AO VIVO do Red Bull Rampage 2016 nesta sexta-feira, dia 14 de outubro, a partir das 13:30 horas no Brasil.
-
-
Fonte: http://www.redbull.com/br/pt/bike/stories/1331823195638/primeiras-impressoes-do-red-bull-rampage-2016

O ponto de vista de Henrique Avancini - RedBull.com/Bike

Ciclista é o novo colunista do RedBull.com/Bike trazendo sua perspectiva do universo da bike

-
___O ciclista fluminense Henrique Avancini - considerado o melhor do país e da América Latina na modalidade mountain bike cross country - prepara-se para encarar um novo desafio: relatar suas experiências através de informações valiosas de que convive com a elite mundial do esporte.


Vejo como um papel que o atleta de alto rendimento deve desempenhar. Falar um pouco menos de si, e mais de suas experiências e o que envolve o esporte. Henrique Avancini

"Acredito que tivemos um crescimento enorme da modalidade no país. Temos um número enorme de pessoas pedalando, porém esse movimento não cresceu também em relação a cultura e conhecimento referentes a bike. Vejo como um papel que o atleta de alto rendimento deve desempenhar. Falar um pouco menos de si, e mais de suas experiências e o que envolve o esporte. Isso é muito importante para as pessoas que estão entrando nesse universo. Já vivi e ainda vivo muito no esporte, além de ter passado por lugares e situações que nunca um brasileiro passou e acho válido compartilhar isso com as pessoas," explica o atleta profissional Henrique Avancini, que atualmente representa a equipe internacional Cannondale Factory Racing.

___Neste novo espaço cedido pela redbull, "Avancini" vai expor os bastidores de competições internacionais e sua perspectiva como atleta, por isso podemos esperar muita coisa boa de conteúdo e formatos diversificados.
___Bastidores, curiosidades, histórias e um olhar diferente sobre as coisas... detalhes que só um atleta de alto rendimento consegue ver e viver. Avança

"Bastidores, curiosidades, histórias e um olhar diferente sobre as coisas. Quero passar detalhes que só um atleta de alto rendimento consegue ver e viver. Quero falar desde a parte técnica de preparação até histórias engraçadas e surpreendentes de bastidores.
Acredito que será um conteúdo bem diferente e que os amantes da bike irão curtir," descreve o atleta que exerce um papel fundamental na formação de novos atletas e fonte de inspiração para adeptos do esporte.


___Felizmente, Avancini vem formando-se como um tipo de "bike-repórter".

"Na verdade é só mais uma nova experiência dentre muitas coisas que pretendo fazer. Tenho muitos planos para o futuro. Amadureci alguns projetos que estão na cabeça durante um bom tempo e boa parte vai começar a virar realidade no ano que vem. Eu acredito que a postura do atleta profissional deve ser sempre em prol do desenvolvimento do esporte. Fazer mais e criar mais. A parte de subir na bike e competir é só a ponta do iceberg," ensina Avancini que sempre foi muito atencioso com os fãs e ativo nas redes sociais.

___A postura do atleta profissional deve ser sempre em prol do desenvolvimento do esporte. Fazer mais e criar mais. A parte de subir na bike e competir é só a ponta do iceberg.
___A primeira "missão" de Avancini "fora das pistas" será na cobertura da Brasil Ride - Ultramaratona de MTB - que acontece no Estado da Bahia até final do mês de outubro 2016..

"A ideia é trazer um conteúdo diferente e um olhar mais técnico e profundo do que vai rolar na prova. Vejo como um grande diferencial, saber como esse tipo de corrida funciona na pele, conhecer os principais atletas e suas características além dos chefes de equipe. Óbvio que vai depender muito das condições de logística para produzir mais e melhor, mas vejo como um passo muito importante para as provas de MTB no Brasil e estou muito feliz e empolgado de contribuir um pouco com a prova," completa.
-
Fonte: 

Brasil Ride 2016: lançamento oficial em Salvador

___A sétima edição da Brasil Ride está marcada para 15 a 22 de outubro, com sedes em Arraial d'Ajuda, em Porto Seguro, e em Guaratinga, foi lançada na tarde da última segunda-feira, em evento realizado no Centro Administrativo da Bahia, em Salvador.
___A apresentação contou com a participação do governador Rui Costa, do secretário de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (SETRE), Álvaro Gomes, e do fundador da competição, Mario Roma, de Andrea Roma e de Henrique Avancini, ciclista bicampeão brasileiro de MTB, os três representando a ultramaratona no evento.
___Fundador da Brasil Ride, Mario Roma conta o porquê de fazer a competição no estado baiano e o que muda com a troca de local, saindo da Chapada Diamantina para a Costa do Descobrimento.
- A Bahia tem o tempero mágico do Brasil. É um estado que simboliza muito bem o País. Tem trilhas incríveis, clima fantástico e o calor do povo baiano. Tudo isso junto tem uma química que garantiu nos seis últimos anos realizarmos um dos maiores eventos do mundo no Brasil e nesta sétima edição não será diferente -, avalia Roma.
- Esta será a versão 2.0 da Brasil Ride. Tudo novo, para nós, os atletas e para as cidades-sedes, bem como para toda região. Muita gente pergunta se é mais fácil ou difícil, eu digo que o prato será diferente, mas a pimenta será a mesma -, conclui Mario Roma.
Largada da Brasil Ride | Christian Correa / Brasil Ride
___Os interessados em participar da Maratona XCM Brasil Ride, marcada para o dia 22 de outubro, em Arraial D'Ajuda, devem apressar-se para não ficar de fora desta verdadeira festa do mountain bike. A competição fará parte da programação da sétima e última etapa da ultramaratona Brasil Ride. 

Programação
15/10 - Sábado: entrega de kit atletas em Arraial d’Ajuda
16/10 - Domingo: Etapa 1: Prólogo em Arraial d’Ajuda (21,1 km e 318 m altimetria)
17/10 - 2ª feira - Etapa 2: Deslocamento para o acampamento da Vila Brasil Ride (128 km e 2225 m altimetria)
18/10 - 3ª feira - Etapa 3: Largada e chegada no acampamento (63,5 km e 1.587)
19/10 - 4ª feira - Etapa 4: Largada e chegada no acampamento (85,3 km e 2.963 m altimetria)
20/10 - 5ª feira - Etapa 5: Deslocamento do acampamento da Vila Brasil Ride para Arraial d’Ajuda (134 km e 2.027 m altimetria)
21/10 - 6ª feira - Etapa 6: Percurso XCO em Arraial d’Ajuda (31,8 km e 548 m altimetria) 22/10 - Sábado - Etapa 7: Última etapa do Brasil Ride e Maratona XCM / Festa de encerramento, em Arraial d’Ajuda (75 km e 1.105 m altimetria).
-
Fonte: http://blogs.oglobo.globo.com/de-bike/post/brasil-ride-2016-lancamento-oficial-em-salvador.html

Lenda paralímpica, Alex Zanardi lança livro sobre sua “segunda vida”

___Tetracampeão paraolímpico no ciclismo de estrada, Alex Zanardi lançou nesta quinta-feira, na Itália, sua segunda autobiografia, intitulada “Só queria pedalar…mas tropecei numa segunda vida”. O ex-piloto de Fórmula 1, que levou dois ouros e uma prata nos Jogos do Rio, negou o rótulo de “marciano” por sua história de superação e suas marcas históricas nas Paralimpíadas.
“Eu não (sou marciano). Não havia o desejo de ir ao Rio para descobrir se era ser humano. Eu já o sabia. O importante é colocar dedicação, sacrifício, empenho, e acima de tudo paixão. E eu coloquei”, disse o paratleta em entrevista à Gazzetta dello Sport.
___Zanardi correu pela Fórmula 1 em cinco temporadas: 1991, 1992, 1993, 1994 e 1999. Em 2001, quando disputava a Fórmula Indy, o italiano sofreu um acidente que o deixou à beira da morte e paraplégico. Mesmo com as limitações físicas, o piloto continuou no automobilismo, disputando torneios com carros adaptados.
___A decisão de mudar de esporte veio em 2007. Zanardi optou pelo ciclismo paralímpico, foi campeão da Maratona de Roma em 2010 e, em 2012, disputou em Londres os Jogos Paralímpicos pela primeira vez, levando dois ouros e duas pratas – mesmo retrospecto do Rio.
“Só tive a sorte de reconhecer minha paixão, a possibilidade de escolher e a capacidade de puxar para fora aquilo que realmente me interessava. Mas é preciso se apaixonar por aquilo que se quer fazer”, ressaltou Zanardi.
-
Fonte: http://www.gazetaesportiva.com/paralimpiadas-2016/paralimpiadas-destaque/lenda-paralimpica-alex-zanardi-lanca-livro-sobre-sua-segunda-vida/

Equipe Memorial-Santos/Fupes de ciclismo conquista cinco medalhas no Brasileiro de Pista

___Ao final do primeiro dia de disputas no Campeonato Brasileiro de Pista 2016 – Elite e Paraciclismo, em Maringá, no interior do estado do Paraná, os atletas da equipe Memorial-Santos/Fupes, conquistaram cinco medalhas: dois ouros, duas pratas e um bronze. O evento terminará nesta sexta-feira (14).
___Na Elite, a equipe Memorial-Santos/Fupes Ouro conquistou ouro na prova de Perseguição por Equipes masculina, com os ciclistas Gideoni Monteiro, Armando Camargo Filho, o Piá, Endrigo da Rosa Pereira e Robson Ribeiro Dias. O segundo ouro foi para Gideoni na prova por Pontos.
___Representante do país no ciclismo de pista nas Olimpíadas Rio 2016, Gideoni Monteiro mostrou que está em excelente forma.
"Competir em Maringá, local onde a seleção treina durante boa parte do ano é como estar em casa”, declarou: “O público sempre nos recebe muito bem e a pista também oferece uma boa qualidade para as disputas”.
___O segundo lugar na prova de Perseguição por Equipes ficou para o time da GF Assessoria Esportiva de Curitiba, com os irmãos Ricardo e Fabio Dalamaria, Flavio Sartori e Samuel Stachera. Completaram o pódio em terceiro lugar os atletas da Green Bike de Piracicaba, Erick Garcia, Joel Prado Júnior, Marcos Novello e Alessandro Guimarães.
___Também na Elite, as duas medalhas de prata da equipe Memorial-Santos/Fupes foram para Wellyda Santos Rodrigues e Naira Hendi Barbosa na Velocidade por Equipes e para Wellyda na prova Scratch. O bronze foi para Armando Camargo Filho na prova por Pontos.
___Conforme destacou Cláudio Diegues, coordenador técnico da equipe, as disputas estão sendo bastante acirradas na Elite, pois envolvem os melhores ciclistas do país. Ele salientou ainda o bom resultado obtido na categoria Sub 23 por Thayná Araújo de Lima e Gisele Saggioro Gasparotto (MU23/Santos) que ficaram na 4ª colocação na prova de Velocidade por Equipes.
___O Campeonato Brasileiro de Pista, 2016 – Elite e Paraciclismo é realizado e organizado pela Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) e Federação Paranaense de Ciclismo (FPC) com patrocínio da Caixa Econômica Federal. As provas estão sendo disputadas no Velódromo do Complexo Esportivo Municipal, nas categorias Masculino e Feminino, cada qual para atletas Júnior (18 anos); Elite (23 a 29 anos ou critério técnico) e Sub 23 (19 a 22), e também no Paraciclismo, nas categorias C2, C3, C4 e C5.
___A equipe Memorial-Santos/Fupes conta com co-patrocínio da Unisanta, VZAN e Spiuk e apoio da ERT Uniformes, Clínica Ortocenter e MemorialStore
-
Fonte: http://www.diariodolitoral.com.br/esportes/equipe-memorial-santosfupes-de-ciclismo-conquista-cinco-medalhas/90579/

Tony Martin campeão do Mundo de Contrarelógio

___Depois de conquistar o seu quarto título mundial na especialidade, igualando o recorde do suíço Fabian Cancellara, e o segundo ouro em quatro dias -- sagrou-se campeão do Mundo no contrarelógio por equipes, com a Etixx-QuickStep -, Martin disse aos jornalistas que teria de esperar pelo regresso à Alemanha para poder festejar o seu feito, devido à ausência de adeptos para congratulá-lo em Doha.
"Seria simpático ter mais fãs aqui para celebrar a minha vitória. Os verdadeiros festejos vão acontecer quando chegar a casa", notou, referindo-se a uma realidade que tem sido muito comentada desde o arranque dos Mundiais de ciclismo de estrada, no domingo.
___Também o espanhol Jonathan Castroviejo, que conquistou o bronze, considerou que a falta de público tornou o 'crono' mais complicado para os ciclistas.
"É muito difícil. Normalmente, temos muitos espectadores, mas aqui não", frisou.
___A falta de público veio reforçar as críticas à atribuição da organização dos Mundiais a Doha. O principal problema apontado aos primeiros Campeonatos do Mundo realizados no Médio Oriente é o calor que se tem registado durante as provas, com as temperaturas a rondarem os 40 graus.
-
Fonte: http://www.rtp.pt/noticias/outras-modalidades/tony-martin-campeao-do-mundo-de-contrarrelogio_d953638

Ciclista da equipe joseense vence circuito montanhês

___O ciclista Alex Diniz, da Funvic Soul Cycles & Carrefour, de São José dos Campos, que está em fase final de preparação para duas competições na China, foi o grande vencedor da edição 2016 do Circuito Montanhês de Ciclismo, realizado no domingo (9), em um percurso com início em Guarulhos e em Mairiporã.
___A prova teve largada às 9 horas, no Bosque Maia. O ciclista da equipe joseense fez uma bela prova, destacando-se na subida final do percurso e cruzando a linha de chegada sozinho, no alto do Pico Olho d’Água. Ele percorreu os 80 quilômetros da prova em 1h59min35seg.
___O segundo lugar ficou com João Paulo Pereira (Associação Batataense de Ciclismo) e o terceiro foi para Orlando Alves (Ciclo Ravena). Antonio Luan da Mata e Renato Ruiz, ambos da equipe de Taubaté, ficaram com o quarto e quinto lugar, respectivamente.

Em Goiás___Em junho, Alex Diniz foi um dos destaques da equipe joseense na Volta Ciclística de Goiás. Na oportunidade, o Jogando Juntos apresentou o seguinte texto sobre o assuntos:
___A Funvic Soul Cycles & Carrefour, de São José dos Campos, continua fazendo um belíssimo trabalho na edição 2016 da Volta Ciclística de Goiás. Após vencer a 2ª etapa com João Marcelo Gaspar, nesta quinta-feira (16), quem fez bonito foi Alex Diniz, o conhecido Meio Quilo.
___A 3ª etapa da competição, com 136 quilômetros, teve uma disputa intensa entre os atletas de várias equipes. Na primeira fuga do dia, um grupo escapou com cerca de 15 km e só foi alcançado no prêmio de Montanha, no km 95 da prova.
___Faltando cerca de 15 km para o final, Alex Diniz atacou e com ele foi também Pedro Nicácio e mais três ciclistas de outras equipes. Eles pedalaram juntos por vários quilômetros. Faltando mais ou menos 5 km para o final, Alex fez um novo ataque e acabou sendo seguido por Lauro Chaman (Memorial/Santos). Já no último quilômetro da prova, o ciclista de São José dos Campos acelerou, abriu e cruzou a linha de chegada sozinho, com o tempo de 3h09min17.
“Estou muito feliz com a vitória na terceira etapa da volta de Goiás. Gostaria de agradecer a Deus e a todos os meus companheiros e também aos massagistas, técnico, dirigentes e mecânicos”, disse o campeão Alex Diniz.
-
Fonte: http://www.meon.com.br/esportes/esportes/regiao-1/ciclista-da-equipe-joseense-vence-circuito-montanhes

INFORMAÇÕES - Etapa Final do Campeonato Paranaense de Downhill 2016

___A Etapa Final do Campeonato Paranaense de Downhill 2016, que será realizado na Pousada Estância Águas da Serra em Campo Largo - PR, na Pista 4 .
___O acesso ao site para as inscrições pode ser feito através do botão acima da página.

Informações sobre o evento:
Camping:

  • Custo de R$ 10,00 por piloto.
  • Custo de R$ 20,00 para demais espectadores.
* Inclui banho e luz.
* Para aqueles que vão apenas passar o dia na pousada será cobrado apenas 10 reais por pessoa (taxa de manutenção da pousada), menos de pilotos.

___As refeições serão os pratos feitos ao custo de R$ 15,00 com direito a um copo de suco e também teremos lanches, água, refrigerantes, porções, e etc.
___Quem quiser reservar quartos e chalés favor entrar em contato com a pousada
Endereço:___ Estrada da Faxina, s/n – Campo Largo – Paraná – Brasil.
Reservas pelos telefones:
___ (41) 9882-5658 / 9237-4002
Email:___ contato@estanciaaguasdaserra.com.br
Site: http://www.estanciaaguasdaserra.com.br/

Mapa para Acesso:

___ E para você piloto, estaremos com uma super estrutura, incluindo água a vontade, frutas, tenda de mecânica da Bike Alla Carte com venda de peças e etc.
___ O controle este ano será feito por pulseiras com cores diferentes, para os espertinhos que saiam sem pagar agora irão passar vergonha sendo chamado no microfone.

___Esperamos todos vocês.

___Caso o atleta interessado em participar seja menor de idade, é necessário que ele venha acompanhado pelos responsáveis e apresente a Carteira de Identidade e o comprovante de residência.
___ Este guia baseia-se nas normas disciplinares da União Ciclística Internacional – UCI e da Confederação Brasileira de Ciclismo - CBC.
___ Só participaram do Campeonato Paranaense de Downhill 2016 e pontuarão no ranking Paranaense, os atletas devidamente filiados na FPC ou outras Federações de qualquer outro Estado de nosso território Nacional.

Informações sobre o evento:
  • Programação dia 12/11/2016
    • Sábado – 12/11
    • Horários
      • 08:30 às 16:00 Retirada dos numerais
      • 08:30 ás 16:00 Treinos livres

  • Programação dia 13/11/2016
    • Domingo – 13/11
    • Horários
      • 08:00 às 10:00 Treino oficial - Todas as categorias
      • 10:00 às 12:00 “Qualify“
      • 12:00 às 13:00 Pista fechada
      • 13:00 às 15:00 Descida oficial - Todas as categorias
      • 15:00 Pista Fechada
      • 16:00 Premiação e Encerramento
CATEGORIAS:
  • Feminino: Livre (critério técnico)
  • Estreante: Livre (critério técnico)
  • Juvenil: Nascidos em 2000 e 2001
  • Junior: Nascidos em 1998 e 1999
  • Sub30: Nascidos entre 1987 a 1997
  • MasterA: Nascidos entre 1977 a 1986
  • MasterB: Nascidos entre 1957 a 1976
  • Elite: Critério Técnico
Mais informações com Matheus Strauski - (42)98141787

BROU BRUTO arrecada mais de 1.000 brinquedos em PEDALADA SOLIDÁRIA

# Thiago Drews, uma das figuras mais conhecidas do mountain bike no Brasil, encarou maratona de 12 horas em uma bicicleta estacionária, no centro de Belo Horizonte, para conseguir doações para crianças carentes.
-
___Cada pedalada valeu a pena. Depois de enfrentar uma maratona de 12 horas em uma bicicleta “estacionária” - com as rodas suspensas por um suporte -, na praça Sete de Setembro, no centro de Belo Horizonte, o empresário e atleta Thiago Drews Elias, de 38 anos, arrecadou mais de mil brinquedos que serão doados a crianças carentes na vila Jardim Filadélfia, na região Nordeste da capital.
“Comecei a pedalar às 5h58. Com muita humildade, pedi a um amigo uma caminhonete emprestada para levar os brinquedos às 18h, quando parei de pedalar. Mas consegui juntar mais de mil brinquedos. Não dá para acreditar. Tive que pedir um caminhão para levar tudo. Muita gente que nem conhece o meu trabalho viu o meu esforço e vestiu a camisa da solidariedade. Compraram diversos brinquedos para as crianças. Foi emocionante”, ressaltou Drews, que é mais conhecido entre os praticantes de mountain bike como “Brou Bruto”.
___A iniciativa atraiu até pessoas de outras cidades. O empresário Leonardo Antônio Santos, 32, saiu às 6h de Divinópolis, na região Centro-Oeste do Estado, para doar uma bicicleta.
"Eu admiro o trabalho dele, então, deixei tudo que eu tinha para fazer hoje para vir aqui, porque este tipo de atitude merece reconhecimento", elogiou.
Motivação
___Acostumado a encarar desafios dos mais diversos no ciclismo, Thiago Drews, que também é professor de educação física, confessa não ter sentido tanto desgaste em suas pedaladas ininterruptas. No entanto, faltando duas horas para acabar a maratona, ele diz ter sentido uma vontade intensa de parar para urinar. Mas ao ver ao seu redor os diversos brinquedos doados pela população, ele se sentiu mais motivado a seguir em frente e encerrar a jornada no tempo estabelecido.
“Vou falar com honestidade, sem demagogia. Achei que, considerando a parte física, seria mais difícil pedalar por tanto tempo. Minha dificuldade mesmo foi psicológica quando deu uma vontade enorme de fazer minhas necessidades fisiológicas. Contudo, olhei para os brinquedos e pensei em cada pessoa que fez uma doação, pensei no sorriso de cada criança, não parei. Cada presente aumentou a minha força em proporções bíblicas”, disse Drews, emocionado.

Mais doações
___Quem não conseguiu deixar uma doação nesta sexta, ainda pode levar o brinquedo na Academia Brou (rua Deputado Cláudio Pinheiro de Lima, 389, Glória) até a próxima terça-feira (11). Brinquedos usados também são bem-vindos.
-
Fonte: http://www.otempo.com.br/cidades/empres%C3%A1rio-arrecada-mais-de-1-000-brinquedos-em-pedalada-solid%C3%A1ria-1.1382862
-
BROU BRUTO, parabéns pela linda e caridosa iniciativa, você tem sido um grande exemplo como atleta para muitos de nós amantes do ciclismo, agora mais ainda, um grande exemplo como pessoa que estima pelos pequeninos mais próximos. Que DEUS lhe abençoe muito!! - Redator Mazobikers

Dicas de Raiza Goulão para encarar um Rock Garden

___O rock garden (ou jardim de pedra, na tradução literal) é um dos obstáculos mais difíceis na prática do mountain bike. Passar com a bicicleta por trechos de estrada ou trilhas forrados de pedras exige habilidade e técnica para conseguir transpor essa barreira sem maiores problemas e com segurança. Nada como a experiência de quem conhece para aprender a lidar com as constantes variações de terreno no mountain bike. Por isso conversamos com a goiana Raiza Goulão, brasileira melhor colocada no ranking mundial de MTB XCO (cross-country olímpico), que compartilhou algumas dicas valiosas sobre como encarar um rock garden.

Faça o reconhecimento antes
___Antes de encarar o rock garden de bike, Raiza sugere ir caminhando até o local, dar uma olhada e analisar o percurso.
“Sempre terá uma ou duas linhas. Uma mais veloz e outra longa e menos perigosa. Vale a pena estudar e ver outros atletas, como se movimentam, como se posicionam.”

Vá com calma no início
“Nas primeiras vezes recomendo passar com calma e sem muita velocidade. É para descobrir qual é a linha mais fácil e qual a mais veloz. A partir daí ganha-se confiança para ir nas mais rápidas. Não vale a pena entrar de cara em um rock garden que você não conhece e correr o risco de se machucar, porque pode haver pedras em posições que você desconhecia. Isso é o que torna complexo o rock garden.”

Marcha correta
“Não existe uma marcha ideal para atravessar o rock garden. Depende, na verdade, se é em subida ou descida. Nunca temos na cabeça que vamos entrar no rock garden com determinada marcha. Precisa analisar se é subida ou descida, em qual velocidade você está entrando nele e como é a irregularidade das pedras.”

Postura sobre a bike
“Você tem que deixar a bike fluir e tudo tem relação com sua posição no rock garden. Se é na subida, muitas vezes você tem que pedalar de pé. Se é na descida normalmente você joga o corpo para trás da bike. Depende também da quantidade de pedras e do sentido que elas estão, para cima ou não.”

Qual a velocidade?
“A velocidade também vai depender muito se você está subindo ou descendo. Nas primeiras vezes você passa bem lento para analisar as curvas e quando estiver com confiança pode passar com mais velocidade.”

Deve-se frear durante o rock garden?
“Tudo depende da linha que você pega, assim como da velocidade. Você precisa avaliar o tamanho e a dificuldade do rock garden para fazer a escolha certa.”
-

Holandesa que sofreu acidente grave no Rio 2016 continua a pedalar

A ciclista holandesa Annemiek van Vleuten
___Quem não se lembrar do nome Annemiek van Vleuten talvez tenha na memória o terrível acidente que sofreu durante a prova de Ciclismo de Estrada nas Olimpíadas do Rio, em agosto – em especial a sua imagem a ser projetada como uma boneca de pano e a estatelar-se no asfalto.
___A ciclista holandesa Annemiek van Vleuten não se recorda de muito mais – o que é bom, pois naquela curva o seu sonho olímpico foi destruído – a apenas 10km do final de uma prova que liderava com alguma tranquilidade.
“Quando estava a começar a descida, pensei que não precisava de descer como um louca, até porque tinha começado a chover um pouco. Mas errei a abordagem à curva. A minha lembrança seguinte é a de estar numa cama de hospital com a minha mãe ao telefone”, contou a holandesa, de 33 anos, à BBC Sport.
___A mãe da ciclista assistia à prova pela TV na Holanda, no dia de seu aniversário, e acompanhou o drama da filha.
___E não foi apenas agonia materna: Anna van der Breggen, a colega de equipe de Annemiek, que acabaria por vencer a prova, achou que a compatriota tinha morrido quando passou, sem parar, pelo local do acidente.
___Annemiek sofreu três fraturas na coluna e uma concussão cerebral severa.
___Mas duas semanas depois do acidente já estava a treinar novamente. Apesar da preocupação que casou à mãe, e da frustração.
“Na primeira semana, sofri muito com a ideia de que cometi um erro estúpido quando estava quase ganhando a medalha de ouro. Mas depois dei-me conta de que pensar assim não iria me ajudar em coisa nenhuma. E aí, comecei a traçar novos objetivos”.
“Felizmente, as vertebras que lesionei não estavam em um local perigoso das minhas costas, e eu nunca tive complicações mais sérias por causa da concussão. Ciclistas estão acostumados a cair pelo menos duas vezes por ano. São ossos do ofício”, explicou.
Determinação
___Um mês depois do acidente, Annemiek venceu o Tour da Bélgica, garantindo o título apenas na última corrida. “Foi uma espécie de milagre. Mas Annemiek é muito forte”, elogiou Anna Van der Breggen.
__Este domingo, Annemiek iniciou sua participação no Mundial de Ciclismo, no Catar. Nas provas de estrada, a temperatura poderá chegar aos 40 graus. Mas para ela, é menos sofrimento do que falar sobre o acidente.
“Nas entrevistas querem sempre falar comigo sobre o acidente, mas não quero ficar a pensar nisso. Prefiro concentrar-me no facto de que estava a pedalar bem, antes daquilo acontecer, melhor até do que tinha feito antes”, diz a ciclista.
“E estou orgulhosa de minha participação nas Olimpíadas do Rio, apesar de tudo”, confessa a indomável Annemiek van Vleuten.

-
Fonte:  http://zap.aeiou.pt/holandesa-que-sofreu-acidente-grave-no-rio-2016-continua-a-pedalar-133286

Fernando Gaviria vence clássica Paris-Tours

___O colombiano Fernando Gaviria (Etixx-Quick Step), com um ataque a 700 metros da linha de chegada, conquistou este domingo a 110.ª edição da clássica Paris-Tours, impondo-se ao fim de 252,2 quilômetros.
___Gaviria, que não constava entre os favoritos, ganhou com o tempo de 5h22m03s, de nada valendo o esforço final do francês Arnaud Démare (FDJ) e do belga Jonas van Genechten (IAM), segundo e terceiro, respetivamente, com o mesmo tempo.
"Foi uma prova muito rápida e dura, pelo que estou muito contente", afirmou o colombiano, apontando já a Doha: "Falta só uma prova, os Mundiais, e será magnífico continuar com esta dinâmica de vitória".
-
Fonte: http://www.record.xl.pt/modalidades/ciclismo/detalhe/fernando-gaviria-vence-classica-paris-tours.html

Mundial de Ciclismo: Etixx ganha ouro à frente da BMC

___A formação belga conquistou o título com o tempo de 42m32s39ms, superando a BMC, que defendia os títulos de 2014 e 2015, por 11s69ms.
___O terceiro lugar foi conquistado pela australiana Orica, enquanto a britânica Sky foi quarta e a holandesa Lotto quinta.
___Na prova feminina, o triunfo pertenceu às holandesas do Boels Dolmans
___A Etixx-Quick Step venceu este domingo o contrarelógio por equipes dos Mundiais de ciclismo, que decorrem em Doha, no Qatar.
-
Fonte: http://www.maisfutebol.iol.pt/modalidades/qatar/mundiais-ciclismo-etixx-quick-step-vence-titulo-no-contrarrelogio