NOVAS NOTÍCIAS:
Carregando...

Jovem promessa do ciclismo reforça equipe de Ribeirão Preto


“Minha primeira bicicleta foi uma Caloi 10. Enorme, acima da minha altura. Tinha um metro e meio, acho. Para mim era fantástica. Disputei várias competições com ela e depois os técnicos foram observando meu desempenho, até eu conseguir outras”.
___Assim, em 2006, começou a carreira de Luís Fernando Trevisan, novo reforço da Equipe de Ciclismo de Ribeirão Preto para essa temporada.
___Aos 18 anos, o atleta chega com o currículo recheado de conquistas nacionais e também com a Seleção Brasileira. Saiu do sub-18 no ano passado e agora passa a integrar a categoria sub-23/elite. Tendo o sprint como principal característica, Trevisan espera evoluir muito no novo time.
“As expectativas são as melhores possíveis. Sei que o nível nessa nova categoria é bem mais alto comparado com a base. Vou me doar ao máximo para crescer e ajudar meu time. Quero ficar em Ribeirão Preto não só nessa temporada, mas por mais outras também”, afirma.

___No primeiro campeonato, medalha de bronze. A partir daí, a rotina de vida passaria a mudar.
___Trevisan começou a se aventurar no esporte há dez anos. Tinha o sonho de ser ator, mas ainda nos tempos de escola, em Iracemápolis, interior de São Paulo, fez o primeiro treino no ciclismo, a convite de um amigo e a avaliação do técnico foi positiva.
“O ciclismo é diferente, dá uma sensação de ser livre. É um esporte bem legal, de aprendizado, intensidade nos treinos e fins de semana de competições”, disse o atleta que treina de quatro a seis horas por dia, além de estudar os principais adversários antes das competições. “Não adianta ter só força. Tem que ter cabeça boa e um psicológico bem preparado, que acabam fazendo a diferença numa corrida”, explica.
Conquistas de “gente grande” ___E foi usando a cabeça que ele conquistou um dos pódios mais importantes da carreira, em maio de 2015, na prova de resistência do Campeonato Brasileiro de Estrada. Trevisan passou uma semana competindo em Maringá, local da disputa nacional.
___No dia 17, participou da Copa Cidade Canção, que é uma corrida clássica de abertura para o Brasileiro. Depois, durante os seis dias competiu em diversas provas até chegar no domingo, 24, para correr mais de 100km na resistência.
“Já estava no meu limite, muito cansado por competir todos os dias da semana, mas precisava ficar entre os três de qualquer forma, porque o Brasileiro dá direito à bolsa-atleta e salário aos primeiros colocados”, conta.
___O circuito, segundo ele, era forte. Depois de algumas fugas do pelotão sem sucesso, Trevisan conseguiu sair com mais dois. O cansaço foi tão forte que, ao final da corrida, teve uma câimbra, mas por saber as características dos outros ciclistas, não atrapalhou muito.
“Sabia que nós três ali conseguiríamos o pódio, pois conhecia os competidores e sabia que ninguém ia chegar na gente. Por isso foquei em continuar no sprint e conquistar a medalha de bronze, que nesse caso, teve valor de ouro”, disse.
___Ouro de verdade mesmo, Trevisan ganhou ao vencer o Paulista de resistência e contrarrelógio (duas vezes), a Volta Internacional do ABCD, as classificatórias dos Jogos Escolares de São Paulo, a prova de resistências nas Olimpíadas Escolares, o Brasileiro de ciclismo olímpico por equipes, os Jogos Regionais, a Volta do Futuro por equipes, que garantiu vaga à Seleção Brasileira. Com as cores do Brasil, foi campeão, também por equipes, da Volta da Juventude, no Uruguai, onde venceu uma das etapas, a de Montevidéu.
“Estar na Seleção é totalmente diferente. Representar o meu país, para mim, é muito importante. Estava na minha melhor fase da carreira. Consegui um resultado que nunca imaginei conquistar tão cedo. O nível da disputa era muito alto, geometria complicada, provas longas, mas fui lá e consegui”, revela o ciclista.
Simplicidade ___Mesmo com os títulos ao longo dos anos, Trevisan não dispensa a simplicidade. Começou a carreira, ainda criança, com uma Caloi 10, maior do que ele mesmo. Mas, depois, continuou com as bicicletas mais simples, com material de qualidade inferior ao dos grandes campeões.
“As minhas bikes nunca foram tops e avançadas tecnologicamente. Isso foi muito bom porque aprendi a dar valor nas pequenas coisas, a crescer e evoluir. Hoje nas competições, com minha bicicleta simples, vejo os adversários com as top e mesmo assim consigo ganhar. Isso mostra que estou no caminho certo. A bike ajuda, mas o que faz diferença mesmo é o treino e a determinação. Me dedico 110% ao ciclismo sempre em busca da evolução”, afirma.
___Para crescer sempre e evoluir mais, Trevisan tem uma inspiração. Seu grande ídolo no esporte e nada vida é o eslovaco Peter Sagan, ciclista da equipe Tinkoff, da Dinamarca. “Ele é muito bom. É sprinter, assim como eu. Meu sonho é ser um pouco do que ele é ou pelo menos poder conhecê-lo pessoalmente. Vejo tudo o que é relacionado ao Peter, para poder seguir bem os passos dele”, conta.
___Agora, para 2016, o time ribeirão-pretano tem nove nomes para as competições. São eles: Alan Maniezo, Antonio “Pippo” Garnero, Giovane Arduino, Jeovane Oliveira, Luis Trevisan, Maurício Knapp, Michel Fernandez, Rodrigo Nascimento e Thiago Nardin. O comando da equipe é do técnico Marcelo Donnabella.
-
Fonte: http://www.ribeiraopretoonline.com.br/esportes-futebol/jovem-promessa-do-ciclismo-reforca-equipe-de-ribeirao-preto/97712

Jaguariaíva no alto do pódio na última etapa da COPA CICLES GUARANI de DH

 ___Aconteceu neste último final de semana (26/01/2016) a última etapa da COPA CICLES GUARANI de DOWNHILL, que aconteceu na cidade de Irati-PR, na PISTA DO ALESSI.
São Pedro colaborou com o tempo para que os atletas pudessem tirar o máximo de suas bikes e da pista.
___Como sempre o atleta Anderson de Barros Soares (DECO) da Equipe Tartarugas DH, fez bonito e levou o nome de Jaguariaíva ao lugar mais alto do pódio na categoria ELITE.
___Parabéns DECO, pelo seu esforço e determinação, continue firme nessa caminhada de levar o nome da sua equipe e da cidade de Jaguariaíva aos quatro cantos do nosso pais e parabenizamos também ao Sr. Neri Soares e a toda Equipe Tartarugas pela apoio/determinação.
 
 


Nairo Quintana será o único líder da Movistar no Tour

___O colombiano Nairo Quintana vai ser o líder único da Movistar na Volta a França, com o espanhol Alejandro Valverde a ter como objetivo a Volta a Itália, confirmaram hoje os dois ciclistas durante a apresentação da equipe.
“Em princípio, vou concentrar-me no Tour, que é a prova com mais exposição e aquela com a qual sonhamos. Os meus objetivos secundários são a prova olímpica [Rio2016] e a Vuelta”, indicou Quintana, que pretende assim melhorar os dois segundos lugares (2015 e 2013) na prova francesa.
___O jovem colombiano e o veterano espanhol ocuparam os dois lugares mais baixos do pódio em Paris no ano passado, atrás de Chris Froome (Sky), uma realidade que levou a equipe líder do ‘ranking’ mundial a alterar a sua estratégia para 2016.
“No Tour, quero fazer bem as coisas, mas sobretudo ajudar ao máximo o Nairo e chegar o mais fresco possível aos Jogos Olímpicos”, assumiu Valverde que, aos 36 anos, se vai estrear no Giro, com a missão de fazer o pleno de pódios nas ‘grandes’ Voltas: “É uma motivação e uma experiência bonita”.
___Vencedor da Liège-Bastogne-Liège e da Flèche Wallonne em 2015, o espanhol reconheceu que deverá estar mais “fraco” nas clássicas da primavera, para poder estar em forma para atacar a Volta a Itália.
"Cheguei a um ponto na minha carreira que é agora ou nunca. Ao Giro nunca tinha ido e acredito que é o momento, já que estou em forma para o fazer bem. Falei com o Eusebio Unzué e com os outros diretores e desenhámos um calendário diferente de outros anos. Há que experimentar, porque é o momento idóneo”, defendeu o vencedor da Volta a Espanha de 2009.
___Na cerimónia de apresentação, a formação espanhola não esqueceu o italiano Adriano Malori, que continua em coma induzido na sequência de uma queda no Tour de San Luis, dedicando-lhe um forte aplauso.
-
Fonte: http://desporto.sapo.pt/ciclismo/artigo/2016/01/27/quintana-sera-o-unico-lider-da-movistar-no-tour

Araxá abre temporada da Copa internacional Levorin de Mountain Bike com atletas de várias partes do mundo

___Começa a contagem regressiva para prova de mountain bike mais esperada do ano. A etapa de Araxá, que abre a temporada da Copa Internacional Levorin de MTB, será entre os dias 4 e 6 de março, no Complexo do Barreiro. A competição terá a maior pontuação das três etapas, o que fará com que a briga fique ainda mais acirrada para aqueles que buscam pontos para conquistar uma vaga nos Jogos Olímpicos.
___Este é o segundo ano que a prova é realizada em nível mais alto, na classificação SHC ou Stage Race Hors Class, grau concedido pela União Ciclística Internacional (UCI). Com isso, a etapa soma até 160 pontos no ranking mundial da UCI para o campeão.
“Para nós é uma grande responsabilidade e satisfação realizar a CIMTB Levorin. Com a classificação SHC, onde só existem quatro provas no mundo incluindo Araxá, estamos recebendo cada vez mais atletas de outros países. Este ano já temos confirmado Sérvia, Eslováquia, Áustria, Suíça, Portugal, Estados Unidos, países da América do Sul e mais países que estão entrando em contato”, contou o organizador do evento Rogério Bernardes.
___Assim como nos dois últimos anos, a etapa terá três dias de prova para a Super Elite (Elite e Sub-23) Masculina e Feminina. A abertura da competição, que será na sexta-feira, será com o Contrarrelógio (XCT). No sábado será a vez de correr no Short Track (XCC-pista curta). A prova é encerrada no domingo com o tradicional Cross Country Olímpico (XCO).
“Este ano a premiação de Araxá será a maior de toda a história. Só para a categoria Super Elite Masculina e Feminina serão quase 40 mil em dinheiro. Além disso, teremos uma grande feira e competições emocionantes com a presença de grandes atletas do cenário mundial. As provas vão ocupar todo o final de semana com mountain bike, passeio ciclístico, concurso de redação e desenho das escolas municipais, corrida a pé noturna, entre outras”, disse Rogério.
___Com a parceria da Federação Mineira e Confederação Brasileira de Ciclismo, a etapa de Araxá é válida pelos rankings estadual e brasileiro. A temporada conta com mais duas etapas: São João Del Rei, de 13 a 15 de maio, e Congonhas, entre 4 e 6 de novembro.
___Com a realização das Olimpíadas entre os dias 5 e 21 de agosto, a primeira e a segunda etapa da CIMTB Levorin serão decisivas no número de vagas e representantes na modalidade da competição. O ranking olímpico fechará no dia 24 de maio de 2016.
“Ter a pontuação da prova contando pontos para os Jogos Olímpicos Rio 2016 é espetacular. Além disso, é uma grande honra receber centenas de atletas, equipes e familiares de todos os cantos do Brasil para passar o final de semana em Araxá. Temos um ambiente familiar e saudável onde tudo gira em torno do esporte”, finalizou.
___A Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 21ª Edição em 2016. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição e Co-Patrocínio da Audax.
-
Fonte: http://www.diariodearaxa.com.br/araxa-abre-temporada-da-copa-internacional-levorin-de-mountain-bike-com-atletas-de-varias-partes-do-mundo/

Tissot terá cronometragem oficial de Volta da França até 2020

___A marca de relógios Tissot, da Suíça, chegou a um acordo para tornar-se o cronômetro oficial da Volta da França, a mais tradicional prova de ciclismo do mundo. O contrato foi assinado com a Amaury Sports Organisation (ASO), organizadora da prova, até 2020. Os valores do acordo não foram divulgados.
“De todas as competições internacionais de ciclismo, a Volta da França é a mais respeitada e admirada, já que reúne os melhores ciclistas do mundo para competir em várias etapas planas, acidentadas, montanhosas ou contra o relógio”, afirmou François Thiébaud, executivo da Tissot.
___Como parte do acordo com a ASO, a Tissot também terá a cronometragem da Volta da Espanha, que será disputada entre o final de agosto e o início de setembro. A ASO adquiriu, em 2014, 100% da Unipublic, organizadora da competição espanhola, que faz parte do trio de principais provas do ciclismo de estrada do calendário, juntamente com o Giro da Itália.
___O novo acordo substitui a marca espanhola Festina. A antiga patrocinadora teve sua imagem tristemente manchada no ciclismo por ter sido a pivô de escândalo de doping na Volta da França de 1998. A Festina possuía uma equipe de ciclismo na época, que acabou banida da competição por uso sistemático de substâncias proibidas.
___Como resultado do escândalo, empresa reorganizou seus investimentos esportivos, criando uma fundação para promover a luta contra o doping.
___Já a Tissot já foi patrocinadora da Volta da França entre 1988 e 1992. Mesmo fora da competição, a empresa sempre associou sua imagem à modalidade, patrocinando outras provas de ciclismo, como o Mundial de mountain bike.
“No ciclismo há provas de tempo que se reduzem a poucos segundos. Às vezes, a poucos milésimos de segundo na linha de chegada. Por isso, é essencial ser capaz de confiar em uma cronometragem que tenha a mesma visão de nosso esporte”, afirmou Christian Prudhomme, diretor da Volta da França.
___Além da Tissot, a prova francesa também conta em sua lista de patrocinadores com Orange, Le Coq Sportif, Dimension Data, Antargaz, AG2R Mondiale e RAGT Semences. Além delas, outros patrocinadores têm a propriedade de pôr seu logo na camisa amarela (dada ao líder da classificação geral da prova): Le Credit Lyonnais, Carrefour, Skoda, Vittel e Krys.
___A Volta da Espanha, por sua vez, conta com patrocínio principal do Carrefour, além de Cofidis, Loterías y Apuestas del Estado, Fertiberia, Vodafone, Azkar e Skoda.
-
Fonte: http://maquinadoesporte.uol.com.br/artigo/tissot-tera-cronometragem-oficial-de-volta-da-franca-ate-2020_29777.html#ixzz3yT8Cfdic

Morte de ciclista brasileiro é lamentada por campeão mundial: "É uma pena"

 ___A trágica morte do ciclista brasileiro Cláudio Clarindo, de 38 anos, atingido por um carro enquanto treinava na rodovia Rio-Santos na última segunda-feira, foi lamentada pelo campeão mundial da modalidade, Peter Sagan, que esteve no Rio de Janeiro nesta terça para fazer o reconhecimento do percurso dos Jogos Olímpicos de 2016. Durante visita a uma loja de artigos de ciclismo, o eslovaco de 26 anos respeitou um minuto de silêncio em respeito a Clarindo. Em entrevista, ele ressaltou os perigos do ciclismo de estrada e disse que todos os atletas estão expostos a acidentes desse tipo.
"Eu soube da história através de um dos ciclistas que me apresentou o percurso. Lamento muito por ele, é uma pena. O ciclismo é um esporte muito bonito, mas é perigoso. Não é praticado dentro de um estádio, estamos do lado de fora, no meio do tráfego, nas estradas. A bicicleta não protege muito também. É um risco que corremos. Acidentes podem acontecer a qualquer momento." Disse Sagan
___Especialista em provas de longas distâncias, Clarindo era um dos maiores ciclistas do país e considerado um dos dez melhores do mundo na modalidade. O condutor do veículo, Gabriel Bensdorf Aguiar de Oliveira, de 24 anos, responderá por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.
___Independentemente das circunstâncias do acidente que vitimo Clarindo, na visão de Sagan, para que o ciclismo seja um esporte mais seguro, é preciso mais respeito entre as pessoas nas ruas e estradas.
"O problema são as pessoas, acredito. Há bons e maus motoristas lá fora. Se as pessoas não começarem a respeitar umas as outras será sempre perigoso" resumiu Sagan
___O eslovaco lembrou de outros dois acidentes que aconteceram nesta semana. Um deles foi em circunstâncias bem parecidas como a de Clarindo. Seis atletas da equipe Giant-Alpecin foram atingidos por um carro que invadiu a contramão enquanto treinavam em uma estrada na cidade de Alicante, na Espanha. Já o outro foi durante uma competição. O italiano Adriano Malori sofreu um mau súbito durante o Tour de San Luis, na Argentina, e provocou um “strike” entre diversos competidores (veja o vídeo).
"Nas últimas semanas aconteceram muitos acidentes ruins. A equipe Giant sofreu uma acidente grave, o Adriano Malori também se acidentou, mas durante uma prova, no Tour de San Luis."
Atletas da equipe Giant-Alpecin foram atingidos por um carro durante treinamento na Espanha
___Peter Sagan, que completou 26 anos nesta terça-feira, aproveitou a disputa do Tour de San Luis, realizado nesta semana na Argentina, e passou no Rio para conhecer o percurso que será utilizado na prova de ciclismo estrada nos Jogos Olímpicos deste ano. Acompanhado de outros ciclistas, o eslovaco conheceu o trajeto que será utilizado na competição de ciclismo de estrada em agosto.
Peter Sagan e companheiros de equipe percorrem trajeto da prova de ciclismo estrada do Rio 2016
 ___Serão 164,9km em uma rota diversificada, que une belezas naturais a um trajeto duro e seletivo, com subidas íngremes, paralelepípedos e descidas técnicas. A largada será na praia de Copacabana. Em seguida os competidores percorrem a orla, sobem a Avenida Niemeyer, passam por toda a extensão da Barra da Tijuca até Prainha-Grumari (2), onde completarão duas voltas. Eles retornam pela Barra, dão duas voltas pela Floresta da Tijuca (3 e 4) e terminam a competição em São Conrado.
-
Fonte: http://globoesporte.globo.com/ciclismo/noticia/2016/01/morte-de-ciclista-brasileiro-e-lamentada-por-campeao-mundial-e-uma-pena.html#esporte-ciclismo

Ciclismo de luto pela morte de Cláudio Clarindo após acidente em estrada

___O ciclismo brasileiro está de luto. Morreu na última segunda-feira o atleta Cláudio Clarindo, de 38 anos, após se envolver em acidente enquanto treinava na rodovia Rio-Santos na manhã de ontem, no litoral norte de São Paulo. Um grupo de cinco ciclistas seguia pelo acostamento da estrada quando um carro no sentido contrário atravessou a pista e atingiu Clarindo e outro ciclista, Jacob Amorim, de 32 anos, que sofreu múltiplas fraturas em uma das pernas e passará por cirurgia.
___O acidente aconteceu na altura do km 244, por volta das 7h30. O carro estava trafegando no sentido Guarujá e a dupla seguia pelo acostamento, no sentido Bertioga, utilizando todos os equipamentos de segurança. O motorista do carro prestou socorro aos ciclistas e foi encaminhado para uma delegacia de Santos logo em seguida.
Na página do ciclista, a homenagem
e o sentimento da equipe e de amigos
___Ele confirmou aos policias que dormiu ao volante, mas o teste do bafômetro não acusou consumo de bebida alcoólica. Clarindo foi socorrido ainda com vida, mas morreu a caminho do hospital. Já o ciclista Jacob Amorim da Silva, de 32 anos, foi encaminhado à cirurgia, tendo sofrido uma fratura de fêmur. O estado de saúde dele é estável.
___Especialista em provas de longas distâncias, Clarindo era considerado um dos dez melhores do mundo na modalidade. Em junho do ano passado, o ciclista disputou pela quinta vez a Race Across America (RAAM), evento que atravessa o Estados Unidos e é uma das competições mais duras do mundo.
___Um dia antes do trágico acidente, Clarindo usou as redes sociais para mostrar um treinamento em vídeo e escreveu uma mensagem: "Quero agradecer muito a Nossa Senhora Aparecida e a Deus pela proteção nas estradas. Ao carinho dos amigos, patrocinadores e a todos que amam o ciclismo como nós amamos".
___Na página do atleta no Facebook, outros ciclistas e colegas prestam homenagens com vídeos e fotos de Clarindo e cobram uma investigação maior sobre as causas do atropelamento. A busca por mais segurança para os ciclistas nas estradas também é tema constante nos comentários.

-
Fonte: http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/noticia/2016/01/ciclismo-de-luto-pela-morte-de-claudio-clarindo-apos-acidente-em-estrada.html

Vem ai mais um PEDAL LONGO da Itararé Adventure Bike Shop


___Saindo da cidade de Itararé, tendo como ponto de partida a loja Itararé Adventure Bike Shop do nosso amigo Osmin Ferraz, o pedal promete pois segue sentido a o município de Sengés, e passa por vários pontos turísticos do município.

PEDAL LONGO
DIA 31/01/2016
Percurso: Total 80km
Atrativos: Cachoeira do Corisco + Poço do Encanto + Lageado Grande

Percurso: Só por estradas de terra
LEVAR:  Protetor Solar + Água + LANCHE (Não haverá almoço) + Remendo (Rsssss)
 

Uso de capacete obrigatório 
Não esqueça de verificar se a bike esta ok, para não ter surpresas.
SEM CUSTO
 

DICA: Aqueles que acharem longo o percurso, poderá ir até o corisco e retornar.

VENHA CURTIR CONOSCO!! SERÁ SHOW!

Acabou a etapa do "Tour de Down Under" na bicicleta de um espectador

___Anthony Tooman, um neozelandês apaixonado por ciclismo, transformou-se no inesperado herói do terceiro dia da corrida australiana Tour Down Under, ao emprestar bicicleta e as sapatilhas a Tyler Farrar, para que este pudesse terminar a etapa ganha por Simon Gerrans.

___O norte-americano da Dimension Data ficou envolvido numa queda coletiva quando o pelotão seguia a 70 km/h, rumo à última subida do dia, e foi assistido pelo seu carro de apoio. Duplamente azarado, Farrar teve de parar pouco depois, com a bicicleta avariada. Tanto o carro da equipe como o de apoio neutro já estavam para a frente. A 10 quilômetros do fim, parecia condenado à desistência.
"Estavam dois adeptos na beira da estrada e perguntaram-me de que tamanho era e se queria uma bicicleta das deles. Mas as minhas sapatilhas eram diferentes e não encaixavam nos pedais. Eles emprestaram-me então as sapatilhas deles e felizmente eram do meu número", contou Tyler Farrar, que terminou a etapa numa DeRosa emprestada, a 13m07s do vencedor, Simon Gerrans.
"Sem a ajuda deles, estaria na Austrália para correr só dois dias e meio...", desabafou Farrar, que pouco depois foi confrontado com outro problema: os regulamentos só autorizam os corredores a utilizar material da própria equipa, sob pena de desclassificação.
Num dia único - "Em 14 anos como profissional, nunca tinha visto nada assim", comentou o norte-americano -, voltou a ser feliz.
"O júri da corrida autoriza Farrar a continuar em prova, abrindo uma exceção ao regulamento, pois a queda em que esteve envolvido gerou uma situação caótica e nem a sua equipa nem o apoio neutro estavam em condições de lhe prestar assistência. A decisão respeita o espírito do desporto, dadas as circunstâncias excecionais deste caso. Normalmente, a assistência externa resulta na desqualificação da corrida", informou a organização do Tour Down Under.
-
Fonte:  http://www.ojogo.pt/Modalidades/Ciclismo/interior.aspx?content_id=4992387

Zwift e Canyon/SRAM se unem em busca de novos talentos

___Para quem não conhece, o Zwift é um jogo online de treinamento de bicicleta. Nele, você utiliza um rolo de treino (de preferência com um medidor de potência), para competir contra ciclistas ao redor do mundo em circuitos virtuais. Atualmente, existem corridas organizadas por categorias, passeios em grupo e até alguns pedais com estrelas do ciclismo como Jens Voigt e Michael Kiatkowski. O programa já vem sendo amplamente utilizado nos Estados Unidos e na Europa, principalmente devido à dificuldade de treinar durante o inferno nestes lugares. Aqui no Brasil, o Zwift cresceu bastante também - infelizmente graças a nossa violência no trânsito e ao risco constate de assaltos.
___A brincadeira, porém, está ficando cada vez mais séria, e algumas equipes profissionais já perceberam o enorme potencial que o Zwift tem para encontrar novos talentos no esporte. Tanto é que, a partir de março, a equipe feminina Canyon/SRAM, junto com o Zwift, criarão uma série de desafios que incluem pedais em grupos, tarefas individuais como números de potência e sprints e outras tarefas de treinamento para escolher uma nova ciclista profissional.
"Infelizmente os caminhos de desenvolvimento do ciclismo feminino não se comparam aos do masculino. O ciclismo requer atributos físicos específicos e temos certeza que vamos encontrar um diamante bruto na plataforma do Zwift", disse Tiffany Cromwell da Canyon/SRAM. "Não se trata de uma jogada de marketing. O Zwift é global, confiável e movido a informação. Nós estamos realmente acessíveis e, com milhares de usuários, estamos confiantes que conseguiremos criar uma plataforma de desenvolvimento para o ciclismo profissional", completou Eric Min, CEO do Zwift.
"O mundo está cheio de jovens ciclistas com um talento bruto que não são notados. Isso é um problema grande para o esporte e queremos enfrentar isso o máximo possível. Claro que existem outros critérios para se tornar profissional como comportamento, habilidade de pilotagem e pensamento tático, mas sem um motor forte você não vai muito longe", disse Ronny Lauke, diretor da Canyon/SRAM
 ___Com apoio de marcas como a Rapha, Wahoo Fitnes, Zipp e Quarq, o grupo de ciclistas será reduzido até sobrar apenas três competidoras, que depois competirão entre si para conquistar uma vaga na equipe em 2017. Para a Canyon/SRAM, trata-se de uma excelente oportunidade para encontrar talentos escondidos ao redor do mundo que nunca tiveram a oportunidade de aparecer nos canais comuns. O programa será oficialmente lançado hoje com um pedal em grupo liderado por Tiffany Cromwell.
Por Gustavo Figuereido
-
Fonte:  http://www.pedal.com.br/zwift-e-canyon-sram-se-unem-em-busca-de-novos-talentos_texto10254.html

Simon Gerrans lidera no "Tour Down Under"


___O ciclista, após vencer ao "sprint" a terceira etapa da corrida australiana, em Campbelltown, após 139 quilômetros desde Glenelg, garantindo a camisa de líder da prova.
___Com o tempo de 3h37m34s, Gerrans impôs-se ao compatriota Rohan Dennis (BMC) e ao canadense Michael Woods (Cannondale), segundo e terceiros da etapa, e ao anterior líder, Jay McCarthy (Tinkoff), agora segundo na classificação geral, a três segundos.
___O "sprinter" norte-americano Tyler Farrar (Dimension Data) foi um dos últimos a finalizar a etapa, 21m13s depois dos primeiros, fazendo-o graças a uma bicicleta emprestada por um espectador, depois de ter sofrido uma queda.

"Estamos muito agradecidos ao espectador que emprestou a sua bicicleta ao Tyler Farrar. Ele estaria fora do Tour Down Under se não fosses tu, amigo", escreveu a equipe sul-africana no Twitter.

Na sexta-feira, o pelotão da corrida australiana vai enfrentar os 138 quilómetros da quarta e antepenúltima etapa, entre Norwood e Victor Harbor.
-
Fonte:  http://www.rtp.pt/noticias/ciclismo/simon-gerrans-lidera-no-tour-down-under_d889982

Pedaladas da superação - Livro "O Menino que Pedalava"

___Depois do sucesso no exterior com a história traduzida para o inglês, a Editora Pandorga traz ao Brasil o livro “O Menino que Pedalava”, da autora Cassia Cassitas.
___Muito bem recomendado na Amazon.com e com dedicatória de Rolando Ferreira, primeiro jogador brasileiro na NBA, o livro narra a vida de André, um garoto que decide superar as dificuldades impostas em seu caminho por meio do ciclismo.
___Em uma história de perseverança, dedicação e determinação, a autora apresenta uma trajetória que vai além da questão esportiva e olímpica. É uma narrativa de superação, juntamente com os desafios que a vida impõe, além de amor, heroísmo e vitórias.
___No livro, o casal Elizabeth e Mario trabalha para o Comitê Olímpico Internacional, viajando o mundo organizando os Jogos Olímpicos e, num certo momento, tem um filho, que vem a se chamar André. O garoto, contrariando todas as expectativas, se interessa pelo ciclismo e, com a ajuda dos pais, de seu treinador e de um empenhado médico, passa a conviver com uma nova realidade, muitas vezes difícil de entender e lidar.
___Enquanto André vai superando as dificuldades no preparo para as competições nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, ele leva aos leitores um relato impressionante que tem o poder de despertar o espírito adormecido da solidariedade, da coragem e da luta por um ideal.
___Esta obra conduzirá o leitor por diferentes caminhos e cenários da vida do herói e é referência para todo aquele que tem um sonho, não importando qual. Mesmo com todas as impossibilidades e percalços da vida, o protagonista ensina que tudo é possível.
-
O Menino que Pedalava”, de Cassia Cassitas. Editora Pandorga, 248 páginas, R$ 29,90
-
Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/aldobrasil/2016/01/21/pedaladas-da-superacao/?topo=84,2,18,,,77

DE BICICLETA, grupo vai a cortejo de ciclista morto por porta de veículo em Ponta Grossa

___Ciclistas acompanharam, nesta quinta-feira (21/01), o cortejo fúnebre de Otávio Schuebel em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná.
___O ciclista de 45 anos morreu na tarde de quarta-feira (20), quando o motorista de um carro estacionado abriu a porta.
___O grupo de ciclistas saiu da Capela Municipal São José, onde o corpo estava sendo velado desde a noite de quarta-feira, e seguiu até o Cemitério Jardim Paraíso.
___Além de prestar homenagem ao ciclista que morreu no acidente, os colegas fizeram isto para chamar a atenção e pedir mais respeito entre motoristas e ciclistas.

"As pessoas têm que ter consciência de que é o ciclista é uma pessoa que está transitando pela via. Ela tem família, tem pessoas que se preocupam. É preciso olhar o trânsito de uma forma mais humana, ver as preferenciais e as ruas com atenção. Um acidente não é só o dano material, mas também o pessoal, têm pessoas que sofrem", acredita o ciclista Marcus Vinícius.
Ele reforça, ainda, que os acidentes com ciclistas e motociclistas são sempre mais graves. "Diferente do carro, um acidente desse tipo é o corpo da pessoa que é atingido. São sempre em preferenciais, que o carro acaba não vendo as bicicletas e motos, e também os casos com portas. É preciso ter atenção, olhar no espelho retrovisor", pede.
 -
Fonte: http://g1.globo.com/pr/campos-gerais-sul/noticia/2016/01/de-bicicleta-grupo-vai-cortejo-de-ciclista-morto-por-porta-de-veiculo.html

Uma grande perda para o Ciclismo Pontagrossense

___A morte de Otávio Schuebel, 45 anos, em um acidente na tarde de ontem(20/01) em Ponta Grossa, também gerou comoção no meio esportivo. Ele era atleta e participava frequentemente de competições de ciclismo.
___Schuebel estava voltando de um treinamento e havia saído da metalúrgica onde era um dos proprietários. Ele pilotava a bicicleta de competição e usava capacete, quando o motorista de um carro estacionado na Rua Dom Pedro II, no bairro Nova Rússia, abriu a porta e atingiu o ciclista na altura do pescoço. O mesmo acabou falecendo no local.
___Segundo o diretor-técnico da Liga de Ciclismo Campos Gerais, Mauro Ricetti Paes, Schuebel participava havia vários anos de competições regionais. Ele era integrante do grupo de ciclismo ATAQUE.
___Além disso, dois filhos do ciclista, Otávio e Alexandre, eram membros da Liga de Ciclismo e disputavam competições estaduais e nacionais. Schuebel deixou viúva e quatro filhos.
___Os acidentes envolvendo automóveis e ciclistas registraram um número expressivo em Ponta Grossa no ano de 2015. Segundo o Corpo de Bombeiros de Ponta Grossa, 89 acidentes envolvendo ciclistas e também veículos, aconteceram em 2015.
___Destes acidentes, 89 pessoas também ficaram feridas, mas nenhuma morreu. Este é o primeiro acidente envolvendo ciclistas que os Bombeiros da cidade registram, e também o primeiro do ano que causou a morte e uma pessoa. Ainda segundo o Corpo de Bombeiros, o último acidente envolvendo ciclistas e automóveis, que tirou a vida de alguém, aconteceu em 2014, quando duas pessoas morreram em acidentes registrados pelo órgão.

-
___Descanse em Paz Schuebel!!

Dicas para trilha com Raízes e Areia

___A sua habilidade em conduzir a bicicleta e transpor obstáculos naturais em trilhas deve-se à prática e ao treinamento em terrenos variados. Neste texto, darei dicas para tornar a sua próxima pedalada mais segura. E serão duas situações: trilhas com areia e trilhas com raízes.


Trilhas com raízes
___As trilhas com raízes são um desafio para os mountain bikers, assustando e intimidando muitos ciclistas. Afinal, num piscar de olhos você pode ir ao chão. Existem duas situações de perigo neste tipo de trilha: as raízes secas ou molhadas.
___No geral, para transpor trilhas com raízes, quanto mais veloz você atacar, menos tempo de contato você terá com elas, não dando chances para um deslize. Nesse momento de ataque, o corpo também deve se posicionar mais atrás, aliviando a roda dianteira, evitando assim ser ejetado por cima do guidão.
___A escolha de um pneu correto também pode fazer a diferença, e nestes casos o ideal são os pneus mais gordos na medida de 2.00 ou 2.10. A calibragem também é muito importante, levando em consideração sempre o peso do ciclista: nem muito vazio onde ocorrem as mordidas das câmaras e nem muito cheio pois neste caso a bicicleta irá pular demais.
___Deve-se observar onde estão as partes mais rasas por onde estiver passando. A transposição das raízes deve ser feita em uma linha mais reta possível, evitando passar enviesado para que os pneus não desgarrem. A regulagem da suspensão, nesses casos, pode ser ajustada bem macia, afinal as raízes em alguns momentos, se parecem mais com degraus de uma escada e isso ajuda a absorver os impactos e na aderência dos pneus.
___Não esqueça também de aliviar a tensão dos braços, que funcionam como um amortecedor. Evite usar os freios nas trilhas com raízes, principalmente quando elas estiverem molhadas e escorregadias. Uma freada errada pode levar você ao chão.

Trilhas com areia
___As trilhas com muita areia também são um desafio aos ciclista. A areia em questão é aquela que encontramos na praia, por exemplo.
___Dependendo da época do ano, com chuva ou na seca, ela se torna bem diferente. Na seca, fica mais solta, bem fofa. Já na época das chuvas, a areia fica mais dura e melhor para pedalar.
___A escolha de pneus pode fazer uma grande diferença. Em situações em que você já sabe que irá encontrar areia, opte por pneus grandes, na medida de 2.00/2.10, e com poucos cravos. Com isso, sua área de contato será maior, evitando que a bicicleta afunde.
___O principal problema da areia é não deixar a roda dianteira afundar, então você deve posicionar seu corpo mais para trás, com os braços esticados para manter o curso. Procure andar nos trilhos já existentes no terreno, nas áreas em que a areia está mais compacta, ajudando a evolução.
___A transmissão de marchas também deve ser trabalhada. Quando estiver em alta velocidade, aproveite o embalo para avançar o máximo possível, mas se o terreno for extenso demais, a velocidade deve cair bem rápido, então a troca de marchas deve ser feita com agilidade e para uma troca em que você consiga manter a sua rotação de pedaladas alta.
___Lembre-se também que neste tipo de terreno a pedalada deve ser feita sempre sentado. A suspensão dianteira neste caso deve ser travada, isso ajuda a furar o terreno arenoso dando mais firmeza e direção na pilotagem. Ah, e use sempre o capacete!
Por Eduardo Ramires
-
Fonte: http://www.revistabicicleta.com.br/bicicleta_noticia.php?dicas_para_trilha_com_raizes_e_areia&id=33375

Aquecer antes para render mais no pedal!

___Estudo recente feito pela Universidade Católica de Brasília (UCB) e publicado no Journal of Strenght and Conditioning Research verificou que aquecer antes de pedalar usando o leg press 45º pode trazer benefícios na performance dos ciclistas. Os pesquisadores verificaram que fazer pelo menos 10 minutos de aquecimento muscular no equipamento antes de encarar os treinos ou competições pode melhorar em até 6% o rendimento nas pedaladas. O estudo analisou 11 ciclistas, que pedalaram mais rápido em um percurso de 20km ao aquecer antes os músculos no leg press 45º. O aquecimento consistiu em cinco séries de cinco repetições com peso máximo. O resultado do estudo reforça a tese de que aquecer antes do pedal melhora o desempenho dos músculos.

Opções mais viáveis
___Embora seja muito pouco viável para a maioria dos ciclistas aquecer antes de treinos ou competições no leg press 45º – com exceção do ciclismo de pista -, há outras opções que também ajudam a preparar os músculos nessas situações.
___O Coordenador da área de musculação da academia Bio Ritmo de São Paulo, Giba Medeiros acredita que exercícios de agachamento e afundo também sejam boas opções para ativar a musculatura antes do pedal.

___Ele explica que no leg press 45º a amplitude de movimento é inclusive menor em comparação ao agachamento ou ao afundo comuns, pois o exercício foca no trabalho dos quadríceps e poupa os glúteos e os isquiotibiais – músculos também trabalhados nos dois exercícios sugeridos.
“Acredito até que são mais eficientes que o próprio leg press 45º, já que não pressionam a lombar”, ressalta.
___Já Fábio Médici Lorenzetti, diretor da Médici Assessoria Esportiva, acredita que o alongamento básico, direcionado para os grandes grupos musculares, e o aquecimento em cima da bike são as melhores formas para preparar os músculos antes das competições.
 “Um bom aquecimento pode ser feito com 15 a 20 minutos no rolo de treino, usando uma relação de marcha leve e mantendo uma cadência de pedalada entre 90 e 110 rpm. Outra forma de aquecimento com a bike, é pedalar em locais próximos ao percurso da prova ou área destinada para aquecimento dos atletas. A sugestão é também utilizar uma relação com marcha leve e fazer um aquecimento de 15 a 20 minutos executando sprints de 50 a 100 m, a cada 2 ou 3 minutos. Ao executar os sprints, explica ele, é como se o atleta estivesse dizendo para o corpo que ele deverá trabalhar com uma frequência cardíaca e respiratória mais elevada, além de preparar a musculatura para o nível de estresse imposto durante a prova." explica Médici

Benefícios de aquecer antes
___Independentemente do exercício feito antes de pedalar, aquecer é muito importante, inclusive para ficar longe de lesões. Quando feito corretamente e com orientação profissional, o aquecimento prepara músculos, tendões e ligamentos para a exigência do esporte. Ao aquecer antes, o atleta eleva sua temperatura corporal, o que promove um aumento de 20% na velocidade de contração muscular, o que consequentemente irá melhorar seu desempenho e contribuir para a prevenção de lesões.
-
(Fontes: Journal of Strenght and Conditioning Research, Seção de Avaliação Física (SEAFIS) – Prefeitura de Santos, professor Giba Medeiros, da academia Bio Ritmo, e Fábio Médici, da Médici Assessoria Esportiva)
Por camila brogliato
-
Fonte: http://prologo.ativo.com/saude/aquecer-antes-para-render-mais-no-pedal/ 

Dez mil pessoas são esperadas na 3ª edição do "Bora de Bike" em Brasilia

___Andar de bicicleta é uma atividade cada vez mais praticada pelos brasilienses, seja por esporte ou lazer. Pensando nisso, a Rede Record, em parceria com a Secretaria de Educação, Esporte e Lazer, e com apoio do Jornal de Brasília, prepara a 3ª edição do Bora de Bike. O evento gratuito busca promover a saúde, combater o sedentarismo e melhorar a qualidade de vida, além de trabalhar o desenvolvimento do espírito solidário e a participação de todas as classes de pessoas.
___Para os interessados, basta pegar a bicicleta, reunir a família e amigos e participar. Os primeiros que chegarem ao local do evento, no Eixão, receberão brindes. O percurso terá a saída da 106/206 Sul e terminará na 106/206 Norte.
___O número de participantes do evento revela que a bicicleta vem conquistando cada vez mais espaço. Na primeira edição do Bora de Bike, cerca de quatro mil pessoas participaram. Na segunda, ocorrida em junho do ano passado no Eixão Norte, compareceram cerca de cinco mil pessoas. Na ocasião, o passeio ciclístico saiu da 102 Norte, seguiu até a 111 Norte e voltou ao ponto de partida, totalizando dez quilômetros de percurso. Desta vez, a previsão é de que dez mil pessoas, entre crianças e adultos, se reúnam no Bora de Bike.

Décadas de pedal ___O administrador e ciclista Gilberto Paiva, 49 anos, pedala ao menos quatro vezes por semana. Ele sempre gostou da prática e diz que, há mais de 20 anos, a atividade é uma constante em sua vida, inclusive com participação em encontros ciclísticos. “Dá um alívio mental, é muito bom. Confesso que gosto da marcha mais forte, é perfeito. Desde pequeno, quando conheci o velotrol, e depois passei para a bicicleta, nunca mais larguei”, brinca.
___Ele acredita que mais importante ainda do que disseminar a prática é difundir a cultura de respeito aos ciclistas. “Ainda somos muito desrespeitados e agredidos verbalmente pelos motoristas. Os pedestres também não respeitam a ciclovia e acham ruim quando passamos em alta velocidade. Mas treinamos em grupos que andam a 45 km/h. Apesar dessas dificuldades, não trocaria por nada. Vale muito a pena”, conclui.

Dicas ___A ONG Bike Anjo lista algumas orientações aos ciclistas. Antes de sair de casa, é preciso verificar freios, pneus e correntes da bicicleta e utilizar sempre os equipamentos de segurança, como capacetes, luvas, luzes traseira e dianteira, buzina e retrovisores.
___Na bagagem, leve água, capa de chuva e toalha para o rosto. Outra dica é montar rotas alternativas às vias principais e praticar aos fins de semana.

Benefícios para a saúde física e mental
___Grandes grupos de ciclistas do DF e região confirmaram presença no evento. O funcionário público Alfredo Tardim, 59 anos, anda de bicicleta desde criança. Há seis anos, participa ativamente de encontros e trilhas. Os benefícios, segundo ele, são inúmeros. “Eventos como o Bora de Bike são ótimos para juntar a turma. No meu caso, a atividade em si me ajudou na perda de peso. Também melhorou a minha pressão e agora durmo melhor”, diz. Ele perdeu 33 quilos: passou de 108 kg para 75 kg.
___Embora existam modelos baratos, para quem pedala por lazer, ele conta que a prática profissional sai cara. “Depende para quê você usa. Eu, que já participo de outras atividades, gastei 8 mil dólares na minha (aproximadamente R$ 32 mil) por conta do material, que é de carbono. É bom investir naquilo que a gente gosta, mas está muito perigoso com a onda de assaltos. Mesmo assim, não deixo essa vida de ciclismo por nada”, destaca.

Motivos para pedalar
1 - É eficiente e prático:
não pega congestionamento, tem a garantia de que sempre vai levar o mesmo tempo, é fácil achar um jeitinho para estacionar perto do destino e o único combustível que precisa é a força do ciclista.
2 - É barato: não gasta com combustível, transporte público ou estacionamento. Às vezes, com a economia de poucos meses dessas despesas, já se consegue adquirir uma bicicleta. E a manutenção é barata.
3 - É divertido: dá aquela sensação de liberdade com o vento no rosto, você pode desviar para passar por aquela praça ou comércio que mais gosta, proporciona encontros inesperados, como encontrar aquele amigo que você não vê há muito tempo na rua.
4 - Sensação de liberdade: não há nada que pague passar tranquilamente de bicicleta por aquela fila de carros parados no congestionamento, não se sentir imobilizado no trânsito, ter 360º de visão, poder olhar o chão e o céu, notar casas, pessoas, cheiros, sons, árvores e pássaros, sentir o sol na pele e o vento no rosto.
5 - É saudável: você consegue fazer o exercício diário, se sentir mais produtivo e alegre durante o dia todo e ainda não prejudica a saúde dos outros, pois não emite poluentes.

SERVIÇO
Bora de Bike

Quando: 24 de janeiro (domingo)
Local: Eixão Sul, altura das quadras 206/106
Horário: A partir das 9h
Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

"Ciclismo de Estrada" ajuda no enfraquecimento dos ossos. Entenda e saiba como prevenir isso

___Estudos comprovam que o dentre as varias modalidades do ciclismo, o Ciclismo de Estrada é um esporte que ajuda a diminuir a densidade óssea de quem o pratica, mas existem formas de evitar esse processo.

___Apesar de ser um excelente exercício para melhorar a saúde e a condição cárdio-vascular de uma pessoa, o ciclismo pode ter um efeito negativo sobre o esqueleto.
___A Osteopenia (ou densidade óssea abaixo no normal em pessoas jovens) é um mal que atinge vários ciclistas profissionais e diversos estudos e testes realizados, geralmente com DEXA (dual energy x-ray absorptiometry) scan, comprovam que a falta de impacto e a demanda excessiva de cálcio do organismo faz com que o esqueleto se enfraqueça. E isso pode levar a um quadro de osteoporose precoce.
___Porém, nem tudo está perdido, mas você precisa tomar algumas precauções para que isso não aconteça:

Esportes de impacto.
___A prática de atividades que submetam o corpo a impactos ajudam no fortalecimento dos ossos. Corrida, tênis, basquete, futebol e etc, são modalidades que ajudam para que esse processo de enfraquecimento ósseo não aconteça. Mesmo a musculação ajuda a fortalecimento do esqueleto.
___Por exemplo, um estudo feito pela Dra Claire Bowring da Sociedade Nacional de Osteoporosi, mostra que tenistas possuem 25% mais densidade óssea no braço que eles utilizam para sacar. “Ciclistas devem adicionar exercícios onde eles precisam suportar peso em sua rotina” disse a médica.

Mas e o MTB ___Os dados são limitados, um estudo feito por Warner SE, Shaw JM e Dalsky GP em 2002 e comparou a densidade óssea de Mountain Bikers e Ciclistas de Estrada, mostrou que os Mountain Bikers tem uma densidade óssea significativamente maior. Mas os estudos ainda são escassos sobre o assunto.

Alimentação
___Existem alimentos que diminuem a concentração de cálcio no corpo como: Sal, Açúcar, carne vermelha em excesso, Refrigerantes, Álcool, tabaco e cafeína.
___Outros ajudam a aumentar: Vegetais de cor forte, oleaginosas, alimentos ricos em cálcio, magnésio, zinco, boro, vitamina D, K, B6, B12 e C.
-
Portanto, a dica é… Não fique só no ciclismo de estrada! Coloque outras atividades de impacto e uma alimentação saudável na sua rotina e evite o problema.
Estudos que falam sobre o assunto
Nichols JF, Rauh MJ. 2011. Longitudinal changes in bone mineral density in male master cyclists and nonathletes. J Strength Cond Res 25(3):727-34.
-
Campion F, Nevill AM, Karlsson MK, Lounana J, Shabani M, Fardellone P, Medelli J. 2010. Bone status in professional cyclists. Int J Sports Med 31(7):511-5.
-
Wilks DC, Gilliver SF, Rittweger J. 2009. Forearm and tibial bone measures of distance- and sprint-trained master cyclists. Med Sci Sports Exerc 41(3):566-73.
-
Smathers AM, Bemben MG, Bemben DA. 2009. Bone density comparisons in male competitive road cyclists and untrained controls. Med Sci Sports Exerc 41(2):290-6.
-
Medelli J, Lounana J, Menuet JJ, Shabani M, Cordero-MacIntyre Z. 2009. Is osteopenia a health risk in professional cyclists? J Clin Densitom 12(1):28-34.
-
Barry DW, Kohrt WM. 2008. BMD decreases over the course of a year in competitive male cyclists. J Bone Miner Res 23(4):484-91.
-
Nichols JF, Palmer JE, Levy SS. 2003. Low bone mineral density in highly trained male master cyclists. Osteoporos Int 14(8):644-9.
-
Warner SE, Shaw JM, Dalsky GP. 2002. Bone mineral density of competitive male mountain and road cyclists. Bone 30(1):281-6. Stewart AD, Hannan J. 2000. Total and regional bone density in male runners, cyclists, and controls. Med Sci Sports Exerc 32(8):1373-7
-
Fonte: http://www.praquempedala.com.br/blog/ciclismo-de-estrada-causa-enfraquecimento-dos-ossos-saiba-como-previnir-isso/

Road bike Vs Gravel Bike – Qual a real diferença entre elas?

___Um novo tipo de bike que surgiu recentemente são as Gravel Bikes ou Adventure Bikes, que são bicicletas de estrada ligeiramente modificadas para conseguir andar na terra e no cascalho.
___Diferente de uma bike de Cyclocross, que é feita para andar na terra, a Gravel bike é uma bike feita para ter performance no asfalto, mas se você precisar, ela também consegue ir bem em uma estrada de terra.
___O pessoal da GCN fez um vídeo onde um dos três ciclistas está com uma bike de estrada e os outros dois estão com Gravel Bikes e eles partem para uma pedalada em uma estrada de cascalho.
___A Gravel Bike tem algumas diferenças em relação a Road Bike. A geometria da bike a deixa um pouco mais estável, o quadro tem espaço para a utilização de pneus mais largos e ela é um pouco mais confortável.
___Eu fiz o teste com uma Gravel Bike da Specialized, a Diverge e achei a bicicleta muito interessante. Ela não perde muito rendimento no asfalto, mas se você precisar entrar em uma estrada de chão, a diferença para a bike de estrada é bem grande.
___Portanto, se você não tem o objetivo competitivo e quer comprar uma bike que te sirva tanto para andar rápido como para sair em um pedal-aventura, que vai passar por trechos de estrada de chão, ou quer uma bike confortável para encarar as estradas ruins do Brasil… Esse tipo de bike pode ser uma opção.
-
Por Henrique Andrade
Fonte: http://www.praquempedala.com.br/blog/video-road-bike-vs-gravel-bike-qual-a-real-diferenca/

Lefty Team apresenta suas novidades

___A mais nova força do MTB nacional chegou com tudo em 2016! A equipe Lefty Team, formada para o MTB 12 horas 2015, vencendo a competição de longa duração com a participação do lendário Tinker Juarez, está ainda mais forte nesta temporada. O time contou com a fusão dos integrantes da OCE Cannondale, Hugo Prado Neto e Lukas Kaufmann, vice-campeões da Brasil Ride, principal Ultramaratona de MTB das Américas, que agora competem ao lado de Bob Nogueira, Thiago Freitas (Sub-17) e Victor Messias (Junior).
"A Lefty Team é a união de um conjunto de vários projetos. É a continuidade de um trabalho com a Cannondale junto as categorias de base. O conceito Lefty Team nasceu no MTB 12 horas, ao lado do Bob Nogueira, que deu grande contribuição, dominando as ideias para o crescimento do time. Por fim, conseguimos angariar o apoio de empresas fora do ramo do mercado da bike através de uma lei de incentivo - Colchões Orthocrin - que hoje em dia é muito difícil de se conseguir, até para equipes do Pro Tour," comentou Hugo Prado Neto, atleta profissional, preparador físico e empresário.
___Com a entrada de empresas de peso - Cannondale, Orthocrin, OCE, Giro Sport Center, Excced, Fizik, Continental e 808 - "a equipe deu uma inflada muito grande e a gente tem que aproveitar muito bem isso, já que passamos por uma crise econômica e não tem nenhuma empresa de bike e equipe no Brasil com nossa estrutura e capacidade de vitória, atualmente. O time terá como nome oficial: Orthocrin Cannondale Lefty Team," acrescenta Hugo.
"O objetivo principal da equipe é a longevidade do time, buscando o crescimento com muita qualidade, já que entramos para a quarta temporada. O outro objetivo é manter o sucesso, já que somos a equipe que mais venceu nos últimos três anos," afirma Hugo Prado Neto, referindo-se os últimos resultados, como por exemplo, seu título de vice campeão do Iron Biker, o vice-campeonato de Lukas Kaufamnn na Copa Internacional de MTB, entre outros importantes.
"Vale destacar a carreira sólida de Hugo no esporte desde 2007. Ele já participou de vários projetos interessantes com a Specialized, BMC e Focus, e quando ele começou a andar de Cannondale, ali deslumbrei um excelente parceiro, já que ele é meu treinador também. Então, tinha certeza que desta forma seria a melhor condição para começar um projeto. Não tenho dúvida na capacidade da OCE de produzir atletas qualificados e limpos para o esporte. Eu mesmo participei dessa evolução, em três anos treinando com o Hugo consegui resultados importantes na região de São Paulo onde sempre competi," disse Bob Nogueira, que conquistou a 13ª colocação geral na Brasil Ride e a 26ª posição no Campeonato Brasileiro de MTB XCO em 2013, na categoria Elite.
"Posso dizer que é mais do que um orgulho de participar desse projeto, da profissionalização e a parte internacional do time, que conseguimos colocar de pé com a participação do Tinker (Juarez) no MTB 12 Horas, formação que vamos manter para outras provas. O futuro da equipe está muito mais focado em desenvolver os novos talentos excepcionais para o Brasil e ver também o Hugo e o Lukas se consagrarem nas provas de cross country e maratona", adicionou Bob Nogueira, atleta de 35 anos que compete na categoria Máster atualmente, envolvido no esporte desde 1992.
"Todas as provas que entramos, temos condições plenas de lutar pelo título," pontua Hugo. "Buscamos os títulos da CIMTB e Brasil Ride, já que ficamos em 2º lugar e o único degrau que podemos subir é para ser campeões; o título nas 24 Horas de Mayhem (Reino Unido), MTB 12 Horas Brasil; assim como grande resultados no Campeonato Mundial de MTB Maratona (XCM); além disso, quero ver nosso atleta da categoria de base, Thiago Freitas ser tricampeão brasileiro, vencendo todas as provas. Outra promessa é o jovem Victor Messias, que consagrou-se campeão do Iron Biker 2015, é o top 3 no Brasil da categoria junior e promete ser uma grande revelação do esporte. Enfim, queremos vencer todas as provas que a gente participar" completou Hugo.
Para saber mais sobre os atletas da Orthocrin Cannondale Lefty Team, clique aqui.
-
Fonte: http://www.pedal.com.br/contratacoes-2016-lefty-team-apresenta-suas-novidades_texto10243.html

O comprimento da PEDIVELA realmente importa?

___A galera da GCN fez um vídeo muito bacana comparando as vantagens e desvantagens de ___diferentes tamanhos de pedivela - uma das questões mais complexas do ciclismo. Para muitos, atletas mais baixos com pernas mais curtas deveriam utilizar pedivelas menores e os mais altos, pedivelas maiores. Porém, será que isso é verdade?
___O teste foi realizado com três tamanhos diferente de pedivela: 172,5mm, 162,5mm e 177,5mm. No primeiro teste, eles fizeram um experimento em potência sub máxima, que consiste em manter uma potência elevada durante 10 minutos. Depois, foi testada a capacidade de despejar potência durante um sprint.
___Como era de se esperar, a cadência do ciclista aumentou com as pedivelas menores. O resultado do teste em potência sub máxima, porém, foi bastante surpreendente. Embora o consumo de oxigênio com as três pedivelas tenha sido bem parecido, o batimento cardíaco foi menor com a pedivela mais curta e maior com a mais longo (mesmo que o ciclista estivesse acostumado a usar o modelo de 172,5mm).
___Porém, em um dado um pouco contraditório, a concentração de lactato foi menor com a pedivela maior, provavelmente porque o ciclista estava usando uma candência menor.
___No teste de potência máxima, mais surpresas. Com a pedivela maior, o ciclista foi capaz de gerar mais potência. Na verdade, a diferença foi bastante grande, chegando a quase 100 watts a mais para o modelo de 177,5mm. Porém, nosso amigos jornalistas explicam que as marchas não foram trocadas durante o teste, o que provavelmente foi a causa da menor potência com a pedivela curta - faz sentido, já que atletas de pista costumam usar pedivelas pequenas e potência de sprint não parece ser um problema para eles.
___A conclusão é que pedivelas menores não diminuem a vantagem mecânica do ciclista, produzindo um desempenho igual ao das maiores. Porém, pedivelas menores tem várias vantagens, como menor flexão do joelho no ponto mais alto da pedalada (o que previne lesões), menor possibilidade de bater o pedal no chão durante curvas e a vantagem aerodinâmica conquistada graças à possibilidade de usar o guidão mais baixo, já que o ângulo entre o tronco e a perna do ciclista é menos agudo no ponto mais alto da pedalada.
___Por Gustavo Figueiredo

Veja o Video!!
-

Fonte: http://www.pedal.com.br/video-o-comprimento-da-pedivela-realmente-importa_texto10236.html

Brasil não classifica pelo ranking e terá só dois ciclistas de estrada no Rio

___O Brasil terá apenas dois representantes na prova de resistência do ciclismo de estrada masculino nos Jogos Olímpicos do Rio e não vai participar do contrarrelógio. O País falhou na tentativa de obter novas vagas pelo ranking e terá que se contentar com aquelas obtidas por meio de convite. Como comparação, o Brasil teve três representantes em Londres-2012.
___Não fosse o país-sede da Olimpíada, o Brasil teria direito a apenas um representante no ciclismo de estrada, uma vez que o País fechou 2015 apenas no sexto lugar do ranking do UCI America Tour, o circuito de provas da União Ciclística Internacional (UCI) nas Américas. Ficou atrás de Colômbia, Canadá, Argentina, Venezuela e EUA.
___Por não ter terminado entre os quatro primeiros deste ranking, o Brasil não terá direito a representantes na prova de contrarrelógio, na qual os ciclistas largam individualmente e vence quem percorrer a distância no menor tempo possível. Em Londres, Magno Nazaret foi 26.º.
___No ciclismo, diferente de outras modalidades, o calendário internacional não contém provas entre países, exceto a Olimpíada. Mesmo no Mundial, os atletas defendem suas respectivas equipes, ainda que obtenham medalhas para suas confederações nacionais.
___O Brasil tem uma equipe de alto nível, a Funvic, de São José dos Campos, que foi a segunda melhor do UCI America Tour do ano passado. O problema é que a equipe trabalhou para a vitória de Daniel Diaz, argentino, no Tour de San Luis (Argentina). Com Diaz e Francisco Chamorro, a Funvic rendeu 220 pontos para a Argentina, que terminou 233,5 pontos à frente do Brasil no ranking.
___Atualmente, os dois melhores ciclistas do País (Murilo Fischer e Rafael Andriato) estão em equipes europeias. Pelo ranking do America Tour, o melhor é William Chiarello, quarto no Campeonato Pan-Americano do ano passado. Se convocado, Fischer vai para sua quinta Olimpíada. Andriato e Chiarello seriam estreantes.
___Apenas em junho serão apontadas as vagas para cada país nas provas de estrada no feminino e também no BMX, no ciclismo de pista e no mountain bike. Todas as disciplinas classificam a partir de ranking.
___A PROVA - O trajeto da prova de resistência masculina, de 256,4 quilômetros, passa por Copacabana, Ipanema, Floresta da Tijuca, Vista Chinesa, São Conrado e Barra da Tijuca até chegar ao Circuito de Grumari, na Zona Oeste. Lá começa o caminho de volta até Copacabana.
___A principal diferença da prova masculina para a feminina é o número de voltas nos circuitos mais duros. No chamado Circuito das Canoas, na Floresta da Tijuca, que inclui uma das vistas mais bonitas do Rio na Vista Chinesa, serão três voltas para os homens e uma para as mulheres.
___Depois, em Grumari, mais um circuito complicado, com direito a 2 quilômetros em paralelepípedo e subida de 2,1 quilômetros com 4,5% de inclinação. Naquela região, mais a Oeste do que o Recreio dos Bandeirantes, serão quatro voltas para os homens e apenas uma para as mulheres.
___Também em Grumari vai ser realizada a prova de contrarrelógico, com percurso de 29,8 quilômetros para as mulheres e o dobro disso para os homens, tendo largada e chegada na praça Tim Maia, na praia do Pontal.
-
Fonte: http://www.dgabc.com.br/Noticia/1711770/brasil-nao-classifica-pelo-ranking-e-tera-so-dois-ciclistas-de-estrada-no-rio

Ciclismo de São José dos Campos disputa prova na África

___A equipe Funvic Soul Cycles & Carrefour, de São José dos Campos, está no Gabão, onde começa nesta segunda-feira (18), a edição 2016 da prova La Tropicale Amissa Bongo, classificada pela UCI como 2.1 e que faz parte do calendário Africa Tour. A competição marca a estreia da equipe brasileira no pelotão Pro Continental.
Equipe durante treino em Libreville, no Gabão. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

___Para este primeiro desafio do ano, o técnico Benedito Tadeu Azevedo Júnior “Kid”, escalou os brasileiros Kleber Ramos; Magno Nazaret; Murilo Affonso e Flávio Santos, além do argentino Francisco Chamorro e do espanhol Antonio Piedra, que faz sua estreia na Funvic Soul Cycles & Carrefour.
“Os atletas que vieram para cá, estavam focados desde que recebemos o convite da organização, então estamos bem preparados e esperamos fazer uma boa prova neste primeiro desafio da equipe na categoria Pro Continental”, enfatizou o técnico Benedito Tadeu.
___A edição 2016 da Amissa Bongo terá sete etapas e conta com a presença de quatorze equipes, sendo cinco profissionais e outras nove seleções de países africanos.
___A primeira etapa terá 146 km, com largada em Kango e chegada em Lambaré. O fuso horário em relação ao brasil é de + 3 horas. A competição termina no dia 24, com uma etapa sendo realizada em um circuito em Libreville, capital do Gabão.
-
Fonte: http://www.portalr3.com.br/2016/01/ciclismo-de-sao-jose-dos-campos-disputa-prova-na-africa/#.Vp0uX1KsFdg

Tour Feminino de San Luis 2016 - Katie Hall é a grande vencedora

___Aconteceu na última sexta-feira 15/01, a última etapa do Tour Feminino de San Luis. A prova foi disputada em percurso rápido, com 17 quilômetros de estrada mais quatro voltas de 15,2 km na cidade do centro-oeste argentino e rendeu uma disputa muito acirrada e emocionante pelo título.


___A cubana Arlenis Sierra e a polonesa Malgorzata Jasinska travaram uma grande disputa pelo pódio e ainda contaram com a sorte de ver a líder Katharine Hall em um dia não muito bom. Mas, mesmo terminando a sexta etapa na 21ª posição, a norte-americana garantiu o título da competição, encerrando as seis etapas em 13h56min45. Sierra foi a vencedora do circuito final em San Luis (1h57min21) e acabou em terceiro lugar na classificação geral individual. Jasinska terminou em segundo lugar na geral. Entre as equipes, festa paras as italianas da Ale Cipollini (41h55min04).
___A seleção brasileira, formada pelas Sargentos da Força Aérea Brasileira (FAB) Ana Paula Polegatch, Camila Coelho, Flávia Oliveira, Clemilda Fernandes e Janildes Fernandes, chegou à final sem a Flávia, que abandonou após ter uma infecção intestinal, e bastante desgastada após uma semana de provas muito fortes, mas lutou com muita garra e conseguiu colocar o país entre as 12 melhores equipes do continente (42h12min44).
___Clemilda Fernandes, mesmo enfrentando um pneu furado, foi a melhor da seleção na última etapa, alcançando o 38º lugar e terminando no mesmo grupo da campeã. Na classificação geral individual a seleção brasileira ficou da seguinte forma: Camila Coelho terminou em 39º lugar, Clemilda Fernandes em 44º, Janildes Fernandes em 63º e Ana Paula Polegatch em 93º. A comissão técnica foi formada pela dirigente Tenente da FAB Renata Gavinho, o mecânico Pablo Sani e o fisioterapeuta Jivago Salinet.

"Elas foram verdadeiras guerreiras, lutaram até o último segundo por uma boa colocação e representaram muito bem o Brasil. Todas evoluíram bastante nesses seis dias de prova e essa troca de experiências certamente as ajudará a cumprir as próximas metas da temporada. É importante também destacar que mesmo não conquistando o tão almejado bicampeonato, o grupo permaneceu unido até o fim, sabendo que tem capacidade para ser ainda melhor. A equipe inteira está de parabéns, inclusive a nossa comissão técnica que trabalhou muito para que tudo pudesse dar certo", avaliou a Tenente da FAB Renata Gavinho, que está dirigindo a equipe brasileira na Argentina. 
___O Brasil também foi representado na competição pela ciclista Luciene Ferreira, que terminou a 6ª etapa em 6º lugar e ajudou a equipe argentina Weber/Shimano, a conquistar a terceira colocação geral entre as equipes, e pela equipe Funvic, que terminou na 15ª colocação entre os times graças à Daniela Lionço, que também é Sargento da FAB, 16ª colocada na última etapa e 12ª na classificação geral individual.
___Ontem (17/01) teve início a edição masculina do Tour de San Luis, com a presença de 7 equipes do World Tour e a seleção brasileira masculina de ciclismo de estrada também confirmada na disputa
-
Fonte: http://www.pedal.com.br/tour-feminino-de-san-luis-2016-katie-hall-e-a-grande-vencedora_texto10239.html

Fabio Aru e Vincenzo Nibali falam sobre o difícil circuito olímpico

___Os italianos Fabio Aru, Vincenzo Nibali, Valerio Agnoli e Adriano Malori estiveram no Rio de Janeiro com uma pequena delegação italiana fazendo o reconhecimento nos circuitos que serão utilizados nas provas de ciclismo das Olimpíadas Rio 2016. Na ocasião do reconhecimento, eles foram acompanhados por Antônio Garnero, campeão brasileiro de ciclismo em 2014.
___Os atletas gastaram um total de três horas e meia fazendo o reconhecimento dos principais trechos do trajeto e já tem opinião formada. "O circuito é duro até para um escalador. A parte final é muito difícil e as descidas são muito técnicas", disse Nibali, um atleta que é amplamente conhecido não só por sua velocidade nas subidas mas também nas descidas. "Em alguns trechos o asfalto está muito ruim", criticou o italiano.
___Vencedor da última Vuelta a España e estrela em franca ascensão, Fabio Aru também tem a mesma opinião de Nibali. "O circuito é mais duro do que imaginei. Não existe lugar para se recuperar na segunda parte e a subida é muito inclinada", disse o italiano.
 ___A prova de estrada está marcada para acontecer no dia 6 de Agosto e terá sua largada no Aterro do Flamengo. A corrida dará três voltas em um circuito que inclui as subidas curtas de Grumari e da Grota Funda. Depois, eles seguirão para subida de Canoas que será escalada quadro vezes e para a Vista Chinesa, que tem 8,5km com 5,7% de inclinação média e trechos que chegam a 10% durante 4km. Agora, Nibali, Agnoli e Malori devem seguir para a Argentina para disputar o Tour de San Luis, enquanto Aru deve retornar para a Europa para juntar-se ao restante da equipe Astana em um training camp.
-
Fonte: http://www.pedal.com.br/aru-e-nibali-falam-sobre-o-dificil-trajeto-olimpico_texto10230.html

Chris Froome quer entrar na elite do Tour

___Em mais de 100 anos de história, só quatro ciclistas venceram cinco Voltas a França. Era uma mão-cheia, mas a desclassificação de Lance Armstrong por doping reduziu o grupo da elite da mais emblemática corrida do Mundo. Mas haverá no pelotão atual quem possa suceder ao espanhol Miguel Indurain, o último a obter tal proeza (1995)?
"Gostaria muito de entrar nesse restrito grupo de fantásticos que ganharam cinco Tours. É importante ter sonhos e esse é um dos muitos que tenho." A confissão é do britânico Chris Froome, que é para antiga estrela belga e também um dos ilustres com cinco vitórias, Eddy Merckx – o grupo completa-se com os franceses Jacques Anquetil e Bernard Hinault –, o grande favorito a ganhar em 2016.
___Se o conseguir, o chefe de fila da Sky somará o terceiro título e seguido. Mas há respeito pelos adversários, em especial pelo colombiano Nairo Quintana "Será o maior rival. Nos dois que ganhei, foi 2º, tem sido o adversário que mais trabalho dá."
___No dia dedicado à imprensa no estágio em Maiorca, Froome falou ainda das suspeitas de doping. "Fiz 25 controles no Tour. Mas decidi fazer análises fisiológicas para provar que tenho a fisiologia para ganhar um Tour."
-
Fonte: http://www.record.xl.pt/modalidades/ciclismo/detalhe/chris-froome-quer-entrar-na-elite-do-tour.html

Investir em formação é fundamental para a segurança de ciclistas e motociclistas, afirmam estudiosos

___Elas são transportes sobre duas rodas e o condutor precisa de equilíbrio para conduzi-las e também estão envolvidas em graves acidentes nas áreas urbanas do país. De acordo com o Ministério da Saúde, só em 2014, foram registradas mais de 205 mil internações por acidentes de trânsito. Desse total, mais de 105 mil acidentes envolvendo bicicletas ou motocicletas, sendo que as situações com esta última representam mais de 90% dos casos.
___De acordo com Raquel Holz, doutora em Engenharia de Produção e Transportes pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, um dos fatores que podem colaborar com os índices de acidentes com motocicletas é a ideia, muito comum entre a população, de que se aprende a dirigir no trânsito.
“Esquecemos que o recém-habilitado não tem ainda experiência suficiente para aplicar o que aprendeu no processo de formação. E talvez este seja um dos fatores que mais contribuam para a grande participação de motociclistas nas estatísticas de acidentes de trânsito do Brasil”. Ela acrescenta que é preciso reavaliar o projeto pedagógico do processo de formação. “Aqui no Brasil, o que geralmente acontece, é que é destinado pouco tempo para a aprendizagem na primeira aula prática para conhecer os fundamentos do veículo”.
___Um dos pontos que Raquel defende é a aula prática em via pública. Em 2014, em conjunto com o funcionário do DETRAN/RS Carlos Mentz Barth e com a professora da Universidade Federal de Pelotas Natália Steigleder, ela realizou o Estudo da influência na acidentalidade, pela não aplicabilidade de aulas práticas, em via pública, na formação do condutor da categoria A (duas rodas).
“Estudos realizados em simuladores de risco sinalizaram que motociclistas iniciantes possuem uma percepção de risco menos desenvolvida do que aqueles com experiência”, defende Raquel em trecho do trabalho. Ela disse ainda que o estudo “Percepção de risco de motociclistas infratores” realizado com condutores inexperientes de motocicletas e automóveis também revelou percentuais mais elevados na identificação e análise dos riscos em condutores experientes. “Pode-se inferir que a experiência que o condutor aprendiz obteria na realização de aula prática em via pública seria fundamental para aguçar sua percepção e assim ter uma melhor conduta no trânsito e agilidade na dirigibilidade quando em situação de possível risco”, explica.
___O especialista em educação para o trânsito Jaime Nazário, presidente do Instituto Sobre Rodas, observa também outras questões que merecem atenção na formação do motociclista.
“O processo de formação de motociclistas é muito deficitário em vários aspectos. Fundamentos de pilotagem não chegam a ser ensinados, como parada e arrancada em aclives, ou são muito mal ensinados, como uso do freio dianteiro”.
___Para Nazário, não é tão simples quanto parece melhorar o atual processo, principalmente em relação à circulação dos novos motociclistas em vias públicas.
“Como todo processo educacional, existem medidas de curto prazo que poderiam melhorar o nível de formação, como alterar a pista para melhor contemplar a prática de parada e arrancada em aclives e frenagem com a roda dianteira, por exemplo. O uso de bons simuladores de trânsito também seria muito útil, bem como de outros artefatos tecnológicos que poderiam trazer melhor segurança para o processo de ensino”, avalia.
Formação para ciclistas começa na infância ___No primeiro semestre de 2015, o Ministério da Saúde registrou 4.871 internações de ciclistas acidentados no país, 2.759 apenas na região sudeste. Frente a números como esse, diversas ações nos níveis municipal, estadual e federal surgiram para incentivar a segurança desse tipo de condutor. Uma delas é o projeto de lei nº 1.500/2015, que tramita na Câmara de Vereadores de Belo Horizonte, que institui o curso facultativo e gratuito para capacitação de usuários de veículos de propulsão humana do tipo bicicleta, handbikes e similares. Na opinião de Mariana da Silveira, mestra em Engenharia de Transportes, a capacitação do ciclista é importante, porém deveria ser realizada ainda na infância.
 “Em cidades que são referência em bikes no mundo já existe essa formação, não só no que se refere ao ciclismo, mas no sentido de as crianças aprenderem sobre a hierarquia de cada veículo. Por exemplo, o motorista não costuma ver o ciclista como condutor de outro meio de transporte”, explica.
___O diretor-presidente da União dos Ciclistas do Brasil, André Soares, complementa afirmando que para os adultos é preciso mudar a mentalidade da população por meio de campanhas educativas que incentivem a convivência pacífica e humanizada no trânsito, aliada a uma punição severa aos condutores de veículos motorizados que causarem acidentes aos de propulsão humana.
“O próprio centro de formação de condutores deveria dedicar atenção especial para os cuidados com o ciclista durante as aulas teóricas. Em alguns estados brasileiros, já são obrigatórias duas questões na prova teórica envolvendo bicicleta, o que é um avanço”, pondera.
___Mariana afirma que existem iniciativas do terceiro setor que buscam capacitar condutores de bikes e motoristas para compartilharem o espaço em harmonia. Uma dessas iniciativas é a Bike Anjo, que oferece orientação gratuita aos iniciantes que têm dúvidas sobre como se portar no trânsito em cima de uma bicicleta.
___De acordo com o porta-voz da organização, Missaki Idehara, a ideia surgiu durante a Bicicletada, um evento de ciclistas. “Os ciclistas mais experientes começaram a orientar os que estavam começando e foram apelidados de anjos. Depois disso criou-se uma rede colaborativa em outras cidades. Hoje temos 2.020 voluntários cadastrados em 348 cidades e já atendemos mais de 3 mil pessoas”.
___Para Idehara, não seriam necessárias novas leis para garantir a segurança dos ciclistas, mas sim bons exemplos.
“A lei é apenas um texto que legitima a conduta do cidadão, não vale de nada se não acreditarmos nela. É preciso pensar em boas práticas e campanhas motivacionais como o Dia Mundial Sem Carro, o Dia de Bike ao Trabalho, uma vez que elas estimulam a reflexão de toda a sociedade”, defende.
___Na opinião do porta-voz da Bike Anjo, o respeito ao próximo é o ponto fundamental que os ciclistas devem levar em conta na hora de pedalar na cidade.
“O trânsito não é feito de carros, ônibus, motos, bicicletas, etc. O trânsito é feito de pessoas e, para que sejamos respeitados, temos que respeitar e dar o exemplo”, explica.
___Ele enumerou também as dicas básicas para uma condução segura: pedale com segurança, exerça direção defensiva, nunca pedale na contramão, ocupe pelo menos um terço da faixa de rolamento, cuidado com a abertura de portas dos carros parados e respeite o que diz o Código de Trânsito Brasileiro.
-
Fonte:  http://paranashop.com.br/2016/01/investir-em-formacao-e-fundamental-para-a-seguranca-de-ciclistas-e-motociclistas-afirmam-estudiosos.html